Bolsas de Valores: da depressão à euforia. Os cuidados do investidor [versão 2011!]

O Sr. Mercado é realmente um sujeito irracional, que apresenta distúrbios emocionais que se manifestam de modo mais intenso em momentos de crise econômica. Quem acompanha atentamente o mercado financeiro está sendo testemunha ocular desses movimentos singulares que se dão em curtos espaços de tempo, como foram esses dois primeiros pregões da semana. Ontem, conforme anunciamos aqui no blog, no artigo Dia histórico para a Bovespa, vimos um Sr. Mercado depressivo, profundamente abalado, totalmente em pânico, que por pouco não teve que tomar coffee break acionar o circuit breaker.

E hoje foi a vez da outra face dessa personalidade se manifestar: tivemos um Sr. Mercado irracionalmente eufórico, totalmente ganacioso, e ávido por comprar, comprar e comprar.

A criação desse personagem fictício, Sr. Mercado, é atribuída a Benjamin Graham, e serve para ilustrar muito bem como os agentes econômicos podem agir por impulso em momentos de turbulência. Em 2008, também foi assim: muita volatilidade. Num dia, baixas de dois dígitos. No outro dia, altas espetaculares. O mercado estava literalmente doidão. Nós já vimos esse filme antes, e o chamado “repique de alta” confirmou sua existência no dia de hoje, como, aliás, já havíamos alertado ontem.

O fato é que a Bolsa cair muito num dia, e subir loucamente no(s) dia(s) seguinte(s), não é novidade, tanto é assim que escrevemos sobre esse mesmíssimo fenômeno no ano passado, no artigo Bolsas de Valores: da depressão à euforia. Os cuidados do investidor. As orientações dadas naquela ocasião permanecem tão válidas quanto nos dias atuais:

“Dessa forma, o investidor deve manter o controle emocional em seus investimentos. Você não pode ser como um “Maria-vai-com-as-outras” quando o mercado sobe como um foguete, a exemplo do que aconteceu no dia de hoje, pois não se sabe como a Bolsa irá se comportar no dia de amanhã. As chances de sofrer prejuízos, operando no curto prazo, em momentos de alta volatilidade, como os presenciados nesses últimos dias, são grandes.

Por outro lado, quando o Sr. Mercado entra em depressão súbita, como ocorreu na semana passada, principalmente na quinta-feira, o investidor tampouco deve vender todas as suas posições, principalmente se for um investidor de longo prazo. A recomendação mais adequada é a de compra, quando a Bovespa apresenta sinais de quedas, mas o investidor também não pode “queimar” todas as suas reservas financeiras, e comprar tudo de uma vez só, pois a Bolsa pode cair ainda mais depois.

Se você for um investidor de longo prazo, quedas são, sim, oportunidades para comprar ações de boas empresas a preços mais baratos, mas essas compras devem ser feitas de forma moderada, lenta e gradual. Não tenha pressa nem ansiedade em comprar ações agora, pois o preço pode ficar ainda mais barato depois. Também não se lamente caso as ações subam a patamares, digamos, superiores aos que vinham apresentando, pois sempre haverá momentos de  boas oportunidades de pontos de entrada mais adiante.

O negócio é agir com cautela, ser paciente e ir formando a sua boa reserva em renda fixa enquanto isso“.

É evidente que o pregão de hoje representa uma anormalidade, mas com uma boa explicação: a Bolsa subiu muito hoje porque havia caído muito ontem, assim como está caindo muito nesse ano porque subiu demais nos últimos dois anos (particularmente em 2009). Nenhuma novidade aqui. Portanto, não acreditem nesse papo aranha de haver uma suposta “injustiça” com o fato de a Bolsa brasileira ter caído muito mais que as demais Bolsas mundiais. O mercado é assim mesmo.

Se ontem foi um ótimo dia para acompanhar de perto o pregão, hoje foi um dia para ficar bem longe dele. Afinal de contas, você deve ter medo quando os outros forem gananciosos, e ser ganancioso quando outros tiverem medo. Ontem foi um bom dia para ser ganancioso. Hoje foi um bom dia para ter medo. E amanhã? Não sei. Quem tem uma estratégia de investimentos definida, uma boa política de alocação de ativos, disciplina e metas não financeiras ajustadas aos seus objetivos financeiros, sabe muito bem o que fazer e o que não fazer, seja em mercados de alta, seja em mercados de baixa, seja ainda em mercados que “andam de lado”. Tudo passa pelo filtro da boa educação financeira e da vontade de adquirir cada vez mais conhecimento, a fim de estar preparado para enfrentar qualquer mercado, em qualquer situação. 😉

Então só me resta dizer a você: bons estudos! 🙂

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Print Friendly, PDF & Email

7 Responses to Bolsas de Valores: da depressão à euforia. Os cuidados do investidor [versão 2011!]

  1. Tito Financeli 9 de agosto de 2011 at 23:27 #

    Muito bom relembrar o artigo, Guilherme.

    É impressionante como o efeito manada é fácil de ser percebido nesses dias de volatilidade.

    Eu sempre vou contra a maré. Quando tá todo mundo vendendo, eu compro. Quando tá todo mundo comprando, eu espero até que surja uma nova oportunidade de compra, sempre seguindo a estratégia de comprar bons ativos a bons preços, obviamente.

    Grande abraço

  2. WeB 9 de agosto de 2011 at 23:44 #

    Não custa lembrar que no auge da crise de 2008 também ocorreram esses repiques de alta.

  3. Jeferson da Luz 10 de agosto de 2011 at 11:54 #

    To vendo que ficar quase 1 ano sem investir na bolsa para pagar meu casamento não está sendo tão ruim. Quando eu quitar os investimentos com a festa, estarei livre para comprar ações novamente…Espero que a depressão da bolsa dure um pouco mais, para dar tempo de começar a comprar…hehe

  4. Henrique Carvalho 10 de agosto de 2011 at 13:10 #

    Recordar é Viver! 🙂

    Abraços amigo!

  5. Finanças Inteligentes 10 de agosto de 2011 at 14:40 #

    “Afinal de contas, você deve ter medo quando os outros forem gananciosos, e ser ganancioso quando outros tiverem medo”

    Falou tudo!

    Crise é oportunidade. Vamo que vamo!

    Abcs!

  6. Heavy Metal 10 de agosto de 2011 at 21:00 #

    Aos que não se acostumaram com o mercado, aproveitem para aprender: não será a primeira nem a última CACETADA que da darão no IBOV. Nossa Bolsa é uma piada perto do mercado Americano. Somos extremamente PEQUENOS e manipulados pelos gringos:

    – Eles vendem contratos futuros no Brasil as toneladas.
    – Vendem dólar e compram reais.
    – Vendem descoberto nossas ações, alugadas também as toneladas.
    – Tocam o terror nas notícias e fazem a manada tresloucada se mover na direção que querem: QUEDA.
    – Nossas boas empresas ficam baratas e os dividendos igualam ou batem a Renda Fixa nestas quedas.
    – Gringos, então, começam a comprar ações e zerar posições vendidas em contratos futuros.
    – Compram também opções ao preço de pó… Zeram venda de dólar (trocam a mão) e passam a comprar o mesmo.
    – Mercado começa a subir, a manada louca agora segue mais uma vez no sentido que eles querem… ALTA!

    E o ciclo se repete. Em briga de cachorro grande, que apanha é o pequeno. Nós, brasileiros, somos pobres mini-poodles. Quem manda e ganha nestes moviemntos são os gringos e grandes especuladores (tipo, Sr. Soros). O que nos resta?

    – Ser um traider.
    – Ser um holder.
    – Ser um misto dos dois.

    Cada um com sua estratégia. Eu optei por ser holder, fazer Asset Allocation, reinvestir dividendos e realizar compras mensais. Vivo mais em Paz. Em 2008, fiquei sem dormir. Em 2011, sonho em ter mais dinheiro para comprar mais nas quedas mais fortes.

  7. Guilherme 11 de agosto de 2011 at 15:58 #

    Tito, estratégia “contrarian” na veia! 😀

    WeB, verdade. Que mercado louco aquele de 2008!

    Jeferson, e eu acho que essa crise vai tomar ainda um bom tempo…..rs

    Henrique, de acordo!

    F.I., #tamojunto!

    Heavy Metal, excelentes comentários! Em 2008, era um traider. Hoje, prefiro ser um holder. E durmo o sono dos justos. 😀

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes