Cuidado com os fundos de investimentos e seguros que oferecem sorteio de prêmios

Não é raro hoje em dia você encontrar por aí produtos financeiros atrelados à possibilidade de sorteio de prêmios. São fundos de investimentos nos quais, se você aplicar seu dinheiro, lhe oferecem a possibilidade de concorrer a sorteios, pela Loteria Federal, de tantos reais; seguros de vida nos quais vêm junto a chance de ganhar uma “bolada” todo mês, e assim por diante.

A minha mensagem é bem clara: eu não gosto desse tipo de produto, porque eles desviam a atenção do consumidor para o sorteio de prêmios, tirando o foco do produto em si. Dê uma olhadinha nas taxas de administração do tal “fundo premiado”: você verá que serão taxas de administração nada modestas. Analise o prêmio do seguro, o capital segurado, e a proporção existente entre um e outro: você verá que estará pagando muito caro por um seguro que não oferece vantagem alguma, exceto pelo fato de você concorrer a sorteios para ganhar certos prêmios (se é que isso pode ser considerado uma vantagem num produto de seguro…).

Como já abordamos nesse artigo – Faça compras de mil reais no shopping e ganhe um cupom para concorrer ao sorteio de uma torradeira! – você não deve pautar suas decisões de compras – compras de passivos ou de ativos – baseado fundamentalmente na possibilidade de sorteio de prêmios. Afirmarmos naquele artigo, e voltamos a afirmar aqui:

O prêmio deve ser a recompensa não por um processo aleatório onde você não tem controle absoluto de coisa alguma, mas sim o resultado merecido de um esforço concreto e real de trabalho e dedicação, onde – aí sim – você tem o controle total do processo.

O Mauro Halfeld, algumas semanas atrás, comentou no programa de rádio da CBN sobre a armadilha que se esconde por trás desses produtos, falando justamente que os produtos que oferecem brindes e vantagens nem sempre são o que parecem. E, de fato, o consumidor deve ficar muito atento a esse tipo de investimento, não se deixando levar pela emoção de poder ganhar uma “bolada”, já que a “bolada”, nesse caso, pode ir de encontro ao investidor, machucando seu dinheiro, ao invés de ir ao encontro do investidor, proporcionando-lhe algum tipo de benefício real.

Assim, toda vez que você se deparar com a propaganda de um fundo de investimento, seguro ou qualquer outro produto ou serviço financeiro, que lhe possibilita concorrer a prêmios, fique com um pé atrás. Talvez o barato desse lance possa sair inevitavelmente caro. 😉

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Print Friendly, PDF & Email

,

27 Responses to Cuidado com os fundos de investimentos e seguros que oferecem sorteio de prêmios

  1. Thais Aux 25 de março de 2010 at 12:17 #

    Nem me fale. Acabei de perder uma graninha (não muita, mas toda grana deve ser poupada) com uma capitalização. Hunf! Nunca mais!

    Ó, linkei você no meu blog!

    Bjs!

    • Edna 25 de abril de 2017 at 22:33 #

      Se conselho fosse bom ninguém dava ……
      Desde 2013 adquiri um plano Vida e Previdência Bradesco, com depósito de 100 reais mensais, no total de 54 meses pagos, logo o valor para resgate deveria ser no mínimo 5400,00 claro. Não foi bem assim !! O valor de resgate a que tenho direito me passado( pasmem !! ) 3.280,00 reais …
      Inacreditável, isso é um roubo.
      Não caiam nessa roubada, previdência nunca mais …

  2. hotmar 25 de março de 2010 at 13:02 #

    Ôpa, isso mesmo Thaís, os títulos de (des)capitalização tem q fazer parte do passado. Parabéns!

    E obrigado pela inclusão do meu blog no seu blog. Eu acabei de fazer um link aqui pro seu! 🙂

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  3. puigllum 25 de março de 2010 at 18:06 #

    Caro Hotmar:

    Tenho uma experiência não muito agradável para relatar, a propósito da sua recomendação de cautela ante os fundos de investimentos que usam como chamariz os prêmios pela Loteria Federal e coisas pelo estilo. Como, infelizmente, não podia contar com sua valiosa orientação naquela época, cai na seguinte armadilha (imperdoável para uma pessoa razoavelmente letrada):

    Há uns três anos, deixei-me seduzir por uma funcionária simpática do Bradesco, que me ofereceu um produto chamado «Plano de Pai para Filho – Geração 2», um plano de capitalização disfarçado de previdência (não dedutível), com participação em sorteios mensais, blá-blá-blá, e a possibilidade de resgate ao final dos 24 meses de pagamento, para o meu filho de 3 anos, na época. Aquela história de, quando ele completar 21 anos, ter dinheiro para pagar os estudos etc., que nem vale a pena repetir.

    Bem, fui pagamento mensalmente, melhor dizendo, vi um valor sendo debitado em minha conta corrente, durante os 24 meses.

    No ano passado, vencido esse prazo e num período de dificuldade financeira, fui procurar a minha agência, na esperança de pedir resgate do montante pago, imaginando que tal valor poderia estar corrigido, como ocorreria normalmente num plano desse gênero.

    Qual a minha surpresa ao descobrir aquilo que consta dum manual, chamado eufemisticamente como «kit de Boas-Vindas», como:

    (…)

    «O valor do resgate será igual ao da Provisão Matemática de Benefícios a Conceder acumulada até o último dia do mês imediatamente anterior à data de solicitação». (O que significa isso?)

    E

    «O valor do resgate será obtido através da multiplicação do valor do pecúlio vigente até o mês imediatamente anterior ao mês de solicitação, pelo Fator de Resgate constante na TABELA DE FATORES DE RESGATE, a qual é parte integrante deste regulamento».

    A tal Tabela é incompreensível para o comum dos mortais que não houver feito um estudo aprofundado de matemática financeira.

    Resumo da ópera: sobre o valor de resgate incide uma taxa de 20%, a qual não se reduz até o prazo final do pagamento, que é em vinte anos!!! Se eu fizer o resgate hoje, dentro de quatro/cinco anos ou em dezenove anos e 11 meses, será sempre necessário «deixar» para a Bradesco Vida e Previdência 20% do valor pago.

    Não é revoltante??!!

    Saudações,

    puigllum

    • Wesley 24 de junho de 2014 at 10:55 #

      Bom dia meu caro. Esse tipo de produto é conhecido no mercado como SEGURO DOTAL. Entendo que pode ter sido mal explicado, e que talvez não fosse isso que você queria. Mas o mercado oferece vários tipos de produtos, justamente porque cada cliente tem um perfil. Você queria um investimento de longo prazo, puro e simples. Os seguros dotais são produtos de proteção familiar. Você acumula um recurso, e paga por um seguro no mesmo plano. E o seguro tem um custo, devido ao risco da seguradora. Imagine se você tivesse faltado durante esse período… com certeza a seguradora pagaria um pecúlio ou pensão mensal para seu filho. E no longo prazo, o impacto deste custo é menor, devido a diluição do risco da seguradora. Concordo com sua indignação, supondo que não lhe foi informado o funcionamento desta Provisão Matemática, mas também devo salientar que o brasileiro ainda não assimilou a cultura de longo prazo em planos de previdência, resgatando os fundos antes da hora, e assim, não usufruindo de todas as vantagens que estes proporcionam. E o mais grave é a tendência de diminuição no teto da previdência social (como em países mais desenvolvidos), que levará muitos brasileiros a uma velhice preocupante. Por isso, sugiro que façam previdência privada o quanto antes, e não resgate, pois precisará deste recurso quando não puder mais gerar renda.

      • Guilherme 24 de junho de 2014 at 16:27 #

        Grato pela explicação, Wesley.

      • Willer 23 de agosto de 2015 at 13:28 #

        “”o brasileiro ainda não assimilou a cultura de longo prazo em planos de previdência””

        Nem tão pouco os bancos brasileiros (por interesse) assimilaram a cultura de serem transparentes e éticos na venda de seus produtos e serviços. É muito fácil colocar a culpa em correntistas e clientes, mas para este problema a solução é o juizado de pequenas causas.

        • Wesley 24 de agosto de 2015 at 9:44 #

          Bom dia Willer. Não tiro sua razão… mas cada caso é um caso. Existe milhares de situações no comércio de produtos e serviços, através de bancos e seguradoras. Pode ter falta de cultura de longo prazo por parte do cliente, omissão de informações na venda do plano, como vários outros problemas. Se o consumidor se sente lesado, deve procurar seus direitos.
          Precisa-se ter bom senso, e não generalizar. A melhor forma de fidelizar um cliente é conquistando a sua confiança.

  4. hotmar 25 de março de 2010 at 21:43 #

    puigllum, é realmente revoltante a forma como são elaborados os contratos de capitalização misturados com seguros, tal como esse produto por V. descrito. Não existe uma explicação clara por parte das pessoas do banco acerca dos mecanismos de devolução dos valores pagos, e o “kit de boas-vindas” não esclarece a respeito.

    De fato, todo cuidado é pouco ao lidar com tais tipos de produto. Eu mesmo caí num produto desses, que pretendo explanar futuramente na série “aprenda com meus erros de investimentos”. Foi muito solidário de sua parte ter compartilhado sua história com a gente.

    Obrigado pelos comentários.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  5. Claudia 24 de maio de 2010 at 9:36 #

    No caso do plano Pai pra Filho Geraçao 2, tbm caí na mesma historia. Vendido como Previdencia, debitado da conta da nossa empresa. Vendemos a empresa, fechamos a conta, solicitamos que o debito fosse feito na conta pessoa fisica, esqueci dessa aplicaçao completamente. Depois de um ano fui lembrar dela e já estava cancelada por inadimplencia!!! O banco não fez a transferencia das contas de debito, nunca recebi um aviso do banco , nem com extrato, nem aviso de cancelamento. O Banco póde mesmo ficar com esse dinheiro(ja que não é um emprestimo, é uma aplicaçao!)?

  6. Guilherme 24 de maio de 2010 at 11:39 #

    Claudia, peça para o gerente do banco uma cópia do contrato. Leia esse contrato buscando um prazo de carência. Normalmente, esse tipo de plano, que mistura seguro com previdência, estipula prazos mínimos para o pedido de resgate.

    Por exemplo, o Bradesco tem outro produto que segue na mesma linha, intitulado Super Vida Max Premiável, o qual estipulava um prazo de carência mínimo de 13 meses. Somente após 13 meses com o produto, é que o segurado poderia solicitar o cancelamento com o resgate da provisão, em percentual definido pela seguradora.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  7. rubens 6 de julho de 2010 at 21:54 #

    O site da ONG que presido pode ajudar muitas pessoas que tem seguro de carro e pensam que serão ressarcidas. Conheço os golpes e o ranking das fraudes das seguradoras acessando nosso site. Mais de dois milhões de consumidores não conseguem receber indenização de seguros e estão a Justiça, tentando, tentando, tentando..
    Não confie no mercado de seguros, já disse Paul Krugman, prêmio Nobel de Economia

    http://www.lesadosporseguradoras.com.br

  8. Bruna 15 de novembro de 2010 at 21:34 #

    Plano de Pai Para Filho Geraçao 2
    Cai nessa e me f…
    Lembro me que era debitado R$300,00 mensal da minha conta, entre 2006 e 2008.
    Ha +1 semana, eu estava procurando um documento, quando acabei encontrado a tal papelada do tal plano. Entao resolvi ir ate minha agencia bancaria e fazer o pedido para que o dinheiro fosse transferido para minha conta. Quase tive um treco quando a pessoa que me atendeu disse: Senhora Bruna, constatei que nao a valor a ser recebido. Ja se passaram 2 anos e nao ha nada que possa ser feito.
    Perdi uma bela grana para o BRADESCO.
    Fiquei muito p… da vida, porque durante as boas vindas ninguem me informou que eu tinha um prazo para poder resgatar o dinheiro.

    • Elder 11 de agosto de 2014 at 23:22 #

      Bruna,
      Sou corretor da Bradesco Seguros e afirmo com todas as letras que você PODE SIM. resgatar a parte que lhe cabe, embora tenha se passado dois anos ou até mais, isto é, SE você realmente PAGOU por dois anos o plano.
      Me escreva que lhe orientarei a forma pela qual você deverá proceder para realizar o resgate.
      gregoracci@gmail.com
      até!

      • FATIMA DA SILVA 30 de junho de 2018 at 5:19 #

        Olá Elder se paguei menos de 24 meses quer dizer que não tenho direito a receber nada???

  9. Guilherme 15 de novembro de 2010 at 22:11 #

    Bruna, muito importante seu depoimento. As grande instituições financeiras parecem ganhar a qualquer custo, nem que para isso seja feito o sacrifício de princípios éticos e morais.

    O lado bom é que agora, com consciência financeira, você será mais uma que não irá ser iludida por empregados inescrupulosos. Continue firme sua jornada rumo à liberdade financeira!

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  10. sabrina 27 de maio de 2011 at 15:50 #

    tenho esse seguro super vida max premiavel, gostaria de saber se tem alguma informação de quanto sera descontado se resgatar em porcentagem faz 14 meses que pago

  11. Guilherme 27 de maio de 2011 at 18:12 #

    Vamos lá! Atualizando os comentários! Sabrina, sugiro que entre em contato com um corretor de seguros de uma agência Bradesco, que poderá te informar melhor acerca dos valores resgatáveis.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  12. keila 27 de março de 2012 at 19:27 #

    Tambem fui enganada e acabei fazendo o Geração de pai para filho 2 e agora em abril fará 2 anos, com certeza irei resgatar. Ao adquiri a plano eles nos dizem um monte de coisas que iludem e dizem que se não estivermos de acordo com algo e relação ao plano podemos cancelar dentro de 24 ou 72 horas (não sei bem ao certo). Porém só nos chega as informações junto ao kit BOA VINDAS e o mesmo vem pelos correios juntamente com os cartões, isso semanas depois. A minha duvida é que quando assinamos o contrato pagamos inicialmente uma taxa…No meu caso assim

    Pagava em abril 99,99
    neste mês,mas preciso no dia 4 (2010) fui ao banco com 250,00 abrir uma conta para minha filha.
    Dei 100,00 em mãos e 150,00 depositei no caixa (na conta).

    Esses 100,00 que foi pago me serão devolvidos e pra que eles pegam esses 100,00.

    Depois de 1 ano passei a pagar 111,17.

  13. Thais Coelho 31 de maio de 2012 at 20:05 #

    Eu fiz um título de previdência geração 2 no Bco Bradesco, de 24 vezes, que começou com R$ 50,00 isso em 2010.
    Como já havia feito um título de capitalização resolvi fazer outro, mas na agencia foi me oferecido o título de previdência e eles me disseram que era melhor do que o de capitalização. Mas a primeira coisa que perguntei foi se eu resgataria tudo o que depositei e eles me garantiram que sim, então assinei, quando foi hoje 31/05/2012, liguei para receber o valor e descobri que ñ da para resgatar 100% do que depositei, por causa de um seguro de vida que veio junto com o pacote, quero saber o que posso fazer para receber todo o dinheiro ou se já era e ñ tem como receber mais?

    • Guilherme 2 de junho de 2012 at 14:34 #

      Olá Thais, sugiro que abra um protocolo de reclamação no SAC do Bradesco.

      • Raquel 23 de junho de 2016 at 20:22 #

        Estou na mesma situação da amiga, só que eu só paguei o primeiro mês, 50,00 e agora tomando ciência quero cancelar, a carência é de 24 meses. Vou cancelar… mesmo que eu perca 50 reais… melhor que perder 200 lá na frente.

    • Caio 22 de dezembro de 2014 at 19:13 #

      Estou com o mesmo problema, tenho um titulo de previdência geração 2 no Bco Bradesco, de valor único que fiz em 2013, e quando fiz a gerente me informou que eu poderia resgatar 100% do valor + correção, após 6 meses.
      Faz mais de 1 ano, e quando fui fazer o resgate me informarão que o valor do resgate não era os 100%!!!
      Eu não fui informado quando fiz o plano que haveria taxas ou qualquer tipo de desconto no dinheiro, acho um absurdo isso!!!!
      Agora sou obrigado a fazer o resgate de um valor menor do que eu investi??
      Acho um abuso dos funcionários, omitirem informações sobre o investimento no qual o cliente está fazendo, e no final o lesado é o cliente que perde dinheiro!!!!

      • Dinêi Gazoni 30 de novembro de 2017 at 9:36 #

        Infelizmente os bancos apostam em qualquer desatenção do consumidor. Alguns gerentes prometem muito mais coisas do que podem entregar e só vale o que está escrito. Associado a isto, temos longos contratos que dificultam nossa compreensão. Felizmente as cláusulas abusivas podem ser questionadas.

        Abraços.

  14. Luciene 30 de novembro de 2017 at 0:07 #

    Fiz um investimento este ano e estou morrendo de medo do resultado daqui a dois anos, sei que vou ter muita insônia até lá, mais já vou procurar meus direitos no banco central desde agora.

  15. Luciene 30 de novembro de 2017 at 0:30 #

    Só acho que o Bradesco tinha que ser mais cuidadoso com os seus clientes, tenho conta mais de 30 anos e provavelmente deixarei de ser se me decepcionarem e levarei um monte de gente comigo.

  16. Ricardo 10 de abril de 2018 at 19:05 #

    Cuidado com o Bradesco, eles me iludiram que com esse plano de seguro e previdência, eu receberia no final do contrato de cinco anos todo o valor pago corrido pelo IPCA + 3%.
    Mas não foi o que ocorreu, recebi apenas 88% do valor pago.
    Uma decepção total! Fui reclamar com a gerente, e se fez de desentendida, sobre os cálculos. Agora falou que vou ter que enviar uma carta pedindo o histórico do cálculo para a corretora em pleno século 21, para saber o que aconteceu.
    O que mais fico indignado! É com a falta de caráter, uma vergonha de mim mesmo cair nessa.
    Ninguém merece.

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes