Santander aumenta em 100% o custo de aquisição de pontos por meio de pagamento de contas no cartão de crédito.

Não há nada ruim que não possa piorar.

O Santander divulgou, semana passada, a nova tabela de pontuação para os pagamentos de contas no cartão de crédito, e adivinhem… ela não mudou para melhor. Mudou para pior, óbvio, como tem acontecido com os programas de fidelidade de bancos e empresas aéreas nos últimos tempos, e não seria agora que o Santander seria a exceção em meio à regra de termos cada vez menos benefícios e cada vez mais custos.

As novas regras passam a valer a partir de 15/06/2013, e consistem, basicamente, no aumento de 100% dos custos para aquisição de pontos por meio de pagamento de contas no cartão de crédito. O Santander manteve a tarifa fixa de R$ 16 por conta paga, mas diminuiu pela metade a pontuação até então existente.

Ou seja, um cartão do segmento Platinum, que antes pontuava, nos pagamentos de contas, a mesma quantia que pontuava nas compras – 1,5 ponto por dólar – a partir da segunda quinzena de junho passará a pontuar pela metade, ou seja, apenas 0,75 ponto por dólar. Como se isso não bastasse, acabou a regra da imprescritibilidade de pontos de tais cartões: agora, apenas alguns cartões contam com a vantagem de pontos que não prescrevem. Confiram nessa tabela aqui:

Santander Superbonus Pontuação

Fonte: novo regulamento do Programa Super Bônus.

Dessa forma, supondo o pagamento de contas no valor máximo permitido, R$ 3 mil, e considerando a cotação do dólar “Santander” a R$ 2,10 (que sempre apresenta um belo de um ágio em relação ao dólar comercial ptax), um bloco de 10 mil pontos, que antes custava em torno de R$ 80 (5 contas de R$ 3 mil cada, totalizando R$ 15 mil em contas), agora passará a custar impressionantes R$ 160 (ou 10 boletos de R$ 3 mil cada, totalizando R$ 30 mil em contas).

R$ 160 por 10 mil pontos? Huummm…esse negócio está saindo até ligeiramente mais caro que o sistema “pro rata” do cartão BB Smiles (o único dos cartões Ourocard que ainda pontua 2 pontos por dólar no pagamento de contas).

Além desse inflacionamento nos custos, temos que lembrar também que tirar uma passagem aérea com milhas apresenta uma série de desvantagens, em relação à compra desse mesmo bilhete com dinheiro: a disponibilidade de assentos é bem mais restrita, as datas para viagens são mais restritas, e você não ganha milhas pelo trecho voado. E tudo isso sem contar com a possibilidade de o trecho pago com dinheiro sair mais barato que o trecho comprado com milhas.

É certo que em determinadas e específicas situações pode continuar valendo a pena utilizar esse sistema de pagamento de contas para geração de milhas, mas a regra geral é: não gaste seu precioso dinheiro à toa. Se tem alguém ganhando dinheiro com todas essas mudanças ocorridas nos últimos tempos, esse alguém não é o consumidor (aquele que compra passivos), mas sim os acionistas dos bancos e dos programas de fidelidade, ou seja, os investidores (aqueles que compram ativos), que adquiriram ações do Itaú, Bradesco, BB, Santander, Multiplus e Smiles, e que cobram continuamente das respectivas empresas meios para reduzir o custo de suas operações. Sorte de quem tem ações desses bancos brasileiros, que apresentam recordes em cima de recordes de lucros bilionários quando vêm a público anunciar seus relatórios trimestrais.

Como eu gosto de dizer (e já parafraseando meu amigo Rodrigo Purisch, do blog Aquela Passagem): milha boa, além de ser aquela gasta o mais rápido possível, é aquela adquirida de graça, sem doação pagamento de juros, tarifas, mensalidades de cestas de serviços, anuidades, impostos e encargos a bancos, governo ou a empresas de milhagem.

Em vez de gastarem horrores com taxas e tarifas bancárias para obter passagens (que sabe-se lá se irão conseguir emitir no futuro), poupem, pratiquem a frugalidade, levem uma vida mais simples, estudem e trabalhem a fim de serem os melhores em suas profissões, e invistam o precioso dinheiro que iria acabar em passivos (como são as milhas aéreas) em coisas que verdadeiramente façam seu dinheiro se multiplicar e produzir frutos (pés de dinheiro) – até chegarem ao ponto, quem sabe, de alcançarem a independência financeira.

Assim, um dia quem sabe, algum de vocês poderá chegar ao patrimônio (de ativos financeiros) conquistado por alguns dos mais admirados blogueiros da comunidade de finanças pessoais, como o Bons Dividendos (e seu patrimônio de R$ 1.396.613,00), e o Heavy Metal (e seu respeitável patrimônio de R$ 2.302.252).

É possível conquistar 1 milhão de reais economizando somente em taxas e tarifas bancárias

De acordo com o educador financeiro Mauro Calil, se você conseguir economizar R$ 300 por mês em juros, tarifas, mensalidades de cestas de serviços, anuidades, impostos e encargos a bancos, governo ou a empresas de milhagem, conseguirá acumular um milhão de reais, após 35 anos de investimentos, com juros líquidos de 1% ao mês em suas aplicações financeiras.

Eu prefiro uma projeção mais conservadora: rentabilidade líquida de 0,7% ao mês com seus investimentos. Dessa forma, se você poupa R$ 700 mensais em taxas e tarifas bancárias, e as aplicar em investimentos financeiros a essa rentabilidade mensal, conseguirá atingir o milhão de reais em 30 anos.

Seja como for, o importante é revisar sua planilha de custos, e ver se de fato vale a pena continuar a pagar contas por meio de cartão de crédito. Como disse a leitora Rosana nos comentários ao último post, menos é mais. 🙂

Obrigado ao leitor Caio pelo envio da notícia!

Print Friendly, PDF & Email

, ,

27 Responses to Santander aumenta em 100% o custo de aquisição de pontos por meio de pagamento de contas no cartão de crédito.

  1. Fernando Gama 9 de maio de 2013 at 11:03 #

    Quando o Itaú mudou as regras do Pague Contas, eu divulguei aqui que o Santander ia seguir o mesmo caminho. Não deu outra. Fontes internas rsrsrs!

    • Guilherme 9 de maio de 2013 at 12:35 #

      Verdade, Fernando!

      As regras cada vez mais piores para os consumidores!

  2. LEANDRO 9 de maio de 2013 at 14:52 #

    Esqueceu de colocar no cálculo o custo da tarifa de manutenção de conta Santander, no qual estão embutidas as anuidades dos cartões do SANTANDER Platinum. 79 reais/mes no segmento Van Gogh que normalmente fornece os cartões Platinum de 1,5. Então, para um cálculo bem realista, seriam 160,00+79 reais para 10 mil bonus/milhas.

    • Guilherme 9 de maio de 2013 at 23:26 #

      Boa lembrança, Leandro! Dessa forma, os custos sobem para R$ 239 por mês para 10 mil bônus.

      Quem fica fazendo a rolagem dos débitos (rebate das dívidas mês a mês) entre os cartões Santander e os do Itaucard (que não pontua mais), acaba arcando com um custo aproximado de R$ 339 para o ganho de 10 mil pontos (considerando os R$ 239 do Santander mais uns R$ 100 a título de encargos e juros pro rata no Itaú para cada rebatida de R$ 12 a 13 mil). Quem faz o ping-pong entre o Santander e o BB Smiles acaba gastando de R$ 400 a R$ 450 a cada bloco de 20 mil pontos (10k pontos no Santander a R$ 239 + 10k pontos no Smiles a valores que variam de R$ 160 a R$ 230). Fora a dor de cabeça de administrar tantas dívidas.

      Putz, só aí já dá meio salário mínimo. Acho loucura comprometer mais de 10 a 30% da renda líquida mensal com juros, anuidades, mensalidades, impostos e tarifas de pagamento de contas, apenas para ganhar pontos que sabe-se lá se poderão ser gastos no futuro. Tem muita gente que faz isso, e acaba se esquecendo que sacrifica a própria qualidade de vida com esse negócio. E isso sem contar o estresse na administração de tantas contas, cartões e datas de vencimentos.

      Abç!

  3. Jônatas R. Silva 9 de maio de 2013 at 15:11 #

    Bancos, sempre matutando em como nos tirar dinheiro…
    Abraço Gui!

    • Guilherme 9 de maio de 2013 at 23:27 #

      Verdade, Jô! Precisamos ficar espertos! Abç!

  4. Rosana 9 de maio de 2013 at 15:23 #

    Agora o santander não quer nem mais receber boletos de outros bancos.
    Minha mãe recebe apostendoria lá e sempre levava as contas de todos nós para pagar e depois acertávamos com ela, por questão de segurança, para não sair com dinheiro da agência. Agora não sei como vamos fazer…
    Os bancos estão cada vez piores.

    • Guilherme 9 de maio de 2013 at 23:29 #

      Confirmo isso que você disse, Rosana: na última vez que fui na agência, a funcionária disse antes de as portas abrirem que não estavam mais recebendo boletos de outros bancos. Triste isso!

      Como eu sempre digo: como é difícil elogiar banco nesse país!

  5. Joaquim 9 de maio de 2013 at 18:36 #

    Prezado Guilherme,

    A única saída você já pontuou…comprar ações de bancos!

    Abc

    • Guilherme 9 de maio de 2013 at 23:31 #

      Exato Joaquim! Ficar do lado de quem está enriquecendo, e se apropriar de parcela dessa verdadeira mina de ouro, seja por meio de polpudos e consistentes dividendos, seja por meio da valorização das ações!

      Abç!

  6. Rafael 12 de maio de 2013 at 13:39 #

    Ainda acho que vale a pena continuar pagando as contas neste cartão, pois, mesmo com essa considerável redução dos pontos, ainda são pontos de graça, explico:

    Eu pago dois tipos de conta no Santander: as dos convênios (água, luz, telefone), em débito automático, sem pagamento de tarifa e a fatura do meu cartão de crédito do outro banco. Para esta última, eu só faço pagamentos no valor máximo de R$ 3000. Por exemplo, se a fatura desse mês é 4000, pago 3000 no cartão Santander e 1000 da conta corrente mesmo, se for 8000, faço 2 pagamentos de 3000 no cartão Santander e 2000 da conta corrente.

    Por que digo que é de graça? Porque quando jogo 3000 reais pro cartão deixo de gastar esse valor que fica na conta corrente e é jogado para uma aplicação no mesmo dia e fica rendendo até o dia do pagamento da fatura do Santander, que no meu caso são 35 dias depois. Mesmo considerando uma aplicação de baixo rendimento, tipo um CDB que rende 0,5% ao mês, em 35 dias dá pra ganhar aprox. R$ 16 sobre 3000, que uso para pagar a tarifa, anulando esta despesa.

    Corrijam-me se eu estiver errado.

    Quanto a considerar o valor mensal do pacote de serviços nos custos das milhas, acho que o raciocínio está correto, porém, há opçoes para não pagar este valor, como já foi explicado aqui no VR, veja aqui: http://migre.me/ew1ZZ. E a anuidade do cartão também é passível de isenção total.

    Tem uma coisa que eu sempre digo: não existe banco bom, existe banco que ESTÁ bom. O Santander já esteve excelente, quando permitia pagar até 10 mil de uma vez só por 15 reais. Agora está piorando gradativamente mas AINDA não está ruim. Ruim mesmo está o Itaú.

    • Guilherme 12 de maio de 2013 at 19:54 #

      Olá Rafael, ótimos comentários.

      Os pontos não saem totalmente de graça, uma vez que o rendimento da aplicação financeira – no caso, o CDB – é apenas o rendimento nominal, que não considera a rentabilidade real, descontada a inflação.

      Sobre as opções para não pagar a cesta de serviços, de fato existem, e, para aqueles que conseguem essa isenção, é um custo a menos.

      Finalmente, muito boa a sua observação: existe banco que está bom. No futuro, não sabemos qual banco vai estar melhor nessa situação de pague contas.

      Abç!

      • Alexandre 13 de maio de 2013 at 12:20 #

        Guilherme, realmente, a rentabilidade do exemplo posto pelo Rafael é nominal…
        Mas a tarifa do pague contas não seria “nominal” também, na medida em que não é corrigida pela inflação?
        Ou seja, falando em números: R$ 3.000,00 geram aproximadamente R$ 16,00 de rendimento nominal, que será exatamente o que custará a tarifa gerada pelo pague contas.
        Não seria por aí?

        • Guilherme 13 de maio de 2013 at 18:40 #

          Alexandre, tem razão, não tinha pensado sobre esse ângulo da não correção do valor da tarifa à inflação.

          Agora, devemos ficar atentos ao fato de que essa tarifa, até meados do ano passado, era de R$ 15. Ou seja, houve um aumento de aproximadamente 6,5% no valor da tarifa.

          Abç!

    • Priscilla 4 de junho de 2013 at 11:23 #

      Mesmo com essas alterações que o Santander promoverá a partir do dia 15 de junho, não podemos nos esquecer de que há o cartão na modalidade Free, que é isento de anuidades e taxas, inclusive para o sistema de pague contas. Não há cobrança de juros também, o que para mim significa um alívio, em meio a tantos cartões que andam cortando essas vantagens.

  7. Alexandre 13 de maio de 2013 at 12:22 #

    A propósito.
    Uso o cartão Dufry Platinum, sem manter conta no banco, e a anuidade pago integralmente com os pontos ganhos no pague conta.
    Assim, as milhas que eu efetivamente ganho tendem ao custo zero, pois uso a mesma tática do Rafael. Aplico os múltiplos de R$ 3.000,00 pelos 35 dias aproximadamente.

    • Guilherme 13 de maio de 2013 at 18:42 #

      Alexandre, é uma boa tática. O importante nessa estratégia é reduzir ao máximo os custos, sejam eles provenientes das anuidades, sejam eles provenientes da mensalidade do pacote de serviços.

  8. Anderson 13 de maio de 2013 at 17:47 #

    É MUITA sacanagem…

    O engraçado é que esse pdf não está disponível diretamente no site: http://www.santander.com.br/portal/wps/script/templates/GCMRequest.do?page=5738&entryID=6556 se vc for no final da página, ainda leva pras regras antigas. A mesma coisa ocorre no site https://www.loyaltygateway.com/superbonus/, indo no link “saiba mais” ainda está com as regras antigas.

    Adeus pague contas… agora o que resta é usar o Amex Platinum, que está com 2.2 por USD, mas sem pagar a fatura do Amex no cartão Santander.

    • Guilherme 13 de maio de 2013 at 18:46 #

      Realmente, eles não atualizaram a informação em todos as páginas oficiais. Lamentável…

      E sobre o Amex TPC, sem dúvida é um ótimo cartão para acúmulo de pontos!

  9. Gouvea 29 de junho de 2013 at 14:42 #

    Olá Guilherme, tá um pouco dificil pagar as contas no Banco IBI, acho que o gerente ou dono da agência aqui em Manaus, deve ter percebido que eu tava pagando as contas com cartão de débito, e deu ordem para não receberem as contas. Mas eu já denunciei no Bacen, agora aguardar.

    Então, pedi o cartão de crédito Santander Free, que pode pagar contas e SEM pagar nenhuma taxa. Inclusive a conta é a combinada, não havendo cobrança de tarifa da conta corrente.

    Acho que é mais negócio ganhar milhas e SEM gastar por isso, então o Free é o único cartão em que não há cobrança de tarifa para pague-contas.

    Abraços.

    • Guilherme 29 de junho de 2013 at 19:39 #

      Oi Gouvea, tem que denunciar mesmo. Não vejo motivos para a negativa do serviço.

      Eu fui numa loja da C&A tentar pagar uma conta com cartão de débito, e a funcionária disse que, além de o limite máximo da conta ser de R$ 500, que eu tinha que ter o cartão de crédito da loja para efetuar o pagamento, mesmo eu querendo pagar com um cartão de débito do BB…

      Nesse cenário, a opção mais viável é realmente o Santander Free.

      Ademais, outra opção para pagar contas a custo zero é incluir as contas de consumo em débito automático nos cartões Santander.

      Abç!

  10. Gouvea 3 de julho de 2013 at 17:45 #

    Olá Guilherme, a reclamação ao Bacen funcionou, ontem me ligaram do Ibi em São Paulo para saber o que tinha ocorrido na agência aqui em Manaus, ai expliquei a situação que estavam recusando o pagamento de contas com cartão de débito, aí falei que iria até o final dessa semana para tentar novamente pagar as contas, ai o atendente falou que caso ocorra nova recusa para eu entrar em contato novamente, mas acho que agora vão receber as contas, o atendente falou que entraram em contato com o gerente da agência daqui.

    Acho que essa jogada é boa: pagar as contas no cartão de crédito Santander Free e pagar a fatura do Free no Ibi com o cartão de débito do BB hehe.

    Abraço.

    • Guilherme 3 de julho de 2013 at 20:45 #

      Olá Gouvea!

      Que maravilha que funcionou essa tática! Nada como um órgão fiscalizador para pôr ordem na casa….hehehe

      E sua estratégia para turbinar as milhas também é muito boa, pois você não paga tarifas pelo uso da duplinha Free + BB débito. 😀

      Abç!

  11. Henrique 18 de agosto de 2013 at 13:18 #

    Olha aí, Guilherme. Mais uma notícia para diminuir ainda mais a atratividade do pagamento de contas pelo cartão de crédito do Santander.

    Fiquei sabendo da notícia pelo encarte que vem junto com a fatura do cartão. Quando fui pesquisar na Net, achei o link acima que confirma a cobrança.

    Tá cada vez pior.

    []s
    Henrique

    • Guilherme 18 de agosto de 2013 at 18:50 #

      Obrigado pelo aviso, Henrique!

      A inclusão da cobrança do IOF veio para ser o “golpe de misericórdia” no serviço, tornando-o extremamente inviável para o acúmulo de milhas, haja vista que os custos passarão a ser exorbitantes – algo em torno de 300 reais por cada bloco de 10 mil milhas.

      Abç!

  12. Maria auxiliadora 24 de julho de 2014 at 8:32 #

    Caros reclamantes instrutores.
    Foi de grande valia as informações aqui coladas, percebi a minha ignorância qtô ao assunto.
    Grata
    lia amaral

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes