Educação financeira: um giro temático pelos blogs. Edição de hoje: ações – oportunidades à vista, retorno a prazo.

Normalmente, notícias sobre a Bolsa de Valores – personificada por Benjamin Graham como um sujeito, o Sr. Mercado – são objeto de matéria aqui no blog em duas situações extremas: ou quando o Sr. Mercado está muito eufórico – vide o post Bolsa cara, imóveis (e, por tabela, fundos imobiliários) caros, ouro caro. E eu, começando *JUSTAMENTE AGORA* a fazer sobrar dinheiro e a investir… o que fazer, então? – ou então quando esse mesmo Sr. Mercado está muito depressivo, como naquela semana vermelha de agosto de 2011.

Ações Oportunidade

“A Bolsa de Valores é um mecanismo maravilhosamente eficiente de transferência de riqueza dos apressados para os pacientes.”

– Warren Buffett

Como vocês podem perceber, o Sr. Mercado é um sujeito muito esquisito, que parece sofrer do transtorno bipolar, e que pode, portanto, oferecer boas oportunidades, tanto de compra, quando a maioria das ações está derretendo, quanto de venda, quando as ações estão sobrevalorizadas. A blogosfera financeira tem se agitado bastante nos últimos dias, e selecionamos aqui alguns dos melhores artigos sobre a matéria.

O blog O Pequeno Investidor publicou um excelente estudo sobre a seguinte questão: O IBovespa está barato? Nele, o Fábio analisa um dos indicadores mais utilizados para saber se um ativo listado em Bolsa está caro ou barato, que é o índice P/L (preço/lucro). Registro aqui as conclusões a que ele chegou:

“Em suma: o P/L atual do Ibovespa está caro? Não. Mas parte substancial das ações do Ibovespa está sendo negociada a um P/L relativamente elevado. Esse não é o único aspecto que deve ser considerado, mas é um elemento importante da análise. Por isso, fica tão difícil dizer se o índice está caro ou baratíssimo. Na média, está barato, não há como negar; mas parcela substancial do índice ou está com P/L elevado ou apresentou prejuízo nos últimos meses”.

Quem investe em ações individuais deve ficar muito atento a esse relevante critério de análise, comparando, por exemplo, o P/L da empresa-alvo não só com o P/L das empresas concorrentes que atuam no mesmo setor, como também com o P/L histórico que a própria empresa-alvo tem apresentado nos últimos anos. E nunca, jamais, apostar todas as suas fichas numa empresa só, pois isso pode arruinar com sua vida, como (quase) arruinou a vida daquele sujeito que perdeu um apartamento ao especular com ações da OGX.

O blog Rico por Acaso postou um interessante artigo sob o título A melhor hora para investir é quando todos estão com medo, em que sustenta a ideia de que é nas crises que costumam aparecer as boas oportunidades de mercado, opinião essa compartilhada pelo amigo Jônatas no blog Efetividade, no artigo Chegou o momento de comprar “bolsa”. Renda fixa também é opção. E definitivamente o governo brasileiro é um desastre. O RpA conclui que:

“Enquanto a crise se aprofunda cada vez mais e muitos seguem a manada, o investidor consciente e que sabe aproveitar as oportunidades aproveita o bom momento e compra boas empresas (mesmo que um pouco por mês). Este investidor terá uma grande chance de obter boa rentabilidade e um sorriso no rosto daqui há alguns anos”.

Pegando carona nesse tema, o portal Infomoney lançou um estudo mostrando 25 ações da Bovespa que estariam em liquidação, ou seja, ações que estariam custando menos que seu valor patrimonial. É um estudo mais voltado para quem investe em ações individuais, e menos para quem investe em fundos de índice passivo, que aproveitam o retorno total do índice, descontados os custos de transação.

Ibovespa, Small Caps… tudo indo ladeira abaixo…

As sucessivas quedas na Bolsa de Valores não são fatos isolados: pelo contrário, indicam uma tendência de o índice continuar virando para baixo. No artigo Vamos estourar o limite do cheque especial, o amigo Finanças Inteligentes afirma:

“Esta já é a quarta semana consecutiva de queda no índice. A região de suporte dos 47.8k foi rompida sem a menor dificuldade. Este movimento indica que a zona de congestão de longo prazo está sendo rompida para baixo, agravando a tendência de queda da bolsa”.

É interessante observar que praticamente todos os índices presentes na Bolsa de Valores, e não somente o IBovespa, estão apanhando nesse ano. O Índice das Small Caps, por exemplo, composto pelas empresas de menor porte presentes na Bolsa, apresenta retorno acumulado de -16,84% em 2013, sendo de -11,93% só nesse mês de junho (que ainda tem mais uma semana inteira de pregões). Esse índice fechou o pregão da última sexta-feira aos 1.284 pontos, sendo que o fundo de índice que o espelha, o SMAL11, encerrou a semana cotado a exatos R$ 63.

É importante observar que quem investe em ações deve diversificar preferencialmente não apenas comprando ações listadas no Índice Bovespa, mas também em ações não componentes desse Índice, como as pequenas empresas integrantes do grupo das small caps. Trata-se de um grupo de empresas que apresenta maiores riscos, mas que, em contrapartida, oferece o potencial de maiores rentabilidades. O curioso é que, no acumulado do ano, o Ibovespa apanhou mais (-22,80%) do que o Índice Small Caps (-16,84%) apesar de ter menos risco.

Ou seja, quem tem investido em uma carteira mista, mesclando investimentos em fundos BOVA11 e fundos SMAL11, têm obtido um prejuízo menor do que quem tem investido somente no BOVA11, o que reforça – e demonstra – o poder e os inegáveis benefícios financeiros da diversificação intra-classe, ou seja, dentro da própria renda variável.

Para saber mais sobre esse segmento das Small Caps, não perca os artigos que já escrevemos a respeito:

Análise do ETF que replica a carteira small caps – SMAL11

Resenha: Investindo em small caps, de Anderson Lueders

A alta correlação entre os índices de ações calculados pela BM&F Bovespa

Conclusão

Para os investidores de longo prazo, e contrariando o que dizem alguns especialistas, eu penso que esse é um ótimo momento para acumular mais ações em sua carteira de aposentadoria. Na verdade, o melhor momento dos últimos 2, talvez 4 anos, principalmente se você estiver zerado em Bolsa.

Mas, devido às chances de a Bolsa continuar descendo ladeira abaixo nas próximas semanas, as compras devem ser feitas de forma gradual, progressiva, sem afobação, e, é claro, precedidas de estudo, conhecimento, uma estratégia bem definida, e – importantíssimo isso – sem usar o dinheiro que paga as contas do dia-a-dia. Nada de comprar uma ação hoje e ficar olhando depois no Infomoney, a cada dia, a cotação dela, para saber se está ganhando ou está perdendo (esse é um erro comum inclusive entre investidores com mais experiência). Deixe o tempo fazer o seu trabalho também. Afinal, você está investindo em ações para (eventualmente) vendê-las daqui a vários anos, e não na semana que vem, certo? 😀

E você, tem aproveitado as liquidações da Bolsa de Valores? Deixe um comentário e participe das discussões!

——————-

Gostou do nosso giro temático pela blogosfera brasileira de finanças pessoais? Então aproveite para ler também outros giros temáticos que já publicamos em nosso blog:

Educação financeira: um giro temático pelos blogs. Edição de hoje: aposentadoria

Educação financeira: um giro temático pelos blogs. Edição de hoje: off-topic. Ou: uma lista bem legal de blogs fora do circuito das finanças pessoais.

Educação financeira: um giro temático pelos blogs. Edição de hoje: Finanças Femininas

Educação financeira: um giro temático pelos blogs. Edição de hoje: só novatos (outubro de 2010)

Educação financeira: um giro temático pelos blogs. Edição de hoje: momento “Hoje Eu Comprei”

Educação financeira: um giro pelos blogs. Edição de hoje: planilhas

Educação financeira: um giro temático pelos blogs. Edição de hoje: aniversários e atualizações

Educação financeira: um giro temático pelos blogs. Edição de hoje: comentários dos leitores

Educação financeira: um giro temático pelos blogs. Edição de hoje: MUDANÇAS

Créditos da imagem: Free Digital Photos

Print Friendly, PDF & Email

10 Responses to Educação financeira: um giro temático pelos blogs. Edição de hoje: ações – oportunidades à vista, retorno a prazo.

  1. Jônatas R. Silva 24 de junho de 2013 at 9:25 #

    Gui meu amigo, compartilho de sua conclusão: “penso que esse é um ótimo momento para acumular mais ações em sua carteira de aposentadoria.”
    Particularmente tenho seguido minha estratégia e comprado ETF todo início de mês, em crises sistêmicas procuro realizar aportes mais substanciais.

    Abraço e obrigado pela lembrança!

    • Guilherme 24 de junho de 2013 at 13:08 #

      Excelente estratégia, Jônatas! Com essa crise toda, os aportes ficam turbinados, pois podemos comprar mais ações com o mesmo dinheiro, ou então comprar ainda mais ações com mais dinheiro.

      Sorte de quem é prudente nos gastos, e equilibrado no consumo.

      Abç!

  2. camilo lopes 30 de junho de 2013 at 11:08 #

    Excelente post. Ainda não entrei no mercado de ações, por possuir um conhecimento limitado, mas estou estudando antes de entrar. E seus posts tem ajudado 🙂
    abraco,

    • Guilherme 30 de junho de 2013 at 14:39 #

      Olá Camilo, obrigado pelas palavras! Realmente, você está fazendo a coisa certa: preparando-se antes de entrar no mercado.

      Abç!

  3. André 17 de julho de 2013 at 17:42 #

    Guilherme, post interessante. No entanto, tenho lido relatorios importantes que afirmam que a economia brasileira, e consequentemente as empresas brasileiras, ainda vão passar alguns anos em baixa, por tudo que se tem feito na politica economica.

    Sendo assim, a minha pergunta é: com o intuito de diversificar o risco-país, como você enxerga que seja o melhor meio de investir em ações de outros países (principalmente americanas)?

    um abraço, andré

    • Guilherme 17 de julho de 2013 at 20:04 #

      Olá André,

      Atualmente, o melhor meio de investir em ações de outros países é indiretamente, por meio de fundos de investimentos. Infelizmente, no Brasil, há pouquíssimas opções desse tipo de investimento, o que limita o seu alcance.

      Agora, concordo plenamente quando você realça a importância da diversificação também para aplicações internacionais. Nos EUA, uma das teses defendidas por especialistas na alocação de ativos é justamente investir também em ações estrangeiras, sobretudo as dos países em desenvolvimento, como as dos BRICS. Elas apresentam, óbvio, maior risco, mas também apresentam probabilidades de retornos superiores.

      Vamos torcer para que possamos ter acesso a ações estrangeiras de modo mais facilitado.

      Abç!

  4. Renato Vilasboas 31 de julho de 2013 at 21:23 #

    Também acredito que o momento é para comprar, principalmente as ações dos bancos que estão baratas e que fornecem excelente dividendos, vamos formar uma boa aposentadoria!

    • Guilherme 31 de julho de 2013 at 21:28 #

      Oi Renato, concordo com você, esses últimos meses foram ótimos momentos para iniciar um programa de compras de ações, e ainda há muitas coisas boas e relativamente baratas no mercado.

      Para quem visa o longo prazo, esse tem sido um ano bastante interessante!

      Abç!

  5. bigboy 22 de agosto de 2013 at 23:33 #

    Tenho investido em ações nos últimos 6 anos com um ganho considerável. Observando empresas e suas variações, comprando nas baixas e vendendo nas altas, mas através de fundos de investimento em ações, nunca diretamente.

    Gostaria de dar um passo além e começar a investir diretamente em ações (visto que pelos fundos quando resgato só considera os valores de fechamento do dia seguinte, mesma coisa para compra, e ainda levam 4 dias úteis após para o $$ ficar disponível em conta). Pelo que tenho pesquisado precisaria de uma corretora. Alguém poderia recomendar alguma e as vantagens/desvantagens? Parece que existem várias que cobram valores de R$ 10 por operação de compra/venda, e que seriam as de melhor custo benefício.

    Também gostaria de dicas de blogs ou outros sites onde posso aprender mais sobre o processo de compra e venda, acompanhar o pregão em tempo real, e sobre uma dúvida específica, digamos em uma compra/venda de ações devo considerar além do valor atual, uma espécie de fila de interessados em compra/venda que estão na minha frente e que pode influenciar a cotação até chegar minha vez, seria isso? Desculpe pela ignorância.

    Agradeço.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes