Como aproveitar melhor o tempo

“As três coisas mais difíceis do mundo são: guardar um segredo, perdoar uma ofensa e aproveitar o tempo” (Benjamin Franklin).

O tempo é, ao lado do dinheiro e da energia, um de nossos ativos mais valiosos. Trata-se de um recurso de disponibilidade limitada, o qual devemos aproveitar ao máximo, mas que, ao mesmo tempo, parece cada vez menos disponível, em face da crescente quantidade de demandas a que somos submetidos, dia após dia, semana após semana, mês após mês, ano após ano.

O dia tem 24 horas de duração para todas as pessoas do mundo, desde os primórdios da civilização, mas algumas pessoas parecem aproveitar melhor o tempo disponível, mesmo desempenhando múltiplas atividades no cotidiano. Então vem a pergunta inevitável: qual será o segredo para aproveitar melhor o tempo?

Tempo de vida

No texto de hoje, vou abordar três estratégias para você aproveitar com o máximo grau de eficiência possível o tempo que tem disponível. Vamos lá? 🙂

1. Olhando para o futuro

Responda rápido: se você tiver que esperar 30 minutos na sala do consultório médico aguardando sua vez de ser chamado, o que terá mais utilidade para você: (a) ler a revista Caras do ano passado que está em cima da mesa da sala de espera; ou (b) estudar o livro cuja prova você terá daqui a um mês?

A resposta é um tanto quanto óbvia quando temos um tempo ocioso criado por fatores externos (os 30 minutos de espera na sala do consultório), mas não fica tão óbvia assim quando o tempo ocioso é criado por fatores internos, ou seja, por nós mesmos, quando nos defrontamos com um espaço de tempo disponível durante a noite nos dias de semana, ou nos finais de semana, onde preferimos, muitas vezes, ligar a televisão e assistir bobagens, ou navegar à toa na Internet.

A dica, aqui, portanto, é bem clara: aproveitamos melhor o tempo quando realizamos atividades cujo valor se protrai no tempo pelo efeito cumulativo.

Gastar as noites de terça navegando em sites como Ego, Fuxico e similares, durante todas as semanas, como forma de preencher o seu tempo livre, pode, assim como assistir televisão ao chegar do trabalho, até dar um alívio mental de curto prazo, mas não trará benefícios concretos a longo prazo.

Já gastar essas mesmas noites adquirindo novas habilidades (cozinhando, fabricando produtos caseiros, realizando atividades físicas, fazendo pequenos consertos domésticos no melhor estilo “Faça você mesmo”etc.), melhorando seu grau de conhecimento em qualquer área que possa ser útil a você no futuro (estudando um novo idioma, aprendendo a tocar um novo instrumento musical, aprofundando-se num hobby que pode vir a se tornar uma segunda carreira paralela etc.), já irá lhe trazer benefícios concretos não apenas no longo prazo, mas também no curto e médio prazos, pelo acréscimo de habilidades que melhorarão sua qualidade de vida já no presente, no aqui e agora.

Atividades “de valor” significam, no contexto desse artigo, atividades “úteis” ao seu estilo de vida, e o efeito cumulativo se dá quando você se aperfeiçoa na prática dessa atividade com o passar do tempo, quando você acrescenta um novo “tijolo” sobre o “tijolo”  que você edificou na etapa anterior.

Você não se torna um médico conceituado da noite para o dia: você precisou gastar horas de uma vida inteira para ter a credibilidade que possui hoje, e isso se deve ao efeito cumulativo das horas gastas no seu aperfeiçoamento profissional. Você não passa num concurso público da noite para o dia: você precisou dar um “gás total” na preparação, que certamente consumiu milhares de horas para se tornar realidade. Você não virou especialista em investimentos, mesmo não tendo a profissão de investidor, da noite para o dia: você gastou incontáveis horas nesse hobby, se aperfeiçoando na arte de investir bem.

Construa pontes para o futuro, ao se planejar para qualquer atividade que ocupe suas horas livres. Faça com que haja uma conexão entre o futuro que você almeja e o tempo presente que você tem hoje. Capriche.

2. Olhando para o presente

Para realizar uma atividade aproveitando ao máximo o tempo disponível, é preciso que, além de ter valor que prolongue no tempo pelo efeito cumulativo, tal atividade seja realizada com consistência. Não há produção de efeito cumulativo, ou seja, efeito de longo prazo, se suas tarefas não forem realizadas com consistência.

E a consistência se desdobra em duas qualidades que você precisa cultivar: disciplina e foco.

Disciplina é a disposição de você realizá-la de maneira regular. Se quiser realmente que a frequência à academia faça você perder o seu percentual de gordura corporal de 27% para 15%, você precisa cumprir o cronograma de treinos que lhe foi determinado. Ou seja, se você precisa ir 4 vezes por semana à academia, então tem que ter a disciplina de ir 4 vezes por semana à academia. Se for para desistir, então desista de ser fraco.

Além da disciplina, você precisa ter foco. E o que é ter foco? É canalizar sua energia mental para o tempo presente, especificamente para a atividade que está desempenhando. Não basta ir 4 vezes por semana à academia para perder peso: é preciso realizar essas atividades com total concentração mental e determinação para atingir os objetivos a que você se propôs com essa atividade.

Quando você tem foco, o tempo flui, e quando o tempo flui, você entra em estado de fluxo. É um estado dificílimo de alcançar, e só é alcançado por pessoas que de fato estão aproveitando ao máximo o tempo presente. Queira ser uma dessas pessoas.

Além disso, é indispensável, para um bom aproveitamento de tempo sob o ângulo do presente, que você realize atividades que preencham necessidades fundamentais de sua vida. E é aqui que muitas pessoas caem na armadilha de deixarem seu tempo ser gasto em função das prioridades de outras pessoas, e não das suas.

Se no seu círculo de amigos você convive com pessoas que acham que você está desperdiçando tempo por gostar de frequentar parques ao invés de shoppings, e cinemas ao invés de baladas, ou ainda, bibliotecas ao invés de assistir programas de TV, você simplesmente não deve dar ouvidos a essas pessoas. Eu já disse isso no blog, e vou repetir aqui: você não pode deixar que as coisas que acontecem com você definam quem você é. Faça o que é importante e fundamental para você, e não para atender satisfações de outras pessoas. Você não pode se prejudicar tentando preencher expectativas alheias, se essas expectativas não coincidirem com as suas.

“Desperdiçar tempo” é um conceito bastante subjetivo, e o que pode ser “desperdício” na visão dos outros pode não o ser para você, de forma que você o estará verdadeiramente desperdiçando quando o gasta em atividades que não são de sua prioridade.

Por isso, uma auto-reflexão sobre suas reais prioridades é fundamental para saber se tempo gasto no presente está valendo a pena.

3. Olhando para o passado

“Às vezes, você só percebe a importância de um momento quando ele se torna uma lembrança”.

Programar a sua mente para fazer valer a pena as próximas 24 horas, a próxima semana, os próximos 365 dias, é fundamental para que você tenha sucesso em sua vida. Às vezes, é mesmo necessário reprogramar o cérebro para tomar decisões inteligentes de longo prazo.

Dizendo isso em outras palavras: o planejamento é crucial para você aproveitar da melhor maneira possível cada hora que terá disponível. É essa capacidade de antevermos as consequências futuras de nossas ações presentes um dos fatores que nos distinguem como seres animais únicos na Natureza, e é essa inteligência que devemos explorar e otimizar em nosso próprio benefício.

E é aqui que vem a terceira e última dica para você aproveitar melhor o tempo disponível: realize atividades que, olhando em retrospectiva, você possa concluir que tenha valido a pena realizá-las.

Se você é uma pessoa organizada – ou que gosta de organização – provavelmente gasta alguns finais de semana do mês (ou do semestre, ou do ano) fazendo a tradicional “organização das tralhas domésticas”: separa algumas horas das tardes de sábado, ou de domingo, reorganizando o guarda-roupas, ou as gavetas de documentos, ou as prateleiras de livros, ou quaisquer outros móveis que tenham objetos de valor, e que precisam de uma (boa) arrumação.

E digo mais: se você se planeja para isso, é porque você gasta essas horas já sabendo que, olhando mais pra frente, quando se lembrar desses sábados ou domingos, já saberá que terá valido a pena ter feito isso, uma vez que elas preenchem uma necessidade fundamental da sua vida, que é a necessidade de organização.

Aliás, você pode fazer esse exercício de imaginação agora. Examine o seu passado, e veja como valeu a pena ter feito essa ou aquela atividade; como valeu a pena ter realizado tais tarefas, ou seja, como o tempo foi muito bem gasto.

Eu me lembro da época em que eu jogava xadrez na adolescência, de como foi desafiador aprender, partindo do zero, todas as técnicas e truques desse jogo, de treinar horas e horas com o computador e parentes, e de como foi bom ter sido tricampeão nos jogos escolares, ganhando três medalhas de ouro para minha turma, em três diferentes épocas. Puxa, se eu pudesse voltar no tempo, teria feito exatamente as mesmas coisas, pois foi um tempo em que, olhando em retrospectiva, valeu cada hora gasta.

É essa sensação de realização que deve permear seu planejamento de gasto do tempo.

Conclusão

Aproveite a vida

Como o leitor Roberto disse, com total propriedade, certa vez aqui no blog, “o uso do tempo é necessário para o exercício da inteligência”.

Não desperdice cada hora livre disponível que você tenha pela frente. Faça seus dias renderem ao máximo.

Procure sempre realizar atividades cujo valor se prolongue no tempo pelo efeito cumulativo, e que sejam desempenhadas com consistência – disciplina e foco – e, ao mesmo tempo, preencham necessidades fundamentais de sua vida. E que sejam atividades que, olhando em retrospectiva, você conclua que tenham valido a pena realizá-las.

Em suma: aproveitar bem o tempo significa aproveitar bem a vida. E então, vamos usufrui-la com o que há de melhor para se viver? 😀

Créditos das imagens: Free Digital Photos

Print Friendly, PDF & Email

, , , ,

18 Responses to Como aproveitar melhor o tempo

  1. Anna Monteiro 20 de julho de 2015 at 0:43 #

    Como eu sempre costumo dizer (e às vezes ouço coisas próximas a palavrões): “Falta de tempo é a maior mentira que o ser humano conta. Vc não tem falta de tempo: vc tem falta de ESTABELECIMENTO DE PRIORIDADES”. E eu já disse coisa mais pesada – e verdadeira – ainda: “É vc que no fundo,não quer ainda de verdade. Se vc quisesse MUITO, já teria feito” ( pelotão de fuzilamento me mirando =D )

    Quando falo isso,sempre escuto coisas como: “ah é porque vc não tem filho” “é porque vc não mora longe do trabalho” “é porque vc é nova” e por aí vai. Engraçado que ninguém lembra na hora de pessoas que conseguem e conseguiram fazer tudo nas mesmas condições que elas (tendo família,morando longe do trabalho e tendo mais idade). Parece que a condição sine qua non pra se conseguir ter tempo pra tudo é ser alguém bem diferente delas…

    Quando a gente quer MUITO mesmo uma coisa,a gente arruma tempo.Ou melhor,se ORGANIZA.
    É um tapa na cara, chato de receber, mas que no fundo todo mundo sabe ser verdade..
    É respirar fundo e meter na cabeça que vai dar certo e que vc consegue. E a partir disso,pôr as mãos na massa e partir pra luta diária. O mais legal desse processo,na minha opinião,é se imaginar no pódio quando tudo terminar.

    Me parece que a maioria das pessoas acha que ao mergulhar de cabeça num projeto de vida significa perder o tempo descanso,que vai parar de viver. Acho que se iludem, esperando chegar um período de “nada pra fazer” para,aí sim,começarem a dar o start na meta que desejam (esse dia vai chegar? duvido). Fazem bem diferente do que o texto sugeriu,sabiamente: aproveitar as horas na sala de espera do consultório pra dar esse start. E os momentos nas filas, no engarrafamento dentro do ônibus, aproveitar o atraso da pessoa que marcou com vc , a ida ao cabelereiro (pras mulheres), até ida ao banheiro vale ! Quando falo/relembro essas coisas pras pessoas,aí o pelotão de fuzilamento baixa um pouco a guarda e alguns,só alguns continuam a lembrar de mais desculpas pra não tomarem uma atitude.

    Ultimamente, quem mais vem me falando esses argumentos são professores. E mesmo sabendo como é a rotina deles,de perto, eu continuo convicta de que muita coisa na rotina deles não muda por causa das desculpas. Outro dia falei pra uma turma de 50 deles esse lance de falta de tempo ser mentira. Expliquei tudo o que falei antes e o que o texto do Guilherme cita. Senti uma onda de “é,me rendo” no ar. Bom,pelo menos ninguém contestou na hora.
    Como bem disse uma vez uma professora desse curso que faço : “tudo é questão de BOA VONTADE e de COMPROMETIMENTO”.

    • Rosana 20 de julho de 2015 at 7:50 #

      Anna,

      Gostei muito das suas frases, vou guardá-las!

      “Falta de tempo é a maior mentira que o ser humano conta. Vc não tem falta de tempo: vc tem falta de ESTABELECIMENTO DE PRIORIDADES”.

      “É vc que no fundo,não quer ainda de verdade. Se vc quisesse MUITO, já teria feito”

      As desculpas são muitas. Há alguns anos tenho prestado muita atenção em mim mesma em relação as justificativas. E sabe o que percebi? A maioria eram desculpas, fortemente relacionadas com suas frases.
      O resultado dessa observação é maior consciência em relação às minhas próprias atitudes e desculpas.
      E percebi também o quanto somos hábeis mestres em justificativas, elas estão sempre prontas na ponta da língua.
      Após a conscientização, as mudanças se tornam inevitáveis, pois a visão muda completamente.

      Abraços,

      • Guilherme 20 de julho de 2015 at 18:06 #

        Olá Anna, excelente depoimento, como sempre!

        Concordo com a Rosana, suas frases retratam bem a realidade: não existe falta de tempo, existe falta de prioridades. Quem quer, faz por onde. É como a letra daquela canção: “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”.

        Abraços!

    • Douglas 27 de julho de 2015 at 12:58 #

      Já vivenciei um caso em que dois amigos ficaram mais de 1 HORA conversando sobre come eles tinham pouco tempo para fazer as coisas, e eu do lado assistindo.

      É claro que existe a falta de tempo, mas é possível fazer muitas coisas, em geral 2x mais coisas do que você faz, se organizando e estabelencendo prioridades.

  2. Rosana 20 de julho de 2015 at 7:38 #

    Guilherme,

    Excelente artigo para o início da semana! 🙂
    Como minha avó dizia: tempo é a gente que faz.

    Percebo que muitas vezes a tecnologia, em vez de simplificar a vida, acabou complicando ainda mais devido a alta conectividade e uma certa dependência. Já ouvi pessoas falarem que ficar sem celular é como se faltasse-lhes uma parte do corpo.
    Facebook, WhatsApp, Youtube…. são grandes devoradores de tempo. “Só 5 minutinhos” acaba tornando-se 30, 40 minutos ou até mais. E no final do dia, aquela sensação de que o dia não foi tão produtivo.

    Parabéns pelas 3 medalhas de ouro! 🙂

    Abraços,
    Rosana

    • Guilherme 20 de julho de 2015 at 18:07 #

      Exato, Rosana!

      A tecnologia muitas vezes acaba sendo um obstáculo, como se fosse mesmo um vício.

      E obrigado pelas palavras! 😀

      Abç!

  3. O Frugalista 20 de julho de 2015 at 11:48 #

    Muito bom o artigo.
    Uma coisa muito interessantes sobre os 3 ativos que você citou (dinheiro, energia e tempo), é que me parece que quanto mais você obtém um deles, mais fácil vem os outros, o que forma um perfeito círculo virtuoso.
    O que eu quero dizer é o seguinte: quanto mais energia vc tem, mais tarefas importantes são realizadas durante o dia, logo, mais dinheiro entra… 😉 Isso tudo volta pra vc em mais energia, em mais motivação pra vencer os dias….
    Pra mim, pelo menos, acontece isso. Quanto mais ocupado estiver, de mais coisas consigo dar conta. Mesmo durante os períodos de lazer….quanto mais desafiantes as atividades, melhor.
    Creio que o ócio (não o “criativo”, mas aquele quando estamos em modo passivo, assistindo a TV, por exemplo) traz uma letargia que compromete sua vida de tal maneira, que o tempo acaba se perdendo. E pra nunca mais voltar, né não?
    Enfim, creio que a chave para aproveitar melhor o tempo é manter-se em atividade, seja física, seja mental; seja no trabalho, seja no lazer.
    Grande abraço!

    • Guilherme 20 de julho de 2015 at 18:09 #

      Oi Frugal!

      Você disse bem: essa tríade dinheiro-energia-tempo forma realmente um perfeito círculo virtuoso.

      E concordo com você: proatividade é fundamental nos dias de hoje.

      Abç!

  4. Gabriel 20 de julho de 2015 at 23:46 #

    Excelente texto! E os comentários estão dando um show também!

    Corro o risco de soar mórbido, mas algo que ajuda a usar melhor o tempo é pensar na morte. Não falo do pensamento contemplativo ou depressivo, mas o pensamento que te deixa alerta para eliminar os desperdícios. Será que na hora da morte você vai se arrepender de não ter terminado aquela série famosa (ou de sequer ter começado!)? Vai se arrepender de não ter visto tanta TV, jogado tanto, ido mais pra balada?

    Esse pensamento consegue repetidamente me afastar das coisas que não são úteis para a minha vida. As coisas que sobram me fazem sentir que aproveitei bem o tempo.

    • Guilherme 22 de julho de 2015 at 21:32 #

      Excelentes dicas, Gabriel!

      Projetar nossa vida para o pós-futuro é realmente uma dica valiosíssima para aproveitar ainda mais o tempo presente!

      Grande abraço!

  5. Carolina Rodrigues 21 de julho de 2015 at 11:38 #

    Olá Guilherme,
    Como sempre é um ótimo texto. Obrigada por compartilhar 🙂
    Escrevo também para dar uma sugestão na forma como é enviado a newsletter, pois é assim que acompanho seu blog: o assunto e remetente sempre estão como “Valores Reais”. Ficaria melhor se o assunto tivesse o título do post.

    É apenas sugestão, nem sei como é feita a configuração do maling list da neswletter…rs

    Eu sempre guardo a maioria dos seus posts que recebo por e-mail, porque sempre vale a pena reler. Então, quando procuro na pasta já visualizo o assunto que gerou o post.

    • Guilherme 22 de julho de 2015 at 21:33 #

      Oi Carolina, obrigado!

      Gostei muito da sua dica, vou ver se consigo alterar a lista de emails nessa parte!

      Abraços!

  6. Mah Santos 22 de julho de 2015 at 11:43 #

    Verdadeiro… sempre digo isto aos meus amigos: foco e determinação. Don’t give up (:

  7. Investidor Disciplinado 22 de julho de 2015 at 22:07 #

    Interessante o texto. Parabéns! Tempo é mesmo um dos bens mais preciosos, ao qual geralmente não damos o valor necessário e nem sempre o usamos com qualidade.

    Achei muito legal a frase “Se for para desistir, então desista de ser fraco”. Não estava esperando, pegou-me de surpresa, rs.

    Abraço.

  8. Lucas Linhares 24 de julho de 2015 at 13:52 #

    Muito bom!

    “O maior propósito na vida é desenvolver conhecimento, para lutar, e ter autodisciplina.” Napoleon Hill

    Pra min essa frase resume tudo na vida.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes