Gaste seu tempo sendo útil às pessoas

Às vezes, precisamos relembrar coisas básicas para fazer com que nossas vidas “retornem aos eixos” e, assim, consigamos cumprir as metas e conquistar os objetivos que há tanto tempo acalentamos.

Relacionamentos

Isso se faz necessário porque, apesar de vivermos a era da conectividade, também vivemos, paradoxalmente, a era da distração. A riqueza de informação contrasta fortemente com a pobreza de atenção. Somos distraídos facilmente por uma manchete sensacionalista de jornal, um vídeo de humor postado no Facebook ou no WhatsApp, uma imagem atraente no Instagram…

Se não prestarmos atenção naquilo que interfere em nossa atenção, vamos acumulando horas e mais horas, dias e mais dias, gastando nosso precioso tempo com coisas que nada nos importam e nada nos ajudarão a melhorar nossa própria vida. Discussões fúteis e inúteis abundam em fóruns de discussão, egos se inflamam em listas de emails e redes sociais, roubando o tempo para aquilo que nos é mais precioso: nossa capacidade de ser útil às pessoas.

E o que é ser útil? É promover mudanças positivas na vida de outros seres humanos. É fazê-los crescer. É aumentar a importância dos outros, e não diminui-los. É fazê-los felizes, e não infelizes. O mundo tá cheio de gente que mais prejudica do que ajuda, que mais degrada do que melhora. Não queira fazer parte dessa turma.

Um médico forma sua reputação pela capacidade de salvar a vida de seus pacientes. Um advogado constrói seu legado pela sua habilidade em solucionar problemas jurídicos. Um engenheiro se destaca pelas obras que edifica. Um professor é reconhecido pelo seu trabalho em formar alunos interessados na matéria que leciona. Uma mãe se realiza quando educa seus filhos para a vida.

Você também deve, seja qual for sua profissão, suas aptidões ou sua condição pessoal ou social, maximizar o valor do tempo que tem disponível, utilizando seus talentos, suas habilidades e suas qualidades para ajudar a melhorar a vida de outras pessoas.

Não desperdice seu tempo em discussões fúteis tentando provar ser melhor ou pior que alguém. Isso não leva a nada, e não melhora a vida de ninguém.

Conclusão

Que em 2016 você possa utilizar aquilo que você tem de melhor para ajudar o próximo e, assim, como já disse Steve Jobs uma vez, “empurrar a raça humana para frente”.

Um Feliz 2016 a todos os leitores e leitoras do blog! 😀

Print Friendly, PDF & Email

9 Responses to Gaste seu tempo sendo útil às pessoas

  1. Rosana 4 de janeiro de 2016 at 7:32 #

    Guilherme,

    Excelente post para iniciar bem o ano.

    Concordo que estamos na era da distração, com a atenção cada vez prejudicada. Muitas vezes não percebemos, mas esse excesso de atividade cerebral acaba nos cansando mentalmente, o que vai se acumulando, de forma pouco perceptível. Haverão consequências que a medicina ainda desconhece.
    Por isso, acho que filtrarmos o que é realmente importante para nós é essencial para conseguirmos promover as mudanças positivas em nossa vida e consequentemente na vida das pessoas ao nosso redor também.

    Em relação ao excesso (de informações e de coisas materiais), muitas vezes “Less is more”.

    Abraços,
    Rosana

    • Guilherme 7 de janeiro de 2016 at 7:44 #

      Oi Rosana, excelentes comentários!

      Gostei da sua última frase, de fato, menos é mais! 😀

      Abraços!

  2. Leakim 4 de janeiro de 2016 at 12:03 #

    Muito interessante esse texto!
    Achei legal artigo semelhante em:
    http://revistagalileu.globo.com/Tecnologia/noticia/2015/07/estamos-na-era-da-distracao-entenda-o-valor-de-se-desconectar.html

    Uma experiência comum: você está caminhando pela rua e alguém vem em sua direção. Você o vê, mas ele não vê você. Ele está mandando uma mensagem, ou olhando para o celular. Está distraído, tentando fazer duas coisas ao mesmo tempo: caminhando e se comunicando.
    Também existe o famoso caso do motorista no telefone: ele está dirigindo ou muito devagar ou muito rápido, apenas parcialmente ligado no que está acontecendo ao seu redor. Conectado a alguém em outro lugar, não está presente no aqui e agora.
    Essas ocorrências são comuns o suficiente para batizarmos nossa época de ‘a era da distração’.
    Uma condição perigosa
    A era da distração é perigosa. Um relatório recente feito pelo Conselho de Segurança Nacional mostra que caminhar e mandar mensagens aumenta o risco de acidentes. Mais de 11 mil pessoas se machucaram em 2014, nos EUA, ao andar e falar em seus telefones.
    Ainda mais perigoso é o motorista distraído. Eles possuem uma velocidade maior, mudam de faixa menos vezes do que o necessário e, em geral, tornam a direção mais perigosa e menos eficiente para aqueles ao seu redor.
    O envio de mensagens durante a direção resultou em 16 mil fatalidades nas estradas entre 2001 e 2007. Mais de 21% dos acidentes de carro agora são atribuídos a motoristas falando em seus celulares e 5% a motoristas mandando mensagens.
    Problemas cognitivos
    Fazer muitas tarefas relativamente complexas ao mesmo tempo, como operar um celular para mandar mensagem enquanto falamos ou dirigimos, não é um uso eficiente do nosso tempo e também é um mau uso de nossas habilidades.
    Somos usuários de informações mais eficientes quando nos concentramos em uma tarefa por vez. Quando tentamos fazer mais de uma coisa, sofremos com a cegueira de atenção, uma falha ao reconhecer outras coisas, como pessoas caminhando em nossa direção ou outros motoristas.
    Adeptos do ‘multitask’ têm uma menor performance em testes de reconhecimento de padrões ou de memória. Em um estudo que se tornou clássico, pesquisadores de Stanford descobriram que os multitaskers eram menos eficientes por serem mais suscetíveis ao uso de informações irrelevantes e de memórias inapropriadas.
    O multitask também pode não ser bom para a sua saúde. Uma pesquisa, feita em 2010, que analisou 2 mil meninas de 8 a 12 anos nos EUA e no Canadá descobriu que usar muitas mídias ao mesmo tempo estava associado com indicadores sociais negativos. Já o contato cara a cara é associado com indicadores positivos como sucesso social, sentimento de pertencimento e mais horas de sono.
    Mesmo que o mecanismo causal ainda precise ser compreendido – o que causa o que (multitask causam os traços negativos ou o contrário?) – a conclusão é que o multitask não é uma fonte de felicidade.

    • Guilherme 7 de janeiro de 2016 at 7:46 #

      Oi Leakim, ótima reportagem!

      Sem dúvida, o ser humano foi concebido para ser “unitask” por natureza. Trabalhamos de forma mais eficiente quando concentramos e convergimos nossa atenção em um único ponto de foco.

      Abraços!

    • Rosana 8 de janeiro de 2016 at 9:01 #

      Leakim,

      Excelente texto!
      Eu sempre tive a impressão de que ser multitarefa não era algo tão bom assim (pelo menos para mim nunca foi), por isso a importância de nos focarmos no momento atual. Nesse sentido, recomendo o livro “O poder do agora”, de Eckhart Tolle. Ele ajuda a percebermos a importância do momento presente, que na realidade é o único que realmente temos.

      Abraços,

  3. José 5 de janeiro de 2016 at 1:05 #

    Excelente texto.

    Coloco uma observação, que infelizmente estamos diariamente cercados por pessoas que estão ali para buscar o pior para o próximo. Muitas falsas amizades, algumas delas alimentadas pela inveja e pela cobiça.

    Por mais bem intencionados que possamos ser, devemos sempre ter cuidado sobre para quem abrir detalhes da nossa vida, a porta de nossa casa e ceder nossa amizade.

    Devemos ser úteis aos próximos, porém tomando cuidado para não ser ingênuos.

    • Guilherme 7 de janeiro de 2016 at 7:47 #

      Oi José, você disse bem, infelizmente, existem muitas pessoas mais interessadas em causar o pior para o próximo, seja de forma aberta, seja de forma velada.

      Devemos, pois, ser vigilantes.

      Abraços!

  4. Cipriano 5 de janeiro de 2016 at 3:44 #

    Maravilha de ensinamento!

    – Não desperdiçar o tempo, que é o recurso mais escasso;
    – Fazer coisas que que melhoram a nossa vida;
    – Ajudar a melhorar a vida do próximo!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes