CBN: Mauro Halfeld, enfim, reconhece a existência de uma bolha imobiliária no Brasil…

Sou ouvinte diário do programa do Mauro Halfeld na CBN, e sempre gostei dos comentários sobre finanças pessoais e investimentos, que ele realiza. Seus programas diários são (lamentavelmente) curtíssimos, em média, menos de 2 minutos, mas são de uma didática muito boa, o que revela, afinal de contas, seu currículo profissional: quem tem PhD no MIT deve ter alguma coisa a nos ensinar em matéria de economia. Suas opiniões são muito sensatas, e destaco aqui algumas das dicas que ele rotineiramente nos oferece:

– Escolha investimentos com baixas taxas de administração;

– Na renda fixa, o Tesouro Direto é uma ótima opção;

– Na Bolsa de Valores, a diversificação dilui os riscos, por isso, recomenda-se o investimento em PIBB11 (depois de ler dúzias de livros norte-americanos sobre alocação de ativos, agora estou começando a dar razão para ele…);

– Tudo o que é medido é melhor controlado: faça um registro de suas despesas domésticas;

– Preste atenção na formação de sua reserva de emergência;

– Tenha planos de consumo consciente, e evite cair na armadilha das dívidas e do crédito fácil;

– E assim por diante.

São conselhos básicos, que às vezes se repetem à exaustão, mas que são importantes. Insistir na repetição da verdade é importante porque tem muita mentira sendo contada por aí.

Como eu disse acima, os programas diários dele normalmente têm menos de 2 minutos de duração. Na segunda-feira, fiquei surpreendido ao ver, no podcast, que o programa tinha quase 3 minutos e meio, ou seja, 75% a mais de duração. Quando eu li o título do programa, “Crédito fácil triplica valores de imóveis de baixa renda em cinco anos”, pensei: “xiii, de novo vai  ele falar que é um bom negócio financiar um imóvel usado pelo Sistema Financeiro de Habitação…”……rsrsrss

Mas fiquei surpreso.

O programa não tratava disso. Em tom bastante cauteloso, Halfeld nos alertava para os sinais de que o Brasil possa, enfim, estar vivendo o processo de formação de uma bolha imobiliária, e isso em todos os setores. Imóveis de baixa renda estão sendo terreno fértil para a ação de especuladores. Imóveis de luxo às vezes só podem ser comprados na planta, por preços altíssimos. Aluguel de imóvel comercial no Rio de Janeiro está mais caro do que em Nova York. Em algumas regiões do Brasil, vale mais a pena pagar aluguel do que ficar amarrado numa prestação mensal  de financiamento que vai engolir boas décadas de vida financeira… De acordo com Halfeld, daqui a pouco, só vai conseguir comprar imóvel próprio quem se sujeitar a pagar financiamento por longos 30 anos…

A questão da existência ou não de uma bolha imobiliária é um tema polêmico e divide especialistas. Lilian Gallagher, em artigo publicado em seu blog pessoal, e o Dr. Money, também eu seu respectivo blog (aliás, ótimo blog, que descobri recentemente, com artigos muito legais), entendem que não existe bolha imobiliária no Brasil, e apresentam os argumentos que expõem seus respectivos pontos-de-vista.

Já outros colegas, como o Zé da Silva, Fábio Portela, e EvertonRIC, entendem que existe, sim, bolha imobiliária no Brasil, e lançam também ótimos argumentos em favor de suas opiniões.

Quem está certo? Quem não está? Só o tempo dirá… 🙂

E você? Acredita na existência de uma bolha imobiliária no Brasil? Participe! Deixe sua opinião na caixa de comentários!

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

p.s.: outro tema “imobiliário” que está dando o que falar nessa semana é a reportagem da Folha com o seguinte título: “Com consórcio, imóvel pode sair pela metade de um financiamento“.

Print Friendly, PDF & Email

31 Responses to CBN: Mauro Halfeld, enfim, reconhece a existência de uma bolha imobiliária no Brasil…

  1. MJC 4 de maio de 2011 at 8:48 #

    Independente de quem esteja certo, como o próprio Halfeld disse hoje (Quarta, 04/05/2011, ‘Devo vender um apartamento para aplicar em renda fixa?’), os preços estão caros, mas isso não siginifica que não vá subir mais.

    Eu só não apostaria pra lado nenhum. Tenho o meu (moradia). Não vendo achando que está caro (pode subir e eu ficar sem casa) e também não compraria outro como investimento (pode estabilizar ou desvalorizar). Prefiro deixar quieto e mexer com outras coisas que me parecem mais “seguras” no momento.

  2. Afonso Ribas 4 de maio de 2011 at 9:28 #

    Caso esta bolha estoure, qual seria o resultado ou conseqüências em nossos investimentos?? Os FIIs serão muito abalados?
    Já existe algum post neste sentido?

    Grato,
    Afonso

  3. Jônatas 4 de maio de 2011 at 10:32 #

    Guilherme,

    Eu vejo uma bolha, mas que ainda irá demorar a estourar. Estou inclusive negociando a venda de minha casa, que está alugada, por achar que o momento é oportuno para ganhar dinheiro.

    Abraço.

  4. Finanças Inteligentes 4 de maio de 2011 at 10:50 #

    Acho que só podemos afirmar com 100% de certeza que existe uma bolha depois que ela estourar rsrs…

    Que os preços estão inflados, sem dúvida estão. Acho que o mercado chegou em um limite, mas para os preços caírem fortemente só com uma retração econômica mesmo, gerando um calote no setor.

    Abcs,

  5. Jeferson da Luz 4 de maio de 2011 at 11:44 #

    Guilherme

    Este foi apenas o primeiro, dos grandes economistas da midia, que estão admitindo que há uma bolha. E você sabe o quanto que a midia é tendenciosa, e tentam negar a todo custo. Veja o site bolhaimobiliaria.com e veja quantos artigos com estudos sobre o assunto que há.

    Abraço

  6. Leandro 4 de maio de 2011 at 12:19 #

    Depende muito do local. Já conversei com diversos corretores e a opinião é muito parecida: “enquanto houver crédito, os preços subirão”. A bolha vai estourar a partir do momento em que o governo aumentar a taxa de juros para financiamento, diminuir os prazos ou secar a fonte do FGTS, que estimam, durará até 2014.

    A explicação que sempre me deram é a seguinte: O cara que mora num imóvel de 200k quer ir para um de 300k. O de 300k para um de 400k e assim sucessivamente. As pessoas compram por impulso, não adianta. A meia dúzia de abnegados como nós, que pensa para comprar, é a exceção nesse país de loucos. Ou seja, desde que o momento econômico do país ajude, não vejo o estouro de bolha por enquanto. É certo que determinadas regiões (Copacabana, por exemplo) estão com o m2 muito alto (na casa de 10k por m2 construído, em apartamento beira mar). É caro? É barato? Não sei, sei que por esse preço eu NÃO COMPRARIA, mas também não sei se venderia. Talvez sim…

    Na minha região os apartamentos ainda não estão nem próximos desse preço, então não esquento a cabeça por enquanto. Sigo investindo em imóveis, pois acho que a bovespa vai lateralizar por um bom tempo, até o governo resolver a questão da inflação. Creio, também, que depende muito do Minha casa Minha vida. Ele é que dá os preços de um apartamento básico hoje em dia e é natural que os demais subam conforme o valor do plano evolua. Atualmente o teto para regiões metropolitanas é de R$ 170.000 e em SP, só se acha esses apartamentos em periferia ou em outros municípios (tipo Cotia, p. ex.). Ou seja, um apartamento em um bairro bom de 70m2 não vai custar menos de 400k…

    É a minha opinião. Também gosto do Mauro Halfeld, principalmente da parte que ele diz “aproveite o seu fim de semana”. Investir alucinadamente sem aproveitar a vida também não é o ideal.

    Abs!

  7. Gui 4 de maio de 2011 at 14:31 #

    Em típico movimento de manada, basta constatar que os preços subiram para, de repente, todo mundo sentir que precisa comprar logo um imóvel, para morar ou investir, e foi isso que aconteceu/ainda acontece no mercado imobiliário.
    .
    O preço dos imóveis também subiu em função do aumento da oferta de crédito, mas isso tem limite, e a relação crédito/PIB não é historicamente pequena no Brasil à toa, a tendência é continuar pequena porque a taxa básica de juros é alta e os riscos dos bancos são grandes.
    .
    Aliás, financiamento = compra alavancada, que compromete boa parte da renda da família por décadas, isso não é sinal de saúde em uma economia…
    .
    Em termos relativos, também é ridículo que um apartamento aqui seja mais caro que um apartamento maior e melhor em Miami…
    .
    Pra finalizar, o indicador objetivo mais confiável, que é a relação entre o preço do imóvel e o do aluguel, revela que os imóveis estão MUITO caros.
    .
    Essa mentalidade de que só se compra imóvel se for financiado é típica de um povo que compra qualquer coisa, por qualquer preço, desde que a parcela “caiba no bolso”.

  8. EvertonRic 4 de maio de 2011 at 19:07 #

    Primeiro gostaria de agradecer o Guilherme pela citação. E deixar claro que não sou contra quem compra imóveis para morar ou investir, só acho e creio, que os valores estão caros e isso mostra uma bolha no mercado de imóveis no Brasil.
    O Mauro da CBN já está dizendo para todos “abrinrem os olhos”, ou seja, tome cuidado quando for comprar imóveis.
    O comentário do amigo Gui, logo ai acima, diz tudo. Ótimo comentário, sem palavras.
    Comprar imóveis financiado neste momento é pior que comprar à vista, pois a situação está tornando algo assutador. O crédito está facilitado, porém a população um dia terá consciência do ocorrido, assim espero.
    Tento apenas alertar a todos. Não faço críticas ou dou sugestões, apenas mostro meu ponto de vista perante a real situação dos valores praticados no mercado imobiliario brasileiro nos dias de hoje.
    Abraços a todos.

  9. Dr. Money 4 de maio de 2011 at 23:20 #

    Guilherme, em primeiro lugar gostaria de agradecer a simpática citação ao meu blog. Além disso, aproveito para mencionar a continuação do artigo por você citado (http://cuidandodoseubolso.blogspot.com/2011/02/ainda-bolha-imobiliaria-no-brasil.html), que rebate uma das objeções ao primeiro artigo. Um complementa o outro.
    Abraço

  10. Rony Melo 5 de maio de 2011 at 23:20 #

    eu estava procurando AP pra comprar juntamente com minha noiva e me assustei com os preços. Fiz uma pequena pesquisa com todos conhecidos que compraram AP nos ultimos 3 anos e houveram aumentos de 80% a 100% do valor do imóvel. Um absurdo, na minha opinião.
    O engraçado é que todos justificam o aumento aqui na minha capital( recife e região metropolitana) como decorrente do crescimento da economia do estado por conta do porto de suape. Como se todos que fossem trabalhar em suape pudessem comprar cubículos de 65-70 m2 por R$ 200-230 mil.
    Coisas recorrentes que noto nas opiniões são ” fazer o que, se o preço é esse mesmo?”; ” a caixa financia em trocentos anos e prestação cabe no bolso”;
    enfim, resolvi não comprar agora, juntar uma grana maior para comprar com uma boa entrada nos próximos 3 anos. E se os preços estagnarem ou diminuírem sua taxa de valorização, será uma bom negócio.

  11. Rodrigo 6 de maio de 2011 at 18:59 #

    Dando minha opinião como aspirante a comprador, vejo que os imóveis estão demasiadamente sobrevalorizados em São Paulo, devido a especulação. O governo aumentou a oferta de crédito, porém o valor dos imóveis aumentou em um ritmo muito maior. A verdade é que maior parte da população não pode pagar 140 mil reais em apartamentos de 43 m² como esses da MRV, Cyrella, e afins.. Resultado, as ações das construtoras já caíram em média mais de 20 % esse ano, resultado que não era esperado. tenho procurado um imóvel para morar, visitando com o corretor, vejo muitos que já estão vendidos e se encontram vazios. Empreendimentos para a Classe C estão sendo comprados por especuladores para posteriormente serem vendidos por preços que a Classe C não pode pagar! Para conseguir um subsídio do minha casa minha vida de 23 mil, o trabalhador da classe D tem que dar um valor de entrada do qual não dispõe!! Se o trabalhador ganha 800 reais por mês, onde ele vai conseguir mais de 70 mil pra dar de entrada num imóvel de 135 mil?? Os especuladores estão inflando a bolha, porém, quando ela estourar (aposto que nas proximidades da Copa, assim que acabar o oba oba, antes ou depois de 2014) as consequencias serão bem mais brandas do que foram nos EUA, pois os bancos estão suficientemente blindados pelas altas taxas de juros. As construras também tem ganho dinheiro com a especulação desenfreada.. Quem mais tem a perder são as classes C e D, que estão comprando seus imóveis sobrevalorizados assumindo dívidas de trinta anos..

  12. Guilherme 8 de maio de 2011 at 16:18 #

    Afonso, os FIIs podem sim refletir um eventual estouro de bolha. Só o tempo dirá…

    Dr. Money, legal o link citado!

    Obrigado a todos os demais pelos comentários! Os debates estão bem interessantes!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  13. Fernando 8 de junho de 2011 at 20:08 #

    Não confundam bolha com inflação. Devemos é deixar de reclamar do preço do imóvel e passar a correr atras do aumento real de salários. O governo está injetando dinheiro na classe de baixa renda o que tem aquecido em muito o mercado de maneira geral. Melhor seria reduzir o custo Brasil e valorizar a nossa moeda para comprarmos mais com menos reais. Com a inflação de volta quem perde são os de menor poder aquisitivo.

    • Eskeleto 20 de março de 2013 at 16:31 #

      Não é confusão, você quer que aumente o salário isso não adianta, pois vai subir tudo e trará mais inflação. E essa mentalidade de valorizar o real está totalmente errada, se valorizar o real ai que não teremos emprego, veja as notícias de hoje temos o pior fevereiro em geração de empregos desde 2009 além de estarem demitindo e contratando com salários menores. Oque precisa fazer é conter a inflação subindo a selic 1 ponto pelo menos, mas sei que será feito de 0,25 por vez até que 2013 e 2014 esteja perdido mesmo. Acesse bolhaimobiliaria.com lá tem muitos argumentos para todas as situações. Tem informações para 1 ano de leitura.

  14. Guilherme 8 de junho de 2011 at 20:46 #

    Boa observação, Fernando. A inflação é um dos inimigos ocultos mais difíceis de lidar, em nossos investimentos e em nossos atos de consumo.

  15. PAULO CÉSAR PEREIRA 20 de julho de 2011 at 10:01 #

    Eu estudei com o Mauro Halfeld e mantenho contato esporádico com ele.

    Ele me indicou vários livros e me treinou.

    Eu tenho uma ideia um pouco diferente da dele sobre a BOLHA IMOBILIÁRIA. Ela existe, mas não estoura do nada. A BOLHA IMOBILIÁRIA vai estourar somente quando o Brasil passar por este BOOM que deve durar uns 30 anos.

    • Wilian Delatorre 20 de março de 2013 at 15:34 #

      Sapoia adoro os seus vídeos e materiais de Internet. Mas eu penso que você está utilizando experiências e fatos que se desenrolaram em outros países e esquecendo que o nosso país possui características ímpares. Por exemplo, as cotações de commodities. Do que adianta o soja estar bem cotado na bolsa de Chicago se o custo de entrega no Brasil é altíssimo? Sem falar em gargalos estruturais e burocracia excessiva em outras áreas. Abraços!

  16. Guilherme 20 de julho de 2011 at 12:28 #

    Olá, Paulo! Obrigado pela participação!

    De fato, o tema é polêmico e suscita debates acalorados. Vamos aguardar até onde vai o boom imobiliário!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  17. André 5 de agosto de 2011 at 11:23 #

    Gostei do post e também dos comentários. Com certeza posso me basear no mercado imobiliário e seus lados da moeda passando por aqui. Obrigado.

  18. Cleber 28 de setembro de 2011 at 14:16 #

    Acho que estamos longe de uma bolha, mas perto de uma equalização do m2 em determinadas regiões , devido ao crédito fácil.
    Acho que as especulações tenderão a diminuir …o mercado imobiliario já esta se equilibrando, embora a euforia de se ter a casa própria…não existe mágica por muito tempo, muito menos especulção….nesse mundo tudo tende ao equilibrio…até mesmo depois da tempestade…

    • Eskeleto 20 de março de 2013 at 16:46 #

      Pesquise o mercado imobiliário, essa ideia sua está completamente errada, pode ter crédito fácil, mas para financiar um apartamento de 300k com entrada de 80k você precisa de uma renda acima de 6k e hoje quem ganha isso?
      Quem poupa isso para dar de entrada?
      Se não der entrada você precisa ser um salário de 10k.

    • Eskeleto 20 de março de 2013 at 17:02 #

      Esqueci de comentar o mais importante: Pesquise o mercado imobiliário e verá também descontos de 20 30 e até 40% você acha isso um ajuste? Isso é uma bolha, pois ninguém dá desconto assim, desde quando eu nasci até hoje eu considero desconto oque você barganha depois do preço que lhe oferece e não um panfleto ou um flanelinha imobiliário que lhe oferece um desconto sem ao menos você pedir, e ainda diz que vai fazer isso porque você é legal sendo que lhe conheceu depois de 2 minutos. Caso eu esteja confuso vou exemplificar: apartamento custa 800k ( bolhudo ), mas estamos dando um desconto de 30% saindo então por 560k ou seja aquilo eles acham que vale 560k e não que lhe deram um desconto agora você analisa o imóvel e fala com o cara olha eu ofereço 480k, a cara fala que não dá e depois de 1 mês liga e fala que é possível fechar por 500k. Como pode alguém fazer algo assim tirar 300k do valor de algo e dizer que isso não é bolha? E isso vem ocorrendo desde o meio de 2012 e agora a tendência é aumentar esses “descontos”.

  19. Guilherme 2 de outubro de 2011 at 17:16 #

    André, grato!

    Cleber, pois é, uma correção e estabilização maiores devem ocorrer daqui pra frente!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  20. Wilian Delatorre 20 de março de 2013 at 15:26 #

    Até o Paulo Cesar Pereira por aqui!? Eita Sapoia!

    Estamos vivendo sim uma bolha imobiliária. E os principais fatores são: crédito farto e movimento especulatório. Nada pode crescer de forma sustentável por 30% ao ano. Na minha cidade (Balneário Camboriú) o metro quadrado de aptos da 3º quadra saltou de R$ 2.000,00 para R$ 6.000,00 em apenas 3 anos. A medida que o crédito cresce o preço aumenta. Em breve os especuladores que compraram na planta verão a própria construtora vendendo os aptos por bem menos da data de assinatura do contrato.

  21. Eskeleto 20 de março de 2013 at 17:06 #

    Não podemos esquecer de Samy Danna e também Adolfo Sachsida que são economistas que acreditam e defendem que existe uma bolha e eles foram os primeiros a afirmarem isso.

  22. foxbravo 20 de março de 2013 at 18:28 #

    Com 300K não se compra nada descente em São Paulo/SP. Mesmo assim vejam a simulação na CEF:
    80K de entrada. Prestação de 2.030,00 em um plano de 420 meses!
    A prestação é decrescente, ok. Mas demora uns 10 anos para começar a sentir a redução.
    Para pagar 2K de prestação tem que ter uma renda familiar bruta de 8.560,00 considerando 30% de comprometimento da renda líquida. Tá fácil comprar imóveis em SP.

    • Eskeleto 20 de março de 2013 at 19:05 #

      Like

  23. Pedro 21 de março de 2013 at 9:54 #

    O próprio balanço das construtoras com capital aberto e mostram que o setor não anda bem das pernas… Além do mais, em qualquer prédio novo que se construa 70% são “investidores”, hoje eu vivo isso no meu prédio em que há 30% de inadimplência no condomínio justamente por esses “investidores” que não querem baixar os preços e esquecem do TCO mesmo que baixo em função do valor do imóvel. Acredito que os preços nos patamares atuais não são sustentáveis no médio prazo, talvez vão segurar até a copa do mundo e enquanto permanecemos no pleno emprego. No entanto sabemos que a economia é cíclica e no menor sinal de reversão desse cenário as coisas vão desandar.

  24. Jorge Conrado 25 de abril de 2014 at 12:06 #

    Postagens de 2011!!!

    Exatamente quando um diretor da empresa vendeu sua bela e grande casa por 600k, aplicou o dinheiro porque achava que a bolha ia estourar e ficou vivendo de aluguel.

    Hoje o mesmo ainda está vivendo de aluguel, pagando caro porque foi a inflação subiu e o aluguel aumentou. Seu dinheiro poupado ao invés de aumentar, diminuiu porque ele aplicou no Tesouro direto ( recomendado pelo Halfed !! ) e está tomando um nabo com rentabilidades negativas.

    A casa dele agora ? Vale1,1 Milhão e agora ? De uma excelente casa que possuía hoje ele consegue comprar um apartamentinho ridículo nos preços atuais em São Paulo.

    Mulher fica nervosa em casa, casamento perigando. é isso a tal da bolha ainda não estourou. Foi nos conselhos do mané e se deu mal.

  25. Jorge Conrado 25 de abril de 2014 at 12:19 #

    Não teremos bolha porque ?

    1-) O brasileiro paga caro, aceita pagar caro. Se constroem um castelo de areia, tem comprador. Mesmo sem dinheiro o cara se endivida e compra pra querer se mostrar, postar foto da casa nova no facebook pros amigos babarem.

    2-) Nao existe alavancagem como nos USA. com qualquer 5k USD vc comprava uma casa financiada por 30 anos e colocava para alugar. Vc nao consegue fazer isso no Brasil o aluguel nao paga a parcela e a entrada tem que ser boa

    3-) Banco não é trouxa. As taxas/spreads já contemplam calotes. a parcela sobe mensalmente, tudo está indexadissimo coisa que nao existia onde houve a bolha.
    Qnd o banco for tomar a garantia do mal pagador, com certeza o preju estara baixo para o banco e ele nao vai precisar colocar para vender a leilao por qualquer preco.

    Vcs acompanham leilao de casas que foram tomadas ? os precos estao altissimos eles nao entregam por qualquer preco

  26. Meu Nome é Silvino. 29 de janeiro de 2015 at 16:13 #

    Gostaria de saber se O Mauro Rauf Tem escritorio, pois estou interessado em fazer uma consulta mais abrangente sobre financias, aplicaçoões e investimentos…

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes