Resumão da semana: propaganda de Tesouro Direto e ETFs no Bradesco, Bolsa em alta, Famílias com muitos filhos (3…6…7!!!) e mais!

O resumão dessa terceira semana de maio chega com muitas novidades e, como de costume, com um cardápio de notícias bastante diversificado, indo desde propaganda de Tesouro Direto e ETFs em grande banco de varejo, até a alta da Bolsa de Valores (finalmente!), passando, também, por uma coincidência de matérias e blogs sobre como criar uma quantidade bastante considerável de filhos nesses tempos modernos, onde muitos casais optam justamente por não terem filhos.

Propaganda de Tesouro Direto e ETFs… no Bradesco!

Tesouro Direto

Por essa eu não esperava: uma propaganda explícita de investimentos nos produtos financeiros considerados os mais “chatos” do mercado (títulos públicos e ETFs), num grande banco de varejo, no caso, o Bradesco, mais conhecido, para os íntimos, como “Bradescão” 🙂 (pois é, aqui damos nomes aos bois, porque entendemos que a vida é feita de produtos, serviços e empresas concretas e do dia-a-dia, e não de referências e termos abstratos, sem que isso implique, de maneira alguma, algum tipo de recomendação, direta ou indireta).

Quem abre a página inicial do Bradesco Prime se depara com essa imagem bem grande praticamente no topo do site:

Tesouro Direto no Bradesco

O mais surpreendente é que, quando você clica nessa imagem, abre-se uma nova página onde o banco faz questão de frisar as vantagens de se investir no Tesouro Direto (!!!)

Vantagens do Tesouro Direto no Bradesco

E por quê isso é surpreendente?

Ora, porque o Tesouro Direto é um concorrente direto dos produtos de renda fixa (CDBs, LCIs, LCAs, fundos de investimentos etc.) oferecidos pelo próprio Bradesco, de modo que o banco correria o risco de deixar de ganhar dinheiro com taxas de administração se um cliente mais informado resolvesse investir nos títulos públicos. E, como todos bem sabemos, a matemática não mente: o Tesouro Direto está dando um banho nos fundos de renda fixa dos bancos de varejo.

Porééééééémmmmm……. há sempre um “mas, todavia, contudo, entretanto” nessa história toda, não é mesmo!? 😛

E, nesse caso, há mesmo: o Bradesco é a 3a. instituição mais cara para investir no Tesouro Direto, pois cobra, a título de taxa de custódia, o famigerado percentual de 0,50% a.a. É muita coisa, considerando que há corretoras que cobram taxa zero, e um punhado de tantas outras que cobram, no máximo, 0,2% a.a.

Não obstante essa taxa, não deixa de ser curioso que um grande banco de varejo faça propaganda explícita do Tesouro Direto, e mais, em sua página principal. Vale lembrar que o Banco do Brasil faz uma menção bastante “seca” do TD em sua página, e o Itaú, é claro, omite por completo qualquer informação relativa à possibilidade de operar no TD por meio de sua página no site Personnalité.

ETFs

Além disso, recentemente recebi um email do próprio Bradescão com outra propaganda tão surpreendente quanto a de cima. O título do email era “Abra novos caminhos para seus investimentos” e, quando eu o li, logo pensei: “pronto! Lá vem o convite para eu investir num daqueles famigerados fundos de ações careiros que os bancos geralmente oferecem…” #SóQueNão. 😀

ETFs no Bradesco

Se já é difícil ver corretoras independentes elogiando investimentos em ETFs, que são considerados investimentos chatos, monótonos e sem sal, imagina então grandes bancos de varejo, como o Bradesco?

Assim como eu disse acima em relação aos custos para investir no Tesouro Direto via corretora do Bradesco, com as ações o fato se repete. A corretagem não é barata: 0,25% sobre o valor da operação, para ordens de até R$ 50 mil, com um mínimo de R$ 10.

De qualquer forma, não deixa de ser interessante a postura do banco que incentiva os investidores a realizarem investimentos de um modo mais prático, diversificado e mais barato do que se comprassem diversas ações diferentes (que gerariam maiores valores pagos a título de corretagem).

Parabéns ao Bradesco, que contribui (conscientemente ou não) para melhorar os níveis de educação financeira em nosso país (e é bem capaz de essa chamada de primeira página sobre o Tesouro Direto sumir do site oficial após essa notícia aqui publicada, como já aconteceu, aliás, com o home banking do Banco do Brasil, em relação à possibilidade de adesão ao pacote de serviços essenciais via Internet).

Bolsa de Valores em alta: você comprou ações no primeiro trimestre desse ano?

Motivada, é claro, pelas pesquisas eleitorais que têm apontado sucessivas quedas da presidente nas intenções de voto, a Bolsa de Valores tem apresentado altas cada vez mais interessantes.

Na última vez que a Bolsa foi título de um artigo aqui no blog, Seus investimentos nesse começo de 2014: debêntures Vale, ações, Tesouro Direto, poupança, fundos imobiliários, ouro, dólar e mais!, o IBovespa estava na marca dos 49.696 pontos. No decorrer do primeiro trimestre do ano, o Índice chegou a tombar nos 45k pontos, o que abriu, naturalmente, oportunidades extraordinárias de compras de papéis a preços de liquidação.

Infelizmente, são poucos os investidores que efetivamente compram ações quando o mercado está virando para baixo, dado o já conhecido “efeito manada” (“se tá todo mundo vendendo, eu vou vender também”).

Pois bem.

A Bolsa tem virado nos últimos meses, e, agora, não só recuperou o prejuízo daquele primeiro trimestre, como também tem apresentado alta no ano, estando o Índice agora a 53.975 pontos, com valorização em 2014, até o presente momento, de +4,79%.

É aquela velha história, tantas vezes já repetidas aqui no blog: o importante na Bolsa não é acertar o fundo do poço (que é impossível), mas estar dentro antes dela começar a subir, pois quando sobe, ela geralmente sobe como um foguete.

Eu aproveitei os preços de liquidação e comprei ações no primeiro trimestre desse ano (não só ações, mas também fundos imobiliários e títulos do Tesouro Direto, estava tudo muito barato). E você!?

Famílias com muitos filhos (3…6…7!!!)

Uma coincidência de matérias envolvendo a criação de muitos filhos em blogs de diferentes segmentos do conhecimento humano me chamou a atenção e me fez incluir esse oportuno “giro pelos blogs” no presente resumão.

Hoje em dia, muitos casais optam por não terem filhos sob diversos argumentos, dentre os quais destacam-se: ou eles “arrebentarão” com o corpo da mulher (esse argumento é o utilizado, obviamente, por mulheres), ou eles impedirão você de ter uma vida minimalista, ou eles arruinarão sua vida financeira (argumento usado em 99% dos casos). Outros ainda preferem não ter filhos por opção, sem nenhum motivo econômico/emocional em especial.

Não vou entrar no mérito de cada uma dessas questões, até porque os temas são polêmicos e não caberia discuti-los nesse artigo.

Porém, vale a pena mostrar cada uma dessas matérias para desconstruir os mitos acima citados, ou seja, para mostrar que é possível a mulher ter um corpo saudável após a gestação; sim, é possível ter uma vida minimalista cuidando de uma família com meia dúzia (literalmente!) de filhos; e, finalmente, sim, é possível ter um time de basquete de filhos (e mais um na reserva!), mantendo a saúde financeira da família.

1. Via Tips4Life: Micheline Masiole ensina como manter uma rotina saudável, ir para academia, trabalhar… e cuidar de três filhos pequenos!!!

Por ocasião do Dia das Mães, o ótimo blog Tips4Life fez uma entrevista com Micheline Masiole, em que ela derruba o mito de que cuidar de muitos filhos pequenos seria um impeditivo para manter uma rotina saudável, trabalhar, cuidar de casa e organizar a vida familiar.

Três pontos me chamaram a atenção nessa entrevista. O primeiro é que ela só começou a cultivar hábitos saudáveis depois de “trintar”, ou seja, depois de completar os 30 anos, como podemos ler nesse trecho:

“Aprendi a me apaixonar pela musculação e por hábitos saudáveis depois dos 30 anos. AMO! E o que antes era obrigação hoje se tornou um prazer. Malho de segunda a sexta. Cheguei a malhar uma hora de musculação 5 vezes na semana (+) corridas de 16 a 20 km 3x na semana (+) aerobox 2x na semana”.

O segundo – particularmente o ponto mais incrível – é que seus três filhos pequenos adotaram hábitos saudáveis na alimentação por vontade própria, e não por obrigação e “cara feia”, ao contrário de muitas outras crianças que vemos por aí, que não comem nada fora de casa se o prato não tiver batata frita:

“Como é a alimentação dos seus filhos? O que eles levam na lancheira?

Eles são saudáveis por opção: gostam de frutas, sucos, barrinha de cereal. Sempre…mas sempre mesmo, perguntam se o que estão comendo é saudável. Na lancheira sempre um cereal com iogurte ou sanduíche natural com suquinho natural. Quando pergunto o que querem de sobremesa eles pedem banana ou maçã. O legal é que não é forçado. Comem pouco no almoço, porém de tudo: o que tem no prato eles comem. Na minha casa não tem fritura”.

E o terceiro é a determinação dessa mulher para manter tudo sistematicamente bem planejado e executado, olhem só:

“Primeira coisa a fazer é se ORGANIZAR para cumprir as tarefas. Até uns 02 meses atrás eu ainda malhava cedinho, então, eu deixava tudo preparado na noite anterior. Acordar cedo faz seu dia render: anote atividades físicas como item a ser seguido da sua agenda…siga o roteiro e se aparecerem obstáculos como levar filho ao médico ou reunião repentina na escola, ou funcionário que faltou, REBOLE! Não deu pra se exercitar de manhã, vai à noite; não deu à noite, deite no chão da sala e sobe e agache e faça polichinelo, pule corda, gire bambolê, suba e desça escada…acredite, faz toda diferença. Não adie o que tem que ser feito: uma tarefa não cumprida te desmotiva na realização das outras. Tenha foco e persista: se tem que fazer compras, ir ao mercado, busque sempre o mais próximo da sua localização, assim como a academia que você frequenta, ganhar tempo no trânsito é de grande valia. Use a positividade e não complique as coisas, coloca no piloto automático e lembre-se que não é apenas pensar no corpo, mas, o equilíbrio entre corpo e mente ambos saudáveis. Não olhe pro lado buscando achar a vida do vizinho mais fácil: Olhe pra frente e mostre que a dificuldade te engrandece e te faz forte.”

Parabéns à Micheline pelo exemplo, e ao blog Tips4Life pela entrevista, tenho certeza de que a matéria servirá de fonte de inspiração para que muitas pessoas parem de reclamar da vida e comecem a agir!

2. Via Zen Habits: impossível ter uma vida minimalista cuidando de filhos ao mesmo tempo? Leo Babauta – que tem *SEIS* filhos – irá fazer você rever seus conceitos!

Levar uma vida simples é o sonho de muita gente. Ocorre que muita gente também pensa que, para adotar a simplicidade voluntária, seria preciso também abdicar de ter filhos, pois esses fatalmente levariam você a ter uma vida cada vez mais “maximalista” e de acumulação de coisas e mais coisas.

Leo Babauta, do blog Zen Habits, no excelente artigo No excuses: minimalism with kids (“sem desculpas: minimalismo com crianças”), desconstrói esse mito com uma série de dicas e estratégias para desenvolver nas crianças hábitos de vida minimalistas.

A ideia é desenvolver dentro de casa uma cultura de simplicidade voluntária, onde os hábitos e as ações do dia-a-dia reflitam esses valores. São comportamentos e atitudes até – com o perdão do trocadilho – bastante simples, tais como aprofundar as conversas, desfrutar os pequenos prazeres, mudar as tradições de um modo positivo etc., mas que terão profundo impacto a longo prazo.

Cuidando de uma família com nada mais nada menos do que seis filhos (!), Leo Babauta de fato tem autoridade para falar do assunto. 🙂

3. Vigilantes do Orçamento: como manter as finanças domésticas no azul numa família com 7 (eu disse sete. S-E-T-E) filhos!

Marcelo Guterman iniciou recentemente um blog chamado Vigilantes do Orçamento, onde pretende abordar temas ligados à educação financeira familiar. A história dele chama a atenção. Melhor do que eu, só ele mesmo falando para discorrer sobre sua experiência no assunto:

“Casei-me jovem para os padrões atuais: tinha 24 anos quando amarrei meu destino ao da Con, minha esposa há 24 anos. Tínhamos um plano: ter mais do que dois filhos, o padrão da época (e de hoje também, por que não?). Na medida em que íamos avançando com o nosso plano, alguns parentes e amigos nos chamavam para um canto para alertar para o desastre financeiro. Diziam que seria impossível investir o necessário em educação e saúde para criá-los de acordo com um “padrão mínimo de qualidade”. Certa vez, um colega de trabalho perguntou-me: “Mas como você vai conseguir comprar um carro para cada filho???”. Pois é.

Como dizia, os anos passavam, e seguíamos com o nosso plano: nasceram a Mari, o Ivo, o Alvi, a Bel, o JP, a Teté e o Carlinhos. São sete pérolas, entre 8 e 23 anos de idade. Claro que, para poder dedicar-se aos filhos, a Con teve que deixar o emprego formal que tinha (ela era bancária). Decidimos dar este passo depois do nascimento da nossa quarta filha. Era um passo arriscado, mas necessário para os nossos planos.

A Mari está hoje estudando Moda em Nova York. O Ivo está estudando Medicina na USP. O Alvi é autista, e está em uma escola especial. A Bel vai prestar vestibular neste ano (ainda não sabe para o quê), enquanto o JP, a Teté e o Carlinhos ainda não estão preocupados com carreiras profissionais, no que fazem muito bem.

Moramos em um apartamento próprio em um bairro de classe média média em São Paulo. Temos dois carros na garagem, um de 2006 e outro de 2007. Este último é uma van, para poder levar todo mundo para passear, inclusive minha sogra, que mora conosco. Usamos a van para passar férias uma vez por ano em alguma cidade do Brasil.

Sou engenheiro, e tenho um emprego em nível gerencial no mercado financeiro. Não nasci em berço de ouro, não recebi nenhuma herança, além do apreço pela educação e os valores que me acompanham. Sou, portanto, um assalariado, bem longe de ser um milionário.

Se você acompanhou a minha história até aqui, pode estar se perguntando:

Como ele consegue?

É justamente isso que pretendo compartilhar através do Vigilantes do Orçamento. Quero demonstrar que sempre é possível realizar os seus planos, desde que você tenha um mínimo de organização e foco. Além, é claro, de adotar uma filosofia de vida frugal, onde se consegue distinguir claramente a diferença entre o essencial, o necessário e o supérfluo. Isso não quer dizer, de maneira nenhuma, que se deva abrir mão de todos os prazeres da vida. Pelo contrário: você só vai conseguir realmente ter prazer quando se convencer de que é preciso viver dentro de suas posses, nem mais, nem menos. Esta talvez seja a principal mensagem do Vigilantes do Orçamento!”

Vejam a importância e o destaque que ele dá para a frugalidade: “adotar uma filosofia de vida frugal”. 🙂

Tá, e quem é esse tal de Marcelo? Talvez você não o conheça por esse nome, mas provavelmente – se for um leitor antigo e assíduo do blog e da blogosfera financeira de maneira geral – ouviu falar do blog do Dr. Money.

Pois é! O Marcelo é o Dr. Money, que escreve um dos melhores blogs sobre economia e finanças pessoais no Brasil.

O Marcelo, ou melhor, o Dr. Money, me disse que a ideia é “concentrar no Dr. Money os artigos sobre Economia, e no Vigilantes do Orçamento os artigos sobre Educação Financeira. São dois públicos diferentes, com abordagens diferentes”. Bacana 🙂

Finalizando…

Família

Ao ler uma mensagem nesse domingo (18.05.2014), logo me lembrei do exemplo dessas 3 famílias. Transcrevo aqui um pequeno trecho:

“Num tempo em que tantas famílias naufragam no mar revolto da vida, quando tantos pais veem seus filhos se perdendo, atraídos pelo brilho falso deste mundo, não há vitória maior do que ter uma família unida e feliz, que sirva de paradigma para a sociedade e de esperança para as gerações futuras”.

Dentro dessa linha de pensamento, vale a pena também transcrever o depoimento do leitor Arthur, que tem se tornado leitor assíduo do blog nos últimos tempos, para fechar com chaves de ouro esse artigo:

“Guilherme,
Você com seus ótimos textos, está efetivamente me ajudando a reconstruir uma área da minha vida que infelizmente, eu deixei um pouco de lado, na busca de uma melhor qualidade de vida profissional.. Não vou parar a minha busca pela minha realização profissional e liberdade financeira, até porque quando meus entes queridos precisarem, eu possa oferecer ajuda… porém com esse texto Usando palavras, você constrói… ou destrói?, e o artigo

Sair da zona de conforto: perigos, paradoxos, objetivos e vantagens,

Me esclareceram e ajudaram a ver o quanto eu estava pecando na área de relacionamentos… li esses dois textos há alguns dias e eles não me saíram da cabeça.. bem, hoje eu dei uma rasteira na zona de conforto, e simplesmente tive um excelente dia com a minha família, como já algum tempo não tinha!!!

Outro texto seu que irei seguir a risca, é o

Sua maior virtude

Te agradeço do fundo do meu coração meu amigo, tô até com os olhos cheios d’água rsrsrs… é isso aí, que Deus te abençoe assim como você sempre deseja para nós leitores!!!!

Um forte abraço!!!!”

Preciso dizer mais alguma coisa!? Valeu, Arthur!

Boa semana a todos!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Créditos da última imagem: Free Digital Photos

Print Friendly, PDF & Email

, ,

19 Responses to Resumão da semana: propaganda de Tesouro Direto e ETFs no Bradesco, Bolsa em alta, Famílias com muitos filhos (3…6…7!!!) e mais!

  1. Jônatas R Silva 19 de maio de 2014 at 8:34 #

    Ufa, quanta notícia boa.
    Excelente artigo Gui, adorei.

    Abraço e boa semana!

    • Guilherme 19 de maio de 2014 at 9:32 #

      Exato Jô, só agora me dei conta de que finalmente se trata de um resumão 100% de notícias boas…rsrs!

      Abç e boa semana!

  2. Felipe Moreira 19 de maio de 2014 at 10:46 #

    Guilherme, tudo bem?

    Sou leitor assíduo do seu blog e quero agradecer imensamente por todo conhecimento, sabedoria, tempo e dedicação compartilhado em cada post.

    Obrigado, de coração!

    Tenha uma excelente semana!

    Grande abraço

  3. Juliano 19 de maio de 2014 at 11:12 #

    “Parabéns ao Bradesco, que contribui (conscientemente ou não) para melhorar os níveis de educação financeira em nosso país”

    Não entendi qual foi a contribuição do Bradesco para a educação financeira das pessoas? Eles apenas estão afertando mais um produto e cobrando taxas mais altas do que em outras corretoras.

    • Guilherme 19 de maio de 2014 at 13:02 #

      Juliano, a contribuição do banco reside em divulgar a existência de produtos financeiros melhores, mais práticos e mais rentáveis para os investidores pessoas físicas (TD e ETFs), incentivando-as, desse modo, a saírem da “zona de conforto” e buscarem mais informações sobre essas alternativas de investimentos.

      Abç

  4. Igor Leal 19 de maio de 2014 at 12:10 #

    Olá Guilherme, faz tempo que não me manifesto deixando comentários por aqui, mas com esse seu post, não pude deixar de fazê-lo!
    Vc nos acompanhava pelo nosso blog digravida, mas paramos de atualizar lá por n motivos, mas gostaria de te dar a notícia que tivemos nosso terceiro filho esse ano! Agora temos a Beatriz, que hj tem 5 anos, o Theo, que está com 3 anos e o Davi, que completou 3 meses semana passada!
    Fico muito feliz em ver pessoas que valorizam as grandes famílias e que não se deixam ser levadas pelo “senso comum” de hoje: do ter poucos filhos por não ter dinheiro suficiente ou até mesmo de nem tê-los! Um desperdício ENORME da oportunidade de aprendizado e de transbordar amor!
    Se com três filhos já nos consideram ET´s, imagina esses exemplos de ainda mais?
    Viva as grandes famílias! 🙂
    Boa semana!

    • Guilherme 19 de maio de 2014 at 13:04 #

      Grande Igor, quanto tempo, hein rapaz!?

      Lembro sim do DiGravida, e deixo desde já meus PARABÉNS por aumentar a família!!!! Aliás, sua família se enquadra perfeitamente no tópico, hein!!!???

      Pessoas e casais que “remam contra a maré” merecem todo o nosso apoio, até como forma de derrubar mitos e provar que quantidade pode rimar sim e perfeitamente com qualidade!!!!

      Viva as grandes famílias! 🙂

      Grato pelo comentário!

      Abç!

  5. Investidor Casado 19 de maio de 2014 at 14:55 #

    Guilherme,

    Primeiramente gostaria de agradecer por manter este blog sempre com notícias, dicas e informações que nos fazem repensar, mudar e nos motiva a ser pessoas melhores. Já acompanho tem um tempinho seu blog, e seus últimos posts tem acertado em cheio na minha situação atual. Mas o de hoje foi excepcional!

    Tenho 31 anos e 2 filhos, uma de 8 e outro de 2. Minha situação financeira atual está caótica, mas inspirado em seu blog e alguns outros estou fazendo um esforço tremendo para mudar não só minha situação financeira, mas também como pessoa, meu estilo de vida e minhas prioridades. Resolvi que ia tomar as rédeas da minha vida de uma vez por todas!

    Já pensei como você exemplificou: que ter filhos somente me atrapalharia e consumiria muito dinheiro que poderia ser gasto com algo “melhor”. Para ser completamente honesto, eu sequer gostava da presença de crianças! (Doce ironia…rs).

    Mas hoje, e principalmente após este seu post, percebo que não são as crianças que atrapalham, NÓS que não planejamos e nem nos adaptamos a esta situação. É impossível manter o mesmo padrão de vida que se leva solteiro, em uma vida com crianças! Se já é difícil manter o padrão de solteiro sendo “só” casado e morando por conta própria!

    É mais uma daquelas situações que, ao invés de assumir que o problema é nosso, culpamos os outros pela nossa situação! “A culpa é destas crianças, se não fosse por elas eu já estaria rico!”, “Se não fosse estas crianças hoje teriam um corpão”, “Se não fosse estas crianças, hoje teria tempo para estudar e me aperfeiçoar na carreira!”. Tudo isso nada mais é do que se eximir da culpa de algo que NÓS tivemos controle, e não conseguimos nos adaptar, e agora não queremos encarar!

    Claro, sempre existem situações excepcionais, mas até onde eu sei, ainda não vi crianças “acontecendo” na vida de alguém. A pessoa teve, na média, uns 8 ou 9 meses para rever suas prioridades e se ajustar a nova realidade!

    Desculpe pela resposta extensa!

    Um abraço!

    • Guilherme 19 de maio de 2014 at 15:36 #

      Olá Investidor, inicialmente agradeço as gentis palavras!

      Além disso, PARABÉNS pela atitude de dar uma reviravolta em sua vida financeira! É isso aí, toda grande mudança começa com um primeiro passo, e escrever um blog é uma excelente maneira de registrar seu avanço e de se motivar para conseguir sair das dívidas.

      Li seus posts lá no Investidor Casado => http://investidorcasado.wordpress.com/ e te digo que você está indo muito bem, reconhecendo que errou, e que quer corrigir os erros. Vá em frente em conte com a gente!

      Sobre a questão da criação de filhos, faço minhas suas palavras: é tudo uma questão de mentalidade, controle e adaptação!

      E não se desculpe pela resposta extensa, pelo contrário, eu as aprecio demais! 🙂

      Abç!

  6. Aline Pereira 19 de maio de 2014 at 17:59 #

    Olá, Guilherme! Parabéns pelo post! Realmente, ações de empresas consolidadas estavam bem baratas neste período de baixa na Bolsa e nem todo mundo aproveitou! Comentando sobre as divulgações do Bradesco, foi feito um tira-dúvidas sobre Tesouro Direto no Facebook em janeiro deste ano: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=711224585577004&set=pb.170971049602363.-2207520000.1400532810.&type=3&theater

    • Guilherme 19 de maio de 2014 at 18:09 #

      Obrigado, Aline!

      Legal essa iniciativa do chat!

      Abç!

  7. Arthur - RJ / Santa Cruz 20 de maio de 2014 at 15:32 #

    Ótimo texto Guilherme, gostei muito do exemplo dessas 3 famílias (e de seus blogs) que eu não conhecia.
    Foi muito legal da sua parte, ter usado meu comentário pra fechar esse post, vlw!!!
    Abs

  8. Rosana 21 de maio de 2014 at 7:43 #

    Guilherme,

    Eu fiquei surpresa com essa propaganda do Bradesco em relação ao Tesouro Direto, mas como você disse, a taxa de 0,50 é onde eles vão ganhar de qualquer forma. Hoje em dia as informações sobre investimentos são muito maiores e os bancos sabem que o cliente vai procurar o melhor investimento independentemente do banco. Então, em vez de perder o cliente, usaram a estratégia de mantê-lo investindo no TD através do banco. Até que esses próprios clientes vejam no site do próprio TD que as taxas cobradas por outras corretoras são bem mais atrativas…

    Abraços!

    • Guilherme 21 de maio de 2014 at 21:13 #

      Oi Rosana, você tem toda a razão, essa é uma estratégia para conservar clientes operando por meio do banco.

      Hoje em dia, com tanta informação disponível na Internet, só paga caro quem realmente quiser ou tiver preguiça de ir atrás de investimentos mais baratos!

      Abç

  9. Rosana 11 de dezembro de 2014 at 14:41 #

    Guilherme,

    Recentemente vi que no próprio site da Octo (Rico) é possível comprar títulos do TD.
    Eu gostei, ficou bem mais prático e rápido dessa forma.
    Assim como no site do TD, a lista com os títulos, valores, rentabilidade e o valor da compra também são disponibilizados de forma clara e bem simples. Além disso, informam também qual é o mínimo que se pode comprar de cada título.

    Abraços,
    Rosana

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes