Dica de economia doméstica: ponha dinheiro onde sua saúde está

O título do post que ilustra essa dica de economia doméstica é uma cortesia de MP Dunleavey, que dedicou um ótimo capítulo sobre o tema em seu livro “Dinheiro pode comprar felicidade”, resenhado aqui no blog há algumas semanas atrás. A base para essa tese da autora é muito simples: como a saúde é a base para que você tenha bem-estar e energia para todas as outras áreas de sua vida, nada mais lógico do que investir dinheiro em formas de ter uma saúde cada vez melhor, e evitar também que os efeitos negativos do envelhecimento te atinjam de forma mais ativa.

Saúde tem a ver com prazer

Eu me lembrei dessa dica do livro quando eu fui comprar o azeite de oliva no mercado, há alguns dias atrás. No supermercado, devidamente munido de minha lista de compras (que é outra dica, aliás, para economizar), fui até a seção onde estão localizados os azeites. Havia diversos fabricantes, e diferentes modelos, e, como eu gosto dos azeites de oliva de uma determinada marca (Gallo), resolvi comprá-lo, ainda que, na comparação com os demais, ele fosse um pouco mais caro. E por quê isso? Porque a qualidade superior do azeite se reflete na hora de saborear os pratos onde tal ingrediente é utilizado, como tempero para saladas, por exemplo.

Aliás, defendo a tese de que vale a pena pagar a mais por produtos de qualidade superior, produtos premium, justamente pelos efeitos benéficos ao organismo da compra desses produtos. Melhor ainda se tais produtos estiverem em promoção, mas, mesmo que não estejam, acredito ainda que é um tipo de compra que vale a pena. Na vida nem tudo se resume a economizar, e se a gente economizar em compra de produtos para a saúde, a gente vai acabar tendo menos saúde, o que ninguém em sã consciência desejaria.

Será que alguém economizaria em remédio prescrito pelo médico somente porque ele é caro? O que será que vale mais: a saúde ou o dinheiro? Eu creio que a questão fica bem mais evidente quando nos utilizamos de um exemplo-limite como esse na hora de confrontar dois bens que vivem em constante tensão: se você acha que restaurar a saúde vale mais a pena, então optará pela compra do remédio, ainda que este tenha um custo mais elevado e implique o gasto de dinheiro.

Mas a boa notícia aqui é que é possível ter mais saúde pagando menos por remédios e tratamentos: a questão toda se resolve a tomar as adequadas atitudes preventivas para evitar o surgimento de doenças.

Fazer exercícios físicos é uma das medidas mais recomendadas, como, aliás, já havíamos comentado em outro tópico. A revitalização proporcionada pela prática de atividades que mexem com o corpo provoca reflexos extremamente saudáveis para o ganho também de sua energia mental, haja vista que melhora o fluxo sanguíneo que vai até o cérebro. Isso, por via de consequência, torna a pessoa mais lúcida e também mais ativa do ponto-de-vista das atividades de produtividade relacionadas ao escritório.

Ter um sono de qualidade também é defendido como uma ótima medida para melhorar o nível geral de bem-estar do organismo, como também já abordamos aqui no blog. Êpa, mas como investir para melhorar o sono? É preciso verificar se a cama em que você dorme tem as especificações adequadas para evitar que você tenha problemas de coluna e bom espaçamento, bem como travesseiros confortáveis. Esse é um tipo de móvel que requer um bom investimento, pois é o móvel que você vai mais utilizar na vida (ao lado dos móveis do escritório: cadeira e mesa, principalmente).

Uma medida alternativa para encontrar alimentos mais frescos é ir fazer as compras das verduras, frutas e legumes na feira livre, ao invés do supermercado. Pode ser que nem tudo o que se encontre na feira seja melhor e mais barato que no supermercado, mas alguns produtos podem ser melhor selecionados na feira. Além disso, o espaço para negociação é maior, o que implica na possibilidade de economizar uns bons reais na hora de fazer as compras.

Saúde tem a ver com prazer, e prazer tem a ver com risadas. Que tal substituir aquele filme de terror, no sábado à noite, por um filme de comédia? Tá certo que nem todas as comédias valem a pena, por isso vale a pena pegar as indicações daquele seu amigo cinéfilo de carteirinha – todo mundo conhece um. Rir é bom porque reduz os hormônios do estresse, dilata seus vasos sanguíneos e aperfeiçoa o sistema imunológico. Peças de teatro que envolvam comédia também valem muito a pena. Aliás, se você parar pra pensar, nem é preciso pagar para dar gargalhadas. Um dos programas que mais vem fazendo sucesso ultimamente é o CQC, não por coincidência um programa de… humor! 😀 (não vou entrar no mérito aqui da qualidade ou não do referido programa, foi uma citação feita apenas a título ilustrativo, que você pode substituir por outro de sua preferência, o importante aqui não é a “espécie” de programa, mas o “gênero” comédia 😉 ).

Uma saúde boa te proporciona uma das energias fundamentais para o bom desenvolvimento do organismo como um todo, que é a saúde física. Se você estiver fisicamente bem, você provavelmente também estará com a mente mais ativa. E estando com o cérebro em melhor estado de funcionamento, certamente aumentam as probabilidades de você fazer escolhas mais acertadas nas demais áreas de sua vida. Você estudará melhor, você trabalhará melhor, você ajudará melhor aos outros.

Pense nisso. Se você colocar dinheiro onde sua saúde está, você não só viverá mais, como também viverá melhor. E quem não quer isso? 😀

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Print Friendly, PDF & Email

,

8 Responses to Dica de economia doméstica: ponha dinheiro onde sua saúde está

  1. Ramon Samudio 10 de abril de 2010 at 8:39 #

    Parabéns pelo seu trabalho.

  2. hotmar 10 de abril de 2010 at 13:39 #

    Caro Ramon, obrigado pelos comentários!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  3. Rosana 3 de outubro de 2013 at 9:08 #

    Guilherme,
    Gostei muito do seu artigo!

    Hoje em dia existem tantos produtos de qualidade duvidosa, com excesso de açúcar, gordura trans e outras substâncias que a ciência nem sabe ainda serem nocivas, que preferi optar por um estilo de vida mais simples e saudável na alimentação. Claro que muitas vezes, devido aos costumes errados, acabo comprando coisas que não deveria, como chocolates e bolachas recheadas…Não é fácil resistir. rsrsrs

    “Uma medida alternativa para encontrar alimentos mais frescos é ir fazer as compras das verduras, frutas e legumes na feira livre, ao invés do supermercado.”
    Sei que esse não é o foco do blog, mas gostaria de dar uma dica.
    Para quem tem espaço (nem que seja pequeno) e um pouco de tempo disponível, indico uma horta caseira, com adubo 100% orgânico (aquelas cascas de alimentos, folhas amareladas e outros semelhantes que iriam para o lixo). Tudo da horta que também não for utilizado para consumo, pode ser utilizado como adubo, o que ajuda o meio-ambiente, já que os produtos orgânicos descartados no lixo comum formam gás metano, que é prejudicial ao ecossistema.
    Uma dica é começar com verduras como alface (esse necessita de atenção especial e mais irrigação), salsinha, salsão, cebolinha, manjerição (esses três necessitam de poucos cuidados), espinafre etc.
    O máximo que puder, não compre sementes, utilize as disponíveis nas próprias plantas.
    Além da opção de alimentos livres de agrotóxicos, é gratificante ver as verduras, frutas e legumes crescendo. Esse tipo de atividade pode nos levar também a refletir melhor sobre nossa própria vida, sobre o que é importante, sobre o que necessitamos realmente para viver e como temos contribuído ou prejudicado o meio-ambiente.

    Abraços,
    Rosana

    • Rosana 3 de outubro de 2013 at 18:08 #

      Complementando minha dica:
      Para quem gosta de chás, é ótimo plantá-los também.
      Alguns como erva cidreira, capim santo, poejo, levante e hortelã não necessitam de muitos cuidados.
      E não tem nada igual um chá feito com folhas verdes, “chá de verdade” como costumo dizer.
      Eu experimentei chá de erva cidreira de uma marca tradicional e achei muito diferente e decepcionante pois estou acostumada com chás de folhas colhidas na hora do preparo.
      Essas folhas, após utilizadas, também vão para o adubo do qual falei acima.

      Espero que, quem sabe, minhas dicas sejam úteis para um (ou alguns) leitores do blog.

      Abraços,
      Rosana

      • Guilherme 5 de outubro de 2013 at 10:59 #

        Excelentes dicas, Rosana!

        Muitas pessoas têm espaço ocioso em suas casas/apartamentos que podem ser aproveitados para plantações de alimentos. Pode ser na sacada do apartamento, ou no quintal de casa, o negócio é aproveitar essas excelentes dicas e ter uma vida mais saudável, mais natural e mais conectada com os recursos naturais do planeta.

        Valiosas dicas!

        Abç!

  4. Paulinho 28 de dezembro de 2016 at 9:53 #

    Mandou bem Guilherme. é bem por aí mesmo.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Valores Reais » Resenha: Envolvimento total: gerenciando energia e não o tempo, de Jim Loehr e Tony Schwartz - 29 de maio de 2010

    […] o cérebro nos protege do natural declínio mental ligado ao aumento progressivo da idade – a propósito, abordamos a importância de se investir na saúde no artigo publicado ontem. São dadas também importantes pistas acerca da importância do descanso para ativar nossa parte […]

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes