Curtirei a Copa do Mundo, sim. Mas não deixarei ela controlar minha vida.

Em meio aos diversos textos que tenho lido sobre a realização da Copa do Mundo no Brasil, um dos que achei mais sensato, e com o qual eu concordo com os argumentos, foi o artigo publicado pelo colega da blogosfera financeira Economicamente Incorreto.

Copa 2014

Sob o título A Copa do politicamente correto, ele diz o seguinte:

“É fato, é POLITICAMENTE CORRETO ser contra a Copa do Mundo FIFA 2014, afinal, quem vai ser a favor do desperdício de dinheiro público com a construção de estádios que serão elefantes brancos, superfaturamentos e obras emergenciais sem licitação ou transparência?

Mas eu tenho uma visão ligeiramente diferente disso tudo. Não que eu seja a favor da Copa no Brasil de forma incondicional, longe disso, mas eu torci para a Copa ser no Brasil, vou torcer também para a Seleção Brasileira e fico feliz que a Copa esteja acontecendo aqui. Eu acho que as pessoas misturam muito as coisas…”

Em seguida, complementa:

“Como eu falei anteriormente, eu não vejo nenhum problema em fazer a Copa aqui, desde que tivéssemos seguindo um plano razoável e econômico condizente com as condições do país. O maior absurdo é que o governo, de maneira política, para fazer a suposta ‘Copa de todos os brasileiros’, aumentou o número de sedes para 12, colocando como sedes locais sem a mínima infra-estrutura e sem a menor tradição no futebol. Se tivéssemos mantido um padrão de 8 sedes (na minha opinião Porto Alegre, São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Recife e Fortaleza seriam as sedes), reduziríamos os problemas e estaríamos realmente construindo um legado útil e não elefantes brancos (ah, vai ter gente que vai dizer que Brasília não precisava estar na lista, mas por ser a capital federal e se tivesse feito um estádio mais modesto, não vejo problemas).

Sendo até um pouco mais inocente, vejo que a construção de estádios e aeroportos foi uma boa fonte de empregos (pelo que me consta, em alguns estádios a obra chegou a contar com mais de 2000 trabalhadores em tempo integral durante bastante tempo), além de realmente acreditar que, como país, nós merecemos (e este seria um bom pretexto) uma infra-estrutura melhor, principalmente de aeroportos. Só quem já foi para países desenvolvidos sabe a qualidade da infra-estrutura que temos aqui.

[…]

Existe apenas um único motivo para pensar em não torcer pra seleção, que seria a possível influência no resultado da eleição presidencial em favor do atual governo, mas sinceramente não acho que isso realmente influenciaria, pois ganhando ou perdendo, as pessoas vão esquecer este assunto uns 15 dias depois da Copa. Eu não quero o PT no governo que acho que isso pode acontecer com ou sem vitória na Copa.”

E conclui:

“Bom, sei que o tema é polêmico mas decidi manifestar minha opinião ‘politicamente incorreta’, pois realmente não tenho nada contra a Copa ser no Brasil e nem contra a seleção. Minha crítica e decepção é para a organização local e principalmente por este governo (ou o anterior) que meteu os pés pelas mãos e errou feio em tudo que fez”.

Conclusão

Bom, como eu já disse em um artigo publicado por ocasião da Copa de 2010, Não deixe a Copa do Mundo controlar sua vida, não descarto o futebol como fonte legítima de entretenimento, e até considero útil e saudável ter essas emoções todas que afloram durante um evento dessa magnitude.

Compartilho e faço minhas as palavras do E.I.: “minha crítica e decepção é para a organização local e principalmente por este governo (ou o anterior) que meteu os pés pelas mãos e errou feio em tudo que fez”. Não tenho nada contra a seleção, pelo contrário: torcerei, como faço em todas as Copas, para que a seleção vá o mais longe que puder.

O importante é saber aproveitar bem esse evento – ou não aproveitardentro do que cada um acha melhor para si, mas sem se esquecer, por outro lado, que a vida segue, independentemente de o Brasil ganhar ou não.

Pelo fato de o evento ser no Brasil, é claro que eu, como torcedor que gosta de futebol desde criança, acompanharei com mais atenção do que o normal esse evento esportivo.

Se a Seleção Brasileira for campeã, legal. Mas, se não for campeã, tudo bem também, a vida segue.

Créditos da imagem: Free Digital Photos

Vai Brasil!

Print Friendly, PDF & Email

9 Responses to Curtirei a Copa do Mundo, sim. Mas não deixarei ela controlar minha vida.

  1. Arthur - RJ - Santa Cruz 12 de junho de 2014 at 13:20 #

    Concordo com suas colocações Guilherme, e o povo também não pode é esquecer que, temos eleições ainda esse ano!

    Uma dúvida: estou com uma conta corrente de serviços essenciais no Itaú, e nela estou com uns 9k, acha que seria uma boa, abrir uma poupança?

    • Guilherme 12 de junho de 2014 at 15:07 #

      Exato, Arthur! 🙂

      Sobre a poupança, sim, vale a pena. Verifique a possibilidade de abri-la vinculada à sua conta-corrente.

      Abç

  2. guilherme 12 de junho de 2014 at 23:06 #

    Caro Xará, desta vez não compartilho com você ……o HEXA pode esperar, o Brasil não.
    Fazer a Copa nas condições que foram, é um desrespeito ao dinheiro público !!!

    • Guilherme 13 de junho de 2014 at 11:09 #

      Legal, Guilherme, o interessante é justamente termos espaço para diversas opiniões a respeito dos temas que envolvem esse evento!

      Abç

  3. Marcelo 12 de junho de 2014 at 23:07 #

    Torci para a seleção, mas não podemos esquecer do que é importante: educação, dignidade humana, segurança, respeito, honestidade, etc.

    A Copa é frustrante… Governo submisso à FIFA, estádios superfaturados… Resultado?

    Torcida xinga Dilma e Fifa em abertura: “vai tomar no c…”

    http://esportes.terra.com.br/futebol/copa-2014/torcida-xinga-dilma-e-fifa-em-abertura-vai-tomar-no-c,cdb0eeda65196410VgnVCM20000099cceb0aRCRD.html

    http://www.youtube.com/watch?v=hOP3TY6R2so

    É tanta roubalheira, que até o juiz roubou!… kkk

    Povo brasileiro está acordando!

  4. Alexandre 13 de junho de 2014 at 18:41 #

    Sinto discordar de alguns pontos. É fato que nestas obras como em diversas outras realizadas em nosso país existiram superfaturamentos e desvios de verbas públicas. Mesmo em São Paulo com toda a infra-estrutura (exemplo para um país com tantas deficiências) as pontes, estradas, metrô, escolas e hospitais em diferentes governos (nenhum petista) foram superfaturadas e as construtoras neste país são sempre as mesmas.
    Maluf nunca foi insultado com xingamento pessoal num estádio, nem quando foi preso pela Polícia Federal ou está na lista da Interpol.
    Não recordo de críticas tão veementes quando ele dizia “estupra mas não mata”.

    Defendo o Brasil e a democracia. Defendo o respeito as autoridades eleitas legitimamente, mesmo àqueles que não tiveram meu voto.

    Consciência política não é ter atitudes como esta. Para mim é falta de educação.

    • Wallace Alves 13 de junho de 2014 at 19:04 #

      Concordo plenamente, o problema é que muitos estão com as questões (preferências) politicas enraizadas e a razão fica de lado nessas horas. Esquecem da história, que a questão da corrupção é geral e não tem partido. É claro que também quero que o país mude, sempre para melhor, mas dessa forma? Não quero participar disso. sem contar a quantidade de crianças que haviam no estádio. É esse o exemplo que queremos dar para nossos filhos?

      • Guilherme 13 de junho de 2014 at 20:33 #

        Excelentes comentários, Alexandre e Wallace!

        Abç!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes