Resumão da semana: TED cai para R$ 750, fusão da Directa com a Rico, Bolsa a 57k, SELIC a 11% a.a. e mais!

O resumão dessa segunda semana pós-Copa traz notícias bem interessantes para o seu bolso, com Bolsa e SELIC em alta, fusão de corretoras, facilidades em transferências inter-bancárias e mais!

Dinheiro

Bancos reduzem limite mínimo da TED de R$ 1 mil para R$ 750

Notícia dada pelo leitor João, via iG:

Os bancos brasileiros reduziram de R$ 1.000 para R$ 750 o valor mínimo para a realização de Transferência Eletrônica Disponível (TED), que permite mandar dinheiro de um banco para outro no mesmo dia.  O novo limite está disponível desde a última sexta-feira (4), segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

O  piso tem por objetivo evitar uma sobrecarga de operações do tipo, mas ele tem sido constantemente reduzido. Em 2002, quando a TED foi lançada, o piso era de R$ 5 mil.

O fato de permitir transferências no mesmo dia torna a TED mais atrativa que o Documento de Operação de Crédito (DOC). Nessa opção, é preciso aguardar pelo menos um dia para que o dinheiro esteja disponível na conta de destino.

De acordo com uma pesquisa recente da Febraban, as transferências eletrônicas – o que inclui DOC e TED – representavam 46%  do volume de transações em 2013, ante 28% em 2009.

Eu acredito que, num futuro próximo, os bancos igualem os valores mínimos para TED e DOC, deixando ao cliente a opção de querer transferir no mesmo dia (TED) ou no dia seguinte (DOC). Afinal, não faz muito sentido estabelecer uma diferenciação tão grande para valores mínimos entre TED e DOC, como havia até bem pouco tempo.

O importante, nessa área, é não pagar tarifa de TED ou DOC, utilizando uma Conta Digital ou conseguindo isenção de tarifas pelo volume de investimentos.

Fusão das corretoras Directa (ex-Banif) e Rico (ex-Octo-LinkTrade)

Notícia dada pelos leitores João e Rosana:

“FUSÃO DIRECTA INVEST E RICO.COM.VC

Informamos o nascimento da segunda maior corretora independente de varejo do Brasil com 90 mil clientes, e você faz parte disso. É com grande satisfação que anunciamos a fusão das operações do DirectaInvest com a Rico.com.vc, plataforma de investimentos da Octo CTVM, e a intenção de aquisição por parte da CGD de 51% de suas ações, o que está sujeito à aprovação do Banco Central do Brasil.

O acordo é uma grande conquista que reforça o crescimento do Grupo Caixa Geral de Depósitos no país e contribui com o que mais nos motiva no DirectaInvest: atendê-lo com excelência, inovação, tecnologia e um amplo portfólio de produtos.

A fusão é fruto das similaridades entre ambas as empresas. Fundada em 2011, a Rico tem o foco no cliente e a inovação como um de seus principais diferenciais. Isso possibilitou que desenvolvessem, ao longo dos anos, uma plataforma de investimentos de qualidade e repleta de ferramentas que certamente em conjunto com as nossas, acrescentarão muito mais valor no seu dia a dia de investimentos.

Com esse crescimento, intensificamos nossos esforços para contribuir cada vez mais com a realização de seus objetivos. Destacamos que neste momento não haverá nenhuma alteração em sua maneira de acessar sua conta, realizar suas operações e no atendimento prestado. Ainda, reforçamos nosso comprometimento com você, que será informado sobre cada uma das melhorias geradas por esse novo cenário.

Estamos à disposição para quaisquer esclarecimentos por meio de nossos canais de atendimento”.

Segundo um leitor que já nos havia informado sobre isso, acho que foi o Finanças Inteligentes, parece as fusões de corretoras são uma tendência natural do mercado, já que muitas delas estão operando no vermelho, e com dificuldades de geração de caixa.

Só espero que essas fusões não tragam prejuízos aos investidores, como tarifas de corretagem mais caras e atendimento de pior qualidade.

E por falar em corretoras…

Bolsa passa dos 57 mil pontos pela primeira vez em mais de 16 meses

Com as pesquisas eleitorais apontando empate técnico no segundo turno, é claro que a Bolsa disparou, conforme notícia do UOL Economia:

“O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, fechou em alta de 2,47% nesta sexta-feira (18), a 57.012,9 pontos. É a primeira vez que a Bolsa passa dos 57 mil pontos desde 14 de março do ano passado, quando encerrou a sessão a 57.281,02 pontos. É também a maior alta percentual diária desde 6 de junho deste ano, quando a Bolsa subiu 3,04%.

Com isso, a Bovespa encerra a semana com alta de 4,06%. No mês, acumula valorização de 7,23%, e no ano, ganhos de 10,69%.

Analistas consultados pela agência de notícias Reuters e pelo jornal “Valor Econômico” afirmaram que a Bolsa subiu após a divulgação, na véspera, da última pesquisa eleitoral. De acordo com o Datafolha, a presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB) aparecem tecnicamente empatados em um eventual segundo turno nas eleições presidenciais de outubro.

A notícia vem em um momento de descrença do mercado na administração da presidente Dilma e críticas em relação ao que consideram intervenção excessiva em estatais. Diante disso, as estatais subiram, ajudando a Bolsa a fechar no azul”.

Até o fim das eleições presidenciais, a volatilidade deve dominar o mercado de ações. Estejamos atentos.

Taxa SELIC mantida em 11% a.a.

Semana passada, a taxa SELIC foi mantida em 11% a.a. De acordo com o Finanças Inteligentes,

“A probabilidade de pequeno corte na taxa básica de juros é remota, mas não está totalmente descartada. Adiantar ao mercado a possibilidade de corte na taxa Selic, num momento de inflação acumulada extrapolando o teto da margem de tolerância (6,50%), pode comprometer a “importante” estratégia da autoridade monetária no mercado de câmbio e criar estresse nas taxas de juros futuros.”

Dentro desse cenário, e já sob a perspectiva dos investimentos, os investimentos pós-fixados ao SELIC/CDI, tais como as Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), Letras de Crédito Imobiliário (LCIs), LFTs e fundos referenciados DI com baixa taxa de administração (menos de 1% a.a.) continuam dominando o cenário como opções muito mais atrativas do que a caderneta de poupança.

Inclusive, o blog tem recebido um fluxo de visitas mais alto do que o normal na seção de investimentos em renda fixa, particularmente nos artigos que escrevemos sobre as letras de crédito, tanto as Letras de Crédito do Agronegócio (LCA), como as Letras de Crédito Imobiliário (LCIs).

Vale a pena reler esses artigos, bem como os comentários respectivos, para você reavaliar suas opções de investimentos dentro do cenário econômico atual.

Agradeço aos leitores João e Rosana pela colaboração nesse resumão!

Bons investimentos a todos!

Créditos da imagem: Free Digital Photos

Print Friendly, PDF & Email

,

8 Responses to Resumão da semana: TED cai para R$ 750, fusão da Directa com a Rico, Bolsa a 57k, SELIC a 11% a.a. e mais!

  1. Fernando Gama 23 de julho de 2014 at 11:21 #

    Não creio que haja relação entre o cenário eleitoral e a subida ou volatilidade da bolsa. Em 2002, havia a mesma impressão de que se o Lula ganhasse, a bolsa (na época em 8000 pontos) quebraria. Não aconteceu. Na verdade, foi ao contrário.

    • Guilherme 23 de julho de 2014 at 20:43 #

      Olá Fernando!

      Esse ano o mercado está bastante atento às eleições e, embora no final das contas possa não haver uma correlação tão forte assim, o fato é que, nos últimos meses, têm havido essa correlação, pois a Bolsa sempre sobe no dia seguinte às pesquisas que mostram o crescimento nas pesquisas eleitorais da oposição.

      Aguardemos as cenas dos próximos capítulos!

      Abç!

  2. Renato C 24 de julho de 2014 at 15:15 #

    Esperemos que esta fusão da Directa com a Rico não altere aquilo para o qual nós somos mais caros: a isenção no Tesouro Direto !

    • Guilherme 24 de julho de 2014 at 18:17 #

      Também espero isso, Renato C!

      Abç

      • Renato C 6 de agosto de 2015 at 11:16 #

        Tanto tempo depois… me deparo com a Rico cobrando taxa de custódia (começaram em março – 0,1%), mesmo sobre quem fez o investimento na época do Banif/Directa.

        Isto é ilegal – não?

        • Guilherme 8 de agosto de 2015 at 11:58 #

          Renato C, se não houver alguma cláusula no contrato da Banif/Directa dizendo que “é possível que no futuro taxas de custódia possam ser cobradas”, ou algo do tipo, essa cobrança é passível de questionamento.

          Abraços!

  3. Rosana 6 de agosto de 2014 at 13:03 #

    Guilherme,

    “Agradeço aos leitores João e Rosana pela colaboração nesse resumão!”
    Não precisava agradecer, é sempre uma honra poder compartilhar informações no Valores Reais! 🙂

    “Segundo um leitor que já nos havia informado sobre isso, acho que foi o Finanças Inteligentes, parece as fusões de corretoras são uma tendência natural do mercado, já que muitas delas estão operando no vermelho, e com dificuldades de geração de caixa.”
    Eu não sabia que muitas corretoras estão realmente operando no vermelho, embora há algum tempo venho pensando sobre isso, sobre o risco de ter investimentos como fundos DI, sendo que há opções melhores como os CBD’s, que tem a garantia do FGC e pagam quase (ou até mais) que os fundos DI, já que esses últimos, além dos impostos, têm a taxa de administração, que absurdamente é sobre o capital investido e não sobre o rendimento, coisa com a qual não me conformo.

    Sobre LCA/LCI, a Geração Futuro agora também oferece esse tipo de investimento, com investimento mínimo de 10k. Segundo a minha assessora de investimentos lá, por enquanto não pretendem diminuir esse valor para 5k ou menos. Particularmente acredito que isso seja uma questão de tempo, pois muitas pessoas não se sentem confortáveis em investir 10k de cara em um produto que não conhecem e outras corretoras aceitam valores menores, o que deixa a GF em desvantagem.
    Apesar da incidência do IR, acredito que esse é um dos motivos do Tesouro Direto ter se tornado tão atrativo, pois além da boa remuneração, o valor mínimo para investimento é baixo também, o que faz com que muitos investidores se sintam mais confortáveis e seguros com esses produtos.

    Abraços!

    • Guilherme 8 de agosto de 2014 at 11:07 #

      Eu é quem agradeço Rosana, são os leitores fazendo o blog! 😀

      De fato, os problemas financeiros das corretoras estão aflorando, e é provável que essa tendência continue.

      Quanto à LCI/LCA da GF, também concordo que é uma questão de tempo para eles abaixarem o valor mínimo da aplicação para R$ 5k.

      São esses e outros fatores que acabam contribuindo para popularizar o Tesouro Direto, como você bem disse. A possibilidade de montar uma boa carteira de investimentos com baixos valores o torna uma opção acessível e mais barata que a da maioria dos fundos de investimentos em renda fixa, como você bem disse, por conta das taxas que esses fundos praticam.

      Abç

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes