Acessar o home banking: no Banco do Brasil – BB é mais rápido

Este artigo foi editado por questões de segurança. Obrigado ao leitor puigllum pela dica.

“Tempo é dinheiro”, já diz um velho (mas ainda atual) ditado. No caso específico de acesso a sites de Internet Banking no Brasil, boa parte dos bancos estabelece medidas de segurança que, se por um lado são uma forma de ampliar a garantia de que a pessoa que está acessando o site é de fato o correntista (o que todos sabemos que não é 100% seguro), por outro causam lentidão e gasto de tempo desnecessário diante de tantas chaves, senhas, códigos, PIN, frases secretas, números, que precisam ser digitados para o simples ato de acessar os dados da conta-corrente.

Normalmente, são necessárias várias telas, com a digitação de um sem-número de códigos, para conseguir enfim acessar a tela do Internet Banking do correntista e poder visualizar, à primeira vista, pelo menos, no mínimo as últimas movimentações em conta-corrente. Dentre os três maiores bancos brasileiros, o Banco do Brasil é o que tem o procedimento mais ágil.

No caso do Itaú, na página principal, é necessário preencher os números de agência e conta – essa é a primeira tela. Depois, num segundo momento, aparece o primeiro nome do cliente, e pede-se a digitação da senha eletrônica – essa é a segunda tela. Em seguida, aparece outra tela pedindo o código que se encontra no iToken – aquele chaveirinho que gera números aleatórios de 6 dígitos – essa é a terceira tela (não perca o número!). Finalmente, conseguimos acessar enfim a tela do home banking propriamente dito. Mas só na quarta tela!

Vamos ao Bradesco. Na página do banco, no alto, digitamos agência e conta – primeira tela, normal. Depois, digitamos a senha de 4 dígitos com o teclado virtual – segunda tela. Em seguida, você acha que vai encontrar a sua conta? Nã nã ni nã não. É preciso digitar o número do cartão-chave de segurança (ou do chaveirinho) – essa é a terceira tela. Finalmente, na quarta tela, temos acesso ao home banking… mas não à conta-corrente! Ao contrário do Itaú, você ainda deve selecionar uma opção adicional para visualizar os dados de movimentações em sua conta-corrente… na quinta tela!

No Banco do Brasil, o procedimento é mais desburocratizado (quem diria!). Nada de chaverinhos, senhas de 4 dígitos etc. Na página principal do banco, você digita agência e conta. Aí, na segunda tela, você digita a senha de 8 dígitos e pronto! Na terceira tela, já aparecem as movimentações em conta-corrente nos últimos dias e uma série de outras informações que o cliente mesmo pode personalizar (investimentos, poupança, CDB…).

Conclusão: nem sempre aquilo que é do setor privado funciona de forma mais ágil que no setor público. A despeito de seus problemas, o BB consegue ser mais rápido quando o quesito é acesso mais ágil no home banking.

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Print Friendly, PDF & Email

, , , ,

5 Responses to Acessar o home banking: no Banco do Brasil – BB é mais rápido

  1. Rafael 24 de março de 2010 at 9:08 #

    Olá hotmar,

    Além dessa facilidade quem possui um e-CPF A3 nem precisa digitar agência e conta. Somente a senha do e-CPF A3 que já entra no home banking do BB. Além de uma facilidade maior no acesso significa um pouco mais de segurança! Afinal nada é 100% seguro na internet. =)

    Abraço,
    Rafael

  2. hotmar 24 de março de 2010 at 17:51 #

    Bem lembrado, Rafael! O e-CPF é mais prático ainda! 🙂

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  3. puigllum 24 de março de 2010 at 17:59 #

    Caro Hotmar:

    Parece-me muito valiosa a dica que V. nos dá, no sentido de economizar essas telas que acabam por ser enfadonhas, quando se quer simplesmente acessar o home banking dum banco.

    No caso do Bradesco, até há poucos dias, havia uma frase secreta a escrever a cada acesso, o que eu achava absurdo. No início, custou-me muito decorar essa frase, com 16 letras e seus espaços. Felizmente, caiu essa necessidade.

    Os bancos alegam que todas essas medidas são para garantir a total segurança do correntista, do que eu duvido, pois os hackers, cada vez mais inteligentes, não precisam de quase nada para acessar dados bancários.

    Eu mesmo já tive problemas com o Banco do Brasil, devido a lançamentos desconhecidos em conta corrente, valores que me foram ressarcidos pelo banco, vale ressaltar. Os técnicos foram muito gentis, apesar das 330 perguntas às quais eu tive que responder.

    Porém, a partir dessa triste experiência, acato mais passivamente todos esses dispositivos de segurança, embora ache que o tempo que se perde é enorme.

    Nas dicas de segurança que o BB estampa em sua página, está a que lhe reproduzo a seguir, que é pertinente dentro do que V. nos sugere:

    «EVITE atalhos para acessar o site do BB, especialmente os obtidos em sites de pesquisa. Digite sempre no campo do endereço.»

    Noutras palavras: ou eu abro a sua mensagem de hoje, 24.03.2010, todas as vezes em que eu quiser ter acesso ao home banking do BB, para copiar o endereço de entrada diretamente na segunda tela, já que escrever aquelas letras todas (como aconselha o BB) seria mais longo que abrir as duas telas que vou economizar, ou crio um atalho, para facilitar as coisas, seguindo o seu conselho. Ou seja, você não nos diz textualmente para criar um atalho, mas não vejo como seguir o seu conselho, sem fazer isso.

    Então, como ficamos?

    Saudações,

    puigllum

  4. hotmar 24 de março de 2010 at 19:26 #

    puigllum, muito pertinentes os seus comentários. De fato, não existem mecanismos 100% seguros, já q os “agentes do mal” sempre dão um jeito de tentar burlar o sistema.

    Quanto às dicas de segurança do BB, de fato, temos que ter o cuidado devido ao acessar a página do banco. A solução, desse modo, passa necessariamente por validar as fontes de acesso ao home banking. Em outros termos, é preciso verificar se no site que se é direcionado a partir do atalho aparece o “s” no final do “http”, se aparece um cadeado de segurança na barra de endereços, e se o endereço tem o domínio do http://www.bancodobrasil.com.br

    Esse método estou utilizando há mais de 4 anos, e, desde então, nunca tive problemas, exatamente por ter identificado as fontes de acesso ao atalho, que permaneceram as mesmas ao longo de todos esses anos.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  5. hotmar 24 de março de 2010 at 20:47 #

    @puigllum

    Resolvi reescrever o post depois das reflexões geradas pelo seu comentário. Obrigado pela sua participação, sempre construtiva, aqui no blog. Gosto muito de suas observações, pois elas estão aprimorando a minha maneira de escrever o blog.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes