Os malefícios da televisão na descompressão diária do trabalho – e como fazer para eliminá-los

Parece que a televisão e a sociedade pós-industrial – aquela que surgiu após a Revolução Industrial – foram feitas uma para outra. Lendo o livro Dinheiro e Vida, descobri que o padrão do horário comercial das 9 às 5 só foi instituído e massificado após a generalização das fábricas: antes, as pessoas trabalhavam só 3 horas por dia! É claro que a rotina de trabalho braçal na linha de produção é desgastante, fato que também se aplica às demais atividades de serviços, o que exigiu do ser humano meios criativos de compensar uma jornada de trabalho extenuante.

A tecnologia evoluiu, e eis que, no século XX, surge e se consolida a TV como principal veículo de entretenimento das famílias de classe média. O problema não é a televisão em si, mas sim o conteúdo dela, a programação, que, dentre outros malefícios, vende consumismo, expõe um estilo de vida glamoroso que nos faz sentir vergonha daquilo que temos, passa notícias de desastres etc.

O que é descompressão?

É fato que o trabalhador típico médio chega em casa extenuado após uma jornada de trabalho desgastante. Não só o trabalho em si, mas sim tudo que está relacionado a ele, incluindo tempo gasto no trânsito, preparação para se arrumar bem, o trabalho que se leva para a casa porque não conseguiu concluí-lo satisfatoriamente no escritório etc. Tudo isso faz com que ele fique “comprimido”, tornando-se necessário, então, que haja uma “descompressão”, ou seja, a busca de atividades relaxantes, que o façam pensar numa outra “realidade”. É aí que entre a TV com todos os seus malefícios.

Por que a televisão é tão atraente nesse papel de descompressão?

Por três motivos principais.

Atividade passiva (“descansar a mente”). A TV não exige esforço mental, basta você ligá-la em qualquer canal para se desligar do trabalho e toda sua carga de atividades cansativas. Logo, a televisão, com sua programação passiva, faz a contraposição das tarefas ativas que você realiza no trabalho, onde se “gasta” a mente, e normalmente com produção de stress e, não raras vezes, desgaste emocional.

“Toma uma horizontal”. No escritório você fica 8 horas sentado numa cadeira, com uma mesa em cima – e muitas vezes mal sentado, com problemas de postura na coluna, geralmente apoiado na ponta da cadeira, com as pernas cruzadas, com o monitor desalinhado ao seu campo de visão, sem intervalos regulares para descanso etc. A TV é um convite para você descansar: é por isso que na sala não há cadeiras de escritório! Geralmente você senta no sofá – isso quando não deita… certo?

Fuga da realidade. No trabalho, a palavra-chave é “problema”, e você é o encarregado para solucioná-lo. O conflito gera stress, mas não só o conflito: você pode não ter bom relacionamento com alguns colegas de trabalho, clientes ficam irritados sem justificativa, o trânsito lhe dá um nó… A TV não tem nada disso: veja as propagandas, os programas de viagens, o estilo de vida glamoroso que se vende… a TV te proporciona sonhar com uma vida que você, literalmente, não vive.

Três sugestões para eliminar os malefícios da TV

Primeiro ponto. Partindo da premissa de que o trabalho tira sua energia, faz você chegar esgotado em casa, sem ânimo nem vitalidade, o que você deve fazer em casa não é poupar energia, mas sim renová-la, para recarregar as baterias a fim de estar novo em folha no dia seguinte. Converse com os filhos, faça refeições diferentes, pratique alguma atividade física (pode até ser mesmo um curso de dança com seu cônjuge), cultive flores em sua varanda, organize enfim as fotos de família que estão todas bagunçadas no computador, resolva de uma vez por todas aquela pilha de revistas acomodadas na estante, dê um jeito nas correspondências entulhadas na sala, navegue em bons sites na Internet, como blogs de finanças pessoais (aham), enfim, faça atividades criativas que lhe proporcione vitalidade.

Segundo ponto. Se o problema é o cansaço do corpo, e tudo o que você quer é “tomar uma horizontal”, fique deitado realizando atividades que estejam alinhadas ao seu propósito de desacelerar seus movimentos. De que adianta ficar deitado vendo comerciais que mudam freneticamente a cada 30 segundos, novelas que contam 3, 4, 5 histórias paralelas em menos de 20 minutos, notícias de telejornais que pipocam a cada 50 segundos? É uma contradição danada, não acha? Isso ocorre porque o padrão de vida agitada no trabalho é reproduzido na televisão, logo, se o seu objetivo é tirar agitação, assistir TV em nada o ajudará a cumprir esse intento, justamente porque faz você continuar com a sensação de movimento acelerado mesmo não fazendo nada. Ao invés disso, faça outras coisas: leitura leve, escute músicas, vale até mesmo assistir filmes escolhidos por você dentro dessa finalidade de relaxar, e não filmes definidos pelo canal de TV.

Terceiro ponto. A fuga da realidade opressora do trabalho é um falso remédio, na medida em que assistir TV não irá alterar a sua realidade. Assistir novela irá mudar a sua história de vida? Ver o seu time de futebol ganhar o jogo irá fazê-lo ganhar o seu jogo dos negócios ou da vida? Assistir notícias de fofocas irá incrementar a qualidade de sua vida? O macete aqui é: pratique coisas que não te façam fugir da realidade, mas sim que ajudem a construí-la, melhorá-la, torná-la melhor. Se o trabalho não te apetece, ocupe seu tempo fazendo planos para trocar de emprego. Se o seu atual cargo público é incompatível com o que você esperava, estude para outros concursos. Se a cidade em que você mora não é a que você gostaria, gaste o tempo fazendo preparativos para uma mudança.

A televisão é perversa porque nos ensina a ser atores de nossas vidas, quando na verdade deveríamos ser os autores!

Esse conjunto de ferramentas não só lhe proporcionarão melhor uso do tempo antes gasto de forma ineficiente, como também farão com que você tenha novas e surpreendentes perspectivas acerca da vida real que gira em torno de sua própria vida, e não da vida imaginária que se conta na televisão.

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

p.s.: ontem foi publicado meu artigo para o mês, no blog Dinheirama, cuja tema é “o grande segredo de ter metas financeiras“. Não deixem de lê-lo! 😀

Print Friendly, PDF & Email

,

14 Responses to Os malefícios da televisão na descompressão diária do trabalho – e como fazer para eliminá-los

  1. Elvis 19 de fevereiro de 2010 at 13:42 #

    Fico contente quando encontro um blog com material de qualidade. Acabo de encontrar o seu e já estou recomendando. Grande abraço e parabéns pelo trabalho!

  2. hotmar 19 de fevereiro de 2010 at 14:14 #

    Valeu, Elvis, pelas referências e comentários! 😀

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  3. Luis Otávio 3 de maio de 2011 at 10:49 #

    Guilherme, tudo bem? Eu queria enviar algumas matérias suas em meu facebook. Tem previsão de quando terá um link de atalho? Abraços e parabéns pelo blog!

  4. Guilherme 3 de maio de 2011 at 20:58 #

    Luís, vou providenciar o quanto antes o botão para Facebook!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  5. Gislaine 19 de janeiro de 2012 at 20:41 #

    ola Guilherme adorei seus artigos muito bom msmo.Gosto muito de pessoas que criticam, questiona as leis e o modo de vida que os outros impoem para que seguimos. parabéns se todos pensassemos como vc teriamos alegria, ânimo para viver e seriaamos melhores maes,pais etc.

  6. Guilherme 22 de janeiro de 2012 at 15:03 #

    Obrigado, Gislaine!

  7. Francisco de Souza 19 de janeiro de 2013 at 21:32 #

    OLá guilherme!
    Adorei a matéria. Estou a procura deste livro, mas não acho mais o livro em lugar nem um, nem mesmo em sebos. Você tem alguma dica onde posso encontrar?
    um grande abraço.

  8. Francisco de Souza 19 de janeiro de 2013 at 21:33 #

    Guilherme me desculpe, comentei no lugar errado. O link é este:
    http://valoresreais.com/2010/06/20/resenha-a-descoberta-do-fluxo-de-mihaly-csikszentmihalyi/

    abraços

  9. alair 14 de janeiro de 2016 at 17:01 #

    Ver TV não vale a pena.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Valores Reais » Seja você mesmo - 26 de março de 2010

    […] O grande segredo para ter uma vida de mais valores e de mais sentido, e de mais virtude – e de menos ostentação e bens materiais fúteis – passa necessariamente por essa auto-avaliação: a pessoa tem que olhar não de fora para dentro, mas sim de dentro para fora. Ela tem que ver o que realmente é bom para ela, o que a satisfaz, o que a torna feliz. Muitas vezes os padrões de nossos comportamentos não são fruto de nossas conquistas e desejos, mas sim meras reproduções automáticas de modelos de conduta que nos vêm impostos pela sociedade, como deixamos bem assentado nesse artigo mostrando os malefícios da TV na descompressão diária do…. […]

  2. Valores Reais » Resenha: Família acima de tudo - 4 de abril de 2010

    […] Na parte da educação, são dadas dicas de como escolher uma boa escola, os males da televisão, o estabelecimento de limites, a criação de exemplos (afinal, crianças aprendem por imitação), a importância da ética. Sobre os malefícios da televisão, aliás, escrevi um artigo específico a respeito. […]

  3. Valores Reais » Não deixe a Copa do Mundo controlar sua vida - 27 de maio de 2010

    […] Estamos nos aproximando de um evento que paralisa a vida de milhões, literalmente milhões, de brasileiros. É a Copa do Mundo de futebol. Confesso que me aborrece um pouco esse clima de ufanismo desenfreado, patriotismo levado às últimas consequências, e Copa sendo assunto de todas as revistas e jornais, outdoors, e, é claro, a TV. Ela, a  famigerada TV, com seus inúmeros malefícios para a sociedade. Felizmente, há cura, como descrevi em um artigo publicado tempos atrás. […]

  4. Valores Reais » Resenha: A descoberta do fluxo, de Mihaly Csikszentmihalyi - 20 de junho de 2010

    […] e sobre as quais mantemos nossa atenção. Mike aproveita para fazer duras críticas à televisão (corrente ao qual me filio), que atualmente ocupa a maior quantidade de energia psíquica de todos os atos de […]

  5. Quando foi a última vez que você fez alguma coisa pela primeira vez? | sorriavoceestasendofilmado - 18 de julho de 2016

    […] às nossas rotinas diárias de casa-trabalho-casa ou casa-estudo-casa, finais de semana e noites assistindo televisão e comendo coisas não saudáveis, horas e mais horas em distrações na Internet, que nem nos damos […]

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes