[via UOL] A partir de hoje, valor mínimo para TED cai para R$ 1.000

Boa notícia para quem costuma fazer DOCs e TEDs com frequência: a partir de agora, o valor mínimo para realizar uma TED cairá de R$ 2.000,00 para R$ 1.000,00. De acordo com a notícia do UOL Economia:

“Os clientes de bancos poderão fazer transferências de dinheiro mais rapidamente a partir desta sexta-feira (22). Depósitos a partir de R$ 1.000 serão transferidos no mesmo dia. Antes, era preciso depositar pelo menos R$ 2.000 no caso de contas de bancos diferentes.

Isso será possível porque a Febraban (Federação Brasileira de Bancos) reduziu o valor mínimo para a Transferência Eletrônica Disponível (TED) de R$ 2.000 para R$ 1.000.

A TED é mais rápida e faz com que o crédito entre na conta do destinatário no mesmo dia em que a transferência é solicitada. Em outras formas de movimentação financeira, como o Doc (Documento de Crédito), é preciso aguardar pelo menos um dia para a conclusão da operação.

Segundo a Febraban, os bancos estabelecem um valor mínimo para esse tipo de transferência para evitar que a TED gere uma demanda em excesso e sobrecarregue os sistemas de pagamento e de compensação das transações financeiras”.

O grande problema dos TEDs continua sendo o altíssimo valor cobrado pelas instituições financeiras: em média, R$ 14 nas agências e R$ 7 pela Internet, conforme pesquisa realizada pela Folha de S. Paulo.

Dinheiro

Para fugir dessas tarifas careiras, a solução é aderir a uma modalidade de cesta de serviços digitais, que dá direito a DOCs e TEDs ilimitados, conforme explicamos nesse post, ou então negociar com seu banco a adesão a um pacote que inclua um número “x”de TEDs/DOCs isentos de tarifas, mas sem que você tenha que manter uma quantia “y”de volume de investimentos no seu banco – e isso por um motivo óbvio: manter dinheiro em fundos de investimento bancário é perder dinheiro na certa, e nem estou falando de investimentos em ações.

Quem tem conta-salário, ainda mais com a portabilidade desse tipo de conta, possui um grande trunfo: pode usar esse fator como barganha na negociação de um pacote mais completo no banco, isento de tarifas, sem precisar manter investimentos no banco. Nem todos os bancos são flexíveis a esse ponto. Verifique com seu vendedor de produtos bancários gerente se há essa possibilidade.

Caso não haja outro caminho para a isenção da tarifa da cesta de serviços – casos dos bancos Itaú Personnalité e HSBC Premier – há um macete explicado nesse post: Macete para obter redução/isenção na mensalidade do pacote de serviços do Itaú Personnalité e HSBC Premier: manter custódia de ações na corretora do banco.

É isso aí!
Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Créditos da imagem: Free Digital Photos

Print Friendly, PDF & Email

16 Responses to [via UOL] A partir de hoje, valor mínimo para TED cai para R$ 1.000

  1. Rosana 22 de março de 2013 at 17:11 #

    Guilherme,
    Eu não tenho conta salário, mas estou pensando seriamente em mudar a minha para essa modalidade e abrir uma conta corrente em outro banco pois o Bradesco está muito ruim, pelo menos a minha gerente é péssima, não dá o mínimo de atenção.
    Eu tinha isenção total de tarifas desde 2007 quando falei que só continuaria nesse banco se me dessem isenção pois outro banco me ofereceu isenção total. A gerente na época prontamente atendeu. Então no mês passado eu liguei para a gerente atual para pedir UMA INFORMAÇÃO e ela me deu de “presente” a atualização da conta, com a cobrança da cesta básica de serviços. Fiquei muito irritada pois ela não avisou nada, simplesmente veio a cobrança no mês seguinte e ela não estornou! Disse ainda que o bradesco não está mais dando isenção da tarifa (fingi que acreditei pois a empresa onde meu irmão trabalha paga no bradesco e o gerente quer muito que ele saia do banco atual e abra a cc lá, nem iria cobrar mensalidade). Ela tentou me empurrar também um cartão de crédito dizendo que como eu tinha “um bom relacionamento com o banco”, o setor responsável provavelmente me daria algum tipo de desconto. Mas desconto na tarifa mensal não, né?
    Mudei para a conta essencial na mesma semana, mas não quero mais bradesco não.
    É como você disse, são vendedores de produtos bancários e nada mais do que isso.
    Abraços,

    • Guilherme 22 de março de 2013 at 18:30 #

      Nossa, Rosana, essa gerente fez coisa errada com você, você está certíssima em procurar uma alternativa gratuita para manter uma conta-corrente. É por essas e outras que eu evito ao máximo ter que ir a agências bancárias, os gerentes de repente podem fazer “atualizações” na conta, e despejar tarifas na conta-corrente do cliente.

      E você fez a coisa certa em recusar o cartão de crédito que queriam te empurrar. Temos que fazer valer nossos direitos, e não nos deixar seduzir por essas propostas que nada acrescentam para gente.

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  2. Rodrigo 22 de março de 2013 at 23:28 #

    Sugestão: cooperativas de crédito, tipo Unicred para médicos e profissionais da área da saúde. Faço todas minhas transferências pela internet (doc/ted) sem custo. Fica a sugestão. Abraços.

  3. Gouvea 24 de março de 2013 at 14:42 #

    Olá Rodrigo, qual o valor do pacote de serviços de sua conta na Unicred?

    • Rodrigo 27 de março de 2013 at 0:10 #

      Olá Gouvea, não há pacote de serviços. Mensalmente há o desconto da cota capital de 25 reais, que se um dia eu quiser “sair” da cooperativa, você “vende” para eles. E a cota capital apresenta fica rendendo e recebe ainda participação nos lucros.
      Abraços.

  4. Rosana 25 de março de 2013 at 13:15 #

    Se eu já não entrava em contato com a gerente, agora menos ainda. Farei o máximo pela internet e pelo telefone.
    Talvez ela tenha olhado meu extrato e visto as transferências para corretoras, então já sabe que dificilmente conseguirá me convencer a investir em produtos do banco.
    Quando eu abri a primeira conta, a gerente foi muito atenciosa, me mostrou todas as “vantagens” do tal hiperfundo bradesco. Como eu não conhecia nada sobre o assunto, achei que era um bom negócio. Mas com o tempo a gente aprende, né?

    Queria uma sugestão sua:
    Após todos aqueles problemas com o Itaucard no ano passado, desisti de ter cartão de crédito, mas isso tem feito um pouco de falta nos momentos de emergência. Considerando que o limite do cartão que quero seria uns 2k e não mais que isso, pensei em abrir uma poupança e deixar esse valor lá para ser usado somente para esses pagamentos, quando e se aparecerem, através do visa electron.
    As vantagens que vi são:
    1) não terei dor de cabeça para negociar anuidade, e sei que pelo menos um pouco eles irão cobrar.
    2) o valor que ficará nessa poupança estará rendendo um pouco pelo menos. Considerando 5,5% de poupança anual, terei aproximadamente 110,00 a mais na conta e não terei que pagar os 60,00 de anuidade para usar o tal cartão de crédito. E se eu não usar o dinheiro, ele continuará rendendo sempre.
    O que achou da minha ideia?

    Eu acho um absurdo termos que pagar para usar uma alternativa de pagamento pois o comércio também paga à empresa para poder usar sua bandeira e máquina.

    Abraços e muito sucesso!

    • Guilherme 25 de março de 2013 at 15:26 #

      Olá, Rosana, o processo de aprendizagem é feito assim mesmo, de erros e acertos. Eu mesmo no começo da minha trajetória de investidor ficava maravilhado com os fundos de ações BB Vale e BB Petrobras….rsrs….hoje, passo longe deles!

      Sobre a sua sugestão, achei ótima a ideia! Não só ótima, mas também bastante familiar, pois é o que eu costumo fazer: ter uma reserva de emergência atrelada aos gastos do cartão de crédito, para, quando eu for efetuar o pagamento, não precisar tirar dinheiro dos investimentos: eu simplesmente pago a fatura do cartão com o dinheiro da mencionada reserva. 😉

      Vá em frente que essa ideia não só é viável, como extremamente bem pensada.

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  5. Rosana 26 de março de 2013 at 16:14 #

    Você me deixou mais animada em relação à minha ideia, é isso mesmo o que farei!
    No começo eu também ficava maravilhada com os fundos de renda fixa apresentados pelo banco. rsrsrs

    Fico feliz que tenha voltado com os posts aqui no Valores Reais, eu senti bastante falta dos seus artigos.

    Abraços e sucesso!

    • Guilherme 26 de março de 2013 at 19:24 #

      Oi Rosana, obrigado pelas palavras! Acho que agora consigo retomar ao ritmo normal de postagens!

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  6. Rosana 26 de março de 2013 at 17:35 #

    Naquela confusão toda perguntei para a gerente sobre um determinado cartão de crédito, que está como isento de anuidade e ela me informou que enquanto eu receber o salário da empresa por aquele banco é isento mesmo. Achei interessante, por enquanto vou guardar a abertura da nova poupança para quando precisar, até porque já tenho outra, essa seria só mesmo para pagamentos e nesse caso o cartão é bem melhor, dá para parcelar quando for conveniente.
    A proposta dela é boa, não é?
    Abraços,
    Rosana

    • Guilherme 26 de março de 2013 at 19:26 #

      A proposta é muito boa sim, Rosana, justamente pela isenção permanente de anuidade. Vale a pena manter esse cartão pela gratuidade.

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  7. Elton 28 de março de 2013 at 16:38 #

    Excelente notícia! Obrigado.

  8. João 7 de julho de 2014 at 20:57 #

    Bancos reduzem limite da Transferência Eletrônica Disponível (TED)

    Por iG São Paulo -| 07/07/2014 16:24

    Piso para transação entre bancos cai de R$ 1 mil para R$ 750

    Os bancos brasileiros reduziram de R$ 1.000 para R$ 750 o valor mínimo para a realização de Transferência Eletrônica Disponível (TED), que permite mandar dinheiro de um banco para outro no mesmo dia. O novo limite está disponível desde a última sexta-feira (4), segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

    O piso tem por objetivo evitar uma sobrecarga de operações do tipo, mas ele tem sido constantemente reduzido. Em 2002, quando a TED foi lançada, o piso era de R$ 5 milhões.

    O fato de permitir transferências no mesmo dia torna a TED mais atrativa que o Documento de Operação de Crédito (DOC). Nessa opção, é preciso aguardar pelo menos um dia para que o dinheiro esteja disponível na conta de destino.

    De acordo com uma pesquisa recente da Febraban, as transferências eletrônicas – o que inclui DOC e TED – representavam 46% do volume de transações em 2013, ante 28% em 2009.

    • Guilherme 9 de julho de 2014 at 10:25 #

      Excelente notícia, João! Aproveitei pra já utilizar a notícia…..rsrs…

      Espero que, num futuro próximo, igualem o valor mínimo entre TED e DOC…. hoje em dia, não faz muito sentido ter que esperar um dia inteiro pro dinheiro cair em outra conta.

      Abç

Trackbacks/Pingbacks

  1. A partir de hoje, valor mínimo para TED cai para R$ 1.000 | Denny Torres - 28 de março de 2013

    […] Fonte: Valoresreais […]

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes