Debêntures BNDESPar: boas taxas de rentabilidade – versão 2012 (mas a sobretaxa me surpreendeu!) =D

Obs.: Como é tradição aqui no blog, de falar sobre as debêntures BNDESPar “do ano”, como disse meu amigo Henrique Carvalho, aqui vai nosso post tradicional sobre o resultado do procedimento de bookbuilding, antes mesmo da divulgação oficial, graças à inestimável colaboração de nossos qualificados leitores Luiz e Flávio. Em 2010, publicamos o artigo Debêntures BNDESPar: boas taxas de rentabilidade (versão 2010). E, no ano anterior, com o post Debêntures BNDESPar: boas taxas de rentabilidade, discorremos sobre as taxas da oferta pública realizada em 2009. Daí o título desse artigo ter incluído, tal qual da última vez, o “versão 2012″.


As debêntures BNDESPar, de acordo com o comunicado oficial disponibilizado na página do banco, parece que tiveram boa procura. Entretanto, apesar disso, apresentaram ótimas sobretaxas. Segue a transcrição do referido comunicado, nos pontos em que nos interessam (os destaques ficaram por minha conta):

(a) a emissão total de 2.000.000 de Debêntures, sendo: (i) 409.000 Debêntures da Primeira Série; (ii) 302.000 Debêntures da Segunda Série; e (iii) 1.289.000 Debêntures da Terceira Série;

(b) a Remuneração da Primeira Série, correspondente ao resultado da soma de 0,50% (cinquenta centésimos por cento) ao percentual referente à taxa de juros efetiva anual de ajuste do contrato futuro de taxa média de DI– Depósitos Interfinanceiros de um dia, vincendo em janeiro de 2017, divulgada pela BM&FBOVESPA S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, no informativo Boletim Diário Versão Completa (Mercadorias e Futuros), da data do procedimento de bookbuilding, disponível em sua página na Internet;

(c) a Sobretaxa da Segunda Série equivalente a 0,55% (cinquenta e cinco centésimos por cento) ao ano, a ser somada à taxa de juros de referência – TJ3 – 3 meses com data de apuração indicada na tabela prevista na Escritura de Emissão, divulgada pela BM&FBOVESPA no informativo Boletim Diário Versão Completa (Mercadorias e Futuros), disponível em sua página na Internet;

(d) os Juros da Terceira Série, correspondente ao resultado da soma de 0,50% (cinquenta centésimos por cento) ao percentual correspondente à cotação indicativa da taxa interna de retorno da Nota do Tesouro Nacional, série B – NTN-B, com vencimento em 15 de agosto de 2020, divulgada pela ANBIMA – Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, apurada no fechamento do dia 03 de abril de 2012.

O resultado do Procedimento de Bookbuilding será divulgado também mediante a publicação de aviso ao mercado, nos termos do artigo 23, parágrafo 2º, da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários nº 400.

Bom, embora o resultado do procedimento de bookbuilding só seja divulgado posteriormente, na forma de “publicação de aviso ao mercado”, os nossos incansáveis leitores Luiz e Flávio (obrigado!) já se anteciparam e foram buscar as informações para trazer o panorama completo da rentabilidade da debêntures. Assim:

– Sobre as debêntures da primeira série – a série prefixada – incidirão juros prefixados de 11,169% a.a. (valor esse que já incorpora a sobretaxa de 0,50%). Como o CDI atual está girando na casa dos 9,65% a.a., isso significa que, “já na largada” esse título prefixado estará pagando, aproximadamente, algo tem torno de 115% do CDI bruto;

– Sobre as debêntures da segunda série – a série pós-fixada flutuante, atrelada ao contrato futuro de DI (que, na prática, corresponderá mais ou menos a uma LFT) – incidirá uma sobretaxa de 0,55% (acima de nossas expectativas, bem como da maioria dos analistas de mercado, que previam uma sobretaxa de, no máximo, 0,30% a 0,35%, como tem ocorrido nas últimas emissões). O leitor Flávio fez o cálculos: TJ3 + 0,55% a.a. = 1º período = 8,85%+0,55%=9,40% .a.a

– Sobre as debêntures da terceira série – a série pós-fixada, atrelada ao IPCA, incidirão juros de 5,3999% a.a. (valor esse que já incorpora a sobretaxa de 0,50%) + a variação do IPCA.

Parabéns aos investidores que tiveram suas reservas confirmadas! Só a título de curiosidade, o título do Tesouro Direto que mais se aproxima da debênture da primeira série, que é a NTNF 010117, está pagando, no momento em que esse artigo está sendo escrito, 10,60% a.a., ao passo que a debênture irá pagar 11,16% a.a. Ou seja, com nível praticamente idêntico de risco, consegue-se uma rentabilidade maior com as debêntures.

Já o título do Tesouro que mais se aproxima da debênture da 3ª série (5,39% + IPCA), ao menos em termos de vencimento, que é a NTN-B 150820, está pagando 4,84% + IPCA.

Embora a pouca liquidez no resgate antecipado desses títulos possa ser um empecilho para a atratividade do investimento, conforme artigo publicado no Valor, as debêntures continuam sendo uma ótima alternativa de aplicação financeira de baixo risco ao pequeno investidor, principalmente se ele conseguir carregar o papel até a data de vencimento.

Essa tese se reforça ainda mais com a intenção manifesta do Governo de querer baixar a SELIC para até 9% a.a. no decorrer desse ano. Se essa tese vinha sendo acalentada desde o final do ano passado, conforme notícia publicada pela Exame em outubro de 2011: Dilma quer baixar taxa SELIC a 9%  no ano que vem, ela tem tudo para se materializar agora que o Governo vem tentando desesperadamente “tirar a indústria da lama” com diversos “pacotes de benefícios”, como bem anunciado pelo blog do Finanças Inteligentes, com o objetivo claro de estimular o setor produtivo e tentar conter o desaquecimento da economia. Nesse ímpeto estatal, sobrou até para o Banco do Brasil, que está sendo utilizado como instrumento do Governo para combater os spreads bancários. É claro que os acionistas do banco estatal não gostaram nada desse uso político do banco, e empurraram as cotações do BBAS3 pra baixo no pregão dessa quarta-feira.

Em época de vacas magras, com títulos do Tesouro Direto oferecendo rendimentos historicamente baixos, ações patinando na casa dos 60 mil pontos desde 2007 e até imóveis sendo oferecidos em “saldões com descontos de até 15%” (sinal evidente de que os imóveis estão começando a encalhar nas “prateleiras” das imobiliárias, o que significa que a oferta já está superando a demanda), obter uma rentabilidade diferenciada num investimento de baixo risco constitui-se numa interessante alternativa para quem pretende diversificar seu portfólio de investimentos, e ter um ganho extra na renda fixa, assumindo baixos riscos. 😀

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Print Friendly, PDF & Email

26 Responses to Debêntures BNDESPar: boas taxas de rentabilidade – versão 2012 (mas a sobretaxa me surpreendeu!) =D

  1. Ronei 5 de abril de 2012 at 16:00 #

    Adoro esse site!
    TO ‘LOKO’ pra saber o que o Site vai dizer sobre a redução da taxa de juros nas linhas de créditos dos bancos estatais!
    Alias uma redução de media de 13,5% para 3% no cartão de crédito nunca achei que isso iria acontecer!
    Será que eu to ficando loko? Afinal é uma ultra-redução!
    Quais as vantagens?
    Quem vai ser beneficiado?
    Vai durar muito?

    • Guilherme 5 de abril de 2012 at 22:35 #

      Ronei, obrigado pelas palavras!

      Pois é, o BB reduziu bem as taxas dos serviços de crédito, tanto para pessoa jurídica, como para – o que é a nossa praia – pessoa física. Quanto à redução da taxa do rotativo do cartão, apesar de ser bastante, o que eu recomendo é ficar bem longe dela, e pagar sempre as faturas integralmente no vencimento. Isso porque crédito é sinônimo de dívida, e, quanto menos crédito você tiver, menos divida você também terá.

      O crédito para veículos caiu bastante também (para até 0,99% a.m.), mas a minha recomendação também é ficar longe disso, e tentar comprar o carro à vista, ou nessa impossibilidade, dar a maior entrada possível para diminuir o valor das parcelas.

      Acredito que vá durar o tempo necessário para que a economia se aqueça.

      Recomendo se manter afastado dessas linhas de crédito, e você procurar ter, na maior medida possível, capacidade de ser você próprio uma fonte de linhas de crédito, o que se consegue com investimentos que rendam juros. 🙂

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  2. Daniel B. 5 de abril de 2012 at 16:41 #

    Uma coisa que não entendo com as debêntures é como funciona o sistema de reserva. Se eu não reservei, e considerando que reserva não é obrigação de compra, existe a possibilidade de comprá-las sem reserva?

    A debênture só é vendida uma vez por ano ou é possível fazer aportes de alguma maneira?

    Obrigado.

    • Guilherme 5 de abril de 2012 at 22:36 #

      Daniel, olá!

      Sim, é possível comprá-las no mercado secundário, através de uma corretora. A promessa do BNDESPar é que tenham negociações todos os dias úteis.

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  3. Finanças Inteligentes 5 de abril de 2012 at 17:09 #

    Olha informação de primeiríssima mão no Valores Reais! Você foi o primeiro a antecipar no mercado, pelo que eu fiquei sabendo, parabéns!

    Realmente o rendimento surpreendeu, eu optei por ficar de fora ao achar que as taxas não seriam interessantes devido a alta procura pelas debêntures. Mas pelo visto a quantia ofertada também foi alta, garantiu uma taxa boa! Parabéns para quem pegou! Agora é só carregar até o vencimento.

    Abcs,

    PS: obrigado pele referência ao Finanças Inteligentes =)

    • Alexandre 5 de abril de 2012 at 17:39 #

      Também achei que a taxa seria baixa. Porém existe a possibilidade de condicionar a participação a uma taxa mínima. Foi o que fiz.
      Na reserva para a 3º serie indiquei a taxa mínima em 0,49. Caso fosse menor que isso eu estaria fora, como ficou em 0,5, estou dentro e consultando na corretora, consta a reserva como “liquidada”.
      Sugestão para “finanças inteligentes”: Condicione sempre a participação quando tiver dúvidas quanto à taxa a ser definida.

      • Finanças Inteligentes 5 de abril de 2012 at 22:31 #

        Boa!

        Pior que na época consultei em duas corretoras, comentei sobre a procura/taxas e não me falaram nada disso. As vezes, operar sem corretor tem algumas desvantagens, mas fazer o que né rsrs…

        Abcs,

    • Guilherme 5 de abril de 2012 at 22:39 #

      Ôpa, valeu F.I.!!

      Pois é, as notícias foram boas para quem fez as reservas. Vamos que vamos!

      A propósito, pessoal, acabou de sair uma matéria no blog do F.I. sobre a CEF também entrar na ofensiva contra os spreads bancários. Confiram: http://www.financasinteligentes.com/2012/04/caixa-tambem-entra-na-ofensiva.html

      Seu blog, pela alta qualidade do conteúdo apresentado e por sempre apresentar material original, terá sempre um lugar de destaque aqui no blog!

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  4. TBB 5 de abril de 2012 at 18:47 #

    Guilherme parabéns para todos nós. No post sobre as Debêntures de 2012 havia questionado você sobre a primeira série entregar uma taxa superior a 11% e foi o que realmente aconteceu. Alias você já havia antecipado que as chances disso ocorrer seriam bem altas. As outras séries também foram muito boas. Agora é só aguardar a liquidação financeira.

    • Guilherme 5 de abril de 2012 at 22:40 #

      Pois é, TBB, acertamos de novo! 😀 Parabéns a todos nós, e vamos lá carregar esses papéis até o vencimento, sem come-cotas, sem taxa de custódia, com o menor IR possível… 😀

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  5. Ledo Neto 5 de abril de 2012 at 19:12 #

    Seguindo uma filosofia de não investir em empresas em que não confio, não investiria um centavo no BNDES. Isto porque seu critério para emprestar dinheiro é político, e muitas vezes contraria o bom senso. O BNDES estimula fusões que vão contra o interesse dos consumidores e a favor da formação de oligipólios. Sou contra isso. Financiou a fusão da Oi à Brasil Telecom. Emprestaria dinheiro ao Pão de Açúcar para comprar o Carrefour (e quebrar seu contrato com a Casino). Dá dinheiro pra estádios que serão sede da copa, e sabemos como é pouco profissional e transparente é a gestão dos clubes de futebol. Por isso, apesar de achar pouco provável o banco quebrar e não pagar os títulos, não invisto no BNDES e tento desestimular quem vai fazê-lo, para não dar fornecer mais dinheiro para as atividades políticas desta instituição. Invistam em empresas sérias com gestão profissional e cujos interesses estejam alinhados com os seus próprios.

    • Guilherme 5 de abril de 2012 at 22:41 #

      Muito interessante seu argumento, Ledo!

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  6. Dr. Money 6 de abril de 2012 at 17:53 #

    Guilherme, mais um post de qualidade. Parabéns!
    Só uma observação: cuidado na comparação da taxa do título pré com a SELIC. Como mostro neste post http://www.drmoney.com.br/investimentos/renda-fixa/comparar-taxas-prefixadas-com-a-selic-um-erro-comum/, a comparação deve ser entre a taxa pré e uma previsão do que vai ser a taxa SELIC média durante a vida do título. Por outro lado, comparar com a taxa de um título público pré está corretíssimo, e vemos que a debênture paga um prêmio pela sua falta de liquidez e pelo seu risco de crédito maior.
    Abraço!

  7. leandro 6 de abril de 2012 at 23:54 #

    Olá Guilherme,
    Gostaria de sugerir um tema para a coluna, que me interessei recentemente, não conheço e não acho informaçãoes a respeito: Penhor da caixa. Vale a pena o empréstimo? quais são os gastos e as taxs? Talvez seja um empre´stimo barato pra uma alavancagem…
    abraço

  8. David D. 14 de abril de 2012 at 11:06 #

    Alguem me tira uma duvida pf: uma vez feito o pedido de reserva, este nao pode ser cancelado, ou seja, precisa necessariamento ser liquidado na data de liquidacao?

  9. Antonio 14 de abril de 2012 at 11:33 #

    David D,

    Essa foi a primeira vez q participei de uma reserva assim, certamente há gente aqui q sabe mto mais do q eu, mas como ngm respondeu ainda, ai vai minha observação…

    Fiz minha reserva pela Itautrade, online, e no meio do monte de coisas q eles põem pra vc ler, diz claramente q vc não pode cancelar a reserva. Pelo q entendi, se vc pedir pra cancelar, APARENTEMENTE eles podem cancelar mas vc vai perder dinheiro, como uma espécie de multa!

  10. Guilherme 15 de abril de 2012 at 8:33 #

    Dr. Money, você tem total razão! Aliás, indico a todos os artigos do blog do Dr. Money: http://www.drmoney.com.br/

    Leandro, grato pela sugestão, pauta anotada!

    David, creio que isso depende das regras de cada corretora. Antonio, você não perde o dinheiro nessa hipótese. O que ocorre é que você vai acabar adquirindo os papéis, só podendo deles se desfazer em caso de venda no mercado secundário. Aí, sim, pode ocorrer eventual perda, a depender do valor de mercado das debêntures.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  11. Flávio 19 de abril de 2012 at 15:38 #

    As debêntures vão começar a render a partir do dia 20/04/2012. Ainda nem começaram e já estão com um ganho em relação ao mercado, aprofundado pelo corte da Selic em 75 pbs e a sinalização de que podemos ter outro corte de 50 pbs no final de maio.

    Início de rentabilidade:

    1º serie – 20/04/2012
    2º serie – 24/04/2012
    3º serie – 25/04/2012

  12. Guilherme 22 de abril de 2012 at 10:00 #

    Vamos acompanhar essas taxas, Flávio!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  13. Maicon 25 de setembro de 2012 at 10:13 #

    Olá Guilherme.
    Estou eleborando meu TCC sobre Debêntures Padronizadas.
    Gostaria, se possível, que se tiver algo atualizado referente a emissão, liquidez, riscos, gráficos e etc, que compartilhe através do e-mail maiconxp@gmail.com.
    Obrigado!

    • Guilherme 6 de outubro de 2012 at 9:03 #

      Olá Maicon, no blog temos vários artigos e links sobre as debêntures. Boa sorte no seu TCC!

  14. Joaquim 1 de junho de 2013 at 10:38 #

    Prezado Guilherme,

    Acabei de ler essa notícia sobre novas emissões BNDES e gostaria que você me dissesse se tem alguma outra informação. Participei de 3 emissões, e estou satisfeito com as Debêntures BNDESPar.

    http://www.valor.com.br/financas/3142330/bndespar-prepara-maior-emissao-de-debentures-do-ano

    Abc,

    Joaquim

    • Guilherme 1 de junho de 2013 at 15:11 #

      Olá Joaquim!

      Na verdade, essa notícia é nova! O leitor TBB já tinha me alertado em outro post sobre uma nova emissão, mas eu não havia encontrado nenhuma notícia a respeito, até ver seu link! Obrigado!

      Vou estudar e ver se entra logo na pauta do blog!

      Abç!

      • Joaquim 1 de junho de 2013 at 15:58 #

        Oi Guilherme,

        Que bom que pude ajudar em algo…hehehe

        Então daqui a pouco vc destrincha tudo sobre essa nova emissão. Estou na expectativa. 🙂

        Gostaria que depois se possível que você incluísse a análise sobre os rendimentos das debêntures passadas, como foi feito uma vez, se não for pedir demais. (é que eu sou ruim de conta…hehehe…desculpa!)

        Abc e bom fim de semana,

        Joaquim

        • Joaquim 1 de junho de 2013 at 16:06 #

          Se não me engano, um leitor chamado Flávio fez análise excelente nos comentários sobre rendimento das debêntures…então vou fazer a sugestão de você pedir participação especial do Flávio expert em Debêntures! 🙂

          Valeu!

          • Guilherme 1 de junho de 2013 at 17:40 #

            Oi Joaquim!

            Pode deixar que tentaremos fazer o nosso melhor em relação ao tema.

            Quanto à questão da rentabilidade, você acertou em cheio: vou pedir a ajuda do nosso maior expert em renda fixa, o Flávio, para ver se ele pode colaborar, de modo a apresentar uma rentabilidade atualizada das debêntures BNDESPar, que têm a tradição de serem um dos melhores investimentos em renda fixa do Brasil!

            Abç e bom fim de semana pra vc tb!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes