Como eu consegui a isenção completa da anuidade de cartão de crédito mais cara do Brasil (R$ 1.200,00)

Um dos posts mais populares do blog é aquele em que abordo 7 estratégias para não pagar anuidade do cartão de crédito, o qual, passados mais de dois anos de sua publicação original, continua rendendo ótimos debates e dicas valiosíssimas na caixa de comentários, com centenas de leitores compartilhando suas dicas, estratégias, macetes, táticas e ideias para não pagar essa famigerada tarifa bancária.

Eu sigo fielmente as dicas que eu próprio coloquei no post, conforme escrevi no artigo intitulado Abatendo três anuidades de cartões de crédito. E embolsando R$ 928,98 a mais na carteira. \o/ (e mostrando que você pode fazer isso também).

O tempo passa, o tempo voa… e as anuidades dos cartões de crédito continuam subindo numa boa (e não, a poupança Bamerindus não continua numa boa, aliás, o banco nem existe mais. Será que alguém aqui é desse tempo? rsrsrs).

Dentre os cartões de crédito comercializados no Brasil, aquele que apresenta a anuidade mais cara é o cartão The Platinum Card, da American Express: nada módicos R$ 1.200,00. Sim, um cartão de crédito com anuidade de 4 dígitos.

No entanto, com técnicas precisas de negociação, somadas a uma estratégia inteligente de argumentação, pitadas de paciência e o uso de “cartas na manga”, é possível reduzir essa anuidade a zero. Foi o que aconteceu comigo. E vou explicar de modo que você também possa fazê-lo também. 🙂

Regra #1: ter paciência.

Quando chegou a cobrança da primeira parcela de nada módicos R$ 400,00, a primeira coisa que fiz foi ligar na central de atendimento do cartão, solicitando a negociação da anuidade do cartão de crédito.

A atendente, muito educada, por sinal, seguiu aquele script básico que todo atendente de operadora de cartão realiza: ficou falando dos benefícios do cartão patati patatá…

Eu, também educadamente, esperei a atendente terminar de ler o tal “roteiro”, e pedi para ver o que ela poderia fazer por mim naquele momento.

Ela, também seguindo o “script” básico – ato número 2 – deixou o telefone em modo “mudo”, dizendo que ia verificar no sistema (todos os atendentes fazem isso, apostando que você ficará cansado com a espera). Depois de alguns segundos, a notícia: substituição de 3 parcelas de R$ 400 por 3 parcelas de R$ 320. E isso era o máximo que ela poderia realizar.

Obviamente que eu não aceitei, desliguei e fui telefonar no outro dia, num turno diferente (tarde ou noite), para não correr o risco de ser atendido pela mesma atendente, ou o mesmo grupo de atendentes que seguem a mesma orientação (cuidado para, caso a negociação não dê certo no primeiro dia, variar de turno nos dias seguintes, pois o atendente que te atende às 7 da manhã de uma terça-feira dificilmente será o mesmo que te atenderá às 8 da noite de um sábado).

Regra #2: não se afobar.

Quando você está envolvido numa negociação de anuidade de cartão de crédito, tenha em mente sempre essa regra: o ônus do tempo deve recair sobre a contraparte da negociação. Ou seja, no atendente. Como assim?

Ora, muito simples: uma das métricas de avaliação dos operadores de call center reside na quantidade de clientes que eles mantém contato. Quanto mais clientes eles conseguem manter contato, maiores, em tese, serão as chances de fechar um negócio/solucionar um problema com o consumidor. Portanto, tempo demais gasto com um único cliente significa chances potenciais de ter menos negócios fechados no dia, ficando o operador em desvantagem com seus pares.

Bom, esse tipo de avaliação não funciona evidentemente em todos os tipos de call center, e não sei realmente se isso que estou dizendo tem alguma aplicabilidade prática no caso de call centers de cartão de crédito.

Independentemente de tudo isso, o que eu quero dizer aqui é o seguinte: transfira o ônus do tempo da negociação para o operador do call center, e não para você. E uma das maneiras de se fazer isso é justamente não aceitar a primeira oferta que lhe fizerem sobre negociação. A pressão de fechar o negócio é do atendente, e não a sua. Você tem todo o tempo do mundo para buscar uma oferta melhor, afinal, é o seu dinheiro que está em jogo.

Foi isso que aconteceu comigo.

Na segunda ligação (a definitiva), fizeram a proposta de me isentarem da primeira parcela de R$ 320. Não aceitei.

Falei que estava pagando todas as faturas sem atraso, e antes da data de vencimento.

A atendente me disse, então, novamente, os benefícios do cartão etc. etc. etc., ao que eu respondi com uma “open question” (pergunta aberta):

– Mas essa é a melhor proposta que vocês podem fazer?

As perguntas abertas são ótimas em rodadas de negociação exatamente pelo fato de não induzirem a formulação de respostas “fechadas”, do tipo “sim” ou “não”. Elas admitem uma melhor forma de negociar o objeto da demanda, ao permitir múltiplas soluções para um mesmo tipo de problema.

Também permitem, dependendo do call center, o contato do operador com seu supervisor, que têm mais autonomia para conceder descontos/isenções.

Regra #3: lembre-se da “concorrência”.

A essa altura da negociação, a atendente já estava ficando um pouco cansada com tudo o que eu estava falando, rebatendo ponto por ponto os argumentos utilizados por ela, de modo pausado e articulado, sem afobação, sem pressa, e sem exercer pressão no atendente no sentido de “se não isentar vou cancelar”. Não, eu queria continuar com o cartão, mas desde que os termos da negociação da anuidade estivessem condizentes com meus interesses.

Ao dizer, a atendente, dos benefícios do cartão, eu rebati afirmando que, ao usar o cartão deles, eu estava abdicando de usar cartões da concorrência, dizendo que, em determinado período do ano (começo do ano, salvo engano), eu tinha usado mais um cartão de um banco concorrente, o que poderia ser facilmente averiguado por ela, se ela, olhando na tela do monitor, percebesse que, de fato, houve “desníveis do padrão de uso” do cartão de crédito no começo do ano, ou seja, tinha usado menos o cartão no começo do ano, em relação aos meses imediatamente antecedentes, o que era um forte indício de que aquilo que eu estava falando tinha base empírica (e de fato tinha).

Foi feita então uma nova proposta: isenção de duas parcelas de R$ 320, com a cobrança somente da primeira parcela.

Eu poderia ter parado por aqui.

Poderia. 🙂

Mas eu insisti dizendo que a cobrança da anuidade do cartão, ainda que de forma reduzida, implicaria no redirecionamento da minha preferência para utilização de cartões de crédito de bancos concorrentes, os quais ofereciam isenção de anuidade em função de serem produtos vinculados à conta-corrente ou a certo volume de gastos.

A cobrança da anuidade implicaria, assim, na menor utilização da bandeira Amex, o que teria, por consequência, o abandono gradual desse cartão, inclusive dos adicionais.

Então a atendente me ofereceu a proposta derradeira: isenção de duas parcelas de R$ 320, e troca da última parcela por uma dedução de pontos da minha conta no programa de fidelidade do cartão (Membership Rewards), que era algo entre 3 mil a 5 mil pontos, não me lembro direito (era um valor “quebrado”, do tipo 2820 ou algo assim, não sei como eles chegam a esse valor, se isso é resultado do cálculo do sistema, ou se fica ao encargo da discricionariedade do operador).

Aceitei a proposta, mas reafirmei, novamente, os termos da negociação, para que não ficasse dúvidas, e a negociação foi concluída com sucesso.

Amex The Platinum Card Isenção Completa

Poderia eu ter avançado na negociação, tentando obter a isenção completa dos R$ 1.200 de anuidade sem o uso de pontos?

Provavelmente não. Isso porque o meu volume de gastos mensais médios no cartão, nos últimos 6 meses anteriores à cobrança da anuidade, eram bastante baixos (chegando, em alguns meses, a serem inferiores até mesmo ao valor da própria anuidade cheia!), de modo que, do jeito que a negociação se encaminhou, a troca dos pontos pelos R$ 320 acabou compensando muito mais.

Conclusão

Só paga anuidade de cartão de crédito quem realmente quiser. As anuidades dos cartões estão cada vez mais salgadas, e nem todos os atendentes têm a mesma disposição para atender bem os clientes, e nem todos os bancos têm a mesma flexibilidade.

Por isso, é preciso muita paciência, estratégia para transferir o ônus do tempo para o call center, poder argumentativo para rebater os argumentos dos “benefícios”, e “cartas na manga” (uso e conhecimento de cartões de bancos concorrentes, desníveis no padrão de gastos no histórico de consumo, pagamentos integrais e antecipados das faturas, volume de gastos onde isso for importante etc.) para conseguir sucesso na negociação.

Enfim, eu só sei que embolsei R$ 1.200 em poucos minutos, graças a uma atuação proativa na negociação da anuidade, dinheiro esse que, certamente, terá mais serventia em outras finalidades mais úteis e importantes.

E você? Também tem conseguido sucesso na isenção da anuidade de seu cartão de crédito? Conte para nós sua experiência!

Print Friendly, PDF & Email

, ,

138 Responses to Como eu consegui a isenção completa da anuidade de cartão de crédito mais cara do Brasil (R$ 1.200,00)

  1. Anderson 4 de novembro de 2013 at 12:49 #

    Eu tb tenho um TPC e consegui essa mesma condição. Não foi preciso negociar muito, eles já deram essa opção direto. Faço isso há alguns anos.

    • Guilherme 5 de novembro de 2013 at 20:16 #

      Ótimo depoimento, Anderson! O negócio é sempre ser proativo quando o assunto é anuidade.

      Abç!

  2. Wilian Delatorre 4 de novembro de 2013 at 14:53 #

    Sensacional! Parabéns!
    Tb possuo esse cartão e já apareceu na fatura a primeira parcela de R$ 400,00. Amanhã vou a luta da isenção. Abraços!

    • Guilherme 5 de novembro de 2013 at 20:17 #

      Obrigado, Wilian!

      Boa sorte – ou melhor, bom trabalho! – no seu processo de negociação!

      Abç!

    • Luciano 5 de junho de 2015 at 12:53 #

      Conseguiu?

  3. Priscilla 4 de novembro de 2013 at 15:10 #

    Consigo quase todos os anos, uso como argumento a média de consumo, o pagamento em dia e os anos de fidelidade. O atendente vem com papo de compensar pelos pontos de fidelidade, mas eu digo que não concordo e peço para não pagar a anuidade, chego a dizer com todas as palavras: “Eu não quero pagar a anuidade!”.

    • Guilherme 5 de novembro de 2013 at 20:18 #

      Parabéns pela excelente estratégia, Priscilla!

      O argumento da média de consumo é um poderoso aliado na hora da negociação, afinal, você dá preferência pela bandeira do cartão, em detrimento de outras bandeiras.

      Abç!

  4. Alvaro Fonseca 4 de novembro de 2013 at 15:56 #

    Pois é….Quando eu li aqui no Blog, sobre a Conta Eletrônica com Pacote Digital, eu fui até conseguir êxito. Mas como sabemos, o Cartão Visa e Mastercard do Banco do Brasil são Cartão de Crédito e Cartão de Débito. E como Cartão de Crédito, eles querem cobrar anuidade também. Sempre que eles queriam cobrar a anuidade, eu ligava, falava, falava, até fazer com que eles me incluíssem em uma promoção, etc.

    Na última vez, como não quiseram me incluir em alguma promoção, então pedi pra minha gerente cancelar a Função Crédito e por assim, eles me devolveriam o que seria a primeira parcela da anuidade, já que a cobrança seria para o uso futuro e não do uso passado. Bom, para não ficar sem o Cartão, fiz a adesão ao Cartão de Crédito da Saraiva, que tem as mesmas Bandeiras ( Visa e Mastercard ) e com anuidade zero, expressa em Contrato e indefinidamente. Acessei à home a Saraiva, preenchi a proposta e no dia seguinte estava aprovada. O curioso, é que quem
    aprova é o próprio Banco do Brasil. Aliás, dai em diante, qualquer relacionamento que tenha a respeito do Cartão é feito somente com o próprio banco, e nada de se dirigir à Saraiva. Até o envio é feito pelo Banco.

    Vejo a fatura do mesmo jeito que veria no cartão do próprio banco, tudo igual, inclusive ele é um Cartão Internacional, e até a Cor é mesma, só o logo impresso ( um livro ) é que é
    diferente . Ou seja, tenho um Cartão 100% sem anuidade e sem nenhum custo, do mesmo jeito que tenho a Conta Eletrônica. Em tempo: no BB, os limites de saques ( que seriam 4 por mês ) não estão me cobrando.

    É isso ai Guilherme !!! Parabéns mais uma vez por ótima matéria !

    • Rosana 5 de novembro de 2013 at 14:58 #

      Álvaro

      Faz tempo que você tem esse cartão Saraiva?
      Nunca cobraram nada, absolutamente nada?
      Você tem que comprar um limite mensal para não haver cobranças? Ou não?

      Agradeço desde já por suas respostas! 🙂

      • LENIO 5 de novembro de 2013 at 20:07 #

        Rosana, eu possuo o cartão saraiva visa, bem como o petrobrás visa, e prefiro este último pois ele tem um sistema de cash back dos valores gastos. Ambos podem ser solicitados ao acessar o internet banking do
        Banco do Brasil. A vantagem do cartão saraiva são os descontos em livros e outros ítens do site. Ambos são gratuitos.

        • Rosana 7 de novembro de 2013 at 7:27 #

          Lenio,
          Agradeço por sua resposta, me ajudou bastante! 🙂
          Eu gostei do que disse sobre o Saraiva, por ter descontos em livros, vou pesquisar mais sobre ele.
          Abraços,

      • Alvaro Fonseca 7 de novembro de 2013 at 11:56 #

        Rosana,
        Tenho o Cartão Saraiva desde março deste ano. Eles não cobram nada,
        e está escrito no Regulamento, ou seja, não vem nada de taxa que você
        não tenha concordado. No final do Termo, eles até te oferecem uma
        espécie de seguro contra Compras não reconhecidas por você, e acho
        que seria algo em torno de R$ 3,00 , mas se você não quiser não é
        obrigatório, basta não aceitar. De resto, nada pode ser cobrado, nada
        mesmo ! Veja o link abaixo, o Cartão está está em destaque !
        http://www.livrariasaraiva.com.br/cartao-saraiva/

    • Guilherme 5 de novembro de 2013 at 20:29 #

      Olá Álvaro, brilhante a sua estratégia para driblar as famigeradas tarifas!

      Parabéns e grato pelas palavras!

      Abç!

  5. Paulo 4 de novembro de 2013 at 16:26 #

    Ótimo Post, mas o TPC só é para convidados, correto? rs…
    Eu só fiquei com uma dúvida, vc esperou dar 1 ano para pedir a isenção, certo? Na primeira anuidade, pagou?

    • Guilherme 5 de novembro de 2013 at 20:39 #

      Paulo, na verdade, não….rs…..isso é que está escrito na página do cartão, mas é possível obtê-lo de várias formas. Aqui vão duas:

      – Via gerente de conta Bradesco;
      – Solicitando um cartão Amex Gold e, depois de algum tempo, solicitar o upgrade para o TPC.

      Sobre a segunda pergunta, sim, esperei um ano para a isenção. Na primeira anuidade, obtive um bonificação de pontos e um desconto na anuidade, e tive a opção de trocar a anuidade por pontos, mas preferi ficar com a bonificação.

      Abç!

      • Alexandre 6 de novembro de 2013 at 10:48 #

        Guilherme, bom dia!
        O seu TPC foi obtido por upgrade do Gold ou diretamente pela agência do Bradesco?
        No caso de ser diretamente pelo banco, sem possuir cartão anterior, acho ser mais difícil conseguir isenção, ainda que parcial, na primeira anuidade, correto?
        Estou neste dilema…acabei de receber o AMEX Gold pedido pela internet, com isenção da 1ª anuidade, mas meu objetivo é o TPC.
        Minha gerente do Bradesco disse que ela pode pedir o TPC pela agência, mas com anuidade diferenciada (R$ 820,00).
        Não queria ter que usar o gold 1 ano para receber o upgrade, pois ele paga “somente” 1,5 ponto e o cartão que atualmente uso paga 2,2 (Black da CAIXA), mas também não queria pagar R$ 820 para ter o TPC no primeiro ano!

        • Guilherme 6 de novembro de 2013 at 20:10 #

          Oi Alexandre, boa noite!

          Meu TPC foi obtido por meio de agência.

          Sobre a questão da anuidade, sim, é mais difícil obter a isenção se for pedido diretamente pelo banco. No caso de upgrade do Gold, os analistas do call center têm acesso ao seu histórico de gastos, e podem conceder eventualmente descontos ou isenções da anuidade.

          Se o seu interesse principal for a pontuação melhorada do TPC, creio que vale a pena solicitar diretamente o TPC. Isso porque geralmente há uma bonificação inicial de pontos (20 ou 25 mil pontos), que pode ser utilizada pela isenção ou abatimento parcial da anuidade, se você informar ao atendente do call center que é correntista do banco!

          Boa sorte!

  6. Alberto 4 de novembro de 2013 at 22:04 #

    Eu já tive esse cartão no passado quando era mais novo e sempre paguei anuidade. Vou confessar aqui: Naquela época tinha esse cartão apenas como símbolo de status. Até porque as outras bandeiras sempre foram mais funcionais do que ele.

    Até que um dia quando estava fazendo um pagamento um chefe meu olhou meu cartão e me perguntou quanto eu pagava de anuidade por ele. Quando eu falei o valor ele me disse: “sabe o que eu penso sobre isso: as pessoas que tem menos poder aquisitivo são as que mais pagam anuidade cartões. Eu não pago um centavo de anuidade”. Acho que para todos ficou implícito o que eles quis dizer.

    Aquilo me revoltou de tal forma que voltei para o escritório e imediatamente liguei para a administradora para cancelar o meu cartão. Quando a atendente quis saber os motivos e eu falei da anuidade exorbitante que eles cobravam, ela disse “se esse é o problema podemos cancelar a cobrança do senhor este ano”. Fiquei mais revoltado ainda, por ter pago pela anuidade por vários anos seguidos e cancelei o cartão definitivamente (não sem antes ter sido exaustivamente tentando a mudar de ideia por eles).

    Desde esse dia, prometi a mim mesmo que NUNCA mais pagaria anuidade de cartão de crédito.

    Fui ao meu banco e falei com o meu gerente sobre quais seriam as minhas opções de um cartão totalmente isento de anuidade (a única exigência é que ele fosse internacional). Desde então tenho meu cartão atrelado ao meu banco e com direito a duas bandeiras diferentes com vencimentos a cada 15 dias.

    Se pararmos para pensar, é o suficiente.

    Tempo atrás, numa melhor condição financeira, o banco me ofereceu uma opção de “upgrade” para um cartão de credito TOP com um melhor programa de benéficos. Desta vez eu fiz o meu jogo: a minha condição para aceitá-lo era que ele fosse isento de anuidade. Estou com o cartão há 4 anos.

    Só neste ano que veio a cobrança de anuidade na fatura e um gerente novo do banco demorou para isentar a anuidade. Quando eu pedi o cancelamento do cartão se eu não fosse isento, ele rapidamente isentou a mesma.

    O que temos que entender, principalmente em cartões de crédito, é que eles têm que trabalhar para nos ter e não nós pagarmos para tê-los.

    E minha sugestão: vá preparado para guerra nem que você tenha que cancelá-lo.

    • Guilherme 5 de novembro de 2013 at 20:40 #

      Excelente depoimento, Alberto.

      Gostei particularmente da última frase: “vá preparado para guerra nem que você tenha que cancelá-lo.”

      Abç!

    • Leonardo 9 de novembro de 2013 at 22:29 #

      Massa, Alberto! Vou usar essa dica do seu chefe pra convencer outras pessoas. =)

      Chegou a agradecer a ele?

    • Maurício 30 de março de 2017 at 0:44 #

      Excelente, Alberto.

  7. Vania Lacerda 4 de novembro de 2013 at 23:10 #

    Otimas dicas, Guilherme!

  8. Rony melo 5 de novembro de 2013 at 10:21 #

    Eu uso muito a tática da pergunta aberta e ela é sempre igual a sua pergunta. Fiz isso com o Itaú a dois anos, e no ano passado não consegui e o que queria…O que eu fiz, mudei pra concorrência, onde não tenho anuidade nenhuma( Santander), finalizando uma relacionamento de 10 anos com o Itaú.

    Cerca de 3 meses atrás, perdi um ótimo negócio com a Sky por afobação, falei pelo chat que desejava mudar o valor do meu pacote, e a atendente simplesmente me ofereceu um pacote maior e mais caro. Dai falei da concorrência, e perguntei se aquela era a maior proposta… Tal foi a minha surpresa com a resposta da atendente ” a Sky não negocia com clientes”, perguntei se ela tinha certeza do que falava, ela reafirmou, de imediato solicitei o cancelamento de minha assinatura e fechei com a claro. Dois dias depois liga a central de relacionamento me oferecendo 3 meses de um pacote superior ao meu, por um décimo do pacote atual e o restante por 1/3. Dai eu relatei o que a outra atendente falou e que já tinha fechado com a concorrência. Fiquei muito puto comigo mesmo por causa de minha afobação….

    • Alberto 5 de novembro de 2013 at 14:35 #

      Rony, há alguns anos aconteceu exatamente isso comigo quando fiz a portabilidade da Tim para a Vivo. Alguns dias depois a Tim ligou querendo que eu desistisse da portabilidade, com uma proposta bem melhor do que da Vivo. Só que eu não voltei. Posso ter jogado dinheiro fora, mas a Vivo, quando optei pela portabilidade, tinha uma proposta melhor que a Tim havia me oferecido, sem levar em conta que o que me deixava mais incomodado com a Tim era o atendimento ao cliente.
      Na Tim, no primeiro momento, quando eu falei que iria para a Vivo se eles não melhorassem a proposta, eles foram prepotentes, tal qual a Sky me parece ter sido com você.
      Pode ser afobação, mas não podemos deixar um atendente falar o que bem entender pra gente. Estamos pagando (e muito) por um serviço, as vezes, mal feito.
      Por que depois o ‘backoffice’ deles tinha uma proposta melhor? Claro, eles sabem quanto custa perder um cliente insatisfeito.
      Talvez se tivéssemos um pouco mais de paciência e voltado a negociar no dia seguinte poderíamos ter chegado uma proposta interessante em ambos o casos, mas talvez não.
      Por vezes, eu acho que esse atendimento ‘porco’ no primeiro momento, é para ser assim mesmo, pois é muito conveniente para eles.

      • Guilherme 5 de novembro de 2013 at 20:44 #

        Interessante depoimentos, Rony e Alberto.

        Eu chego à conclusão de que, no Brasil, infelizmente, os operadores de call center são, em geral, muito mal treinados. Se as empresas investissem melhor no treinamento deles, e sobretudo na área de retenção de clientes, certamente teriam uma melhor taxa de manutenção de consumidores, principalmente dos mais antigos, que geram maior valor agregado.

        Abç!

        • Rosana 7 de novembro de 2013 at 7:31 #

          Muitas vezes é desanimador ter que ligar para um call center. Além da demora no atendimento,muitas vezes acontece um jogo de empurra-empurra. Isso quando a ligação não cai…

          Parabéns, Guilherme por ter conseguido isenção na anuidade desse cartão! 🙂
          Gostei da suas dicas, principalmente a de não ter pressa, que é o oposto do que o atendente espera, já que são cobrados pela quantidade de clientes que atendem.

          Abraços,

          • Guilherme 7 de novembro de 2013 at 21:13 #

            Exato, Rosana, ligar para o call center é um verdadeiro exercício de paciência, além de loteria, pois em muitos casos você pode topar ora com um atendente que não quer saber de nada, ora com um atendente realmente preocupado em oferecer um serviço de qualidade.

            Obrigado!

            Abç!

  9. Alberto 6 de novembro de 2013 at 14:22 #

    Guilherme, só para ilustrar um pouco o que é um cartão de crédito e seus benefícios, veja o texto do publicitário Alex Periscinoto, sobre o maior benefício dos cartões atualmente, que seriam os programas de acumulação de pontos para viagens aéreas. No fim, eu me pergunto, compensa gastar um fortuna com anuidade de cartão para um programa desses?

    “VOAR COM MILHAGEM? ISSO QUE É MIRAGEM.

    Somar milhagens pra conseguir uma passagem aérea “de grátis” parece um trabalho do deus grego chamado Sísifo, devidamente atualizado pros dias de hoje. Como todo mundo sabe, esse cara teve o atrevimento aplicar um estelionato em cima de Zeus, o cartola-mor dos deuses pagãos. Foi flagrado e condenado a empurrar eternamente uma imensa pedra de mármore até o topo da montanha e jogar pra baixo, recomeçando tudo de novo, sempre e sempre. Dureza, né? Mas não pense que isso é historinha imaginária sem proveito. Dá pra pegar uma carona associando o conceito dela com os programas de milhagem das empresas aéreas de hoje. Seja prático: pegue suas milhas duramente acumuladas e tente sacar em troca de um bilhete grátis pra suas férias do próximo mês. Você vai descobrir que é um Sísifo do século 21 – sem a malandragem, claro.

    Sai Tahiti, entra Haiti.

    Pensando bem, acho até que você está numa posição pior do que o Sísifo porque bem ou mal o deus grego conseguia carregar a pedra até o topo da montanha. Mas suas milhas, não. Quando você pensa que chegou ou está chegando no topo, pimba. Os programas mudam as milhagens. É como se a geografia do planeta estivesse em permanente mutação com os territórios saindo de lugar todo dia, de um jeito que só as empresas aéreas detectam: os países só se afastam, nunca se aproximam. Vai daí, suas milhas nunca chegam em lugar nenhum, seja pelas distâncias artificialmente esticadas, seja pela quantidade irrisória de assentos reservados pra esse programa. Por isso, a milhagem que ontem daria pra você ir até o Tahiti hoje só dá pro Haiti. Nomes parecidos mas os lugares, digamos, são meio que diferentes, né?

    Radicalizar pra dar credibilidade.

    Mas não pense que os programas de milhagem estão desacreditados só aqui como ferramenta de marketing e fidelização de clientes. Também lá fora essa isca já deixou de seduzir a freguesia. E caso se queira recuperar sua credibilidade remagnetizando sua força de atração, só radicalizando. Veja no anúncio o que fez o Barwa Bank, o mais jovem banco islâmico do Qatar: quem deixar o salário numa conta-corrente, ganha na hora nada menos do que 100 mil milhas na Qatar Airways, a empresa aérea eleita a número 1 no mundo pela altíssima qualidade de seus serviços. Isso sim é um sonho viável e desejável. E que só não seria realizado se algum tsunami afundasse ao mesmo tempo a África, Américas, Ásia e Europa. Nesse caso toda milhagem aérea seria zerada, tendo que recomeçar tudo com milhagem náutica. Tremenda praga de Sísifo, hein?”

    • Guilherme 6 de novembro de 2013 at 20:14 #

      Oi Alberto, ótimo esse artigo do Alex. Infelizmente, muitas pessoas caem na armadilha descrita pelo artigo, utilizando o cartão como um fim em si mesmo, quando na verdade é apenas um meio para obter outros fins.

      E isso traz à tona o velho problema do consumismo, ou seja, consumir mais apenas para poder acumular mais milhas.

      O problema da maioria das pessoas que entram nesse jogo é que elas veem apenas o processo de acumulação, e se esquecem completamente que as milhas devem ser gastas o mais rápido possível.

      Abç!

  10. Flavio 7 de novembro de 2013 at 14:15 #

    É mais ou menos por aí. Vejo muita gente comprando milhas ao usar a função de pagamento de contas do cartão de crédito. Eu não gosto disso. Pagam-se juros, IOF e taxas. Milha boa, para mim, é milha gratuita. Tenho conseguido conseguido juntar milhas em um ritmo condizente com minha capacidade de usá-las. Já fiz 2 viagens ao exterior e emiti uns tantos trechos domésticos. Pagar para acumular mais do que isso seria exagero, creio.
    Só uma observação: Sísifo não jogava a pedra morro abaixo. Ela rolava sozinha. 😉

    • Guilherme 7 de novembro de 2013 at 21:20 #

      Concordo integralmente com você, Flavio, milha boa é milha gratuita.

      O que muitas pessoas não percebem é que é possível “carimbar” a viagem dos sonhos apenas com o uso corriqueiro do cartão de crédito, desde que se concentrem as compras num único cartão, que tenha um bom fator de conversão e esteja associado a bons programas de fidelidade. É o que penso que você tem feito nos últimos anos.

      O segredo aqui reside em buscar aquilo que é “suficiente” para emissão de trechos com milhas, e ter uma estratégia clara de uso dos pontos/milhas.

      Ademais, quem pensa em utilizar as milhas como conta de poupança de longo prazo, só tem levado paulada dos programas de fidelidade, haja vistas as maciças desvalorizações ocorridas nesse ano em diversos programas de recompensas do mundo inteiro, incluindo TAM (in)Fidelidade, Hilton Honors, Aeroplan, Delta SkyPesos, e, mais recentemente, United Mileage Plus.

      Abç!

  11. Henrique Carvalho 8 de novembro de 2013 at 1:19 #

    Fantástico artigo meu amigo!

    Todos que estudam finanças ou desejam melhorara sua vida financeira deveriam lê-lo.

    Obrigado por tomar o tempo e a vontade necessária para exemplificar de maneira simples e detalhada todo o processo para nós.

    Forte Abraço!

    • Guilherme 11 de novembro de 2013 at 17:43 #

      Obrigado pelas palavras, amigo!

      E a recíproca é integralmente verdadeira: conhecimento de alto nível técnico que melhora a vida financeira das pessoas tem endereço certo na Internet: http://www.hcinvestimentos.com

      Abç!

  12. camilo lopes 9 de novembro de 2013 at 21:43 #

    Muito bom o post, passei por isso semana passada, tinha um cartão com anuidade de 120,00 , imagine 1.200 eu surtava. Por isso que nunca desbloquei o cartão amex que eles mandavam ainda quando era permitido mandar cartao sem solicitar. mas, reclamei no twitter e ainda falei para um outro colega nao pegar o cartao deles, pois ele estava pensando em trocar, o pessoal do atendimento mandou uma mensagem privada no twitter e me deu 80% de desconto. Acho que poderia, ter insisto e quem sabe chegado a anuidade zero, mas nao fiz e aceitei os 80%, pq tb tinha o interesse no cartão.

    abracos, excelente post.

    • Guilherme 11 de novembro de 2013 at 17:44 #

      Valeu, Camilo!

      E muito interessante essa negociação dos 80%, usando as redes sociais!

      Abç

  13. Kleber Rebouças 14 de novembro de 2013 at 13:17 #

    Simplesmente tenho um cartão de anuidade zero! Assim não preciso ficar “mendigando desconto”.

    http://www.ricodinheiro.com.br

    • Guilherme 16 de novembro de 2013 at 18:23 #

      Essa é uma ótima maneira de poupar tempo!

      Abç!

  14. investir40 18 de novembro de 2013 at 20:04 #

    No meu caso foi mais fácil.

    Quando perguntei a atendente (SAC da CAIXA) qual seria a melhor proposta dela, ela respondeu:

    Sugiro ao sr que peça o cancelamento de seu cartão, assim o sr não gasta mais nada de anuidade.

    Diante de uma idéia tão motivada, aceitei de pronto e não pago mais nenhuma mensalidade, nunca mais.

    abraço

    I40

  15. Gouvea 20 de novembro de 2013 at 1:11 #

    Olá Guilherme, temos o Amex Gold. Entre ter o TPC e Gold, compensaria fazer o upgrade, teria diferenças significativas além da conversão de 1 dólar = 2 milhas ?

    O nível de dificuldade para negociação da anuidade é o mesmo sendo Gold ou TPC?

    Nem sabia que era possível pedir o TPC por upgrade, pois tentamos pedir o Infinity no BB e falaram que tem que ter 1 milhão no Banco ou ter uma movimentação mensal de 100 mil( falar a verdade nem lembro direito o valor certo rs).

    Obrigado pela dica.

    Abs.

    • Flavio 20 de novembro de 2013 at 10:56 #

      Gouvea, eu não tenho nem movimento tudo isso no BB (nem chego perto!) mas me ofereceram o Visa Infiniti e o Mastercard Black.

    • Guilherme 20 de novembro de 2013 at 18:22 #

      Olá Gouvea, a validade do upgrade para o TPC depende muito das suas necessidades de viagens.

      O TPC é um cartão que oferece benefícios interessantes, como acessos a algumas salas VIP, melhor pontuação etc. Contudo, esses mesmos benefícios têm o custo representado pela anuidade, que, apesar de ser negociável, demanda um gasto de tempo na negociação.

      Acredito que o nível de dificuldade da negociação de anuidade seja maior no TPC, tendo em vista o maior valor da anuidade.

      Sobre o pedido do Visa Infinite do BB, na verdade, essa informação que foi passada não está correta. O primeiro passo é buscar o enquadramento no segmento Estilo, e contar com um gerente de conta-corrente que seja flexível e atento às suas necessidades de cartão de crédito. Não é preciso essa movimentação mensal ou de investimentos, como o Flavio, aliás, afirmou.

      Abç!

      • Jose Luciano 25 de novembro de 2013 at 18:19 #

        Gouvea, eu fiz como o Flavio, tenho os Visa Infinite e o Mastercard Black sem anuidades mas tenho um bom relacionamento com o banco, mas te garanto que não movimento mais do que 10% do valor que você citou em conta corrente, mas tenho um bom relacionamento com o banco pois tenho conta conjunta com minha esposa e os 2 salarios caem na conta do BB todo mês, além se seguro residencial, de vida , aplicações mensais para meus 2 filhos ( valores baixos ) e uma aplicação em fundo DI na faixa de 30 mil reais. Sei que é um relacionamento bem rentável para o banco mas tb tenho isenção mensal das taxas e cartões tb.

  16. Fabrício Barboza 27 de novembro de 2013 at 13:20 #

    Tenho um TPC jogado na gaveta aqui, que foi me oferecido em um upgrade do Gold que tinha, mas nem cheguei a desbloqueá-lo por causa da anuidade.

    Qual o valor médio gasto no TPC para ter conseguido esta negociação?

    Abraços e muito obrigado.

    • Guilherme 27 de novembro de 2013 at 21:02 #

      Olá Fabrício!

      Na verdade, eu não sei o valor médio, uma vez que toda a negociação foi baseada em princípios, nos princípios enumerados no texto, sem fazer menção ao valor médio de utilização.

      O mais importante foi ter pago todas as faturas antes da data de vencimento, e utilizar as técnicas mencionadas acima.

      Abç!

      • Fabrício Barboza 29 de novembro de 2013 at 15:24 #

        Entendo, vou tentar mais pro meio de Dezembro ligar lá e argumentar. Vamos ver.

        Abraços e obrigado, Guilherme.

  17. Viviane 23 de janeiro de 2014 at 6:19 #

    Vi acima que vocês citaram que era possível conseguir o Platinum via upgrade do Gold.
    Mas, o Gold está acima do Platinum.
    O Platinum é para renda de R$6k e o Gold para renda de 8k.
    O upgrade é ao contrário.

    Sobre a solicitação do cartão, é possível fazê-lo totalmente online pelo site da Foregon.
    Existem outros sites que o fazem, mas esse é legal porque não cobra a primeira anuidade, e aí você pode ensaiar bastante para conseguir sua primeira isenção.

    Segue link do Foregon: http://www.foregon.com/buscador/solicitar-cartao-de-credito-american-express.aspx

    • Guilherme 23 de janeiro de 2014 at 22:37 #

      Oi Viviane, de fato o Gold Card é superior ao Platinum Credit, mas o Gold Card é um nível abaixo do Platinum Card, ao passo que o Platinum Credit está um nível acima do Gold Credit.

      As categorias dos cartões da Amex são um pouco confusas mesmo, mas é assim:

      – Cartões da linha Credit: Gold e Platinum;

      – Cartões da linha Card: Gold e Platinum.

      E legal essa dica do Foregon, eu não sabia.

      Abç

  18. Rafael 7 de março de 2014 at 20:33 #

    Trabalho em uma central de retenção de cartões de crédito. Garanto uma coisa, nessa central que trabalho o treinamento existe, é feito sempre. Toda central tem treinamento, pode faltar PA (ponto de atendimento) mas não falta treinamento, mesmo que seja algo chato e massante.

    O que falta é salário. É um salário mínimo + comissão por cartão retido – com os descontos o animo vai embora. É claro que eles dificultam o máximo que podem pra comissão ser baixa. Exemplo: Se o operador fala, uma vez na ligação “né”(é vicio de linguagem), ou então se ele esquecer de falar pro cliente que acabou de cancelar o cartão e que ele pode preencher uma nova proposta a qualquer momento ele perde pontos na monitoria, que por sua vez a nota dele cai e cada cartão retido vale menos. E sua lógica com relação ao tempo do atendente com cada cliente também está certa. Na central se chama TMA (Tempo Médio de Atendimento), que por sua vez se for muito acima da média, que é muito baixa pra uma negociação, é um peso pra baixar a nota dele…

    Como o salário é baixo a rotatividade é muito grande lá, não é dificil vc achar um novato que, por pressão do cliente, acabou cancelando o cartão dele sem querer quando na verdade era pra cancelar o adicional ou até mesmo era pra reter(ou confirmar negociação) e acabou apertando a opção de cancelar e pra reativar é em até 2 dias.

    Sem contar que o percentual máximo de desconto permitido ao operador aplicar pro cliente varia de cliente pra cliente. Não sabemos qual a matemática usada pelo sistema, mas uma coisa que deu pra perceber é que cliente que liga toda hora pra saber qualquer coisa tem o percentual menor, mas isso é uma teoria entre nós operadores rs. Ou então clientes com percentual muito alto nos anos anteriores..

    Nessa financeira não há mais isenção, com muita sorte você pode aparecer na tela do operador com 80% disponível, e acredite: O operador vai te atender com um sorriso na voz até, mas pode aparecer com 20% ou 10% ou 0%, acontece…

    Geralmente o operador fica 2h e 30 sentado atendendo uma ligação atrás da outra (literalmente, encerra uma e entra outra menos de 5 segundos depois, sem exageros…), esse é o intervalo entre uma pausa e outra (a primeira pausa tem DEZ minutos, a segunda pro lanche, VINTE), se o operador pedir pra vc esperar na linha e colocar no mudo, certamente é pq ele ta querendo que o tempo passe logo e atender menos significa aumentar o TMA; 6 ligações apenas de 10 minutos ja foi 1h rs. Não levem a mal o mudo, é usado também quando o sistema ta lento – o que nao é raro e é usado também pra colocar o papo em dia com o(a) colega do lado, o que ajuda a diminuir o stress do atendimento rs.

    Voltando pra anuidade, uma coisa que todos, absolutamente todos os clientes falam é sobre pagar sempre em dia (Quando o cliente fala isso, o operador se estiver estressado coloca no mudo e fala “Não faz mais que a obrigação!”, o que não deixa de ser verdade, convenhamos rs. E não ajuda muito na negociação pq entra em um ouvido e sai no outro, da mesma forma que o script do operador entra num ouvido e sai pelo outro do cliente)

    O que achei mais legal sobre a tecnica de negociação publicada é o fato de tentar no outro dia. Acredite, isso ajuda o operador pq se o percentual de rechamada é alto é mais um peso pra diminuir a comissão do operador (o lascado). Rechamada = chamada refeita pro call center a partir do mesmo cliente, não importando o motivo ou telefone usado).

    Outra coisa legal postada é ouvir o atendente, aquele script é chato, repetitivo pro atendente também q fica o dia todo falando a mesma coisa mas é necessário e acredite: Se ele não fala, leva um ZERO e perde a comissão toda rs.
    Imagina atender 400, 500, 600 clientes no mês e por causa de 1 vacilo perder tudo e ficar só com o salário… minimo. Depois não querem que o operador acabe sendo grosseiro. Não que o cliente tenha culpa, na verdade saem todos perdendo…

    A paciência também é legal e por vezes o jeito como o cliente fala também influencia o operador a dar o máximo de desconto que puder… Se o cliente entra na linha “cheio de marra” o operador vai cancelar o cartão sem pena (as vezes vira até questão de honra – não é incomum você ouvir na central operador dizendo com o mudo ativo “agora vc vai cancelar, seu filho da p…), isso se não começar a usar um tom debochado dando a entender que ele não ta nem aí pro cliente “Fica a seu critério, senhor” ou “como o senhor quiser…”, e ao final da ligação vai chamar o cliente de otário e começar a rir com o amigo do lado que vai chamar o cliente de babaca rs.

    Ser o cliente que responde tudo o que o operador diz pode ser uma boa mas também pode não ser, as vezes é bom fingir o interesse em um beneficio dito, pedir um pouco mais de informações mesmo que vc ja saiba tudo. Parecer o cliente mais legal do mundo. Automaticamente a ansiedade do operador vai embora e ele vai te ajudar pq vc foi bacana e a cliente ou o cliente da ligação anterior foi insuportável provavelmente.

    Pra finalizar, ja falei demais, supervisor não é tudo isso rs. O sistema é o mesmo, e se ali tiver 55% o máximo que ambos vai chegar é naquilo, mas tem cliente que gosta de ouvir o supervisor por imaginar que ele tem uma suposta autoridade…

    Gostei das dicas, é basicamente isso mesmo. Se os leitores seguirem tem grandes chances de dar certo. Se puder acrescentar, fica a dica de não ligar aos sábados, nem nos dias 24 e 31 de dezembro apesar da central funcionar o operador não quer estar lá, o numero de ligações é muito baixo, as vezes demora 20 min de uma ligação pra outra, o operador vai te dar o menor percentual possível, te deixar mais tempo no mudo só retrucando a sacanagem por ter ligado nesses dias… rs.

    • Guilherme 8 de março de 2014 at 18:12 #

      Rafael, excelente depoimento!

      Muito obrigado por compartilhar aqui as experiências reais de quem está “do outro lado da linha”.

      Suas dicas adicionais acerca de evitar as ligações aos sábados e no final do ano certamente serão de grande valia para todos nós!

      Abç!

      • Rosana 26 de março de 2014 at 12:55 #

        Eu também gostei muito do depoimento do Rafael.
        Talvez seja interessante um post sobre isso, sobre o outro lado da linha, usando o depoimento como base.
        Abraços!

        • Guilherme 27 de março de 2014 at 21:56 #

          Sim, Rosana, ótima ideia de sugestão!

          Abç!

      • Flavio 27 de março de 2014 at 13:43 #

        Muito interessante o depoimento do “outro lado”!

        Só fiquei curioso para saber por que eles penalizam o operador que fala “né” mas deixam quieto o que fala “vou estar cancelando”…

        • Guilherme 27 de março de 2014 at 21:57 #

          Também fiquei curioso quanto a esse aspecto, Flavio….

          • Rafael 13 de setembro de 2014 at 10:15 #

            São penalizados também. Essa forma de falar parece praga. Você entra lá e não fala dessa forma. Mas é só começar a atender que começa “Vou estar transferindo…”, “Vou estar cancelando…”. Eu não peguei essa mania e sempre dou esse toque nos novatos..

  19. Victor 22 de março de 2014 at 21:23 #

    Cara… embora você tenha economizado, nunca pense que levou algum tipo de vantagem em relação bancaria.
    Esses quase 3.000 pontos tem um custo. Tiveram para você que gastou para obtê-los, e custam para o banco como projeção de gasto futuro, quando você resolver utiliza-los. Provavelmente, a preço de custo pro banco, equivalem exatamente ao valor daquela ultima parcela da qual eles não quiserem te isentar, que por um acaso deve ser exatamente o custo administrativo de emissão do seu cartão.

    Mas ainda assim é um bom negócio. Parabéns.

  20. wigleder 11 de abril de 2014 at 10:59 #

    srsrsrrs tem paciencia mesmo, eu não teria paciencia tal, tenho o the platinum e pago uma anuidade pequena, geralmente aceito a primeira proposta, e rápido.

  21. Patrick Muniz 22 de abril de 2014 at 10:11 #

    Olá, bom dia ! Minha dúvida é se conseguiu essa isenção de forma definitiva ? Afinal o valor é bem alto para a Amex simplesmente abrir mão. O que eles querem é sempre o lucro cada vez maior.

    • Guilherme 22 de abril de 2014 at 10:22 #

      Bom dia!

      O valor da anuidade tem que ser negociado anualmente.

      Abç

  22. Patrick Muniz 23 de abril de 2014 at 18:18 #

    Obrigado Guilherme. Hoje possuo um Amex Blue (dá até vergonha de falar aqui. A galera só fala do Gold e TPC) e não tem anuidade. Tenho um Platinum Style do Santander tb que até o presente não pago tb. Tentar um upgrade pra ter dor de cabeça acho que seria um pouco desnecessário, mas confesso que gostaria de um Amex melhor ou um Dinners.

    • Guilherme 28 de abril de 2014 at 11:26 #

      Olá Patrick!

      A chave para escolher um cartão reside em suas necessidades. Se você pretender usar um cartão por alguns benefícios adicionais que poderá necessitar usar, como uma conversão melhor em milhas, talvez valha a pena um upgrade, desde que você aceite o ônus de pagar anuidade, nem que seja uma anuidade mais barata, pela via da negociação.

      Agora, se, para seu atual perfil de gastos, o Blue dá conta do recado, então mantenha essa dupla Blue + Style, já que você não paga nada para utilizá-los.

      Abç!

  23. Carol 24 de abril de 2014 at 12:27 #

    Excelente artigo! No entanto, achei controversa a dica de evitar ligar com frequência no call center e ao mesmo tempo ter a indicação de ligar no dia seguinte para concluir a negociação com melhores descontos. Não entendi… pode me explicar, por favor?

    • Guilherme 28 de abril de 2014 at 11:27 #

      Olá Carol, obrigado!

      A questão de ligar em outro dia se deve ao fato de que nem sempre o atendente que te ligar primeiro irá ter boa disposição em ser flexível na negociação. É isso!

      Abç!

  24. Rick S 27 de abril de 2014 at 1:02 #

    Não tenho paciência para submeter a tal negociação e concordo com alguem acima que considera meio humilhante ficar mendigando descontos. Tenho um platinum BB que pedi a um ano pensando nas milhas mas creio que não vale a pena. Paguei a primeira anuidade de 300 reais em 6x. Essa semana ligarei já pedindo o cacancelamento e se me oferecerem gratuidade ou ate mesmo um bom desconto, fico com ele. Caso contrario Cancelo sem do e peço o saraiva.

    • Guilherme 28 de abril de 2014 at 11:28 #

      Boa, Rick. Realmente, para seu perfil de uso, um cartão sem anuidade é a melhor opção!

      Abç

  25. Guilherme 14 de maio de 2014 at 18:46 #

    Olá, tenho um Cartão Gold Card que pedi faz 4 meses… será que depois de 1 ano gastando apenas em média 1.000 reais por mês eu consigo upgrade pro TPC ?

    • Guilherme 15 de maio de 2014 at 16:52 #

      Sim, é provável que consiga. Pague suas faturas do Gold em dia, e procure sempre concentrar suas compras nesse cartão!

  26. Henrique Cruz 11 de junho de 2014 at 22:19 #

    Boa Noite Guilherme.
    Parabéns pelo post.
    Desculpe a ignorância mas TPC significa The Platinum Card?
    Tenho cartão Gold do Santander sem anuidade porém estou tentando contratar o Platinum Santander devido seus beneficios. Não estou conseguindo desconto via Gerente e Call Center.
    Pelo seu “feeling” compensa assumir o risco de contratar o cartão e depois “chorar” um possivel desconto?

    Obrigado

    • Henrique Cruz 11 de junho de 2014 at 22:25 #

      Apenas mais uma informação.
      Atualmente o valor médio da anuidade dos cartões Platinum (Bancos Bradesco, Caixa e Santander) é R$300.

      Att

    • Guilherme 12 de junho de 2014 at 15:05 #

      Sim, Henrique, vale a pena tentar obter o desconto. Geralmente, a política de negociação de anuidade dos cartões do segmento Platinum costuma ser bastante flexível.

      Logo, vale a pena tentar obter um Platinum.

      Abç

  27. Alexandre 28 de junho de 2014 at 21:37 #

    Olá esse ano é meu terceiro com o TPC, confesso que estou ficando cansado de todo ano ligar pedindo desconto ou isenção.

    Pois bem esse ano, pedi o cancelamento do TPC e assunto encerrado.

    Hoje tenho um cartão MasterCard e Visa oferecidos gratuitamente junto a conta bancária e hoje fujo dessas negociações que acho cansativas diante de anuidades que convenhamos é absurda!

    Abraço

    • Guilherme 29 de junho de 2014 at 8:55 #

      Olá Alexandre, realmente essas negociações são bastante cansativas.

      Se você tem opção de cartões de crédito gratuitos e eles te atendem perfeitamente, não vale a pena continuar com essa canseira todo ano!

      Abç

  28. Vitor 2 de julho de 2014 at 13:22 #

    Boa tarde. Acabei de ligar pra a central de relacionamento do TPC e consegui apenas isenção se 2 parcelas de R$ 400,00 reais. Segui todo o script mencionado nesta matéria, mas infelizmente (felizmente) pagarei somente 1 parcela. Não consegui de jeito nenhum isenção total, nem sequer milhas no meu cartão. Creio que este método não funcione mais ou estava mesmo sem sorte.
    Pelo menos não irei desembolsar R$ 800,00 reais de anuidade.
    Abraços

    • Guilherme 5 de julho de 2014 at 8:49 #

      Olá Vitor, realmente a isenção total somente é possível abatendo a última parcela por uma quantidade “x” de pontos.

      Mas pelo menos, como você disse, economizará R$ 800!

      Abç

  29. Alexandre 2 de julho de 2014 at 23:13 #

    Olá, liguei hoje para negociar e foram irredutíveis mesmo eu gastando uma média de 2.000 mês, queriam me dar a isenção por 30.000 pontos que possuo no menbership, achei essa consignação pesada, abrir mão de meus pontos…

    Pedi para voltar para o The Gold Card, nesse a negociação é mais fácil e está adequado ao meu perfil.

    Acho que esse ano o Bradesco endureceu as regras pois em anos anteriores eu gastava menos,

    Abs.
    Alex

    • Guilherme 5 de julho de 2014 at 8:50 #

      Olá Alex,

      Pelo seu perfil de uso, sem dúvida a volta ao Gold Card é a melhor opção.

      E, sim, os bancos estão ficando mais difíceis quando se trata de conceder vantagens em seus respectivos programas de benefícios.

      Abç

  30. Moises 4 de julho de 2014 at 7:35 #

    Galera, só para compartilhar com vocês, acabei de negociar a anuidade do Amex The Platinum Card.

    Sou cliente desde 2012, e, nesse último ano, concentrei todos os gastos no cartão – numa média de R$ 12 mil mensais.

    Chorei até a última gota ameaçando cancelar o cartão de crédito caso eu não conseguisse a isenção, mas foi impossível.

    Me ofereceram inicialmente a opção de me isentar de 2 parcelas, ou 9.990 pontos no cartão, e, depois de tanta choradeira, acabei na última oferta, de 80% de desconto, ou seja, apenas R$ 240 de anuidade ou 6 mil pontos. Acabei optando por 6 mil pontos.

    Considerei justa a negociação em função dos benefícios do cartão e da média de gastos que concentro nele, apesar de sempre querer a isenção.

    E você, alguém já conseguiu a isenção completa da anuidade do TPC? Qual foi a média de gastos? Como fez para conseguir? Grato pela informações!

    • Guilherme 5 de julho de 2014 at 8:51 #

      Olá Moisés, que bom que conseguiu esse belo desconto!

      Abç

  31. Christiano 12 de setembro de 2014 at 14:36 #

    Olá Guilherme.
    Verifiquei somente agora o valor da anuidade no meu extrato. Minha fatura que vencia hoje incluia já a segunda parcela, o que já efetivamente paguei. Na minha tentativa de negociação, o atendente disse que essas duas já haviam sido pagas e não tinha como mexê-las. Ofereceu 1900 pontos pela terceira parcela. Minha pergunta é se pelo fato de já ter pago duas parcelas dificultará essa negociação. Grato.

    • Guilherme 12 de setembro de 2014 at 18:18 #

      Olá Christiano, de fato, o pagamento das duas primeiras parcelas significa, por parte do banco, que houve um reconhecimento implícito pelo cliente de que a anuidade é devida.

      Se você achar que vale a pena continuar com o cartão, veja a possibilidade de isenção pelo menos da última parcela, sem troca por pontos.

      Abç

  32. Anderson 16 de setembro de 2014 at 12:09 #

    Renegociei a anuidade semana passada, basicamente foram 80% de desconto na anuidade + uso de pontos nos outros 20%.

    Mas agora eu me lembrei de uma outra forma de amortizar o valor da anuidade.

    O Sem Parar (Via Fácil) possui uma mensalidade que pode ser isentada se o cliente tiver o cartão Amex Green. No entanto, esse benefício pode ser usado pra quem tem cartão Gold ou o TPC, basta ligar pro atendimento do Sem Parar que eles te dão o benefício igual a quem tem o Green…. vale a pena.

  33. Thalita 2 de outubro de 2014 at 12:02 #

    Acabei de negociar minha anuidade do cartao platinum amex que era de R$ 1.200,00 (3x 400,00) Acabei trocando por 9.900 pontos. Como tenho muitos pontos acumulados – pra mim foi a melhor opção.

    Primeiro liguei e a atendente nao quis fazer qualquer negociação. Falei q iria ligar novamente para cancelar.
    Liguei em outro dia – outro período com argumentos: sou cliente antigo, nunca paguei em atraso, tenho um gasto consideravel mensal. A primeira negociação é deixar por R$ 400,00 – depois forcei mais um pouco e veio a opção os pontos na negociação pela anuidade.
    Troquei por 9.900 pontos a minha anuidade de 1.200,00 Reais

    Como eu disse – eu tenho muitos pontos – e pra mim a melhor apção foi abater meus pontos a pagar 400,00 reais
    Negociação feita em Outubro de 2014

  34. Fernando 4 de outubro de 2014 at 16:29 #

    Liguei hj pela manhã para negociar a anuidade do meu platinum. Mesmo com meu gasto mensal em torno de 4mil/mês, me propuseram ou abater 30000 pontos ou isenção de uma parcela de 400. Desliguei e liguei agora a tarde, quando me propuseram 1 parcela de 400 reais ou 9900 pontos. Aceitei a primeira pois não quis me desfazer dos meus pontos.

  35. Celso 22 de novembro de 2014 at 12:25 #

    Hoje não há mais retenção de clientes, somos apenas mais 1. Os bancos não sabem mais o que fazer com tanto dinheiro em virtude dos lucros estratosféricos. Eu prefiro cancelar e mudar de banco quando dá. Quando não temos que aceitar esse roubo que é pagar anuidade… Ah que saudade do Bank Boston que não me cobrava nenhum pacote de serviços e o cheque especial era 3% ao mês.

  36. Thiago 3 de dezembro de 2014 at 11:45 #

    Obrigado pelos esclarecimentos. Liguei para a central do BB e consegui a isenção de anuidade do meu cartão de crédito.

  37. WILIAN 11 de dezembro de 2014 at 12:21 #

    Adorei a estratégia. Acabei de receber o Visa Platinum da CAIXA, porém a anuidade deles é um absurdo. Quero ficar com o cartão, porém, não admito pagar tamanho valor pela anuidade, que de nada é, dar dinheiro pra eles por nada. Não pelo serviço que o cartão oferece, até porque nem irei utilizar.
    Me deseje sorte na argumentação, e venho postar o resultado obtido.
    Parabéns pelo post, adorei e começarei a te seguir …

  38. Guilherme 30 de dezembro de 2014 at 18:35 #

    Chegou a hora da anuidade de meu Gold Card, liguei lá 2 vezes, nas duas vezes me ofereceram 10% … 10 míseros % de desconto, fiquei muito puto, meu presente de aniversário que é amanhã é (o AMEX) preferir perder o cliente a dar um desconto decente.
    Na segunda vez que liguei cancelei meu adicional, não vou pagar R$ 200,00 para anuidade de um cartão adicional nem sonhando, adicional nem devia ter anuidade.
    Como hoje é dia 30/12 vou esperar até dia 02/01 pra ver se no ano que vem melhoram isso, senão já era, vou cancelar. Não vou pagar R$ 400,00 de anuidade num cartão fraco de benefícios, já chega meu smiles platinum que custa isso, mas pelo menos lá me dão 2 pontos por dólar, nesse nem isso.

  39. Carlos Miranda 25 de janeiro de 2015 at 17:35 #

    Boa tarde meu caro, estou levantando uma bola aqui
    No tópico pra ver quem pode me ajudar a conseguir um
    TPC adicional no meu nome só que vc pode cancelar
    Antes de me dar ele. É somente para usar nas salas vips
    Nos aeroportos que costumo freqüentar. Estou
    Oferecendo pagar a anuidade de quem me ceder
    Enquanto tiver o cartao.
    Repito que não quero ele pra usar. Quero bloqueado
    Ou cancelado somente para apresentar na entrada
    Da sala vip. Conhece alguém que pode me ajudar?

    Grato pela atenção. Obrigado.

    • Guilherme 25 de janeiro de 2015 at 19:57 #

      Olá Carlos, se eu conhecer alguém que possa te ajudar, repassarei o email para você.

      Abç!

  40. ajudante 25 de janeiro de 2015 at 21:12 #

    Carlos não dá certo, sempre que vou entrar eles digitam o numero do cartão no sistema deles pra ver se está ok. No caso se o adicional for cancelado eles bloquearao a sua entrada.

    • Guilherme 26 de janeiro de 2015 at 8:44 #

      O negócio é sempre ter um cartão ativo então.

  41. Carlos Miranda 26 de janeiro de 2015 at 17:59 #

    Obrigado Guilherme, na entrada eles
    Digitam o número final somente
    Para controle de quantas pessoas
    Estão presentes na sala a nível
    De abastecimentos materiais. Não
    Posso pegar um Gold pois ando
    Sempre com assistente e teria que
    Pagar toda vez que entrar. O TPC
    Da direito a um acompanhante grátis.
    Agradeço a atenção. Se souberem de
    Alguém que possa me ajudar, agradeço.

  42. Alexandre 28 de janeiro de 2015 at 14:50 #

    Boa tarde, Guilherme

    Vi que seu texto data do final de 2013…
    E no ano de 2014, como foi sua negociação na renovação da anuidade do TPC?
    Conseguiu bons descontos?
    Obrigado!

    • Guilherme 29 de janeiro de 2015 at 13:43 #

      Olá Alexandre, boa tarde.

      Em 2014, consegui utilizar a mesma estratégia, mas o banco aumentou a quantidade de pontos exigidos.

      Em resumo: obtive isenção de duas parcelas de R$ 400, e a terceira eu utilizei 9.900 pontos.

      E você?

      Abç!

      • Alexandre 30 de janeiro de 2015 at 13:28 #

        A minha vence mês que vem, estou esperando aparecer na fatura para ligar lá e argumentar.
        Quando chegar o tempo, posto o resultado aqui!
        Obrigado.

        • Guilherme 30 de janeiro de 2015 at 15:07 #

          Valeu, Alexandre, poste sim!

          É bem possível você conseguir abater duas parcelas!

          Abç!

          • Alexandre 2 de fevereiro de 2015 at 8:32 #

            Estou somente com um receio…
            Recentemente o Bradesco mudou a sua política de isenção de anuidade dos cartões de crédito.
            Como é notório, o Bradesco sempre foi uma “mãe” para negociar anuidade (mesmo com gastos ínfimos no Mastercard Black e Visa Infinite, sempre obtive isenção sem muita negociação, era só pedir!).
            Recentemente li relatos na internet de que agora há uma tabela fixa para concessão de isenção: somente para gastos mensais superiores a 8.000,00!).
            Como o Bradesco administra os cartões AMEX, será que algo mudará? Veremos…
            Abraço!

            • Guilherme 2 de fevereiro de 2015 at 19:01 #

              Olá Alexandre, não sabia dessa novidade.

              O Bradesco, como sempre, piorando cada vez mais seu programa de cartões de crédito…

              Abç!

  43. Diego 29 de janeiro de 2015 at 11:50 #

    Gostaria de saber como posso solicitar em cartão desse sem comprovar renda pois só ganho 1,300 reais por mês isso será possivel???

    • Guilherme 29 de janeiro de 2015 at 13:44 #

      Infelizmente não, Diego.

      • Diego 30 de janeiro de 2015 at 7:34 #

        Guilherme, qual a renda que tenho que ter para ter um cartão desse?

        • Maruzi 30 de janeiro de 2015 at 9:24 #

          Diego, a pergunta não é como e sim pra que você quer esse cartão ? Se você mesmo informou que sua renda é de 1.300,00 por mês e não tem como comprovar, como vai fazer pra arcar com os custos de um cartão que SÓ a anuidade é 1.200,00 ???

  44. Marco 31 de janeiro de 2015 at 2:31 #

    Tenho dois cartões: um visa e um mastercard gold, ambos do Bradesco. Das duas vezes que liguei e falei que queria isenção de anuidade, não demorei nem 5 minitos pra conseguir. Tanto que achei bem estranho. (A isenção foi de 12 meses, e quando terminou o período, eu liguei e pedi de novo e foi ok) recentemente eles me enviaram um sms falando que eu poderia substituir os dois cartões por um “platinum”. Aceitei, mas se cobrarem anuidade de novo, eu ligo lá! Pois 4x 99 pra mim é muita grana, sendo que eu nem uso os tais benefícios que eles tanto argumentam. 😉

  45. Carlos 10 de fevereiro de 2015 at 22:59 #

    Guilherme,

    parabéns pelo post, e pelas dicas. Sempre fui contra pagar um centavo que fosse pela anuidade de cartões de crédito. Por isso, tive, entre 2008 e 2012, o American Express Gold Credit, que só cobraria algum tipo de taxa, segundo o contrato, se eu ficasse 3 meses sem realizar uma compra qualquer, não importando o valor da mesma. O fato é que, com a padronização das tarifas bancárias que o Bacen fez em 2012, a taxa de inatividade, como descrita no contrato de meu cartão, ficou proibida, e o Bradesco/American Express quis porque quis me cobrar um centavo que fosse (eram uns 30, 40 reais, na época). Não paguei, fui pra guerra, disposto a cancelar, fiz mais ou menos o mesmo que você faz, liguei várias vezes, em turnos alternados, chorei, apelei para a minha preferência pelo cartão deles, liguei diretamente no SAC Bradesco e… Cancelei. Não teve jeito. O chato é que gostava do Amex. Enfim.

    Daí por diante, concentrei meus únicos cartões de crédito (Visa e Diners) no Citibank, onde tenho minhas economias aplicadas, e tudo têm sido mais fácil. A anuidade é reduzida a uma fração da proposta inicial, ou acabo pagando com alguns milhares de pontos *opção que particularmente não me agrada).

    Mas o tempo, o tempo passa, o tempo voa, e cá estou eu, de novo, em 2015, com um American Express Gold Credit de novo! Por que? Por uma simples razão: o Amex, seja pré-pago (Global Travel Card), ou de crédito ou compras, é o único cartão verdadeiramente internacional que conheço. Todos eles, pelos menos os emitidos pelo Bradesco e os Global Travel Card são entendidos como cartões dos EUA, e sua identificação em cada país parece não existir.

    Já me alonguei demais. Se os desdobramentos e se as vantagens do que escrevi forem interessantes para você, continuamos esta conversa numa outra hora.

    Obrigado
    Abraços

    • Guilherme 11 de fevereiro de 2015 at 8:06 #

      Obrigado, Carlos, e excelente depoimento também!

      Temos que buscar sempre aquilo que é melhor para nós, considerando que os benefícios sempre superem os custos.

      Continuemos a conversa em outra boa hora, pois!

      Abç!

  46. Osorio 15 de abril de 2015 at 22:29 #

    Boa noite Guilherme. Liguei hoje para o AMEX PTC para negociar, com muita calma e tranquilidade, e munido das estratégias que você postou aqui, mais os conselhos que li nos comentários. No entanto a atendente, educadíssima como de costume, disse que o melhor que poderia fazer era 27mil pontos por 90% de desconto, sobrando 120 reais a serem pagos. Vou ligar novamente amanhã, mas preparado como disse um leitor acima, para cancelar o cartão se for preciso. Uma pena, pq realmente uso as vantagens deles, já tendo feito duas viagens com as promocoes do Travel Service. Será uma pena ter que cancelar, mas não posso usar esse “blefe” se não estiver de fato disposto a “pagar pra ver”. Abs!

    • Guilherme 19 de abril de 2015 at 10:19 #

      Olá Osório, tomara que você tenha conseguido uma promoção melhor.

      Abç!

  47. Silva 26 de abril de 2015 at 22:45 #

    Boa noite Guilherme! Tentei ontem a isenção do meu cartão Amex Gold Card e consegui isenção das duas parcelas de 3x R$ 133,00, mas no meio da negociação acabei solicitando o upgrade para o TPC e consegui, agora chegando o novo cartão vou ligar novamente para negociar a isenção ou pelo menos um desconto dos R $1200,00, tenho uns pontos também para usar na negociação. Tive interesse pelo TPC por causa conversão 2,2, tenho um Black Personnalité que é horrível a conversão, 2 pontos e que acaba sendo 1,6 com a perda da transferência para o programa de milhagem, exceto para a Azul.

    • Guilherme 27 de abril de 2015 at 20:19 #

      Boa noite, Silva!

      Sem dúvida, o TPC é bem melhor do que o Black do Itaú.

      A rigor, eu considero até o Gold Amex melhor do que qualquer cartão do Itaú, pelos exatos motivos que você disse, e mais: maior variedade de parceiros aéreos, pontos que não prescrevem, promoções frequentes de bônus de transferências, salas VIP e vários outros serviços.

      Abç!

      • Silva 27 de abril de 2015 at 22:23 #

        Obrigado Guilherme pelas dicas!

        Abraços!

  48. Luciano 5 de junho de 2015 at 13:58 #

    Parabéns pelas dicas! Tenho uma dúvida: é possível aceitar a primeira proposta logo de cara e, uma ou duas semanas depois, ligar novamente para solicitar uma nova proposta? Também é possível dizer tudo o que você mencionou no segundo dia, já no primeiro?

    Abraços!

    • Guilherme 5 de junho de 2015 at 22:44 #

      Obrigado Luciano!

      Quanto à sua dúvida, acredito que não, já que o sistema do banco já vai cadastrar o seu CPF na primeira proposta.

      Abç

  49. Ricardo Martins 10 de junho de 2015 at 13:23 #

    A American Express cobrou 9000 pontos do Membership Rewards em troca da anuidade. Na hora achei melhor do que pagar a anuidade ou cancelar o cartao. Mas depois pensei… Ganho 1,5 pontos pra cada USD gasto… Ou seja, essa anuidade saiu por USD 6000 em gastos de cartao. Depois fiquei com a impressao que devia ter trocado de cartao.

  50. Péricle Bambirra 4 de agosto de 2015 at 19:19 #

    Boa Noite. Acabo de negociar com a AMEX em relação a anuidade do cartão de credito. Eu possuo o AMEX GOLD CARD. Segui as instruções do site e deu certinho. Logo pela manha comecei as negociações. A primeira atendente não obtive sucesso. Ela falou que pelo tipo do cartão não teria como ficar isento. Falei para atendente, ou eu pago ou então cancelo? Ela respondeu que sim, seria dessa forma. Falei que iria pensar qualquer coisa retornaria. Meu objetivo não é cancelar, tentei novamente, coincidentemente reconheci a voz da atendente e o nome, logo desliguei. Na parte da Tarde tentei novamente, e já era outro atendente. Tive o azar na hora pois falaram que o setor de negociação estava fora do ar. Agora a noite liguei novamente e atendeu outra atendente, ela perguntou se eu tinha ligado mais vezes no dia, falei que sim e que pediram para ligar mais tarde pois o setor de negociação estava fora do ar. Passou poucos segundos e me transferiram para o setor e negociei. Eles me deram 50% de desconto da anuidade, e os outros 50% troquei pelos pontos. Foram 4 mil pontos. Pra mim ficou ótimo. Esse ano fico com o AMEX Gold, mas ano que vem já solicito o Platinum e vou fazer mesma estrategia. Tenho certeza que é sucesso, basta insistir. Abraços a todos.

    • Guilherme 8 de agosto de 2015 at 11:53 #

      Excelente depoimento, Péricle!

      Com insistência, é possível economizar muito dinheiro!

      Abç!

  51. William 13 de agosto de 2015 at 10:27 #

    Engraçado como esse negócio de anuidade depende muito da sorte de pegar um atendente decente.
    Liguei hoje na central da AMEX para solicitar a transferência da primeira parcela da anuidade para o próximo mês, pois eu recebi o cartão ONTEM e já tem cobrança de anuidade, mesmo com o cartão BLOQUEADO. O atendente não ofereceu qualquer opção além de pagar ou cancelar o cartão. Acho que liguei na central errada, porque o atendente simplesmente cagou e andou pro meu problema. Vejo as histórias aqui e percebo que quase na totalidade delas os atendentes tinham um cérebro e raciocinaram antes de cancelar.

    Eu não havia pedido para cancelar o cartão, pedi apenas para trocar a primeira cobrança, expliquei que tenho cartões de outras operadoras que apenas começaram a cobrar anuidade depois que desbloqueei e mesmo assim NADA. Cancelou meu cartão.

  52. Cleber 14 de agosto de 2015 at 16:51 #

    Também consegui 50% de desconto no Green seguindo mais ou menos os passos de argumentação descritos e conseguindo a mesma progressão (trocar as 3 parcelas por pontos; 1 parcela de desconto; 50% de desconto). Não sei se foi impressão minha, mas me parece que a palavra chave é “teto”. Quando eles falam que é o “teto” é que não adianta que não vai conseguir mais desconto que isso.

    O atendente, que foi muito educado, me falou que continuando a usar o Green, talvez no ano que vem eu consiga 2 parcelas de desconto, ou que talvez receba convite para migrar para o Gold (e meus gastos nem passam muito de 3 mil) pagando no primeiro ano a mesma anuidade do Green ou tendo até isenção no primeiro ano, e podendo negociar novamente a anuidade do Gold a partir do segundo ano. Talvez até mesmo ser convidado para o The Platinum. Mas este ano 50% era o “teto”. E eu não achei vantagem usar os pontos para trocar pelo restante da anuidade, embora pudesse.

    A título de curiosidade, que acho que muitos querem saber, ele deu a informação de que isenção completa de anuidade em uma negociação é dada a quem tem média de gastos nos últimos 12 meses de 15 mil reais, e que normalmente para esse nível o associado já teria o The Platinum.

    A ligação durou 31 minutos. É só ter paciência, ouvir, argumentar e negociar com educação.

    Obrigado pelas dicas Guilherme!

    • Guilherme 15 de agosto de 2015 at 11:33 #

      Ótimas dicas, Cleber, excelente negociação!

      A chave é a paciência, e a educação. Com persistência se consegue muito dinheiro através dos descontos.

      Abraços!

  53. Alex Peixoto 24 de agosto de 2015 at 21:27 #

    Adorei as dicas. Muito obrigado.
    E ainda consegui tirar várias dúvidas através das respostas dos comentário.
    Continue assim.
    Grande abraço

  54. Cleber 27 de setembro de 2015 at 17:52 #

    Faz 2 anos e pouco que possuo o AMEX Green com um adicional. Para o meu, consegui negociação na anuidade desta última vez, e para o adicional, a anuidade nunca foi cobrada. Fico pensando se eu pedir upgrade para o Gold, se corre o risco da anuidade do adicional começar a ser cobrada.

    E se eu acrescentar mais um adicional, se viria sem cobrança de anuidade também.

    Alguém tem alguma experiência parecida?

    Obrigado!

  55. Marcio 8 de dezembro de 2015 at 14:08 #

    Eu tinha um Mastercard Gold, e experimentei algumas dicas para tentar a isenção da anuidade, já tinha pago a primeira parcela.
    Liguei e falei que queria cancelar o cartão, aí a atendente ficou me falando dos benefícios do cartão, blá blá, e falei que só ficaria com o cartão se tivesse isenção da anuidade, mas a atendente falou que para isenção seria preciso de tal documento…, blá blá, e que precisaria fazer uma solicitação. Então mandei cancelar o cartão e ponto.
    Detalhe: já estava com a intenção de cancelar o cartão…rsss.

    Pois o meu visa, consegui fazer o upgrade para o Platinum, então não queria mais o Master… kkkkkkkkkkkkk

  56. danillo 10 de dezembro de 2015 at 10:40 #

    Alguem aqui já teve alguma compra recusada usando o green, gold ou até msm o platinum? e tbm é verdade que por não possuir limite fixo caso vc for fazer uma compra alta, antes deve solicitar o valor a central? pois quero muito tirar esses cartoes e minha proposta foi rejeitada.

  57. Carine 9 de fevereiro de 2016 at 17:26 #

    Parabéns pelo post! Me incentivou ir à luta rs 😉

  58. Vinicius 16 de março de 2016 at 10:18 #

    Comigo, foi diferente. A Amex me procurou em 2008 querendo me oferecer um cartão “Credit GOLD” Sem anuidade, sendo que é necessario compras a cada 3 meses de pelo menos 1 centavo, aceitei é claro.

    Em 2013 queriam me empurrar o Green Card, com a anuidade cara e tudo mais. Não aceitei pois dizia que ja tinha o “Credit Gold”. Em 2015 a atendente me ofereceu o Green novamente, sem a primeira anuidade, disse que não queria e que só ia querer se nunca me cobrassem anuidade, nisso ela me disse que se eu mantivesse os gastos nesse cartão ela me garantiu que nunca iria vir anuidade. Só aí aceitei, ainda tirei algumas duvidas por exemplo no caso se vier anuidade, por exemplo, ela me explicou que é só ligar la que eles extornam e se isso n acontecer posso cancelar o cartão sem pagar nada da anuidade cobrada.

  59. LUANA 16 de outubro de 2017 at 10:06 #

    Bom dia,

    Dizem que agora não negociam mais anuidade é verdade?
    Tenho um vsa infinite do bradesco, não vejo muita vantagem nele, agora o AMEX THE PLATINUM CARD tem muitas vantagens, minha gerente disse que consegue para mim, mais devido a anuidade ser bem alta e não negociarem o valor, não tem como pagar isso e o Visa Infinite negocia.

    Sabe me informar se AMEX ainda ta negociando?

  60. Marcello 27 de novembro de 2017 at 17:02 #

    Parabéns pelo o artigo! Achei sensacional. Pedi o upgrade hoje do GOLD para o PLATINUM, sendo que de cara ela já disse que não tem negociação na primeira anuidade, será? Eu já consegui a anuidade do GOLD uma vez, pois tive diversos problemas com o cartão. Quando o cartão chegar, antes de pagar a fatura, vou usar as técnicas e ver se consigo pelo menos uma bonificação.

    • Guilherme 27 de novembro de 2017 at 20:41 #

      Valeu, Marcello!

      A primeira anuidade realmente é de difícil negociação, mas, a partir da segunda, é possível usar as técnicas comentadas no artigo.

      Abraços!

  61. Robson 12 de fevereiro de 2018 at 1:15 #

    Parabéns pelo artigo…Sou associado do AMEX desde 2014, através do Gold Card e sempre obtive isenção da anuidade através de negociação telefônica, ocorre que a partir de 05/03/2018 os pontos MR serão automaticamente transferidos para o programa de fidelidade Livelo… será que conseguiremos isenção da anuidade ou troca pelos pontos?

    • Guilherme 16 de fevereiro de 2018 at 16:06 #

      Olá, Robson, obrigado.

      É provável que os métodos de negociação via central de atendimento continuem válidos nessa nova etapa de vida dos cartões Amex no Brasil.

Trackbacks/Pingbacks

  1. A crise apertou? 17 dicas antipáticas (mas eficazes) de economizar dinheiro | News Infoco - 13 de outubro de 2015

    […] mais de R$ 920 só negociando a isenção completa de 3 anuidades de cartões de crédito. E, em outro post, eu contei como me livrei de uma pancada de R$ […]

  2. A crise apertou? 17 dicas antipáticas (mas eficazes) de economizar dinheiro | economiaeciadotcom - 14 de janeiro de 2016

    […] mais de R$ 920 só negociando a isenção completa de 3 anuidades de cartões de crédito. E, em outro post, eu contei como me livrei de uma pancada de R$ […]

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes