2015 ainda não terminou: LCA BB piora ainda mais (80% do CDI), inflação recorde, dólar volta aos R$ 4, Bolsa abaixo dos 40k pontos e mais!

O primeiro resumão do ano de 2016 começa, infelizmente, recheado de notícias ruins no âmbito das finanças pessoais e investimentos. Parece mesmo que 2016 vai ser ainda pior que 2015, assim como 2015 foi pior que 2014. Afinal de contas, a pergunta que não quer calar é: quando chegaremos no fundo do poço?

LCA BB piora ainda mais: 80% do CDI. É isso mesmo, produção?

Fui alertado por diversos leitores, nas caixas de comentários de vários artigos do blog, e também por email (e agradeço a todos pelo alerta!), que o Banco do Brasil resolveu piorar ainda mais a remuneração da Letra de Crédito do Agronegócio.

De 84% do CDI líquido, caiu, no mês de novembro do ano passado, para 83%, e, de lá pra cá, a coisa só piorou.

No final de dezembro de 2015, o percentual havia caído para 81% e, como se tudo isso ainda não bastasse, diversos leitores comentaram, na semana passada, que o percentual havia caído para míseros 80% do CDI.

Lamentável essa atitude do Banco do Brasil de “matar” um dos raros bons investimentos que existiam em grandes bancos de varejo. Do jeito que “a banda toca”, é capaz do percentual do CDI da LCA do BB cair para ridículos 75% do CDI. A conferir.

Inflação recorde: o real nunca valeu tão pouco.

E aconteceu aquilo que todos já esperavam: a inflação oficial de 2015, medida pelo IPCA, ficou em 10,67%. Foi a pior desvalorização do poder de compra da moeda brasileira desde o ano de 2002, pois, além dessa inflação recorde de dois dígitos, o dólar acumulou alta de praticamente 50% no ano passado, fechando como campeão dos investimentos pelo segundo ano consecutivo.

Alimentos, transporte, habitação e tarifas de serviços públicos foram os segmentos que mais contribuíram para essa inflação recorde, aliada, é claro, à alta do dólar, que encareceu muitos dos produtos e serviços consumidos pela população brasileira.

Sabemos, no entanto, que esses 10% de aumento dos preços correspondem apenas a uma “média”, já que, no âmbito do planejamento doméstico de muitas famílias brasileiras, o aumento foi bem superior a esse percentual.

Supermercado

E o que fazer para diminuir o efeito corrosivo do poder de compra da moeda brasileira, que prejudica também a rentabilidade real dos investimentos? Basicamente, é preciso agir em duas frentes.

Do lado dos passivos, torna-se cada vez mais necessário realizar um rigoroso programa de ajuste fiscal, registrando todas as despesas, cortando itens supérfluos, e até fazendo sacrifícios de lazer e outros itens antes considerados “intocáveis”, como contamos no artigo: A crise apertou? 17 dicas antipáticas (mas eficazes) de economizar dinheiro.

Já no âmbito dos ativos, continuar investindo forte em investimentos que tenham uma proteção efetiva contra a inflação, tais como os títulos do Tesouro IPCA, como, por exemplo, explicado nesse artigo: Multiplique seu patrimônio por 10: como transformar R$ 54 mil em mais de R$ 500 mil (meio milhão de reais) com o Tesouro Direto.

Dólar volta ao patamar dos R$ 4

Depois de um período de “relativa” tranquilidade, com o dólar chegando a cair na faixa dos R$ 3,6x, a moeda norte-americana voltou a ganhar força nas últimas semanas – quem disse que dezembro seria tranquilo? 😛 – e começou o ano com a corda toda, voltando ao terrível patamar dos R$ 4.

O problema é que não foi “apenas” a crise política e econômica interna que fez o dólar subir tanto. Foram também fatores externos, como a piora do quadro econômico da China, somado ao aumento da tensão no Oriente Médio, com o rompimento de relações diplomáticas entre Arábia Saudita e o Irã.

Para (tentar) se proteger da alta do dólar, não há outra medida mais eficiente do que simplesmente evitar ou diminuir bastante a compra de produtos e serviços importados, ou cuja cotação seja indexada à moeda norte-americana.

Bolsa abaixo dos 40 mil pontos

Taí um cenário praticamente inevitável: com a forte queda do IBovespa já na primeira semana do ano, com perdas de 6,31%, espera-se que o Ibovespa caia abaixo dos 40k pontos já nos próximos dias.

E tal queda não se deve apenas ao futuro sombrio e incerto do cenário econômico brasileiro e/ou chinês, mas à própria deterioração de diversos setores que compõem a economia brasileira, e cujos dados e resultados vão sendo divulgados paulatinamente.

Trata-se, portanto, de uma queda com fundamentos, e não apenas especulativa. O ETF BOVA11, por exemplo, que replica o IBovespa, já teve cotas sendo negociadas, na semana passada, na faixa dos R$ 39.xx, fato que não ocorria desde o começo de 2009.

A crise na Bolsa brasileira, se por um lado é ruim para quem comprou ações quando elas estavam no topo histórico, por outro abre oportunidades de compra que não se viam desde a crise de 2008. Muitas ações estão sendo duramente castigadas pelo mercado, e, para quem tiver estudo, paciência e estratégia, pode ser uma grande oportunidade de iniciar um processo de acumulação de riqueza.

………………………………..

Boa semana a todos!

Créditos da imagem: Free Digital Photos

Print Friendly, PDF & Email

, , , ,

70 Responses to 2015 ainda não terminou: LCA BB piora ainda mais (80% do CDI), inflação recorde, dólar volta aos R$ 4, Bolsa abaixo dos 40k pontos e mais!

  1. Shadow 11 de janeiro de 2016 at 6:39 #

    Excelente resumo Guilherme como sempre! Não quero nem ver a % da CDI que BB pagará pela LCI.
    Menos do que 77,5% da CDI é melhor deixar o dinheiro no TD SELIC, mesmo com a alíquota máxima rende pelo menos isso.

    Se o dinheiro ficar parado 6 meses, já se chega aos 80% do BB. Considerando que por força de lei o dinheiro fica imobilizado 90 dias, com mais 90 se atinge a mesma rentabilidade no TD SELIC mas com liquidez diária durante todo o período da aplicação.

    A única possibilidade agora da LCA ser vantajosa é na utilização entre 90 e 180 dias. Ficou praticamente impossível investir alguma coisa no BB para se ter algum relacionamento com o Banco. Os fundos de investimento agradecem. As corretoras e bancos médios também!

    • Guilherme 11 de janeiro de 2016 at 18:24 #

      Olá, Shadow, muito obrigado pelas palavras!

      Excelente seu comentário! Como você bem disse, os fundos, corretoras e bancos médios agradecem! 😀

      Abraços!

  2. Thomas Anderson 11 de janeiro de 2016 at 8:26 #

    Acho estranho essa redução na remuneração da LCA, pois em setembro a agência S&P cortou o grau de investimento do BB e teoricamente o prêmio pelo risco deveria aumentar.

    • Guilherme 11 de janeiro de 2016 at 18:24 #

      Pois é, Thomas, e eu acho que tem um “dedo” do governo nessa remuneração diminuída, acho que eles querem que o pessoal pare de investir nas Letras.

      Abraços

  3. Willyan 11 de janeiro de 2016 at 9:18 #

    Olá Guilherme

    Parabéns pelo seus textos e dicas. Achei este site e me viciei nele..hehehe
    Tenho uma dúvida, a qual não tem muita relação com o texto acima, mas se você puder me ajudar agradeço:
    – Eu quero começar a poupar mensalmente uma porcentagem do meu salário. Por exemplo, podemos estabelecer um valor de R$ 2.000,00. Qual o melhor tipo, ou existe algum tipo de investimento onde eu possa todo mês investir esta quantia de forma programada e obter vantagens com isso? Sei que existe a previdência privada, que é algo que prevê esta modalidade de depósitos mensais, mas sei que não é vantajosa…
    Agradeço desde já.

    • Murilo 11 de janeiro de 2016 at 15:23 #

      Um exemplo: se vc ganha liquido 4k, gasta 2k e poupa 2k. Eu juntaria 6 a 12x suas despesas mensais (12 k a 24k) em tesouro selic. Mais cômodo, mas com pior rentabilidade, em um fundo DI.
      Somente a partir dai em pensaria em investir. Primeiro tem que fazer esse dever de casa. Nao tem jeito.

      • Guilherme 11 de janeiro de 2016 at 18:25 #

        Oi Willyan, obrigado! 😀

        Concordo com o Murilo, o ideal, num primeiro momento, é construir sua reserva de emergências, no Tesouro SELIC, preferencialmente. Depois, partir para outros tipos de investimentos.

        Abraços!

  4. AAFG 11 de janeiro de 2016 at 10:17 #

    O que é que tem de “lamentável” na decisão do BB? Lei da oferta e demanda: muitos querendo aplicar em LCA levam à queda da taxa paga. Ponto final.

  5. Douglas 11 de janeiro de 2016 at 11:17 #

    Essa é a pergunta que todos querem saber a resposta mas ninguém sabe a resposta: Quando chegaremos no fundo do poço?

    Em 2008 o Ibovespa caiu 46% em 6 meses.

    Agora o Ibovespa já caiu 29% em 8 meses. Acredito que o que segura essa queda é a inflação. O Ibovespa dolarizado caiu 46%.

    Obvio que a comparação de uma crise com a outra não faz sentido, mas talvez possa dar uma ideia de quanto tempo o mercado gasta para absorver tais crises.

    Acredito que a situação não se resolveu ainda pois o impasse político não se resolveu, e ainda existe possilidade de:

    – Aumento dos juros no EUA
    – Aumento dos juros no Brasil
    – Aumento da carga tributária nos investimentos.

    Nada disso ajuda o investidor da bolsa.

    • Guilherme 11 de janeiro de 2016 at 18:27 #

      Realmente, Douglas, a coisa está muito incerta no Brasil, com todas essas variáveis citadas por você ainda pendentes de definição.

      Abraços!

  6. SwineOne 11 de janeiro de 2016 at 11:46 #

    Guilherme,

    Devo ser uma pessoa incomum, porque estou celebrando estas quedas no Ibovespa. Não somente porque estou querendo ver o caos se instalar no Brasil, mas porque há alguns anos atrás, li o seguinte trecho do relatório anual da Berkshire Hathaway de Warren Buffett, e aprendi a enxergar as coisas de outra forma:

    “A short quiz: If you plan to eat hamburgers throughout your life and are not a cattle producer, should you wish for higher or lower prices for beef? Likewise, if you are going to buy a car from time to time but are not an auto manufacturer, should you prefer higher or lower car prices? These questions, of course, answer themselves.

    But now for the final exam: If you expect to be a net saver during the next five years, should you hope for a higher or lower stock market during that period? Many investors get this one wrong. Even though they are going to be net buyers of stocks for many years to come, they are elated when stock prices rise and depressed when they fall. In effect, they rejoice because prices have risen for the “hamburgers” they will soon be buying. This reaction makes no sense. Only those who will be sellers of equities in the near future should be happy at seeing stocks rise. Prospective purchasers should much prefer sinking prices.”

    (retirado de http://www.berkshirehathaway.com/letters/1997.html)

    Enfatizando o trecho final:

    “Only those who will be sellers of equities in the near future should be happy at seeing stocks rise. Prospective purchasers should much prefer sinking prices.”

    Traduzindo para quem não é familiar com o inglês:

    “Apenas aquelas que serão vendedores de ativos no futuro próximo devem ficar felizes em ver o preço das ações subir. Compradores em potencial devem preferir muito mais preços em queda.”

    Talvez quem não pensa desta forma argumenta que não dá pra saber o fundo do poço — levado ao extremo, quem garante que os preços não vão continuar caindo por décadas e décadas? Mas claro que esse argumento é absurdo, porque no longo prazo, ações sempre sobem, uma vez que as ações são um reflexo da economia como um todo, e a economia sempre cresce (podem haver percalços no caminho, mas a criação de riqueza, o desenvolvimento tecnológico, a produtividade, etc. sempre tendem a crescer e não diminuir).

    O negócio, como você diz, é aproveitar a queda para fazer um estoque de ações com preços médios baixos. Não dá pra saber o que acontecerá neste ano, nem no próximo, e talvez nem nos próximos 5 anos. Mas certamente daqui 20, 30, 40 anos as ações terão subido, e muito. Algumas más empresas ficarão no caminho, mas a maioria sobreviverá e crescerá absurdamente. Como ninguém pode dizer com 100% de certeza quais são as boas e quais são as más empresas, a estratégia para não ficar com o mico na mão é diversificar: com pouco capital, comprar um ETF que espelhe o índice, como o BOVA11, e com muito capital, tentar comprar as ações do próprio índice para aproveitar as vantagens tributárias de ter as ações individuais.

    • Guibro 11 de janeiro de 2016 at 14:36 #

      Acho que o Guilherme tentou endereçar essa sua observação na seguinte passagem: “Trata-se, portanto, de uma queda com fundamentos, e não apenas especulativa”.

      No campo das metáforas, Buffett adoraria pagar menos e menos e menos por hambúrgueres perfeitos, mas não aceitaria pagar preço algum por hambúrgueres estragados ou a um dia do prazo de validade…

      • SwineOne 11 de janeiro de 2016 at 16:26 #

        Concordo que os fundamentos justificam a queda nesse momento. Porém, quem está investindo para a aposentadoria, e contando com vender estas ações somente daqui a 30 ou 40 anos, pode ter certeza que elas subirão e muito no futuro. O preço da ação espelha a realidade atual, mas a menos que o PT continue governando o Brasil por mais 30 ou 40 anos, é fato que essas ações voltarão a subir.

        A verdadeira pergunta a se fazer agora é a seguinte: qual é o custo de oportunidade? Certamente as coisas só tendem a piorar até 2018, mas vejo como quase certa a mudança de governo em 2019, e nesse momento as ações irão subir. Fazendo um cálculo aproximado, se eu deixar o dinheiro em renda fixa hoje, ele valerá cerca de 50% a mais daqui a 3 anos, assumindo movimentos tímidos nos juros. A pergunta é: o Ibovespa estará em 60.000 pontos daqui a 3 anos? Se valer menos, é mais negócio deixar na renda fixa até lá, e se valer mais, é mais negócio deixar no Ibovespa.

        Pessoalmente acredito que ainda há espaço para cair, ou pelo menos andar de lado. O que sobrar pra investir, vou colocar em renda fixa por enquanto. Mas em se concretizando uma queda ao longo do ano (digamos que feche o ano em 35.000 pontos, algo que não duvido nem um pouco, e acho que pode cair até mais), começa a se abrir um ponto de compra interessantíssimo na minha opinião. Claro, é possível dar uma de apostador e deixar o dinheiro na renda fixa tentando achar o ponto exato de entrada na bolsa, que creio eu será em algum momento de 2018. Mas diria que, já no ano que vem, caso realmente o Ibovespa caia mais, já é hora de começar a fazer aportes constantes de forma a fazer um bom preço médio. Claro que com uma bola de cristal seria possível fazer melhor ainda que isso, mas se a bola de cristal estiver um pouco nebulosa, corre-se o risco também de perder o ponto de entrada.

        Em resumo, vejo que é hora de esperar, mas pelo andar da carruagem, quem não entrar em 2018 comprando vai se arrepender depois.

        • SwineOne 11 de janeiro de 2016 at 16:30 #

          Complementando: em caso de impeachment, e de acordo com a sucessão presidencial, “all bets are off”. Poderemos ver nesse caso um movimento, ainda especulativo, de subida considerável ainda esse ano. Claro que presidente nenhum provocará uma retomada imediata do crescimento (boas medidas levarão no mínimo 1, e provavelmente algo como 2 anos para surtir efeito), mas o mercado se antecipará já contando com o potencial futuro.

          Por isso que vejo que é prudente ir colocando um pouquinho em bolsa agora (mas o grosso em renda fixa), e estar preparado para entrar antes da subida no caso de um impeachment.

          • Guilherme 11 de janeiro de 2016 at 18:32 #

            Olá Swine e Guibro!

            Excelentes reflexões, e eu acho que a opinião do Guibro complementa a do Swine.

            Os fundamentos da economia “real” estão ruins, e isso ajuda, junto com o movimento especulativo de caráter “depressivo”, a empurrar o preço das ações pra baixo.

            Contudo, como o Swine disse, numa visão de longo prazo, as ações acabam se recuperando e “virando o jogo”.

            Veja o caso da crise nos EUA de 2008/2009. Os fundamentos estavam péssimos, o Dow Jones e o SP 500 estavam na berlinda, e não se acreditava numa rápida recuperação, o que de fato acabou não ocorrendo.

            Mas a economia vive de ciclos, e, lentamente, a economia real dos EUA foi melhorando, e a Bolsa, claro, foi acompanhando essa tendência.

            Também aposto minhas fichas numa mudança de governo em 2018, e por isso é bom estar comprado na Bolsa antes dessa mudança.

            A fase atual em que vivemos representa um fortíssimo ciclo de baixa, mas esse ciclo mais tarde irá se reverter.

            Abraços a todos e bons investimentos!

            p.s.: também pesquei BOVA11 a R$ 39.xx. 😀

            • Douglas 11 de janeiro de 2016 at 22:51 #

              A verdade é que o Brasil sempre foi o país da renda fixa. É perigosíssimo fazer comparações com os EUA, que tem uma infraestrutura pronta para retomada de crescimento. Desde 2008 a bolsa americana se recuperou, e a brasileira? Andou de lado até hoje.

              A situação geral do país impede qualquer tipo de crescimento em longo prazo:

              – Educação é a chave para qualquer crescimento. Sem educação as empresas tem baixa produtividade. Tenho certeza que você conhece um colega de trabalho que mal sabe mexer no email.

              – Criminalidade alarmante.

              – Os governantes não entendem de economia. Temos a maior taxa de juros e alta inflação? Como pode isso? A alta taxa de juros não serve pra conter a inflação? Porque países desenvolvidos tem taxa de juros de 0,05%? Europa tem taxa de juros negativa. Resposta: o governo aumenta a taxa de juros mas a Caixa, BB e BNDES não respeitam. Os juros são subsidiados. O governo tira dinheiro de um lado da economia e injeta dinheiro de outro. Isso não faz sentido. Ou você faz uma coisa ou você faz outra. A SELIC tem que ser a taxa BÁSICA da economia, todo mundo tem que respeitar. Como que a taxa de juros é uma e você financia um imóvel abaixo disso?

              Tirando isso, a crise não foi ocasionada apenas por corrupção e má gestão pública. O Brasil é dependente do petróleo. Não somos a Venezuela, mas a Petrobras puxa o Brasil. Quer ver?

              – Rio de Janeiro falido. Fez orçamento com barril de petróleo a 115 hoje esta a 38. Putin disse que chegará a 20. Tens ideia de como uma queda dessa faz um rombo em qualquer orçamento? Não tem como pagar contas.

              – Vários fundos imobiliários tiveram fortes quedas devido ao cancelamento do contrato com a Petrobrás, pois a companhia está se enxugando. Muitos deles tem rendimento de 35 a 80% vindos da Petrobrás.

              – Minha humilde cidade, Uberaba, que teve um boom imobiliário por conta de uma fábrica que seria instalada aqui, está tudo parado, pois a Petrobras paralisou o investimento. Isso afeta tudo, desde a construção até o comércio.

              Não tem partido ou presidente que possa governar com lucros sempre decrescentes e gastos crescentes.

              – Folha de pagamento: 19 bilhões
              – Aposentados: 16 bilhões.
              Me explica como que a conta fecha sendo que existe menos de 2 pessoas trabalhando para cada 1 aposentado?

              Eu queria a opinião de alguém com 50 anos ou mais. Pois a minha geração, que mal lembra da inflação galopante, está acostumada com a economia estável, e acredita no ciclo do capitalismo. O ciclo do capitalismo é nos EUA. O que temos aqui é um problema estrutural seríssimo, muito difícil de se prever. Temos estabilidade há 21 anos apenas. Democracia há 30 anos apenas. Nada disso é fixo e permanente. É muito recente.

              Confesso que sou um pessimista.

              • Douglas 11 de janeiro de 2016 at 22:59 #

                Lembrando que, responsavelmente, o governo tinha um fundo de reserva de emergência para casos como este. Foi usado quase inteiramente para pagar as contas de 2015. Se não foi feito ajuste fiscal e nem reformas, as despesas de 2016 serão as mesmas. Me explica com que dinheiro as contas de 2016 serão pagas?

                O Brasil hoje é uma família que gastou mais do que podia em 2015, teve muitas de suas empresas falidas, receitas caíram muito, contratou muitos empregados (jardineiro, copeira, mordomo, passadeira, personal stylist) que não podem ser demitidos, financiou mega festas de arromba como a COPA, e quando viu as contas chegarem teve que usar a poupança para pagar. No entanto, esta família se recusa a diminuir os gastos.

                O que acontecerá com a família Silva em 2016?

                • Rosana 12 de janeiro de 2016 at 6:11 #

                  Guilherme,

                  Excelente post.
                  Eu acho que o fundo do poço, no caso do Brasil, é imprevisível, pois sempre dá-se um jeitinho de afundá-lo ainda mais…

                  Excelentes comentários do Douglas, do Guibro e do SwissOne.
                  Não sei se comparações com os EUA são apropriadas, pois se lá a crise de 2008 foi no âmbito financeiro, aqui temos uma crise generalizada (política, econômica, educacional, de segurança pública, na saúde, no déficit público crescente, de valores morais, de cidadania, etc)

                  O trecho do relatório da Berkshire Hathaway é interessante, mas considerando os problemas do Brasil, que são infinitamente diferentes dos EUA, será que podemos utilizar esse tipo de estratégia por aqui?
                  Será que podemos considerar que crises por aqui também representam oportunidades?

                  Por exemplo: o FII HGLG11 está a 990,00, um preço atrativo. Mas será que vale mesmo a pena, considerando tudo o que acontece no país atualmente?

                  • Rosana 13 de janeiro de 2016 at 6:38 #

                    Achei interessante esse artigo, os 10 países com pior crescimento em 2016:
                    http://www.bloomberg.com/news/articles/2016-01-11/meet-2016-s-worst-economic-performers-flirting-with-disaster

                    Notei que 4 estão na América do Sul, são subdesenvolvidos e com governos que flertam com o socialismo/populismo/etc. Esses estão em vermelho, com declínio da atividade econômica.

                    No lado azul estão os países que crescerão entre 1% e 1,25%, um crescimento baixo para tais países. Todos esses países estão com problemas econômicos, mas estruturalmente são sólidos, todos os setores funcionam bem (política, renda per capita adequada, educação, segurança, serviços públicos, etc).
                    E no Brasil agora, a recessão ocasiona desemprego cada vez maior, o que pressiona ainda mais a economia ladeira abaixo. O país não chegou a situação de pleno emprego e já ruma em sentido contrário…

                    Como curiosidade, posto aqui o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de todos os países da lista, lembrando que quanto maior o valor, pior é o país.
                    1) Venezuela: 71
                    2) Brasil: 75
                    3) Grécia: 29
                    4) Rússia: 50
                    5) Equador: 88
                    6) Argentina: 40
                    7) Japão: 20
                    8) Finlândia: 24
                    9) Croácia: 47
                    10) Suíça: 3
                    Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_pa%C3%ADses_por_%C3%8Dndice_de_Desenvolvimento_Humano

                    De acordo com as novas informações expostas, pergunto novamente: é seguro mesmo investir em ações nesse país?

                    Se consideramos países como EUA, as altas e baixas parecem ser mais naturais relacionadas mais com o mercado, mas aqui, a política econômica desastrosa, a corrupção e todos os outros problemas do país não tornam o lugar muito mais inseguro para esse tipo de investimento?

                    Agradeço pela atenção de todos.

                    • Douglas 13 de janeiro de 2016 at 12:29 #

                      Realmente não temos como saber se esta crise é apenas um ciclo e voltará a crescer. Imagine o investidor da Venezuela, Argentina. É muito triste.

                      Mas se imaginarmos que podemos voltar a crescer, a questão é em quanto tempo. Não adianta eu comprar HGLG a 990 por parecer barato, se a crise empresarial e imobiliária se alongar por 5 anos. Em 5 anos eu dobro o capital na renda fixa, o custo de oportunidade é muito grande.

                      Só uma observação Rosana, para Japão, Finlândia e Suiça um crescimento de 1,25% é muita coisa. Os países da Europa tem baixo crescimento pois já são desenvolvidos. Esses países raramente tem crescimentos de 5% como os subdesenvolvidos. Veja que é em porcentagem e portanto 1% na economia deles é muito mais do que na nossa.

                    • Douglas 13 de janeiro de 2016 at 12:32 #

                      Lembrando ainda que não é apenas Argentina e Venzuela (que flertam com o socialismo/populismo). Crises sérias estão acontecendo na Espanha, Grécia, Islândia. A Grécia gastou mais do que devia, construiu obras faraônicas e tem boom imobiliário.

                      Se o governo não fazer reforma política e fiscal séria esse ano (o que é improvável devido ao índice de aprovação de 1 dígito), e pedir dinheiro emprestado no final do ano para arcar com os custos, estarem na trilha exata da Grécia.

                    • Guilherme 16 de janeiro de 2016 at 17:43 #

                      Douglas e Rosana, excelentes reflexões, como sempre.

                      Vocês têm razão: os problemas no Brasil são mais sérios porque são estruturais, e não apenas no campo econômico.

                      Contudo, ainda consigo enxergar oportunidades de investimentos em ações. O IBOV foi criado em 1968, e, apesar das diversas crises enfrentadas pelo Brasil, ele foi subindo e apresenta rentabilidade positiva ao longo desses quase 50 anos.

                      Penso que saíremos dessa crise e iniciaremos um novo ciclo de desenvolvimento, porém, não sei quando ele começará.

                      Abraços!

    • Campanha 17 de janeiro de 2016 at 20:15 #

      As regras do capitalismo se aplicam onde existe capitalismo de verdade, não essa manipulação esquerdista.
      Dados que devem ser levados em conta:
      -Todos os partidos brasileiros possuem viés esquerdista;
      -Nossa população emburrece a cada dia, tornando-se cada vez mais improdutiva;
      -Não possuímos infra estrutura para crescimento;
      -A bolsa em 80mil pontos foi uma farsa movida a crédito barato;
      -Estamos estabilizando o crescimento vegetativo da população.
      -Nossa industria é uma das mais taxadas do mundo, governo intervencionista, etc
      Diante desses fatos, não tenho perspectiva nenhuma de volta do crescimento no Brasil, acho que a única coisa boa nessa M… é ser agiota regulamentado (investimento em LC,CDB,etc). Se vc analisar o histórico desses magnatas investidores, muitos fizeram fortuna ganhando na média, 8% acima da inflação em seus países, ou seja, ganharam na variável o que hj praticamente vc ganha na renda fixa aqui.

      • Douglas 18 de janeiro de 2016 at 11:12 #

        Infelizmente o Brasil é realmente o país da renda fixa. E os lucros da renda fixa são fictícios. A renda de verdade deveria ser nas empresas.

        Desde 2003, quem investiu 10 mil reais:
        – Na Selic, hoje tem: R$ 44.179,27
        – Na Bovespa: R$ 29.000,00

        No entanto, sempre deve ter cautela ao compara renda fixa com variável, pois como o próprio nome diz, a renda fixa está lá para ficar parada mesmo. A renda variável exige gestão ativa. Esse negócio que se lê em livros americanos, de comprar ações e deixar lá pra aposentadoria, ou dar ações de presente pro neto, é balela, até mesmo para a realidade deles. Bolsa exige gestão ativa para obter lucros maiores que a renda fixa.

  7. Alex Lemes 11 de janeiro de 2016 at 16:26 #

    Essa informação parece não ser 100% segura, “data venia”.

    Fui ao BB hoje (agência 03921-3, Dourados-MS) e fui informado pelo gerente que um investimento de R$ 100.000,00 está com CDI de 83,25%. Creio que a alíquota de 80% seja para a aplicação mínima.

    • Eduardo 12 de janeiro de 2016 at 8:55 #

      Não se anime, pois o gerente está desinformado.

      • Alex 12 de janeiro de 2016 at 15:58 #

        ^^^acabei de chegar do BB Eduardo, realmente o gerente estava desatualizado. No ato da contratação informou que realmente era 80%. Desisti da aplicação.

        Se deixo na poupança R$ 100.000,00 renderá aproximadamente R$ 730,00. Se coloco em LCA com DI de 80% renderá R$ 928,80 a.m.

        🙁

  8. Alex 12 de janeiro de 2016 at 17:35 #

    Sobre a LCI da CEF, alguém sabe em quanto estão pagando atualmente?

    • Joao Santana 12 de janeiro de 2016 at 22:05 #

      Até o início desse ano, tava 79,99% a LCI da CEF.

      • Alex 12 de janeiro de 2016 at 22:34 #

        João, pelo que vi dá pra fazer a operação pelo banking line, certo? Entretanto, é possível saber o percentual de CDI antes de concluir a operação?

        Obs: ou vou de LCA do BB de 80% de CDI, mas aí eu teria que transferir o $ pra lá, ou vou de LCI da CEF, mas não descobri o % de CDI. O gerente da CEF disse que não estavam fazendo temporariamente devido à crise imobiliária, mas pela internet vi que está liberado.

        • Joao Santana 14 de janeiro de 2016 at 13:32 #

          Essa informação foi presencial, em uma agência da CEF. Quando a moça fez a simulação da LCI, o valor estava 83,33% do CDI. No entanto, quando ela trouxe os documentos da aplicação o valor tinha baixado para 79,99% do CDI. Ela disse que os valores da simulação estavam desatualizados. Enfim…

          Ela disse que também é possível fazer pelo Internet Banking, porém não tentei.

  9. Michel 12 de janeiro de 2016 at 20:49 #

    Olá,

    Aproveitando.. também estou acompanhando essa quebra da LCA do BB… e, pergunto…

    Alguém sabe me explicar o que significa, na prática, a ‘Data de Vencimento’ das LCAs do BB (de 3 anos)?? Se eu resgatar antes disso incide alguma coisa?? A liquidez é afetada?

    Quando fui aplicar só me falaram da carência de 60 dias para resgatar…

    • Guilherme 16 de janeiro de 2016 at 17:45 #

      Michel, o prazo de 3 anos significar que, no dia do vencimento, o valor integral do investimento será “devolvido” para a conta-corrente.

      Não há problema algum em resgatar o investimento antes do vencimento. A liquidez não será afetada.

  10. Renato C 13 de janeiro de 2016 at 11:35 #

    Uma informação: A LCI do BB continua oferecendo 80% do CDI.

    Assim, para quem não tem acesso à LCA (só clientes perfil A e B têm acesso à mesma), a LCI fica agora como uma opção em que o cliente não perde nada em relação à LCA.

    Renato C

    • Guilherme 16 de janeiro de 2016 at 17:45 #

      Grato pela informação, Renato!

      • Renato C 26 de janeiro de 2016 at 22:53 #

        Atualização de 26/01, Guilherme: A LCI do BB baixou de 80% do CDI para 70% do CDI. Acabou-se o que era doce!

  11. Rosana 14 de janeiro de 2016 at 7:18 #

    Douglas,

    Agradeço por sua resposta.

    “Não adianta eu comprar HGLG a 990 por parecer barato, se a crise empresarial e imobiliária se alongar por 5 anos. Em 5 anos eu dobro o capital na renda fixa, o custo de oportunidade é muito grande.”
    Gostei da sua forma de ver a situação.

    Muitos falam que crises representam oportunidades. Mas considerando o cenário político-econômico problemático, será que ações com preços mais baixos também podem ser consideradas um bom negócio (em termos de solidez das empresas) por aqui como são em países de primeiro mundo?

    “Só uma observação Rosana, para Japão, Finlândia e Suiça um crescimento de 1,25% é muita coisa. Os países da Europa tem baixo crescimento pois já são desenvolvidos. Esses países raramente tem crescimentos de 5% como os subdesenvolvidos. Veja que é em porcentagem e portanto 1% na economia deles é muito mais do que na nossa.”
    Boa explicação, gostei! 🙂

    Em relação a Grécia, acho que a situação também é complicada, pois estava empatada com o Brasil no ranking corrupção de 2014 (43º lugar). Acho que esse é um dos principais males para prejudicar o crescimento de qualquer país.

    “Se o governo não fazer reforma política e fiscal séria esse ano (o que é improvável devido ao índice de aprovação de 1 dígito), e pedir dinheiro emprestado no final do ano para arcar com os custos, estarem na trilha exata da Grécia.”
    Isso poderia colocar em riscos os investimentos no TD?

    • Douglas 14 de janeiro de 2016 at 11:02 #

      Rosana,

      Acredito que sim, que existam oportunidades em empresas brasileiras. Mas mesmo investindo em ações desde 2004 eu ainda vejo o mercado de ações como um pântano escuro, onde se deve ter muito cuidado ao entrar. Veja que há um tempo atrás o próprio governo incentivava as pessoas a sacarem o FGTS para investir na Petrobrás. Era o investimento do momento. Todo mundo recomendava. E quem fez isso teve ótimos lucros. Mas hoje a cia está sucateada e falam que a valorização de empresas públicas é sempre menor que empresas privadas. Então é muito complicado, pois os valores/recomendações mudam muito. Uma hora é o melhor investimento, outra hora é pior investimento. Quem tirou o FGTS para pôr em Petrobrás e imaginou isso como aposentadoria? Ou presente para os filhos? Esse dai está xingando o país, mas ele colocou todos os ovos em 1 única cesta.
      Quem imaginaria que o preço do petróleo em pleno 2016 seria de 30 dólares o barril? Sendo que veio de 115? Eu jamais pensaria isso. Nunca. É um recurso escasso não renovável. Pois bem ai está. Quem imaginaria que após tanto sucesso das empresas X a OGX seria um fracasso ? Então a conclusão é que é impossível saber o futuro. O jeito é diversificar. Invista em ETFs, mas tente saber a melhor hora de entrar. Atualmente acredito que as perceptivas não são boas para a indústria, mas há 2 meses atrás falava-se que os gringos estavam entrando a rodo na bolsa brasileira porque estava barata. Hoje isso já mudou. Então entre com cautela e sempre acompanhe o mercado.
      P.S.: Isso não acontece só aqui. Temos o caso da Enron nos EUA, também utilizada por velhinhos como aposentadoria. Fraude existe em todo lugar.

      Acredito que sim, que pode prejudicar investimentos em TD. A posição atual da maioria é que isso é impossível de acontecer. Que basta o governo imprimir dinheiro. Bom, nada é impossível. No entanto, esse risco é quase que desnecessário de se calcular, uma vez que se o governo não tem como honrar com esses papéis, o restante da economia estará muito pior. Sendo que qualquer outro investimento será pior ainda. TD é o investimento mais conservador que existe, se ele for mal, os investimentos com maiores riscos estarão piores.
      Em um cenário bastante pessimista, como esse que eu mostrei, o investimento ideal seria imóveis ou FIIs, ouro ou investimentos fora do país em outra moeda, uma vez que seriam os mais protegidos de um colapso econômico. Isso é o que conclui após conversar com um amigo que mora na Grécia atualmente. No entanto, lá as taxas por se ter uma propriedade aumentaram muito e é difícil alugar. Ou seja, você protege seu investimento para longuíssimo prazo, mas não terá alta renda e pode arcar com custos para mantê-lo ao invés de obter lucro. Diferente de um investimento em ações que pode zerar, o imóvel não zerará de valor. Mas não significa que não poderá cair, digamos, 50% e demorar muito tempo para voltar a valorizar.

      Conclusão: diversificar. Ações, TD, CDB, LCI, LCA, FII, etc. Colocando um montante maior no que for de acordo com os seus objetivos (liquidez, prazo, rentabilidade, etc).

      • Ricardo 16 de janeiro de 2016 at 14:30 #

        Sempre digo que diversificação não é para ganhar mais, mas para diminuir o risco.
        Ninguém sabe o que o futuro reserva. Mas se vc acha que o cenário para o Brasil é de Catástrofe Total, procure emprego em outro país, invista o $$ em moeda forte, de preferência fora, e vá embora. Pessoalmente, acho que o nosso país teria tudo pra ser uma grande potência, mas nunca será. Mas também não sou adepto do Catástrofe Total, as coisas podem até piorar no curto prazo, mas não vão ficar pra sempre assim.
        Vou ligar para o BB. Tenho LCA lá, mas se tiver em torno dos 80% do CDI, vou transformar minha conta em conta simples, pra não pagar taxas, e, na prática, deixar de usar o banco. Infelizmente, porque sou cliente há um bom tempo. (Tenho que ter conta lá, pois uma fonte de renda que eu tenho paga exclusivamente pelo BB).

        • Rosana 17 de janeiro de 2016 at 9:30 #

          Ricardo,

          Infelizmente também concordo com o cenário Catástrofe Total, principalmente se levarmos em conta a globalização e a tecnologia.
          Eu vejo o Brasil como um país que sempre fica para trás, querendo pegar onda no sucesso dos outros.
          Quem puder sair daqui deveria realmente fazer isso, pois por tudo o que vemos por aí, esse é um país sem futuro, é um país que não vai para frente.

          Em um jornal da semana passada, a governadora norte-americana Nikki Haley (Carolina do Sul) disse o seguinte:
          “Muitos norte-americanos ainda estão sentindo o arrocho de uma economia que é fraca demais para elevar níveis de renda.”

          Se a economia de lá é fraca, o que dizer da que temos aqui?
          Se lá a preocupação é em elevar o nível de renda, aqui parece ser exatamente o contrário com o excesso de impostos (radares, taxas e tudo mais). E em contrapartida, serviços ineficientes e vergonhosos.

          “Pessoalmente, acho que o nosso país teria tudo pra ser uma grande potência, mas nunca será.”
          É exatamente o que também penso… Para mim, o Brasil é o país de um futuro que ficou no passado.

          • Ricardo 17 de janeiro de 2016 at 17:00 #

            Rosana,
            Já que vc acredita no cenário Catástrofe Total, vc vai embora pra onde? Já arrumou passaporte? Verificou se pode exercer a tua profissão por lá ou vai ter que fritar batata em uma lanchonete?
            Se vc não fez nada disso, me desculpe, mas as tuas ações não batem com o teu pensamento.

            • Rosana 19 de janeiro de 2016 at 6:56 #

              Ricardo,

              Sair do país não é necessariamente para quem quer, é para quem pode…

      • Rosana 17 de janeiro de 2016 at 9:38 #

        Douglas,

        Agradeço por sua resposta e pelos esclarecimentos.

        Quem investiu na Petrobrás ou na Vale com o FGTS está mesmo perdendo muito.
        Um colega investiu na Vale R$1.500,00 na época. Pouco tempo depois esse valor chegou a 19k. E hoje está em menos de 6k. Considerando a inflação no período, eu acho que o retorno não compensou o risco. Além disso, o valor não pode ser retirado exceto de acordo com as regras do FGTS…

        “Mas mesmo investindo em ações desde 2004 eu ainda vejo o mercado de ações como um pântano escuro, onde se deve ter muito cuidado ao entrar.”
        Se você que investe há 12 anos se sente assim, imagine quem nunca investiu ou que quer começar…

        “Temos o caso da Enron nos EUA, também utilizada por velhinhos como aposentadoria. Fraude existe em todo lugar.”
        Mas lá existe punição. Aqui as coisas não funcionam dessa forma…

        “TD é o investimento mais conservador que existe, se ele for mal, os investimentos com maiores riscos estarão piores.”
        Acho que isso quebraria muitos bancos, pois a maioria investe em LFT e afins para oferecer produtos como fundos DI com altas taxas de administração.

        A situação da Grécia está complicada mesmo, ainda mais por não terem autonomia de impressão de moeda. Aqui, acredito que mais cedo ou mais tarde, haverá impressão de moeda com ou sem lastro. A segunda hipótese acredito ser a mais real, mesmo com todos os danos que causará à economia já tão deteriorada…

        • Rosana 18 de janeiro de 2016 at 9:48 #

          Esse post mostra um pouco da desconfiança que sinto em relação a segurança de investimentos em um país tão corrupto como o Brasil.
          Obviamente que investir em outros países não é tão fácil assim, mas não sinto que aqui seja um lugar seguro…
          http://www.investidorinternacional.com/2016/01/17/nao-invista-em-paises-corruptos/

          • Douglas 18 de janeiro de 2016 at 12:39 #

            Quero deixar claro que eu não acredito na Catástrofe Total. É possível, claro, tudo é possível, mas meus investimentos não estão sendo direcionados ao cenário de catástrofe total. Foi apenas uma possibilidade que levantei e o que poderia ser feito.

            Gostei muito do artigo Rosana. Infelizmente é verdade, não se deve emprestar dinheiro para bandidos. No entanto, não me vejo investindo no exterior no momento, pois 1) o montante total que tenho disponível para investimento não justifica a perda dos custos de se investir no exterior + perdas com a conversão do câmbio da moeda a cada aporte e no resgate. 2) Já estudei a possibilidade de investir em REITs na Europa e fiquei abismado com a taxação de 40% nos retornos de aluguéis. Além do retorno ser mais baixo que no Brasil (4 a 6% contra 10 a 12% aqui). É uma possibilidade mas deve ser criteriosamente estudada, pois na Europa as taxas são muito maiores que no Brasil (apesar de muitos acreditarem o contrário). Eu pagaria 40% de imposto se estivesse recebendo o serviço de saúde e segurança europeu. Não faz sentido que eu pague um imposto tão alto para continuar vivendo no Brasil.

            Outro ponto, o autor cita BTG Pactual como se no passado fosse instituição estelar de alta qualidade e performance. Quem investe em FIIs sabe que de alta qualidade o BTG Pactual não tem nada. Altas taxas de administração e pobres relatórios além de recorrentes problemas na justiça que são avisados tardiamente aos cotistas. Sem preconceito contra o BTG Pactual, minha planilha do Excel nunca mostrou recomendação nos FIIs dessa instituição, e agora depois do escândalo será ainda mais difícil.

            O autor também cita a Petrobras. A Petrobras deveria ter sido privatizada no governo PSDB como foram as outras empresas e não teríamos esse problema. Na maiorias dos países, empresas estatais servem de fonte de corrupção. Não é de hoje que o governo tenta acabar com a empresa, por um motivo ou por outro. Alguém lembra da CPI da Petrobras no governo do FHC ? Alguém lembra dos milhões de dólares usados para tentar mudar o nome da empresa para Petrobrax? Então não é surpresa que a empresa não é vista com bons olhos.
            O governo do PT “resgatou” a Petrobras (o petróleo é nosso) e usou a empresa como fonte inesgotável de renda para seu próprio partido e campanhas eleitorais. Então boa intenção nenhum dos governo teve. Sorte nossa, que a Petrobrás foi parcialmente vendida a investidores americanos, caso contrário, a possibilidade de tudo isso virar pizza seria ainda maior. Ou seja, o histórico de corrupção na empresa vem de longe.
            http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2014/04/28/o-que-fhc-fez-para-destruir-vender-a-petrobrax

            Volto a lembrar que escândalos de corrupção não existem só no Brasil. Temos a Enron, WorldCom, Volkswagen, Tyco, AIG, Lehman Brothers, etc. Basta pesquisar.

            Constantemente pessoas falam para eu sair do país. “Se eu tivesse a sua idade eu sairia do país”; “Como é que você voltou para cá, eu jamais voltaria”. Todas essas são pessoas que nunca saíram do país então é muito fácil sonhar com inúmeras possibilidades de como sua vida poderia ser melhor. O difícil é sonhar quando você já viveu as duas possibilidades.
            Se pensarmos em cenários de catástrofe total, temos péssimas possibilidades para a maior parte do mundo. Então é melhor fazermos nossa parte diversificando do que criando cenários tenebrosos.

            – Alemanha: previsão de fechamento de mais de 20 mil postos de trabalho apenas por substituição pela tecnologia. Hoje os empregos que estão sendo substituídos não são empregos de fábrica e sim os de colarinho branco, trabalhos de escritório.
            Além da entrada de mais de 1 milhão de refugiados que não terão fonte inesgotável de ajuda, e eventualmente precisarão de empregos e lugares para morar.

            – A maioria dos países europeus tem dívida acima de 70% do PIB. No Brasil hoje é 15%. Nos EUA está acima de 100%. Os EUA tem largo histórico de emissão de moeda para investir e pagar contas. Isso porque eles podem fazer isso sem aumentar a inflação, já que todos os países usam seu tesouro como segurança nacional. No entanto, isso pode não ser sempre assim. Nós não estamos acostumados a fazer isso porque gera forte inflação, lá a consequência é minima. Mas se você ver os noticiários locais existe um medo de um grande colapso econômico por conta disso. É uma dívida impagável.

            + EUA:
            – Mais de 3,2 milhões de empregos perdidos por conta da terceirização desde 2001. Muitos não tem condições para se re-qualificar e voltar ao mercado de trabalho.
            – Mesmo após a recuperação do crash de 2008, EUA ainda tem 25 milhões de americanos que não conseguem retornar ao mercado de trabalho.

            + How America Is Killing The Middle Class: https://www.youtube.com/watch?v=ufpsxQwPP1Y
            https://www.youtube.com/watch?v=uB7jdjsFErM

            – Renda da classe média hoje é menor do que em 1989.

            – Corrupção e lobby corporativo nos EUA, não precisa nem comentar. Só não vê quem não quer.
            https://www.youtube.com/watch?v=pCkL9UlmCOE (procure pelo documentário completo, vale muito a pena)

            https://www.youtube.com/watch?v=NtD1JU-jhdY

            É claro que tudo isso afeta a economia em longo prazo, mas estamos muito enganados se pensamos que existe algum plano para evitar isso, pois não existe. Mesmo que o problema seja óbvio, as empresas e governos só lidam com o problema depois que ele aparece. Visto crise do subprime de 2008.
            O próprio WalMart reporta queda nas vendas de suas unidades quando instaladas em cidades pequenas e médias. No início, existe aumento das vendas, a medida que os negócios vão quebrando por não poderem competir com o WalMart as pessoas vão perdendo empregos, empresários vão falindo, fornecedores diminuem as entregas, e isso afeta toda a economia da cidade o que provoca queda nas vendas da unidade local do WalMart. E o que a empresa faz? Segue a mesma estratégia.

            Então se você quiser pessimismo eu tenho um milhão de histórias, estorias e fatos para você. Mas em longo prazo, todos os países, tiveram melhoria na condição de vida de sua população. https://www.youtube.com/watch?v=-UbmG8gtBPM

            Desculpe pelo longo texto, estava inspirado.

            • Rosana 19 de janeiro de 2016 at 7:16 #

              Douglas,

              Agradeço pelo seu comentário e pelos links. Verei os videos mais tarde.
              Os seus motivos para não investir no exterior são os mesmos que tenho…
              Percebi também um certo exagero em relação ao BTG Pactual no texto. O que é ruim no governo brasileiro o autor aumenta. E o que é ruim nas empresas, ele minimiza. Essa é a minha impressão.

              “Sorte nossa, que a Petrobrás foi parcialmente vendida a investidores americanos, caso contrário, a possibilidade de tudo isso virar pizza seria ainda maior.”
              Concordo com você. O estrago seria muito pior sem isso.

              “Os EUA tem largo histórico de emissão de moeda para investir e pagar contas. Isso porque eles podem fazer isso sem aumentar a inflação, já que todos os países usam seu tesouro como segurança nacional. ”
              Isso poderia de alguma forma significar que a inflação é contida de forma artificial?

              “Mas se você ver os noticiários locais existe um medo de um grande colapso econômico por conta disso. É uma dívida impagável.”
              Interessante. Vou pesquisar sobre o assunto.

              • Douglas 19 de janeiro de 2016 at 11:24 #

                “Isso poderia de alguma forma significar que a inflação é contida de forma artificial?”

                Acredito que não. O caso é que existe muita demanda para o dólar e por isso mesmo que emitam mais moeda a inflação não é tão grande. Muitos países compram dólar para manter como reserva, e provavelmente quando a moeda desvaloriza eles compram mais para aumentar as reservas, mantendo o valor.

                • Rosana 20 de janeiro de 2016 at 15:41 #

                  Agradeço por sua resposta, Douglas. 🙂

          • Daiana 18 de janeiro de 2016 at 18:19 #

            Eu sentiria mais confiança nas postagens desse blog (Investidor Internacional) se o autor fosse menos ‘passional’.
            Análises movidas por sentimentos (o que acontece com frequência por lá) não me parecem confiáveis.
            Acho a racionalidade o primeiro quesito para avaliar uma opinião…

  12. Alexandre 17 de janeiro de 2016 at 0:36 #

    Guilherme, alguma sugestão conservadora de um bom colchão de segurança com essa queda de rentabilidade do LCA BB?

    Tenho uma reserva de apx 130k lá… Fiz para me ajudar nesses próximos 3 anos que terei de estudar e terei redução da minha renda. Ela serviria para se necessário complementar o pagamento das contas.

    Tenho tudo aplicado no LCA do BB. Vale à pena deixar ainda lá ou tem algum investimento que me permita o resgate? (Meu LCA foi feito com diversos aportes mensais ao longo dos últimos 5 anos, então, quando preciso mexer, não perco a rentabilidade total, apenas referente ao montante de que tirei

    • Guilherme 18 de janeiro de 2016 at 16:04 #

      Alexandre, como esse dinheiro servirá para pagar contas, ele necessariamente terá que ser colocado num investimento de alta liquidez e baixo risco.

      Por isso, recomendo Tesouro SELIC.

    • Arnezino 18 de janeiro de 2016 at 21:43 #

      Essa porcentagem de 80% do CDI nas LCAs do BB, só vale para novas aplicações… as antigas vc receberá a taxa contratada.

  13. Frugal 17 de janeiro de 2016 at 14:22 #

    Olá VR. Seu blog me ajudou muito desde o início. Após vários anos na blogosfera de finanças resolvi abrir meu próprio blog também. Vou passar sempre por aqui e contribuir na discussão. Te coloquei nos meus links no meu blog. Abraço.

    frugalsimple.wordpress.com

    • Guilherme 18 de janeiro de 2016 at 17:16 #

      Olá Frugal, muito obrigado pelo link, e parabéns pelo seu blog também! Também adicionei seu blog ao meu blogroll.

      Abraços!

  14. Andre 20 de janeiro de 2016 at 2:10 #

    Já chegamos ao ponto das LCI do Bradesco Prime, bater o BB Estilo, no Prime me ofereceram 82%, porém lá os títulos tem menos de 1 de duração (Entre 10 e 11 meses a gerente de conta informou), e carência de 90 dias.

  15. Rodrigo 20 de janeiro de 2016 at 15:46 #

    Ano passado o LCI do BB tinha liquidez diária, sem carência, 84%CDI. Era fantástico. Agora só sobra tesouro selic. Mas esse perde de longe em praticidade =/. O site do tesouro direto vive fora do ar e a liquidez não é imediata. Fora que se tirar no curto prazo rende menos que a nova LCA. Além disso tem a taxa cobrada pelo tesouro e outra pela corretora.

    • Rodrigo 20 de janeiro de 2016 at 15:47 #

      LCA*

  16. Fabricio 21 de janeiro de 2016 at 0:56 #

    Olá, Boa noite!

    Antes de mais nada estou começando a estudar e a pesquisar sobre investimentos recentemente.
    Mas já queria tirar algumas dúvidas sobre a atual situação do mercado já em 2016.

    Tenho um montante de 61k que na verdade estou bem insatisfeito com os rendimentos dele no CDB do santander a míseros 86% por isso resolvi pesquisar melhores investimentos.

    Li sobre o TD e estou pensando seriamente em aplicar parte desse dinheiro. Porém minha dúvida ainda é sobre as taxas e rendimentos reais, li o outro artigo falando sobre transformar 54k em 500k por ser de out de 2015 aqueles valores ainda estão valendo, melhoraram ou pioraram?

    Quero investir 50k e deixar 11k de reserva, porem quero um investimento com bons rendimentos.
    O que vocês me indicam a longo prazo e a curto prazo? Em uma simulação com o mercado atual esse valor me renderia quanto daqui a 20 anos? Me indicam alguma corretora para começar esse investimento? Se alguém puder me dar uma orientação de como eu posso começar?? Tenho muito medo pois estou totalmente leigo ainda no assunto e tenho pouca confiança em tudo… Estou meio perdido nas pesquisas, são muitos investimentos, muitas taxas, muita coisa dita e muitas controversas… Estou lendo, pesquisando mas não estou conseguindo concretizar nada…Aqui foi onde percebi maior consistência no que é dito.

    Se alguém puder me ajudar ou me dar um direcionamento, fico muito grato!!

    Obrigado

    • Ricardo 21 de janeiro de 2016 at 14:42 #

      Fabricio,
      Você tem quantos anos? tem boa saúde ou tem algum problema que precisa tomar remédio, fazer exames, etc.? Você tem emprego público ou tá na iniciativa privada? pode ser demitido a qualquer momento? mora em imóvel próprio ou alugado? tem dificuldade de mexer em computador? tem medo de internet banking? gosta de ler sobre finanças (se não gosta, trate de gostar kkk)? tem tolerância a um risco maior?
      Veja como temos variáveis que só vc pode responder. Dependendo da resposta você vai direcionar uma parte maior ou menor para uma reserva líquida. Para médio-longo prazo, a renda fixa está muito atraente, mas a depender da tua tolerância a risco, poderia deixar algo em renda variável também.
      Mas primeiro, vc precisa responder acima, pra vc mesmo saber qual é o teu perfil.

      • Guilherme 22 de janeiro de 2016 at 12:09 #

        Faço minhas as palavras do Ricardo.

        Respondendo às indagações do Ricardo, fica mais fácil apontar caminhos e sugerir aplicações financeiras.

      • Fabricio 26 de janeiro de 2016 at 11:52 #

        Opa Ricardo,

        Então eu tenho 26 anos, não tenho nenhum problema de saúde (até onde eu sei… Kkkkk), trabalho em empresa privada e sim riscos de ser mandado embora pode acontecer qualquer hora, eu divido as despesas básicas de casa, mas não tenho imóvel próprio em meu nome, não tenho nenhum dificuldade com computador e amo internet banking, sempre gostei muito de economia apesar de ter me formado em análise de sistemas, ainda penso em fazer um curso de economia, riscos nunca foram meu forte, gosto sempre de ter um dinheiro guardado, não gosto de passar vontade se eu quero eu faço, gosto de estar sempre acompanhando meu dinheiro, confesso que sou um pouco consumista… estou tentando mudar um pouco algumas coisas em mim.
        Atualmente tenho essa grana que eu citei acima 61k, mas futuramente não sei a data ao certo posso receber mais 100k aproximadamente. Abri uma conta na RICO depois de pesquisar muito e optei por lá, tive um pouco de receio da Easy por ter muitas reclamações no reclameaqui, mas ainda não fiz nenhuma aplicação, estou com algumas dúvidas em relação ao banco como por ex: se vou conseguir acompanhar diariamente meu dinheiro, se é melhor eu abrir uma conta onde eles possuem conta ou se eu fico com minha agencia mesmo.

        Pensei muito em fazer um CDB por lá mas não encontrei qual porcentagem eles pagam da taxa, santander esta me pagando 86%.

        Enfim, qual investimentos vocês me indicariam? Penso muito no meu futuro tbm, queria juntar uma grana pra no mínimo até uns 40 anos conseguir um rendimento bom com juros. Mas tenho medo de no meio do caminho acontecer imprevistos e eu precisar usar o dinheiro. Kkk complicado ;(

        • Guilherme 29 de janeiro de 2016 at 18:44 #

          Fabricio, inicialmente, grato pelas informações fornecidas, assim fica mais fácil apontar sugestões.

          Bom, como você está iniciando seus investimentos agora, o mais prudente é montar uma reserva de emergências, suficiente para bancar pelo menos de 6 a 12 meses de sua média mensal de gastos.

          Como você tem aproximadamente 60k, eu recomendaria partilhar esse valor em duas metades: num investimento com saque imediato, e num investimento com liquidez diária.

          Dessa forma, 30k podem ser alocados num investimento bancário, para o caso de resgate imediato numa situação de emergência. Verifique se no banco que você tem conta não há um fundo referenciado DI que esteja pagando mais que 86% do CDI, que é a taxa do CDB que você tem.

          Os outros 30k eu aportaria no Tesouro SELIC do Tesouro Direto, que rende mais, te dá proteção e funciona como uma segunda camada da reserva de emergência.

          Bons investimentos!

  17. Alexandre Celestino 26 de janeiro de 2016 at 13:13 #

    Completando as informações: sim, agora são 80% do CDI no BB. Oque não foi dito, é que diminuiram o prazo de validade do título. Antes eram 720 dias, agora diminuiram para 360.
    Acho que isso indica uma tendência de diminuir ainda mais.

  18. Uender 26 de janeiro de 2016 at 19:00 #

    LCA BB foi para 80% e a LCI que era 80% foi para 70%, uma alternativa para Liquidez Diaria pode ser o CDB do Sofisa Direto 100% do CDI, o resgate é em D+0 se pedir até as 16:30 hrs

  19. Ricardo 27 de janeiro de 2016 at 16:11 #

    Falei com o BB ontem. Essa taxa de 80% para LCA é para as novas. Para a minha que é antiga, valem os 83% da época que eu tinha feito.

  20. Tatiana 29 de janeiro de 2016 at 19:04 #

    Fiquei me enrolando uns meses para tirar o dinheiro da poupança e aplicar na LCI do BB e hoje quando fiz a aplicação, vejo que o rendimento baixou para 70%… Estou começando a investir, então está melhor que poupança, mas podia ter pego rendimento melhor. Optei pela LCI por render um pouco mais e por ter mais facilidade no resgate, pois pretendemos utilizar o dinheiro até o final do ano para construímos nossa casa. Ainda tenho cerca de R$50000,00 e estava pensando em investir uns 25 em algo com rentabilidade melhor e deixar o restante na poupança para alguma emergência. O que vocês me recomendam?

  21. George 5 de fevereiro de 2016 at 10:57 #

    Bom Dia, qual é o melhor investimento em aplicação financeira do banco do brasil e do banco itau ? Entre Previdência Privada do BB, LP Plus Estilo do BB, DI Plus Estilo do BB, LCA, qual é o melhor investimento deles ? Os Bancos Privados são melhores alternativas do que os Bancos Públicos ? O dinheiro preso na LCA por 3 meses não possui rentabilidade ? O que vocês recomendam para uma aplicação segura e com boa rentabilidade ?

  22. JEFFERSON SILVA DIAS 21 de maio de 2016 at 8:52 #

    Olá galera eu tenho um reserva de 17.000 e um aporte de 5mil mensais, qual a melhor for de investimento sabendo que pretendo resgata o dinheiro em torno de 20 meses para construção da minha casa.

  23. AA40 29 de janeiro de 2018 at 14:06 #

    LCA do BB voltou para 84%. É uma opçào menos pior para quem não quer abrir conta em corretora:

    http://www.aposenteaos40.org/2017/03/investir-em-lci-ou-lca-do-banco-do.html

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes