Debêntures BNDESPar: boas taxas de rentabilidade (versão 2010)

Obs.: Ano passado, publicamos o artigo Debêntures BNDESPar: boas taxas de rentabilidade, comentando as taxas da oferta pública realizada naquela época. Daí o título desse artigo ter incluído o “versão 2010”. 😉

As debêntures BNDESPar tiveram suas taxas de rentabilidade assim definidas, de acordo com o Aviso ao Mercado:

– Sobre as debêntures da primeira série – a série prefixada – incidirão juros prefixados de 12,51% a.a. (só a título de curiosidade, as debêntures prefixadas do ano passado pagavam 12,74% a.a., e as ofertadas em agosto de 2007, que vão vencer daqui a 3 semanas, 11,2%);

– Sobre as debêntures da segunda série – a série pós-fixada, atrelada ao contrato futuro de DI (que, na prática, corresponderá mais ou menos a uma LFT) – incidirá uma sobretaxa de 0,3% (será que esse pessoal anda lendo o Valores Reais!? 😀 pois foi exatamente essa a nossa projeção máxima de sobretaxa);

– Sobre as debêntures da terceira série – a série pós-fixada, atrelada ao IPCA, incidirão juros de 6,2991% a.a. (pô, por que esse pessoal não coloca logo 6,30% redondo?) + a variação do IPCA (só a título de curiosidade, as debêntures pós-fixadas ao IPCA do ano passado pagavam 7,07% a.a. + inflação, as de 2007, 6,8% + IPCA, e as de 2006, 8% a.a. + inflação, atenção: as taxas vêm caindo ano após ano);

Alguns dados dessa oferta pública chamam a atenção. Primeiro, a quantia levantada, cerca de R$ 2,025 bilhões. O BNDES esperava captar R$ 1,5 bilhão. Sinal de que, em termos de incertezas na economia mundial (leia-se: instabilidade na Bolsa), os investidores estão preferindo alocar seus recursos em investimentos mais conservadores (ué, não deveria ser o contrário!?)

O segundo dado interessante foi a distribuição entre as classes de debêntures. A série prefixada terá 500 mil debêntures, a série atrelada ao IPCA, outras 500 mil (525 mil, para ser mais preciso), e a série flutuante, pós-fixada ao DI, terá nada mais nada menos do que 1 milhão de papéis. Ou seja, os investidores estão receosos do aumento da inflação, e, por isso, resolveram indexar seus investimentos ao CDI, aproveitando essa “pequena sobremesa grátis” oferecida pelo BNDES – a tal sobretaxa de 0,3%.

Vou repetir o que disse no ano passado, por ocasião da divulgação das taxas de juros das debêntures BNDESPar 2009:

“A combinação de baixa incidência de custos de transação (leia-se: minimização de custos), aliado à sobretaxa paga em relação aos produtos similares oferecidos no mercado (leia-se: maximização de lucros), tornam realmente essas debêntures atrativas, como forma de diversificação de investimentos, e também seguras, tendo em vista a solidez da instituição ofertante, reconhecida inclusive por agência internacional de classificação de riscos.”

Como esse ano, ao contrário do ano passado, não teve prorrogação do pedido de reservas, eu já suspeitava que a demanda havia sido grande, o que de fato se confirmou. O que me surpreendeu foi, mesmo assim, haver o pagamento de taxas e sobretaxas razoáveis, quando comparadas com investimentos semelhantes, ofertados no programa do Tesouro Direto.

E, por fim, vou destacar aqui a previsão que se confirmou, acerca da sobretaxa. Em 04.11.2010, portanto, antes do período de reserva, escrevemos:

“Além disso, elas ainda contam com a possibilidade de pagarem um prêmio – a sobretaxa – sobre os títulos do Tesouro Direto de prazos de vencimento semelhantes. Nesse ponto, eu acredito que a sobretaxa não ultrapasse 0,3%, que foi a sobretaxa estipulada no ano passado“.

😀

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

p.s.: eu não vou contar pra vocês a minha previsão do IBovespa para o final de 2011……hahahahaha 😆 😆 😆

Print Friendly, PDF & Email

12 Responses to Debêntures BNDESPar: boas taxas de rentabilidade (versão 2010)

  1. Heric 8 de dezembro de 2010 at 3:52 #

    Reservei uma parte na serie prefixada e outra parte na serie atrelada ao IPCA. Gostei dos juros, estão num bom patamar para RF.

    Sou novo no mundo dos investimentos e ainda estou na fase de criação da minha carteira. Aliás, este blog está me ajudando de forma espetacular. Obrigado! 🙂

    Grande abraço!

  2. MJC 8 de dezembro de 2010 at 7:23 #

    Eu achei melhor dividir o montante que queria em 3 parcelas. Acho que vai valer a pena. Pelo menos é o que indica;

    “eu não vou contar pra vocês a minha previsão do IBovespa para o final de 2011……hahahahaha”

    Se não tivesse falado nada ok, mas já que comentou, agora conta…..

  3. Guilherme 8 de dezembro de 2010 at 8:19 #

    Heric, interessante, optei pela mesma estratégia. Valeu pelo apoio!

    MJC, essa é uma outra estratégia boa. O importante é que o prêmio de risco acabou sendo convidativo, frente a outras opções existentes no mercado. E qto ao IBOV, “it´s secret”……rsrsr

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  4. Henrique Carvalho 8 de dezembro de 2010 at 8:52 #

    Muito obrigado por compilar os fatos Guilherme!

    E parabéns pela completa e ótima cobertura. Leitura obrigatória para todos que desejam comprar debêntures! Estou feliz com as taxas.

    Agora é só esperar a liquidação!

    Abraços!

  5. Eder 8 de dezembro de 2010 at 9:42 #

    Muito legal o post… Eu tb reservei só q optei pela 2ª flutuante DI e 3ª série pós IPCA. Sinceramente quando vejo essas taxas da vontade de tirar o dinheiro td da bolsa e colocar soh em Debentures e tesouro direto uhahuhuaahhuahahu Ninguem tem essa vontade tb naum ou só eu q acho isso???
    Minha alocação tah 60 RF e 40 Açoes. Mas é pq to no começo ainda… pretendo chegar a no máximo estourando uns 20 a 30% em açoes…
    É isso Abraços VR

  6. Paulo Rogerio 8 de dezembro de 2010 at 10:59 #

    Excelente texto

  7. Guilherme 8 de dezembro de 2010 at 13:23 #

    Henrique, valeu! Agora, só aguardar a liquidação!

    Eder, com os juros reais mais altos do mundo, quem não gostaria!!?? Se a promessa do governo brasileiro de achatar os juros reais para um patamar próximo a 2 a 3% se concretizar, quem tiver as debêntures do IPCA já estará garantindo um prêmio de risco de 2 a 3% (considerando uma rentabilidade líquida – juros reais – de 5,35% a.a., já descontado o IR de 15%).

    Paulo, valeu!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  8. Renato C 9 de dezembro de 2010 at 1:13 #

    Guilherme,

    É preciso lembrar de tirar o IR também da inflação. Dando 5% como inflação, rentabilidade real de 4,6% a.a. !

    Abraços, Renato

  9. Guilherme 9 de dezembro de 2010 at 17:25 #

    Bem lembrado, Renato!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  10. Tiago 3 de março de 2012 at 19:11 #

    Procurei por toda parte um tutorial sobre debêntures e acabei não encontrando nada bom.
    Só conheço o site debentures.com.br, mas tenho extrema dificuldade para usá-lo. Alguém tem alguma dica para saber, como aprender mais sobre as debêntures. Quero saber mais pelo lado operacional, na teoria já deu para pegar a idéia.

    Alguém pode me ajudar?

    Obrigado,

    Tiago

  11. joaquim 10 de março de 2012 at 8:42 #

    Prezado Guilherme,

    Você pretende escrever um post sobre as Debêntures do BNDESPar – versão 2012? Já estão disponíveis e gostaria de ler algo aqui. Abraço

  12. Guilherme 10 de março de 2012 at 16:12 #

    Olá, Joaquim! Sim! Semana que vem tem post abordando o assunto!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes