Simplifique seus investimentos (ou: menos é mais) – as 4 vantagens dessa tática, e as 4 dicas para adotá-la em sua vida financeira

Existe uma falsa idéia que ronda a cabeça de muitos investidores, representada pela falsa crença de que, para ter sucesso no mercado financeiro, é preciso escolher investimentos complexos, ou seja, aqueles difíceis de entender, e mais difíceis ainda de operar, o que significaria que eles estariam restritos a apenas um seleto grupo de pessoas “privilegiadas” blá-blá-blá blá-blá-blá…

Eu não penso assim.

Sou partidário da tese de que, quanto mais simples forem seus investimentos, maiores serão os benefícios não só para a sua vida financeira, mas também – e aqui está a cereja do bolo – para a sua vida não-financeira, isto é, para aquela outra porção de sua vida dedicada a aspectos mais amenos como diversão, lazer, tempo de qualidade com relacionamentos, hobbies, atividades de voluntariado, participações na comunidade, viagens, e por aí vai.

Felizmente, não estou sozinho nesse tema. Tenho a companhia de ninguém nada mais nada menos do que John Bogle, cujo livro “A dose certa” tive o prazer de resenhar, e cujo trecho cito aqui para ilustrar o que vem a ser um reforço ao meu pensamento:

“Para mim, a simplicidade sempre foi a chave do investimento de sucesso, e a sabedoria da Navalha de Occam, respeitada por gerações e gerações e elaborada por William de Occam, frade e filósofo do século XIV, tem-me sido muito útil: Quando você estiver diante de várias soluções para um problema, escolha a mais simples.”

Sabe aquele famoso ditado popular que diz “menos é mais”? Pois é, creio que essa frase vem a calhar quando se trata de gerenciar um portfólio ou carteira de investimentos: quanto mais seletivas e mais concentradas forem suas escolhas, maiores as probabilidades de você ter sucesso e rentabilidade nos investimentos. Não se trata de uma simplificação feita de qualquer modo: pelo contrário, é necessário, ao construir uma carteira enxuta, ter o conhecimento prévio, adquirido por meio de horas e mais horas dedicadas ao estudo do tema, seja por meio de livros, cursos, palestras, conversas, fóruns, blogs, consultorias etc.

As 4 vantagens da simplificação dos investimentos

Concentrar seus investimentos e sua vida financeira em poucos produtos e serviços lhe dará 4 vantagens imediatas.

Primeiro, você terá um melhor controle sobre o desempenho individual de cada investimento, ao mesmo tempo em que terá uma melhor visão do todo, isto é, do conjunto. É muito mais fácil ter uma carteira de ações com 10 empresas, do que ter 100 ações individuais espalhadas no seu portfólio. Como sabemos que o investimento num número reduzido de empresas aumenta os riscos, de uma maneira geral, os fundos de índice de mercado aparecem como excelentes opções para simplificar o gerenciamento de uma carteira de 50, 60 ou 100 ações ao mesmo tempo.

A segunda grande e fundamental vantagem de concentrar seus investimentos em poucos produtos/serviços, é que você gasta menos tempo acompanhando a evolução de sua carteira. Tempo, ah, esse bem tão precioso hoje em dia…  concentrar os investimento é ter a certeza de que o tempo despendido com eles não tirará o tempo que você teria para outras atividades, certamente mais gratificantes.

Como consequência quase que automática dessa segunda vantagem, temos também o fato de que, com mais tempo livre, vocè canaliza sua energia e vitalidade de uma forma mais proveitosa. É sabido, por exemplo, que o acompanhamento diário no home broker de, por exemplo, 10 ações de diferentes empresas causa ao investidor um desgaste psíquico muito maior do que o acompanhamento de uma ou duas ações. Da mesma forma, ter contas em poucos bancos lhe dará a liberdade necessária para utilizar seu cérebro para outras atividades, melhor do que se você tivesse contas em seis bancos diferentes (e pagando 6 mensalidades diferentes!).

A quarta vantagem é essencialmente prática: concentrar seus investimentos simplifica e agiliza sua declaração de Imposto de Renda. Você acerta as contas com o leão de uma forma muito mais rápida e muito mais fácil, quem sabe até recebendo a restituição do IR no primeiro lote (provavelmente em junho)! São muito menos extratos bancários para buscar, muito menos papelada a organizar, e sobretudo muito menos coisas a fazer quando você decide simplificar sua vida financeira.

As 4 dicas para simplificar seus investimentos

E agora você deve estar se perguntando: tá, e como eu posso fazer um diagnóstico de minha vida financeira, a fim de simplificar meus investimentos? Em outras palavras: por onde eu começo? Aqui vão 4 táticas para assegurar eficiência no cumprimento desse planejamento estratégico:

Primeiro, trate de concentrar suas contas em poucos bancos. Assim, você também terá a oportunidade de “somar” investimentos alocados em diferentes instituições, o que certamente lhe proporcionará maiores chances de negociar com os bancos melhores condições de investimentos, tais como melhores percentuais de CDI no CDB, isenção de tarifas bancárias, crédito imobiliário mais facilitado etc.

Ademais, por falar em instituições, concentre seus investimentos em poucas corretoras. Vale a pena, na fase de test drive, experimentar os serviços de diferentes corretoras, a fim de verificar qual é a que mais te agrada e lhe oferece os melhores serviços, utilizando o mesmo raciocínio que explanei em outro tópico, de que experimentar faz parte do processo. Porém, esgotada a fase de test drive, vá direto ao ponto e somente continue a operar com as corretores com as quais você se sinta mais à vontade.

Se você investir no mercado de ações, seja seletivo na escolha das ações individuais, que sejam fáceis de acompanhar, ou então opte pela excelência na simplificação do investimento, que consiste na escolha de um bom fundo de índice, barato e transparente.

Finalmente, ao investir no Tesouro Direto, faça uma diversificação inteligente, escolhendo poucos títulos. Por exemplo, se decidir investir em NTNB, escolha uma ou duas de sua preferência, mas não as quase 10 que o Tesouro Nacional oferece. Não faz sentido. Da mesma forma, nas aplicações em renda fixa de bancos, escolha poucos  e bons e baratos produtos (o que exige um grande trabalho de pesquisa, evidentemente, dado que os produtos dos bancos ainda são, em sua grande maioria, caros e pouco rentáveis).

Só tome cuidado para não exagerar na dose na simplificação de seus investimentos, procurando sempre um ponto de equilíbrio.

Conclusão

Já enfrentamos complexidade demais em muitas outras áreas de nossas vidas, as quais normalmente causam mais confusão do que esclarecimentos e resultados positivos práticos. No âmbito dos investimentos, sejamos seletivos em nossas escolhas, e não nos deixemos enganar pelo canto da sereia, já que temos a grande oportunidade de controlar nossa carteira. Simplificar os investimentos é uma questão de escolha, motivada por um ato de vontade, e não um ato de necessidade. Façamos o nosso dever de casa, buscando a simplificação, com prudência, sabedoria e iniciativa.

Bons investimentos! 😀

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Print Friendly, PDF & Email

9 Responses to Simplifique seus investimentos (ou: menos é mais) – as 4 vantagens dessa tática, e as 4 dicas para adotá-la em sua vida financeira

  1. Rosana 29 de setembro de 2013 at 7:49 #

    Guilherme,

    Gostei muito desse artigo!

    “Quando você estiver diante de várias soluções para um problema, escolha a mais simples.”
    Achei essa frase sensacional, então pergunto:
    Você já a usou na prática?
    Se sim, funcionou da maneira esperada?

    “Finalmente, ao investir no Tesouro Direto, faça uma diversificação inteligente, escolhendo poucos títulos. Por exemplo, se decidir investir em NTNB, escolha uma ou duas de sua preferência, mas não as quase 10 que o Tesouro Nacional oferece.”
    Apesar de preferir a simplificação, nesse caso minha estratégia é diferente. Prefiro maior diversificação nos títulos por 2 motivos:
    1) Para diluir os riscos – caso um apresente menor rendimento, será compensado pelo outro
    2) Vencimentos diferentes – as taxas pagas por títulos com vencimentos mais distantes geralmente é mais compensadora.
    Nas minhas compras, procuro escolher ao menos 0,1% de alguns títulos que estejam com taxas atrativas, mas com foco no título que mais prefiro no momento. Agora é a NTNB, mas já foi LTN, LFT, o que depende do momento.

    Abraços!

    • Guilherme 29 de setembro de 2013 at 12:02 #

      Oi Rosana, obrigado!

      Sim, já utilizei esse princípio do Bogle em algumas ocasiões:

      1) Precisava de um smartphone, ou melhor, de um software para registrar minhas despesas mensais. Existem literalmente milhares de opções disponíveis na Internet, algumas com funções complexas e gráficos muito bons. Mas acabei optando pela solução mais simples: um simples software (HandyShopper) de um sistema operacional que nem mais é comercializado (PalmOS). Aliás, esse software foi concebido originariamente para fazer listas de compras em mercados, mas eu acabei adaptando-o para essa função de registro de gastos, e estou com ele há quase 1 década!

      2) Tinha a necessidade de manter a conta-corrente no banco, mas não queria pagar a tarifa mensal de serviços. Tinha a opção de encerrar a conta (o que já descartava, tendo em vista a necessidade), migrar meus investimentos para lá, para obter isenção pelo volume de investimentos (coisa que era muito dispendiosa, pois investimentos em fundos de bancos são caros e poucos rentáveis), ou simplesmente mudar a conta para o pacote essencial, que é de graça e me permite usar os serviços de que necessito. Escolhi essa última opção: foi a mais simples, a que deu menos trabalho, e que resolveu o problema. 🙂

      Sobre os investimentos no TD, achei excelente sua estratégia! Você está de parabéns pela maneira profissional e madura com que enxerga os investimentos no Tesouro Direto!

      Abç!

      • Rosana 1 de outubro de 2013 at 20:11 #

        Agora entendi o que quis dizer. Bons exemplos, vou refletir mais sobre o assunto pois achei ser muito importante.
        Vivemos em um mundo tão conturbado e complicado, que tudo o que possa simplificar nossas vidas é bem-vindo.

        “Você está de parabéns pela maneira profissional e madura com que enxerga os investimentos no Tesouro Direto!”
        Agora eu ganhei o dia! 🙂
        Um elogio desses vindo de você, que é alguém que entende sobre investimentos muito mais do que eu é muito gratificante!

        Abraços,
        Rosana

        • Guilherme 2 de outubro de 2013 at 19:56 #

          Sim, Rosana, valem a pena essas reflexões sobre como simplificar a vida!

          E sobre o Tesouro Direto, realmente, reafirmo aqui que você já adquiriu todas as habilidades necessárias para investir de modo estratégico com títulos públicos. Eu é quem me sinto gratificado de poder trocar ideias com pessoas de nível intelectual tão acima da média! 🙂

          Abç!

          • Rosana 3 de outubro de 2013 at 7:55 #

            Guilherme,
            Agradeço pelos elogios, é sempre bom “ouvir” coisas assim, embora não me sinta digna de tão belas palavras. Ainda tenho muito a aprender, a caminhada é longa, bem longa.

            Abraços,
            Rosana

          • Rosana 3 de outubro de 2013 at 8:02 #

            “Eu é quem me sinto gratificado de poder trocar ideias com pessoas de nível intelectual tão acima da média!”
            Concordo. O público do seu blog é excelente, ótimos comentários, sempre aprendo muito aqui. 🙂

            • Guilherme 5 de outubro de 2013 at 10:53 #

              E eu também aprendo bastante! Troca de informações é o motor vital do blog! 🙂

              Abç!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Valores Reais » A Bolsa pode cumprir o mesmo objetivo das NTN-Bs no longo prazo. E com vantagens. - 25 de maio de 2010

    […] alinhar melhor minhas metas financeiras aos objetivos não-financeiros, e também propiciará uma simplificação de investimentos para objetivos de longo […]

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes