Compra de pão francês na padaria que custa R$ 1,92 custa… R$ 1,92, ora bolas! :(

É impressionante como tem gente que gosta de ser desonesta e, sobretudo, de agir de forma desonesta, nessa mundo…

Créditos da imagem: http://www.freedigitalphotos.net

Quando você vai pagar alguma coisa em dinheiro em espécie, você costuma conferir o troco? Por quê será que algumas pessoas têm a péssima mania de querer enganar seu próximo? É esse o tal famoso “jeitinho brasileiro”??

Pra resumir: agora há pouco, fui na padaria comprar o pão. Deu R$ 1,92 o preço total. Na hora de ir para o caixa, a atendente passou o pacote no leitor do código de barras, viu na tela o preço e me falou o valor:

– Um real e noventa e dois centavos.

Ok. Saquei da carteira uma nota de dois reais.

———————————-

Um breve momento para uma singela conta de matemática:

2,00 – 1,92 = 0,08

Voltando ao post……..

———————————–

Ela pega a nota de dois reais, e me dá uma moeda de troco.

Eu confiro o valor da moeda….êpa, pera lá! Moeda de 5 centavos? Mas o pão não custou R$ 1,95! Custou R$ 1,92. Educadamente, eu lhe disse:

– Moça, um e noventa e dois.

Aí ela se resigna e passa o troco correto, acrescentando mais 3 moedas de 1 centavo…

————————————

Não, a questão não é pensar se vale a pena ou não “brigar” por causa de R$ 0,03, a questão é fazer as pessoas agirem de forma honesta com você.

Já dizia a Bíblia que “quem é infiel no pouco, será infiel no muito”.

A honestidade não tem a ver com o tamanho das transações financeiras, mas com a atitude das pessoas nessas mesmas transações. Não deixe que a atitude do comodismo, fundada na velha ideia “não vale a pena se chatear por tão pouco”, tome conta de você, pois as pessoas que agem de forma desonesta precisam ser disciplinadas de alguma forma, senão elas ficam estimuladas a continuar a agir de forma irresponsável.

Tenho certeza que a nossa atendente da história acima pensará duas vezes antes de se deparar com uma situação semelhante pela qual eu passei. Afinal, já existirá na mente dela o aviso de que “tentar passar os outros para trás não vale a pena”.

Faça você também a sua parte. Faça valer seus direitos como consumidor. Eventuais desgastes ocorridos numa situação de conflito são largamente compensados pela prevalência da ética nas relações negociais. Até porque quem está com o direito é você, e não o sujeito de má-fé na outra ponta da negociação.

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

EDITADO: o leitor J postou um link para um artigo – “posso ficar te devendo um centavo?” – cujo conteúdo eu concordo integralmente. Nele, o autor esclarece que valores à primeira vista aparentemente insignificantes, do ponto de vista individual, representam uma grande soma, quando considerados em conjunto, representando, no final das contas, faturamento não declarado à Receita Federal, uma vez que o valor acrescido não consta da emissão da nota fiscal.

Como consequência, o fornecedor passa a auferir lucro que não passa a ser objeto de tributação, representando um verdadeiro “presente” para o comerciante. Esclarece-se que o consumidor educado é a melhor maneira de regular o mercado, uma vez que a atividade de consumo passa ser dirigida de forma consciente e orientada.

Deixando de lado questões apenas jurídicas – suficientes, por si só, para afastarem o arredondamento para cima – e considerando apenas questões de ordem econômica, considerou-se um exemplo hipotético onde a “cortesia” dos consumidores poderia representar, num exemplo bastante modesto, a compra de um carro popular zero kilômetro,  ganho apenas com os valores não declarados à Receita, no final de um ano.

Vale a pena e recomendo a leitura do artigo “Posso ficar te devendo um centavo?

 

Print Friendly, PDF & Email

43 Responses to Compra de pão francês na padaria que custa R$ 1,92 custa… R$ 1,92, ora bolas! :(

  1. Gouvea 26 de março de 2011 at 13:20 #

    Fala Hotmar,

    parece que já é uma coisa normal os estabelecimentos roubarem o troco do cliente, fora em outros lugares que dão bombom e balinhas de troco…

    Por isso que eu pago no cartão qd aparece esses centavos…

    Imagina quanto um supermercado consegue de dinheiro roubando o troco de vários clientes…acho que só com os centavos já dá para pagar os funcionários…

    Abs.

    Gouvêa.

  2. Luciana 26 de março de 2011 at 14:53 #

    Por incrível que pareça algo parecido me aconteceu ontem. Também foi na compra do pãozinho. Mas foi no cartão o pagamento. Me dirigi aquele estabelecimento justamente porque aceita pagamentos em cartão sem valor mínimo, pois a minha compra foi no valor de R$ 1,97 e quando conferi o extrato do pagamento constou R$ 2,00; e não existe a desculpa de não ter troco, pra mim foi desonestidade mesmo.

  3. M.Silveira 26 de março de 2011 at 15:14 #

    Aqui em Porto Alegre/RS tem uma grande rede de mercados que pergunta se vc gostaria de doar o R$ 0,01 para um hospital, e isso sai no cupom fiscal. Acho que se essa doação for realmente feita ela é muito valida.

    O que devemos concordar é que é difícil de ter muitas moedas de 1 centavo em QUALQUER estabelecimento, até pq elas custam mais que 1 centavo para serem produzidas…

  4. Renato C 26 de março de 2011 at 15:19 #

    Pela lógica de arredondamento dela, ela devia dar 10 centavos, não 5….

  5. Evertonric 26 de março de 2011 at 16:06 #

    Bom, sinto em dizer, mas no Brasil o funcionário de uma padaria ou supemercados na maioria das vezes são mal intencionados. Porém as vezes eles querem mesmo é que não falte dinheiro no caixa no final do dia(no fechamento do caixa).
    Os proprietários estão sempre precionando os funcionários.
    Intencional ou não, o caso segue sendo errado e as vezes uma bela de uma falcatrua.
    Abraços.

  6. Anônimo 26 de março de 2011 at 17:49 #

    É bem comum o caixa, mesmo advertido, se negar a dar troco, sob a alegação de escassez de moedas, ou qualquer outro motivo espúrio.

    Nada mais salutar do que saber de cor o Código de Defesa do Consumidor. Assim, estaremos sempre preparados frente a situações como essas, cujo desrespeito ao direito do consumidor. Ainda, tanto o procon, quanto a justiça (para casos com valores não muito significativos nem é preciso constituir advogado) estão do nosso lado na defesa de nossos direitos. Não só é duro ter que ouvir o argumento do “não vale a pena”, como também é duro ter que ouvir o “não vale a pena /PORQUE a justica é lenta”.

    Já acionei a justiça em alguns casos dessa natureza e venci em todas, inclusive havendo indenização por danos morais por causa de quantias bem próximas a de um mero pãozinho.

  7. Jônatas 26 de março de 2011 at 20:08 #

    Guilherme,

    Ninguém respeita o CDC,

    Situações iguais a está infelizmente são costumeiras e mais infelizmente ainda são consideradas normais.

    Abraço!

  8. Daniel Bolgheroni 26 de março de 2011 at 21:16 #

    3 centavos? Sério?!

    Eu acredito que quando a gente desvia a mente para coisas irrelevantes, passam despercebidas coisas grandes, que realmente são relevantes. E me desculpe, pra quem ganha mais de algumas dezenas de reais ao mês, 3 centavos é irrelevante.

    Eu já cansei de receber 3 centavos a menos. Por outro lado, já cansei de ver situações em que eu paguei R$1,95 pagou uma conta de R$2,00, porque o caixa disse “tudo bem”.

    Cada um acha uma maneira. Se quiser pegar seu carro, ir até um advogado, atolar a já tão atolada Justiça com casos que poderiam ser resolvidos de outra maneira, perder tempo e dinheiro, ótimo. Cada um é livre para fazer o que quiser. Mas garanto, enquanto algumas jogam fora energia por causa de 3 centavos, outras pessoas estão indo muito além vivendo de uma maneira menos paranóica, aproveitando o tempo para construir ideias, se divertir, etc. Eventualmente, essas atividades podem até enveredar para algo concreto, real, e que gere muito mais riqueza do que 3 centavos a cada vez se compra pão.

    E também tenho certeza de que a maioria das vezes que isso ocorre, não é má fé. Errado? Tudo bem. Mas existem outras coisas erradas no mundo que as pessoas deveriam se preocupar mais, e que afetam a todos de maneira muito mais efetiva. Ninguém é tolo o suficiente para tentar melhorar de vida de 3 em 3 centavos de meia dúzia de pessoas em um dia. Se fosse realmente má fé, no Brasil há muitas maneiras ilícitas de se ganhar muito mais do que isso.

    • Alan 29 de março de 2011 at 14:31 #

      Duvido que tenha pago uma conta de R$ 2,00 com R$ 1,95.

    • Pedro 11 de julho de 2018 at 19:42 #

      Seu comentário é antigo, mas de qualquer forma, eu gostaria de responder. Vc é muito ingênuo, Daniel. Se os centavos não fizessem diferença pro comerciante, ele fixaria preços apenas terminados em 0 ou 5. Sabe por que ele não faz isso? Porque como disse o autor do post, por cada centavo que um cliente deixa lá, ele já está lucrando sem nenhum esforço e sem declarar nada ao governo. É um indivíduo que engana os consumidores.

      Quem não reclama por seus direitos e se omite, não pode falar mal dos políticos. São pequenas ações que somadas fazem o bolo. O problema no Brasil não é a política. São ‘cidadãos’ com os quais temos que conviver.

  9. Anônimo 26 de março de 2011 at 22:22 #

    Daniel Bolgheroni,

    O direito do consumidor em receber o troco de acordo com o preço por ele pactuado no momento da compra do produto é um DIREITO protegido por LEI, mais precisamente o Código de Defesa do Consumidor. Então quem exige o troco (nem que seja um centavo) está cumprindo e colaborando para que seja cumprida a LEI, ou seja, agindo de acordo com os bons cotumes e fazendo cidadania (isto é irrelevante?). E não importa o valor em jogo para que uma conduta seja considerada moralmente reprovável, mesmo porque a questão é o desrespeito ao direito do consumidor e não quanto (em reais) este está deixando ou não de perder (ou ganhar).

    Pois bem, a questão não é o valor do produto, é justamente o oposto, a significância de uma conduta desrespeitosa, esta sim merece ser repreendida, pois se você relativiza os 3 centavos do troco do pão, então você abre margem para relativizar o valor de um carro 0km por exemplo. Já que para você a ética e os bons contumes é apenas uma questão do valor em reais envolvidos. E ainda esquece-se que 3 centavos de um cliente é pouco, mas 3 centavos de 1000 clientes pode ser considerável.

    E quanto ao seu argumento sobre a justiça, vislumbro total falta de conhecimento. Como mencionei acima, dependendo do valor da lide é dispensável a nomeação de advogado. E quanto ao congestionamento da justiça, é para isto que existem os juizados especiais cíveis, justamente para que os casos de pequena monta não sobrecarregue o judiciário.

    Realmente, “quem é infiel no pouco, será infiel no muito”. Provavelmente quem não conhece os valores reais envolvidos em uma situação somo esta, dificilmente conhecerá valores supostamente “mais relevantes”.

    Abraços.

    • MJC 27 de março de 2011 at 8:38 #

      A partir do momento que moedas de um centavo deixam de ser produzidas (e isso já acontece há muito tempo), passa a ser muito normal que sua circulação seja rara. E aí, como cobrar que a lei seja cumprida se o próprio governo deixou as moedinhas de 0,01 de lado?

      Até um ou dois anos após ter deixado de produzir essas moedas, a maioria recebia o troco correto. Depois disso é muito raro achar moedas desse tipo em circulação. A culpa principal é do comerciante ou da falta de fabricação de novas moedas?

      Quanto ao juízado especial, tem cidade aí que uma audiência já demora 6 meses pra ser marcada. Dependendo do lugar não é tão rápido como antigamente, a não ser que 6 meses seja considerado rápido para a justiça.

      ps.: Guilherme, o blog visto no iPad ficou muito bom!

      • Anônimo 27 de março de 2011 at 13:23 #

        MJC, neste caso cabe ao comerciante arrendodar (para menos) o valor do produto. O cliente nunca pode pagar a mais por motivo de falta de moedas, deve-se exigir redução no valor pago pelo produto tão quanto o fornecedor possa cumprir com o troco.

      • Guilherme 28 de março de 2011 at 17:54 #

        Ôpa, valeu MJC! Leitores do blog no iPad agora têm uma revista eletrônica em mãos…hehehe

        É isso aí!
        Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

    • Daniel Bolgheroni 27 de março de 2011 at 19:58 #

      Como já dito, é uma questão prática. Em nenhum momento deixei claro que sou contra os “bons costumes” (o que quer que isso signifique) ou a cidadania.

      O que faz quando recebe 3 centavos de troco a mais? Quando eventualmente recebe troco a mais, consta que esse valor recebido se refere a um desconto? Você já viu algum caixa passar a conta uma segunda vez para registrar o desconto dado pela falta de troco por causa de uma diferença de 3 centavos? Duvido! Se considerarmos do ponto de vista da cidadania, o fraudador nesses casos é você.

      Eu, como gerente, colocaria um banco ao lado do caixa para que as pessoas que exigem seus direitos tenham, efetivamente, a condição de serem atendidas. Você se importaria de esperar uma hora até que um funcionário da padaria fosse ao banco trocar dinheiro? Ou se importaria de passar algumas horas até que algum segundo cliente pagasse a conta com algumas moedas de 1 centavo para então serem devolvidas, conforme o CDC prevê, a você?

      Como já foi citado, é perfeitamente aceitável que o estabelecimento lhe dê um desconto. Porém, esse mesmo estabelecimento não é obrigado a fazer isso. Alguns sistemas computacionais de padarias não permitem que o caixa formalize por si só esse desconto.

      O que você chama de “cidadania”, eu chamo desinformação. Você sabe realmente o porquê de moedas de 1 centavo não existirem mais?

      “No entanto, por conta de seu baixo valor, de seu alto custo de emissão e pela sua baixa circulação, esta moeda deixou de ser emitida em 2004. Apesar disso, a moedas ainda circulantes continuam valendo o seu valor de face.”
      (fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Moeda_de_um_centavo_do_real)

      Você sabe quanto custa ao Estado uma moeda de 1 centavo? 10 centavos!
      (fonte: http://www.gizmodo.com.br/conteudo/voce-sabia-que-moeda-de-um-centavo-custa-mais-de-um-centavo-pra-fabricar/)

      Quanto custaria se todos os brasileiros exigissem RIGOROSAMENTE seus direitos? Será que é realmente valeria a pena a Casa da Moeda investir na produção de bilhões de moedas de 1 centavo novamente? Não seria melhor que esse custo fosse investido em educação (financeira?) ou saúde? Quanto custaria aos donos de estabelecimentos para que adequassem seus sistemas computacionais a registrarem formalmente esses descontos?

      Apesar de ser lei, não creio que, do ponto de vista ético, cobrar 3 centavos seja a atitude mais nobre para que seja exercida a cidadania. Acredito que seja muito mais uma atitude egoísta, que beneficia muito mais o indivíduo do que a sociedade.

      • Anônimo 27 de março de 2011 at 21:32 #

        O desconto é sim obrigatório nesses casos. O troco é devido sobre o valor pactuado no momento da compra. Não cabe ao consumidor arcar com esse custo, já que o ônus do troco é do fornecedor, se não tem reduz o valor ou não vende, simples assim. E ressalto que não sou eu quem diz, é a lei. Se você não está satisfeito com a lei ajuize ação contestanto a lei.

        O que não é nada razoável e justo é recair sobre o cliente supostos custos de adequação de caixas registradores ou eventual valor de impressão de moeda (que ao meu ver não é justificativa, já que o estabelecimento comercial tem condições de evitar a circulação de moeda).

        O CDC existe com finalidade de coibir abusos praticados contra o consumidor. Qualquer adequação de relação comercial deve ser feito em seu favorecimento e não do prestador de serviço o ufornecedor do produto, como você sugere.

        • MJC 28 de março de 2011 at 5:05 #

          Como que o estabelecimento comercial tem como evitar a circulação de moeda? Dinheiro vivo é a única forma de pagamento que o comerciante é obrigado a aceitar…

          Conheço a lei e sei meus direitos. Só que não sou tão bitolado assim. Antigamente, quando as moedas ainda eram produzidas, eu exigia o troco certinho. Agora, por uma questão de praticidade e no meu entendimento de justiça, eu mesmo faço o arredondamento. Deu final 1 ou 2, arredondo para 0. Deu final 3 ou 4, arredondo para 5. Isso, claro, nas raras vezes que ainda é necessário pagar com dinheiro.

          Mas cada um é cada um. Você não pode exigir que todo mundo pense igual a você. E nesse caso ninguém precisa ajuizar nenhuma ação contra a lei, se não se importa em doar, as vezes, 1 ou 2 centavoc para o estabelecimento comercial. Enfim, cada um é cada um, então melhor você ir lá ajuizar sua ação.

  10. Viver de Renda 26 de março de 2011 at 23:21 #

    Guilherme,

    Muito provavelmente ela não agiu de má-fé com você, deve ter sido mais uma questao pratica. Nao me lembro a ultima vez que vi uma moeda de um centavo e espero nunca mais ve-la em minha vida. Ja cansei de perder 2, 3 centavos e de ganhar 2, 3 centavos em contas.

    Nao é uma questao de aquiescer com o errado, mas sim de deixar a vida um pouquinho mais pratica a um custo insignificante.

    Detalhe que só a energia eletrica que voce gastou com o computador para fazer esse artigo certamente custou mais do que R$0,03 hehehe.

    Bom resto de fds!

    Abracos,

    VR.

  11. Gisely Chessed 27 de março de 2011 at 9:44 #

    Eu acho engraçado como as pessoas gostam de citar juridiquês para expressar intelectualidade!
    Já me aconteceu de ter algumas moedas de 1 centavo e as lojas me darem um descontinho para não ter que aceitá-las, devido ao tempo perdido no fechamento de caixa.
    Uma coisa compensa a outra. Acho válido pedir o troco correto desde que o contrário nunca seja aceito, ou seja, aceitar os tais descontinhos…
    Sempre pago a mais, sempre arredondo pra cima, afinal, também está na Bíblia que a quem tem será dado…
    bjss

  12. Anônimo 27 de março de 2011 at 13:32 #

    O “descontinho”, caso não saiba, é obrigação imposta por Lei à loja até que esta possa dispor do troco devido ao cliente.

    Em terra de BBB, na qual corrupção é tida como irrelevante e “prática”, prefiro parecer ser um cidadão intelectual, apesar de isso soar como ofensa nos dias de hoje.

    Abraços

  13. Guilherme 27 de março de 2011 at 22:03 #

    Daniel, o exercício da cidadania reside menos no valor econômico do objeto das transações, e mais no valor moral do comportamento dos sujeitos que as realizam, como muito bem argumentado pelo Anônimo.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  14. Gisely Chessed 27 de março de 2011 at 22:11 #

    Não é de hoje que eu comento nesse blog e sempre tive oportunidade de expressar-me à favor ou não dos posts do Guilherme e não é um anônimo que vai me fazer mudar esse comportamento.E, por sinal, quem não assiste BBB não o cita, até por óbvia falta de acompanhamento do mesmo.

    • MJC 28 de março de 2011 at 5:09 #

      BBB é muito bom. Descobri que alguns programas fúteis me ajudam a relaxar na hora de dormir. Com isso minhas enxaquecas de madrugada se reduziram quase a zero. Quando não tem BBB, a solução é Superpop.

  15. J 27 de março de 2011 at 23:20 #

    Esse artigo abaixo reflete minha opinião sobre o assunto:

    http://www.uj.com.br/publicacoes/doutrinas/5502/Posso_Ficar_te_Devendo_um_Centavo

  16. Guilherme 28 de março de 2011 at 10:17 #

    Editei o artigo acrescentando comentários sobre o ótimo artigo indicado pelo J. 🙂

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  17. Danielle 28 de março de 2011 at 14:36 #

    Oi Guilherme?!
    Eu fico meio passada com esse pessoal que não devolve R$0,01… R$0,02 ou R$0,03 e arredonda tudo para os múltiplos de R$0,05. Normalmente essas pessoas não me devolvem o troco, pois alegam não ter a moedinha de 1. Comecei a usar a tática do cartão de débito com eles, só assim para a maioria cobrar o certo. Já peguei casos em que arredondam até o R$1,99 para R$2 com o cartão, mas daí brigo e tal… Já fui chamada de sovina por caixa de supermercado. Qdo isso aconteceu, fiz as contas de quanto eu perdi em uma semana pela falta de troco da padaria a farmácia e cheguei a R$10!

  18. Guilherme 28 de março de 2011 at 17:56 #

    Parabéns pela atitude, Danielle!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  19. Samuel 30 de março de 2011 at 16:19 #

    Gente como vocês sao gananciosos. Precisa fazer tanto alarde assim por causa de 3 centavos? E ainda tem a audacia de citar a sagrada Biblia para se justificarem. Vejo que a maioria aqui só pensa em dinheiro, querem ficar ricos. Pois saibam que a Biblia diz que nao se pode amar a 2 senhores ao mesmo
    tempo: o dinheiro e Deus. Está escrito na Biblia em Mateus (19.23-24) que “é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus”. Vocês estao cegos pelo dinheiro, vivam apenas com o necessário, o que sobrar do salário de vocês doem para o dízimo da igreja. Que nosso Senhor Jesus Cristo tenha piedade da alma de vocês.

  20. Evertonric 30 de março de 2011 at 16:47 #

    Gostei de ter editado o artigo com seu comentário sobre o artigo que nosso amigo J. nos indicou vía link. Foi uma boa ideia Guilherme.
    “De grão em grão”.rs rs rs…
    A partir de agora eu vou ficar devendo 3 centavos, e fim de papo.
    Não caio mais nessas pegadinhas.
    Se tem alguém aqui que necessita um carro popular zerinho, sou eu.
    Abraços.

  21. Erico 1 de abril de 2011 at 15:34 #

    Eu cansei de me estressar com isso..
    pago TUDO, mas TUDO mesmo no cartao de credito ou debito..
    mesmo se for um trident de 1,50 reais… se nao aceitar no credito pq o valor eh baixo passo no debito…

    O estabelecimento vai ser obrigado ainda a pagar taxa de 3 a 5% pela compra no cartao, e eu junto pontos ainda pra alguma coisa no futuro!

    Nao saco dinheiro no caixa a mais de mes! rsrs

  22. Ellen Augusta 28 de abril de 2011 at 5:31 #

    É a diferença entre terceiro mundo e primeiro mundo. A honestidade.
    Levar vantagem é burrice a longo prazo, mas aqui ninguém se deu conta disso.

  23. Guilherme 1 de maio de 2011 at 10:25 #

    Concordo, Ellen!

  24. Scoccs 2 de maio de 2011 at 19:22 #

    Alguem ai sabe quanto vale uma nota de 1 centavo, eu tenho meus motivos para compra-las de outrar pessoas, mas é que é meio idiota dar uma moeda de um centavo por uma de um centavo, eu pensei em comprar uma de 1 por 5 centavos… Tá certo? (Ela valera mais daqui a alguns anos)

  25. Guilherme 3 de maio de 2011 at 21:02 #

    Scoccs, eu acho que sim, ou seja, essas moedas de 1 centavo daqui a alguns anos valerão mais do que o seu valor de face, para os colecionadores.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  26. Lucas Santos 17 de julho de 2012 at 12:59 #

    acabei de ir no supermercado, o meu troco era R$1,69 e eles me devolveram R$1,65.. Imaginem o quanto eles ganham roubando esses 4 centavos em 1 ano? A questão não é fazer bagunça ou chamar um advogado por causa de 4 centavos, é questão de moral, de honestidade! Por que eles não me devolveram R$1,70? Má fé? Não sei, só sei que isso não é certo.. E vão me desculpando aqueles que disseram que reclamar por isso é bobagem, mas é por causa de gente como vocês, que acham tudo normal e irrelevante, que o Brasil está na situação atual.. A cidadania e a honestidade devem ser aplicadas em todo tempo, desde as coisas mais simples até as mais complexas! abraços

    • Guilherme 19 de julho de 2012 at 9:44 #

      Faço minhas suas palavras, Lucas. Basta dizer que, na Europa, fiz a compra que deu 4,99 euros, paguei com uma nota de 5 euros, e a moça do caixa devolveu o 1 centavo de euro. E assim foram em várias outras compras, troco sendo devolvido com integridade e integralmente. Já no Brasil… 🙁

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  27. Henriel Loyola de Figueiredo 3 de setembro de 2012 at 13:32 #

    Sobre o pão da padaria pergunto aos amigos: sabem o preço do lucro na fabricação do pão francês? Fui proprietário de uma padaria e sei o bom final tanto que as padarias cobram variados preços o Kg a fim de atrairem os fregueses. Um sepermercado cobra 4,00 e mais um pouco enquanto uma padaria 8,00 e mais alguma coisa. Podem muito bem arredondar para menos quando passar de 0,05. Um processo muito bom passem de 8,48 o quilo para 8,49 e arredondam para menos quando for o caso. Não é uma solução?. Deixem de ser espertos e observem que existe lei à respeito.

  28. rafael 8 de outubro de 2012 at 3:23 #

    bem, na minha opinião vcs não estão levando um pouquinho de consideração pelo lado pessoal de quem está-lhe atendendo, pois trabalho como caixa numa bilheteria de vale transporte no qual o valor é 1,35 porém faço o máximo possível para não faltar as moedas de 0,05 centavos porem o fluxo de notas de 2,00 é imenso sem contar qnd chegam com notas de 100,00 e 50,00 para cobrar 1,35. quando me falta moedas de 0,05 centavos pergunto se o cliente tem 0,10 para então voltar 0,75 quando não tem informo se posso ficar devendo 0,05 centavos e lhe passo os 0,60 centavos ou então lhe passo os 0,70 e perco os 0,05 uma coisa é certa, a empresa quer o valor correto das vendas ao dia, não quer nda a mais e nem a menos então faço um balanço para não ficar somente no prejuízo, pois 0,05 de cada pessoa não faz tanta diferença porem -0,05 somente de uma pessoa ao decorrer do dia da para ter um preju de +- 1,00.
    nunca agi de má fé querendo ganhar míseros 0,05 centavos, sendo que as vezes passo gente que falta muito + para inteirar o valor total da passagem.

  29. Knight 22 de agosto de 2014 at 8:45 #

    Aqui no pão de açúcar da apinagés/S.P. é moeda corrente essa apropriação indevida (?).

    Acabei de voltar de lá, o caixa afirmou que o troco que ele me deu estava certo,: Troco devido, R$1,67, troco devolvido pelo caixa do supermercado pão de açúcar R$1,65.

    Anos atrás aconteceu a mesma coisa, e denunciei o caso diretamente no fale conosco do site do Pão de açúcar, no dia seguinte a gerente do s. P.A. ligou aqui em casa e a historia se resumiu em: Nossos funcionários são altamente treinados e meu caso foi isolado. Aham!!!!

    Reparem que estou sendo especifico

    E ai, isso é furto, chamo a policia, entro com um processo após fazer um B.O. na delegacia mais próxima? Ja existe algum parecer de quem entrou com um processo? Foi favorável?

    Não aguento mais sair com o sangue fervendo desse supermercado.

    Estou fazendo uma pesquisa na net profunda, estarei indo em outros sites para trocar informações, chega, o meu limite de paciência terminou.

    .

    Desde ja agradeço ao dono do site por este espaço que é valioso e que merece respeito.

    Eu sou Knight, virtual, um abraço a todos:.

  30. Gustavo 10 de maio de 2015 at 9:49 #

    Meio que sem querer e após um tempão de você ter feito o post. Atrasado.. rsrs.

    Realmente, procurando outra coisa e sem querer parei aqui, e concordo plenamente.

    Tem até uma alusão ao fato: Fulano que ‘matou’ ciclano por causa de 0,50 centavos.

    – Nossa, mas que fdp, matou por 0,50 centavos, que coisa, que absurdo. (o fato de matar não vem ao caso).
    – Eu geralmente costumo dizer que é mais fácil uma pessoa matar por causa de 0,50 centavos do que por 50 mil reais. Pois não é pelo dinheiro. Ou seja, o jeitinho tenta prevalecer a qualquer custo.

    Moro no Japão e aqui você pode pagar uma latinha de café que custa por volta de 1,20 dolar(120 yen), com uma nota de 10.000 yen(equivalente a 100 USD) e tem de troco TODO o dinheiro. Se faltar 1 yen você não compra, mas eles te devolvem 1 yen sempre. Aqui eles sempre têm troco, sempre.

  31. MYRELLA 12 de julho de 2015 at 17:34 #

    EU SÓ QUERIA SABER SE CADA PESSOA QUE CHEGASE NA PADARIA E FICASE DEVENDO 5 CENTAVOS ELES ACEITARIAM NUMA BOA EA MESMA COISA DO CLIENTE PÃO E UM ALIMENTO QUE CONSUMIMOS MUITO QUANTO VAI CHEGAR O VALOR DO PREJUIZO NO FIM DO MES?

  32. Investidor Internacional 12 de julho de 2015 at 21:53 #

    Depois da invenção do cartão de débito/crédito esse “problema” foi bastante minimizado.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes