Os benefícios de trabalhar de pé [standing at your desk]

Atire a primeira caneta que nunca teve problemas de coluna ou dores nas costas após ficar várias horas sentado(a) em frente ao monitor ou se debruçando sobre livros, cadernos e apostilas. Pois é, enquanto passamos, em teoria, cerca de 1/3 de nossas vidas diárias em cima de uma cama, passamos outro 1/3 de nossas vidas sentados. Na verdade, devemos passar até mais tempo ainda sentados do que simplesmente 1/3, uma vez que não é só no trabalho que ficamos sentados: também precisamos nos sentar para comer, assistir televisão, conversar com amigos no bar ou na sala de estar, dirigir no trânsito, viajar de ônibus, carro ou avião, frequentar o salão de beleza…ufa!

O interessante é que estudos científicos, levados a cabo por universidades norte-americanas, a respeito do assunto, chegaram à conclusão de que ficar sentado por um número excessivo de horas faz mal para a saúde:

“Nos Estados Unidos, as pessoas passam em média 9,3 horas por dia sentadas, mais tempo do que dormem (7,7 horas). Só que uma pessoa que passa 6 horas por dia sentada tem 40% mais chance de morrer nos próximos 15 anos que uma pessoa que passa 3 horas por dia sentada.

E não interessa se você passa 6 horas sentada, e depois mais duas na academia. O corpo do ser humano simplesmente não foi projetado pela evolução para passar tanto tempo sentado.

Sentar descansa. O que significa que não gasta calorias. Na verdade, gasta uma caloria por minuto, quase nada. O problema é que a maioria dos empregos do século 21 exigem que a gente passe muitas horas sentado, e se você não está na sua mesa, está correndo para tomar um café ou ir ao banheiro. Mesa vazia é sinal de vagabundagem.

Para ir e voltar do trabalho ou escola, é sentado no carro, ônibus ou trem (pense nisso na próxima vez que não encontrar assento livre no metrô na hora do rush).

Nas horas de lazer sentamos para comer, conversar, ver TV. E para piorar a internet está cada vez mais cheia de coisas interessantes. E aí? (destaquei)”

Outros estudos, de acordo com um artigo publicado no jornal The New York Times, confirmam a informação acima, e apontam fortes evidências no sentido de que ficar muitas horas sentado pode prejudicar a saúde, na medida em que a inatividade muscular acaba afetando a produção de uma proteína chamada lipase, o que acaba repercutindo de maneira negativa na maneira como o corpo humano processa o metabolismo da gordura. Por via de consequência, tais mudanças seriam os primeiros passos para o caminho que levariam a doenças como a diabete.

Diante de tudo isso, o que fazer então?

Simples: trabalhe de pé [standing at your desk].

Em um artigo publicado na rede de blogs da prestigiada Harvard Business Review, intitulado The Many Benefits of Standing at Your Desk, Patrick J. Skerrett afirma que o corpo humano foi projetado para ficar de pé, e não para ficar sentado:

“Standing is better for the back than sitting. It strengthens leg muscles and improves balance. It burns more calories than sitting. It is also a great antidote to the formation of blood clots deep in the legs. When you sit for long periods, blood flow slows through the legs. Sluggish blood flow can set the stage for a blood clot to form. You’ve probably heard of this happening to people on long flights, but it also can happen in the office. Standing and walking squeeze valves in the leg veins, pushing blood upward toward the heart”.

Numa tradução livre:

“Em pé é melhor para as costas do que sentado. Aquela postura [em pé] fortalece os músculos das pernas e melhora o equilíbrio. Queima mais calorias do que sentado. Também é um grande antídoto para a formação de coágulos de sangue profundos nas pernas. Quando você se sentar por longos períodos, o fluxo sanguíneo diminui por entre as pernas. E o fluxo sanguíneo lento pode definir o cenário para um coágulo sanguíneo se formar. Você provavelmente já ouviu falar disto com as pessoas em vôos longos, mas também pode acontecer no escritório. Ficar em pé e andar espremem as válvulas nas veias das pernas, empurrando o sangue para cima em direção ao coração”.

A primeira vez que li sobre esse fascinante tema foi em um excelente artigo publicado no LifeHacker, onde a editora Gina Trapani foi entrevistada sobre o assunto, e afirmou, com todas as letras, que os principais benefícios obtidos com o trabalho em pé foram uma melhor postura e uma queima mais alta de calorias. Ela descreve em detalhes o processo de mudança e adaptação para esse, digamos assim, novo “estilo de trabalho”, declarando que o começo foi bem difícil:

“In fact, the first three days were brutal, so painful I doubted the whole endeavor. By mid-day 2, I had to sit down every hour or so.”

Traduzindo:

“De fato, os primeiros três dias foram terríveis, tão doloridos que eu duvidei de todo o empreendimento. Lá pelo meio do segundo dia, eu tinha que sentar a cada hora”.

Mas, no final das contas, e após muito perseverar, ela acabou vencendo o jogo, e hoje está totalmente adaptada a esse novo estilo de vida, adaptando, é claro, seu escritório de trabalho:

Mesa de trabalho de uma das editoras do LifeHacker: é preciso adaptar a altura dos equipamentos de escritório!

Recentemente, o blog Zen Habits contou com um guest post, intitulado My Standing Desk Experiment, de Corbett Barr, onde ele narra sua peripécia para modificar seus hábitos de trabalho, passando a trabalhar de pé. É claro que tudo o que é feito em excesso causa mal para a sua saúde, e não poderia ser diferente ao hábito de trabalhar de pé. Tanto se sentar em excesso como ficar de pé em excesso causam distúrbios para a saúde, e Barr apresenta igualmente estudos que apontam possíveis prejuízos para a saúde em decorrência de um excessivo comportamento de ficar de pé o dia inteiro. Porém, pesando os prós e os contras vivenciados na prática, Barr concluiu que os benefícios superaram por larga margem os aspectos negativos. Ele destaca como principal benefício obtido com o trabalho de pé o fato de ter mais energia durante o dia de trabalho.

Eu comecei semana passada a testar essa nova postura. Admito que o primeiro dia foi bem difícil, na linha do que disse a editora do LifeHacker. Ficava esgotado após somente alguns minutos, e não via a hora de botar os pés pra descansar deitado no sofá… 😀 … Porém, com o passar dos dias, o cansaço foi diminuindo, e a resistência aumentando na proporção inversa… Vou fazer mais algumas semanas de teste, a fim de verificar se, no meu caso, haverá também benefícios práticos para a saúde com esse diferente estilo de fazer as coisas.

E você? Está com vontade de testar o método? Já testou? Desistiu? Foi em frente? Quais resultados práticos obteve? Conte para nós sua experiência! 😀

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Print Friendly, PDF & Email

, , ,

27 Responses to Os benefícios de trabalhar de pé [standing at your desk]

  1. MJC 27 de outubro de 2011 at 7:58 #

    “E você? Está com vontade de testar o método? Já testou? Desistiu? Foi em frente? Quais resultados práticos obteve? Conte para nós sua experiência!”

    No meu serviço não tenho nem chance de experimentar isso. Mesa de madeira, sem jeito de subir. Mas acredito que não seja a melhor coisa para as mulheres que usam salto e para os homens que usam sapatos apertados.

    • NKD 8 de novembro de 2013 at 12:04 #

      não deve ser mesmo, porque usar sapatos confortáveis é muito difícil…

  2. Zé da Silva 27 de outubro de 2011 at 10:00 #

    Bah … não consigo nem considerar a possibilidade de trabalhar em pé. o.O

    Se já termino o dia morto, cansado ao extremo, imagina trabalhando de pé ? hehehe

    Por exemplo, quem nunca reclamou até dizer chega por passar algumas horas numa fila interminável ? Se chegar em horas, normalmente já reclamamos quando se aproxima da primeira … isso porque ainda (querendo ou não) andamos um pouco …

    Agora imagine ficar “8 horas” por dia parado, de pé, na frente do PC ? 🙂

    Dá não. 😉
    hehehe

  3. Roberto Riccio 27 de outubro de 2011 at 10:14 #

    Mais algo que com disciplina pode melhorar sua qualidade de vida. Claro que vai ter muita resistência e piadinha, mas um cara como você que sabe perceber o valor de comportamentos eventualmente inovadores (que sempre vem acompanhados de críticas) como esse fez muito bem em trazer esse assunto à tona.

    Vou tentar me policiar para trabalhar mais em pé quando possível. É algo que às vezes faço incorretamente pois deixo o notebook na mesa e fico olhando pra ele de pé. O lance tem que ser ter um apoio mais alto pra acompanhar.

    Abraço.

  4. Jônatas R. Silva 27 de outubro de 2011 at 14:30 #

    Grande Guilherme,

    É uma mudança grande de paradigma.
    Mas que ficar muito sentado aumenta a circunferência abdominal é fato.
    Agora ficar muito tempo em pé e parado causa varizes.

    Sei lá, equilíbrio é o certo.

    Abraço

  5. Franco 27 de outubro de 2011 at 16:49 #

    Bom, fiquei interessado. Já trabalho sentado o dia todo e sem chance de mudar o esquema. O máximo que faço, ao contrário dos colegas, que sempre reclamam de dor nas costas, é levantar pra chamar a pessoa em vez de passar a ligação. Tb evito ligar pra quem trabalha no prédio, vou tratar pessoalmente. Acho que ajuda. Além disso, sou o único que não usa cadeira giratória que eu acho melhor pra cochilar que pra trabalhar. Por isso nunca roubaram minha cadeira: ela é dura! A propósito, já ouvi dizer que os japoneses envelhecem bem, entre outros motivos, pelo costume de sentar em bancos de maciça, sem encosto, o que mantém a postura. Mas aí já é demais!
    Agora em casa prefiro ficar deitado ou em pé, nunca sentado! Justamente por isso não me animava a comprar um rack para o micro. Gostei da idéia. Posso montar uma bancada alta e usar um banco alto tb, daqueles de cozinha americana. Aí dá pra alternar entre uma postura e outra.
    Valeu pela dica!

  6. Luciano 27 de outubro de 2011 at 23:23 #

    Assunto tenso… muito tenso (risos). Ok, vão me chamar de doído no trabalho… tudo bem, vamos lá… vamos tentar… rsrs
    Parabéns! Post muito interessante.

  7. Victor 28 de outubro de 2011 at 9:59 #

    Eu já pensei em trabalhar de pé, alguem sabe como montar uma bancada alta ?
    ou algum site que venda esses tipos de bancadas?

    abraços
    até mais

  8. Luciene Soares 28 de outubro de 2011 at 21:26 #

    Olá Guilherme,
    Trabalhei anos da minha vida de pé, e em movimento,em uma determinada ocasião, trabalhei sentada por apenas 6 meses,confesso que me senti bem estranha, eu tinha a sensação que minha barriga crescia a cada minuto.
    E preciso te contar que estes anos trabalhando de pé, não pouparam a minha coluna (mas isto não tem haver com estar de pé, e sim com o tipo de trabalho que realizava).
    Contudo, ainda prefiro trabalhar de pé.

  9. pobretão de vida ruim 29 de outubro de 2011 at 21:08 #

    Concordo que não fomos feitos para ficar sentados na frente do cpu.

    Mas que cansa pra kacete ficar em pé cansa. Deveria ser meio a meio.

  10. Leandro 30 de outubro de 2011 at 10:29 #

    Eu trabalho de pé por cerca de 12h há 7 anos. O excesso sem dúvida é prejudicial. Uso meias elásticas para a prevenção de varizes e inchaço nas pernas. Ficar em pé e estático não é a mesma coisa que trabalhar caminhando (carteiros p.ex.)ou se movimentando ativamente.
    O ideal seria ter uma bancada ajustável, se cansar de pé, abaixe a bancada e sente. Ficou com a bunda quadrada? Levante a mesa e trabalhe de pé.

  11. Guilherme 30 de outubro de 2011 at 17:50 #

    MJC, o tipo de calçado influencia no conforto, por isso a dica é usar calçados confortáveis.

    Zé, pontos bem ponderados. Ficar de pé cansa. O que significa, por outro lado, que a pessoa está queimando calorias. =) Nos EUA o assunto está rendendo porque os americanos, em geral, estão virando uma população de obesos. No Brasil essa preocupação não existe em proporções como as existentes nos EUA, o povo daqui se anima a malhar mais. 🙂

    Roberto, obrigado! A proposta do blog é sempre trazer assuntos inéditos, validados cientificamente lá fora, e que inspirem as pessoas a quebrar paradigmas. Aconteceu com a abordagem do investimento em fundos de índice, e agora com o trabalho de pé. Dizer mais do mesmo é cansativo e não adiciona valor aos leitores: daí a minha busca por temas inovadores e, ao mesmo tempo, com potencialidade para serem úteis para os leitores.

    Jô, disse tudo: equilíbrio!

    Franco, bem interessante sua idéia! Aliás, foi nessa linha que eu fiz: peguei uma cômoda pequena de madeira (com duas gavetas), que estava sem uso no quarto, do lado da cama, e a coloquei em cima da mesa da sala de jantar. O monitor ficou em cima da cômoda, na altura perfeita dos olhos, na horizontal (em posição de pé: olho para o monitor sem curvar o pescoço nem pra baixo nem pra cima). Já o teclado ficou acomodado em cima da gaveta superior, que fica semi-aberta, na altura perfeita dos braços, formando um ângulo de 90 graus com os braços – posição ergonomicamente mais recomendável.

    Luciano, obrigado!

    Victor, no Brasil, não conheço empresas que fabricam esse tipo de móvel. Nos EUA, uma empresa chamada Ikea vende já produtos perfeitamente adaptáveis. Por ora, na (quase) impossibilidade de importação direta desses produtos, o negócio é improvisar, como fiz com a cômoda em cima da mesa da sala de jantar.

    Luciane, muito legal seu depoimento! Que bom que aprovou!

    Pobretão, cansa mesmo, principalmente nas primeiras horas. Mas depois você acostuma seu corpo. Por incrível que pareça.

    Leandro, legal seu depoimento. Concordo que a bancada ajustável seria a melhor opção. Quem sabe ela não surge no futuro!?

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  12. @maedabr 1 de novembro de 2011 at 14:31 #

    Já me falaram nessa idéia algum tempo atrás numa consultoria aqui na empresa onde trabalho. Achei bastante interessante mesmo.

    Hoje não temos opção nas empresas no Brasil. Seria legal se tivesse um misto, tipo uma bancada alta dessas com um banco alto também. Esse tipo de banco pode ajudar na transição, porque dá pra ficar sentado um pouco mas não muito tempo por ser desconfortável.

  13. Tiago Pimentel 1 de novembro de 2011 at 23:28 #

    Fantástico artigo e fantástico site. Estou fã! Continuem com o bom trabalho!

  14. Guilherme 4 de novembro de 2011 at 9:29 #

    Maeda, uma opção mista seria realmente interessante. Se alguém souber de uma loja/fábrica/empresa que venda esse produto, favor postar aqui. 🙂

    Tiago, obrigado!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  15. Anderson 7 de dezembro de 2011 at 10:28 #

    Tem o pessoal do computador + esteira:

    http://oceanusweb.blogspot.com/2010/01/usando-o-computador-e-se-exercitando-na.html

  16. Guilherme 7 de dezembro de 2011 at 14:54 #

    Anderson, isso é o que eu chamo de aproveitamento máximo do tempo….rsrsrsrs….valeu pelo link!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  17. Paula Otsubo 23 de junho de 2012 at 1:05 #

    Moro e trabalho no japao há 10 anos aqui o serviço é a maioria de pé,trabalho 14 horas por dia de pé,com intervalos de 2 em 2 horas de descanso de 10 minutos e um almoço de 45 minutos.Sinto dores no calcanhar,costas e joelhos!!Terriveis isso!!!

  18. lucien 13 de dezembro de 2012 at 23:11 #

    trabalho seis horas por dia em pé,é muito cansativo,mais minha coluna agradece!

  19. WiLL 14 de março de 2013 at 21:28 #

    Eu trabalho como mensageiro de uma farmacia hospitalar, então carrego medicamentos e correlatos (sonda, cateter etc) pra cima e pra baixo o dia inteiro. No primeiro mes, quase desisti. Hoje, 8 meses depois, não consigo mais pensar em trabalhar sentado, também é possível perceber que trabalhar não só em pé, mas andando, melhora todo o funcionamento do corpo. Dificilmente sito cansaço e quase nunca pego gripes ou resfriados. É simplesmente incrível.

  20. Ivan 29 de julho de 2013 at 15:05 #

    Tenho trabalhado em pé esta semana por conta de mudança e a sala ainda está completamente montada. Nos primeiros dias senti um cansaço extremo, mas depois já estou até adaptado e notei que emagreci e ganhei uma disposição, até a barriga diminuiu.

  21. Tiago 8 de setembro de 2014 at 11:56 #

    Estou pensando em construir uma standing desk aqui. Alguém sabe onde eu acho um tapete de gel pra aliviar os pés? Como esse aqui: https://myupdesk.com/store/product/smart_step_supreme_mat_black

    • Guilherme 10 de setembro de 2014 at 10:09 #

      Tiago, em lojas de produtos para casa – móveis e decoração – você deve encontrar esse tipo de produto.

  22. daniele 5 de outubro de 2014 at 0:31 #

    Eu sempre trabalhei sentada e agora no meu novo serviço sou obrigada a ficar de pé umas 7 horas por dia.

    Como eu uso tênis eu estou amando, muito melhor que sentado.

  23. Bolivar 14 de maio de 2015 at 19:44 #

    Trabalho em pé a um mês, das 13 as 21, estou um pouco acima do peso por isso quanto esta acabando o expediente fico exauto, mais estou muito mais disposto que antes que ficava 8 horas sentado, so tenho que perder peso. E escolher um bom calçado como disse a Daniele.

  24. Salvino Alan Bastos 9 de fevereiro de 2017 at 14:15 #

    Já temos um fornecedor de mesas com regulagem elétrica no Brasil, produto de confiança e empresa com mais de 32 anos no mercado. http://www.baherstore.com.br

  25. James Barroso 6 de junho de 2017 at 14:41 #

    Matéria de grande interesse público.

    Parabéns!!!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes