Dando nomes #2 aos bois (digo, às corretoras): 3 corretoras que cobram taxas não muito caras de corretagem e/ou podem te isentar da taxa de custódia

Última atualização do texto: 06 de junho de 2014

Custos, custos, custos… sempre discorremos sobre eles quando o assunto é investimentos. E isso por uma razão bastante óbvia, mas quase sempre escondida pelas instituições financeiras: quando mais você pagar, menos você irá receber. É o contrário da lógica que impera no mercado de consumo: nas compras de passivos, pressupõe-se que, quanto mais caro o produto, melhor será sua qualidade. É por isso que uma TV LED Full HD com 4 saídas HDMI e conversor digital integrado custa mais que uma TV convencional de tubo. Pagou mais, espera-se receber mais. No mercado financeiro a coisa funciona ao contrário: pagou mais, receberá menos.

O mercado de ações é fascinante, mas esse fascínio será bem menor caso você esteja pagando caro pelos serviços de corretagem e de custódia de ações. E, tal como já falamos outras vezes aqui no blog, está na hora de destacar quem cobra pouco. Está na hora, portanto, de dar nome aos bois, digo, às corretoras, mencionando 4 corretoras que não cobram taxas de corretagem muito altas, e que também podem, ou não, te isentar da cobrança da famigerada taxa de custódia.

O foco desse artigo não é indicar as melhores corretoras, mas sim as corretoras mais baratas para operar no home broker. É preciso deixar bem claro que não estamos fazendo avaliação de qualidade de serviços, estabilidade técnica do home broker, relatórios de análises, cursos e palestras, agilidade de atendimento etc. etc. etc. Também estamos excluindo as eventuais promoções de corretagens que algumas corretoras costumam fazer, direcionadas a um público específico, como, por exemplo, para aposentados, estudantes universitários, donas de casa, cunhados, sogros, donos de animais de estimação etc., 😀 bem como aquelas outras em que você é premiado com uma corretagem de R$ 1 se fizer 1.000 operações de compra ou venda no mês (resultando em R$ 1 mil de corretagem no mês). Excluímos, também, custos relativos a operações com mini contratos, opções, derivativos e congêneres, bem como custos fixos que independem da vontade das corretoras, como ISS, emolumentos da Bolsa , taxas da CBLC etc. Excluímos, por fim, os custos das operações realizadas via telefone – mesa de operações – cujos valores sempre são mais altos, e seguem outro tipo de tabela. O foco é o custo no mercado de ações realizado via home broker. Ponto.

E aqui vai o segundo destaque desse artigo: ele é dirigido primariamente para quem, além de querer pagar pouco, opera igualmente pouco no mercado, geralmente com valores pequenos (por exemplo, menos de mil reais por mês). Uma ou duas vezes no mês. Até cinco, em média, prioritariamente no mercado fracionário. Ou seja, para quem não faz negociações com frequência no mercado. Para os especuladores, há promoções variadas nas mais diversas corretoras que, obviamente, não serão mencionadas aqui. O foco, portanto, é o público que investe no mercado de ações com uma estratégia de longo prazo, que opera poucas vezes por mês,  geralmente com valores pequenos, e que tem interesse principal saber os custos da operação que são adotados pelas corretoras, tanto os explícitos (taxas de corretagem e custódia), quanto os implícitos (bancos com os quais trabalha para recebimento de recursos dos clientes, que podem gerar a necessidade de o cliente arcar com tarifas de TED/DOC).

Destacamos, no universo bastante considerável de corretoras, depois de peneirar bastante, apenas 4 corretoras que oferecem os mais baixos custos para suas operações no home broker. Vamos a elas.

Link Trade – agora Rico

A Link Trade cobra R$ 4,40 por ordem executada no mercado fracionário, R$ 9,80 no mercado de lote padrão, e não cobra a taxa de custódia de R$ 6,90, caso o investidor realize pelo menos duas operações no mês. É uma das corretoras que oferecem os custos mais competitivos, inclusive no mercado de lote padrão (onde o “padrão” de corretagem fixa varia de R$ 15 a R$ 20). Ademais, tem também uma baixa taxa de administração para operar no Tesouro Direto: 0,20% a.a.

Outro ponto que o investidor deve se atentar é que a Link Trade trabalha com os bancos Itaú e Bradesco. Dessa forma, se você tiver conta-corrente em algum desses bancos, não irá pagar tarifas de TED/DOC pela transferência de recursos para a sua conta na corretora.

Socopa

A taxa de corretagem é de R$ 7, independentemente de ser no fracionário ou lote padrão. Grato ao leitor Sammy pelo aviso!

A Socopa também trabalha com um banco que não tem agência para pessoas físicas. Trata-se do Banco Paulista. Dessa forma, a transferência de recursos da conta-corrente do cliente para a conta da corretora envolverá, necessariamente, a realização de um DOC/TED, o que, por sua vez, pode implicar em custo extra, caso o cliente em questão não tenha direito a um DOC/TED gratuito no seu pacote mensal de serviços bancários.Outrossim, a Socopa não cobra tarifa de saque.

MyCAP – Conta Econômica

A MyCAP é aquela corretora que deixava o investidor decidir quanto queria pagar de corretagem, entre R$ 5 a R$ 20 (será que tinha alguém que pagava R$ 20!? rsrs…). Primeiro, vale ressaltar que ela cobra tarifa de custódia, no valor de R$ 6,90, independentemente de o investidor realizar ou não operação no mês. ATUALIZADO EM 11.07.2012: agora, a taxa de custódia passou a ser de R$ 10 mensais, para clientes do plano econômico. Embora haja essa tarifa de custódia, o que de certo modo a excluiria desse rol de corretoras, resolvemos incluí-la pelos baixos custos operacionais, considerados no todo, mas somente na “conta econômica”. Isso porque ela cobra taxa de corretagem, nesse plano, de R$ 5, tanto para o mercado fracionário quanto para o mercado de lote padrão. Ademais, ela trabalha com o banco Itaú (além do banco BM&F), o que permite aos correntistas desse banco transferirem recursos para a corretora sem pagar TEDs/DOCs.

É importante destacar, outrossim, que, ao contrário de outras corretoras que também cobram R$ 5 no mercado de lote padrão, a MyCAP não exige uma quantidade mínima de ordens executadas no mês para que essa corretagem seja cobrada. Como veremos abaixo, a corretagem única de R$ 5 pode ser interessante para quem faz negociações nos mercados de ETFs e fundos imobiliários. No Tesouro Direto, a MyCAP cobra 0,20% de taxa de administração. Existe, ainda, assim como na Spinelli, uma tarifa de saque, de R$ 4,00, exceto para correntistas Itaú.

Observações importantes – Fundos imobiliários e ETFs

Além das ações, você pode comprar e vender no home broker cotas de fundos imobiliários e cotas de fundos de índice. A respeito deles, vale lembrar o seguinte:

– Fundos imobiliários (FIIs): não existe mercado fracionário para os FIIs, ou seja, você paga somente a corretagem do mercado-padrão. Ainda que você queira comprar somente 1 cota de um FII, você pagará a corretagem do lote-padrão, caso a corretora em questão adote preços diferenciados para lote padrão e lote fracionário – e todas as corretoras acima citadas adotam, com exceção da MyCAP.

– Fundos de índice (ETFs): você paga a corretagem do mercado-padrão com compra/venda de 10 cotas. Importantíssimo esse item! Tendo em vista a redução do lote de negociação dos ETFs de 100 para 10 unidades, se você resolver comprar apenas 10 cotas de BOVA11, por exemplo, irá pagar a taxa de corretagem “cheia”.

Conclusão

Avalie sua estratégia de investimentos, e escolha a corretora que mais se adequar à sua política de investimento como um todo, considerando também outros ativos negociados em Bolsa, além das ações, como é o caso dos ETFs e fundos imobiliários, uma vez que a corretagem tem particularidades em relação a esses tipos de investimentos. Não se esqueçam, ainda, das tarifas de TEDs/DOCs, que podem impactar o valor dos custos operacionais totais.

Embora não se deva escolher uma corretora adotando um único critério de avaliação, mas sim um conjunto de critérios, os custos operacionais devem ter peso relevante na escolha, a fim de que você tenha o direito de receber o maior retorno líquido possível sobre seus investimentos.

Vale lembrar, por fim, que essa não é uma recomendação de corretoras, apenas uma exposição daquelas com os menores custos operacionais do mercado. Nós não damos os peixes: ensinamos você a pescá-los. 😀

Se alguma corretora, não mencionada aqui no artigo, tiver também custos operacionais tão ou mais baixos que as acima indicadas, respeitadas todas as premissas acima delineadas, avisem nos comentários, para que eu possa incluí-la nesse artigo.

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Leia também outros artigos dessa série:

Dando nomes aos bois (digo, aos fundos): 3 fundos referenciados DI não muito caros

Print Friendly, PDF & Email

28 Responses to Dando nomes #2 aos bois (digo, às corretoras): 3 corretoras que cobram taxas não muito caras de corretagem e/ou podem te isentar da taxa de custódia

  1. Jeferson da Luz 25 de outubro de 2010 at 8:17 #

    Muito bom este post Guilherme

    Neste exato momento, eu estou com a papelada em trâmite para mudança de corretora. Na ocasião optei pela Spinelli. Isto pq pretendo me casar em 1 ano, então ficarei pelo menos 1 ano sem investir na bolsa, então não acho justo ficar pagando taxinhas de custódia para conta depósito, e conta investimento.

    Abraço

  2. Jônatas 25 de outubro de 2010 at 8:50 #

    Bom dia Guilherme,

    A Link é a melhor corretora, na minha opinião, para quem investe para o longo prazo.

    Abraço!

  3. Henrique Carvalho 25 de outubro de 2010 at 9:47 #

    Excelente texto Guilheme!

    Simples e práticos para todos nós investidores.

    Utilizo a Link há mais de 1 ano e estou satisfeito com o serviço dado o preço que me é cobrado. Ao meu ver, o custo é um dos, senão o fator mais importante na escolha de uma corretora.

    Grande Abraço!

  4. Willy Fog 25 de outubro de 2010 at 10:34 #

    Para quem faz compras mensais de ETFs visando o longo prazo parece que a Link Trade seria a melhor opção mesmo.
    .
    Muito bom Guilherme!
    .
    Abcs

  5. José Messias Ruggieri 25 de outubro de 2010 at 10:48 #

    Muito bom texto Guilherme,

    Estou seriamente pensando em mudar de corretora pois a minha recentemente mudou a forma de cobrança de corretagem e na minha opinião está saindo meio caro operar por ela.

    Esse seu post foi de grande valia para mim, pois já me deu umas boas dicas de corretoras que posso optar.

    Valeu!

    Grande abraço.

  6. José Messias Ruggieri 25 de outubro de 2010 at 11:17 #

    Outra coisa Guilherme obrigado pela dica do Feed lá do meu site que estava enviando somente as sinopses dos textos. Já corrigi!

    Obrigado!

  7. fabio 25 de outubro de 2010 at 11:53 #

    Além da corretagem e da taxa de custódia, outros fatores importantes para mim são a isenção da taxa no tesouro direto, a possibilidade de disponibilizar as ações para aluguel sem restrição de valor e um fundo CDI da corretora de baixíssimo custo. O atendimento eficaz e eficiente também é fundamental.

  8. Major 25 de outubro de 2010 at 13:15 #

    @fabio
    Legal Fabio.

    E qual corretora vc acabou escolhendo ? Também tenho interesse na questão do aluguel e deste fundo CDI.

    Abs

  9. Carlos Ranna 25 de outubro de 2010 at 16:06 #

    Eu uso a Banifinvest. O que me chamou a atenção foi taxa de custódia R$0,00, tanto para ações quanto para o Tesouro Direto. Como em alguns meses eu não opero nem comprando nem vendendo, levei isto em conta. Quando entrei nela não achei a taxa de corretagem cara. R$16,00… E pago TED/DOC toda vez que mando dinhero pra lá… Preciso rever se está barato ou caro, mas por hora não acho ruim. Evito negociar menos de R$700,00 pra valer proporcionalmente.

  10. Finanças Inteligentes 25 de outubro de 2010 at 17:24 #

    Olá Guilherme,

    Essa história de corretora cobrar taxa de custódia não me convence. Algumas abusam demais no preço e mesmo porque quem faz a custódia é a CBLC, não é?
    Não sei se chegou olhar na TOV, a taxa de corretagem deles é de R$ 5,00 no fracionário e também no lote padrão.
    Não sabia sobre a cobrança de corretagem cheia para EFTs, parabéns pelo artigo.

    Abraços,

  11. Guilherme 25 de outubro de 2010 at 21:52 #

    Jeferson, obrigado!

    Jônatas, boa noite, obrigado pelo comentário.

    Henrique, de acordo: o que mais me atrai na escolha de uma corretora é o preço.

    Willy, obrigado.

    José Messias, legal a correção! Deu pra ver direitinho agora no meu leitor de feeds.

    Fábio, bem lembrado.

    Carlo, é bom refletir mesmo.

    Finanças, obrigado! Eu cheguei a olhar sim, o problema é que a TOV cobra no mês o valor mínimo de R$ 20, ou o equivalente a 4 corretagens mínimas. Se o cliente executar só uma operação no mês, vai ter que pagar uns R$ 15 pra dar os R$ 20:

    “Para uma adequada manutenção dos nossos sistemas operacionais, estipulamos uma taxa mínima mensal, equivalente a 4 taxas de corretagem. Neste caso, se o cliente com posição em ativos não realizar operações no mês, ele será debitado pelo valor equivalente a 4 taxas de corretagem, ou seja, de $ 21,04. Caso realize uma, duas ou três operações no mês, o débito será feito pela diferença, ou seja, R$ 15,78 se fizer uma operação, R$ 10,52 se fizer duas operações e R$ 5,26 se fizer três operações.”

    Fonte: http://www.tov.com.br/CustosHB.aspx

    Outros problemas são: taxa de 1% a.a. para TD, a mais cara dentre todas as corretoras, e uma notícia recente amplamente divulgada pela mídia, em que ela foi uma das campeãs de reclamações por parte dos clientes.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  12. Luiz Antonio 27 de outubro de 2010 at 0:51 #

    Pessoal,

    com relação ao aspecto solidez, vocês concordam que ele só deve ser levado em conta se o propósito for investir em fundos de investimentos da própria corretora, uma vez que se ela “quebrar” a gente vai junto?

  13. Guilherme 6 de janeiro de 2011 at 14:37 #

    Luiz, de acordo. Fundos de investimento não contam com a proteção legal do FGC. Melhor aplicar em títulos e ações, já que eles são apenas custodiados na corretora.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  14. Gustavo 24 de janeiro de 2011 at 3:35 #

    Porquê o BANIF foi excluido desse artigo, considerando que ele não cobra taxa de administração , conforme o site do Tesouro Nacional ?

  15. Guilherme 24 de janeiro de 2011 at 10:14 #

    Porque a corretagem dela é muito cara: quase R$ 16 por ordem executada.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  16. Luiz 25 de abril de 2011 at 12:24 #

    Pessoal,
    no atendimento on-line da Spinelli, o atendente me informou que o lote padrão de ETFs é de 10 cotas. Sendo assim, as compras de cotas em quantidades múltiplas de 10 pagamos a corretagem de lote padrão (R$ 16,90). Até aí tudo bem! Mas o atendente acrescentou que é possível pagar a corretagem de R$ 5,90 nas compras de até cotas 9 cotas de ETFs. Para isso, deve-se adicionar a letra “F” no final do código do ETF. Por exemplo: PIBB11F ou BOVA11F. Será que essa informação está certa???

  17. Guilherme 25 de abril de 2011 at 18:55 #

    Luiz, está correta sim.

    O problema das compras no mercado fracionário é a existência de um spread, ou seja, o valor das cotas para compra vai estar mais caro do que no mercado de lote integral.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  18. machado 30 de outubro de 2011 at 18:59 #

    Guilherme,

    Tenho acompanhado seu blog. Está de parabéns. Por esse motivo, e lendo um post sobre custos operacionais (http://goo.gl/9og8y), resolvi pedir um comentário seu sobre contas sem tarifa (não encontrei o tema no blog após uma pesquisa: http://goo.gl/uwRmH).

    Pretendo começar a diversificar meus investimentos e resolvi, então, aplicar inicialmente em um CDB oferecido pela internet. Acabei descobrindo que, devido ao meu pacote de “serviços” (rsrsrsrs) no Banco do Brasil, tenho de pagar R$ 8 por cada transferência via DOC ou TED. Esse custo pareceu-me excessivo.

    Entre uma googlada e outra, descobri que o BC, por meio da Resolução 3.919 (artigo 2º, inciso j), determinou que não podem ser cobradas tarifas sobre contas movimentas exclusivamente pela internet, desde que contratadas desta forma (leia a íntegra da resolução em http://goo.gl/oOmMp).

    Comentário do Procon-SP (http://goo.gl/kllvp) diz que os bancos dificilmente informam sobre essas contas digitais – achei a informação no site do BB e cheguei a procurar uma agência, mas é óbvio que o atendente não soube informar nada… Voltei à internet e apurei, como seria de se esperar, que o BB, seguindo a resolução do BC, possui um pacote nessa categoria (para chegar às informações, clique, pela ordem, em http://goo.gl/b2LTx; http://goo.gl/3g9zO e http://goo.gl/vTLah).

    Pois bem. Como você mencionou no post sobre as corretoras (“Nome aos bois 2”), muitas vezes é necessário fazer DOC/TED para transferir os recursos. De outra parte, ao abrir conta nesse CDB que me interessou ou em corretoras, é necessário indicar conta com mesmo titular e CPF. Daí veio a ideia: por que não abrir uma conta digital, que funcione como uma espécie de “conta investimento (dinheiro)”? (Quem usa o software Money vai entender fácil essa analogia.)

    A partir da minha conta original, mudando de pacote de “serviços”, posso ter direito a dois DOCs ou TEDs grátis por mês, fora as transferências (já gratuitas) entre contas correntes do BB. Assim, fazendo uma transferência mensal (ou até duas, quando “aparecerem” sobras) para a conta investimento-dinheiro, é possível distribuir para outros bancos e corretoras sem pagar taxas.

    Vale dizer que, como já comentou no blog, o BB não está sendo “gentil” com os seus clientes. Além da mudança no sistema de pontos, agora em setembro de 2011, alguns dos investimentos BB são menos rentáveis do que outras do mercado ou têm custos operacionais mais altos.

    O CDB para a maioria dos clientes BB paga atualmente 82% do CDI para o pequeno investidor – há opções na praça com 100% do CDI ou até mais, dependendo do prazo, para pós com liquidez diária, o que vale a pena se lembrarmos do limite do Fundo Garantidor de Crédito (que você já comentou também). Sem falar na taxa de agente de custódia que o BB cobra no Tesouro Direto (0,5% aa, uma das mais caras).

    Fica a dica da conta digital – e adeus taxas para DOC ou TED.

    Aguardo seu comentário. Um abraço.

    PS – Tabela do BB: http://www.bb.com.br/docs/pub/trf/TabelaContaDigital.pdf

  19. Guilherme 4 de novembro de 2011 at 9:18 #

    Olá Machado!

    Obrigado pelos seus comentários! De fato, as contas digitais ainda são pouco exploradas pelos bancos, uma vez que não dão retorno às instituições em forma de tarifas. Trata-se de uma maneira inteligente de economizar com TEDs e DOCs, maximizando, asim, o retorno dos investimentos.

    Penso, sim, em escrever um post específico a respeito, uma vez que a economia pode ser grande!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  20. Gouvea 3 de janeiro de 2012 at 17:01 #

    Olá Guilherme,

    Estou escolhendo uma corretora para operar BM&F, você teria alguma sugestão?

    No tópico do IA, http://forum.investidoragressivo.com/viewtopic.php?t=5234&postdays=0&postorder=asc&start=10

    Indicaram a corretora Interfloat…

    Abraços e feliz 2012!

  21. Guilherme 3 de janeiro de 2012 at 19:08 #

    Olá, Gouvea!

    Infelizmente, não posso dar opinião a respeito, pois não opero na BM&F. Como critério de decisão, sugiro verificar qual delas oferece os custos mais baixos.

    Vamos ver se algum outro leitor aqui pode dar uma opinião baseada em experiência pessoal, para poder lhe auxiliar nessa tarefa. 😉

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  22. LUIZA TEIXEIRA DE ATAÍDE 30 de abril de 2012 at 17:51 #

    Apliquei R$ 1.400 no Tesouro direto em 2011. Se comprar mais títulos eles terão datas de vencimento diferentes? Só apliquei uma vez e tenho dúvidas sobre aplicações mensais.Pode me esclarecer? Obr.

  23. Guilherme 1 de maio de 2012 at 17:53 #

    Luiza, se você comprar mais “porções” do mesmo título, eles manterão a data de vencimento daqueles que você comprou.

    Quanto às aplicações mensais, você pode fazer tranquilamente, desde que o título esteja ainda sendo vendido pelo Governo Federal. 🙂

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  24. Rafael 13 de julho de 2012 at 15:56 #

    Muito bom seu artigo! Apenas uma correção: a Spinelli tem um sistema de ‘depósito’ via boleto, onde você imprime o boleto através do Home Broker a paga no seu banco, sem custo nenhum… Abraço

  25. Sammy Leal 31 de agosto de 2012 at 16:37 #

    Olá, acho que o artigo está defasado em relação à SOCOPA.

    A corretagem é de R$7,00 (independente de ser padrão ou fracionário), e a taxa de custódia de R$10,00 não é cobrada caso haja uma operação no mês. O atendimento é rápido e o site é bem legal.

    • Guilherme 1 de setembro de 2012 at 10:21 #

      Grato Sammy, informação corrigida!

      É isso aí!
      Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  26. Theo 4 de junho de 2014 at 17:04 #

    Parece que a Spinelli passou a cobrar custódia

    • Guilherme 6 de junho de 2014 at 8:40 #

      Obrigado, Theo, texto devidamente atualizado!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes