O problema não é administrar o tempo, mas sim administrar as ações

Depois de ler o livro “Faça tudo acontecer”, do David Allen – resenha exclusiva publicada aqui – resolvi também estudar o livro anterior do mesmo autor, que é “A arte de fazer acontecer”, cuja resenha também publicamos.

Uma das coisas que David Allen enfatiza, dentro da abordagem GTD, é que o tempo não é administrável. O tempo simplesmente é, você tem tempo, mas não é possível administrá-lo, uma vez que não é possível administrar cinco minutos para produzir seis minutos. O que é realizável consiste no que fazer em relação a ele: por exemplo, a administração dos investimentos em dado tempo. É plenamente possível administrar seus recursos monetários de modo que R$ 1 mil vire R$ 2 mil, utilizando as ferramentas adequadas para tanto, e utilizando o tempo que você tem disponível.

É por isso que uma hipotética possibilidade de aumento de 4 horas em nossa vida diária não poderá, por si própria, elevar a produtividade, simplesmente porque as horas acrescidas precisam ser preenchidas com ações e atitudes concretas. Logo, o foco do problema não deve consistir em ter horas a mais, e sim em ter ações a mais, pois somente assim é possível avançar na produtividade. Só assim você estará direcionando o foco para o local apropriado: o foco deve ser o “fazer”, e não o “ter tempo disponível”. O tempo é um elemento importante, mas secundário.

Você já deve ter ouvido histórias de pessoas que conseguem tirar melhores notas na escola ou serem mais produtivas no trabalho mesmo estudando em menos tempo ou trabalhando em menos tempo. Por quê isso ocorre? Ora, porque elas concentram suas atividades e o controle de sua atenção prioritariamente em suas ações, em seus “fazeres”, e não no tempo. Eis a charada!

O mesmo se dá em relação às informações. O problema não é administrar informação, mas sim o que fazer a respeito dela. Percebeu o verbo “fazer” em ação novamente (perdoe o trocadilho)?

Idem em relação às prioridades: segundo David Allen, você não as administra, você as tem. A chave é fazer as escolhas certas, tendo em vista seus limitados recursos, para cumpri-las com eficiência e um alto grau de produtividade.

Muitas vezes nos sobrecarregamos de tarefas e culpamos a falta de tempo ou o excesso de informação, quando o culpado, na verdade, somos nós mesmos! Nós é que falhamos no cumprimento das ações relativas ao que fazer em relação às tarefas, e em relação às informações.

Portanto, da próxima vez em que estiver envolvido em um projeto ou diante da informação, concentre sua atenção em relação a possíveis ações para fazê-los trabalhar de forma produtiva para realizar seus objetivos. Faça listas, desenhe projetos, estabeleça metas e os meios para atingir as metas. Aja e pratique. Faça acontecer. Se você planejar para as coisas acontecerem, elas provavelmente irão acontecer. A sensação de ganho será bem melhor aproveitada. 😀

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Print Friendly, PDF & Email

6 Responses to O problema não é administrar o tempo, mas sim administrar as ações

  1. Elvis 26 de fevereiro de 2010 at 11:29 #

    Hotmar, falando em administração, você já conhece o Blog do Prof. Kanitz?

    http://blog.kanitz.com.br

  2. Moisés 26 de fevereiro de 2010 at 16:40 #

    Caro Hotmar, perdão por estar fora de tópico, mas não poderia evitar comentar algo que aconteceu comigo esta semana.
    Pesquisando as taxas de administração dos fundos do BB, onde tenho conta, descobri que havia um fundo de longo prazo com taxa de 0,7%, menor, portanto, que o de 1% que eu vinha pagando e no qual tinha dinheiro investido há quase 2 anos.
    Quando pedi para trocar, a gerente tentou me demover da idéia por duas vezes, primeiro dizendo que eu teria que deixar por mais de 18 meses (se não me engano) ao que respondi que o dinheiro é de longo prazo mesmo e já estava parado há mais tempo; segundo que não “valeria a pena” trocar, pois era só uma diferença de 0,3%”!!!!!!
    Apesar de o montante não ser grande coisa, vc não acha um absurdo alguém me aconselhar de tal forma?
    A conclusão a que se chega é que não dá pra delegar completamente o seu dinheiro. Os gerentes trabalham para o banco! Quem trabalha pra vc é vc mesmo!

  3. hotmar 3 de março de 2010 at 20:05 #

    Elvis, não conhecia esse blog não, agora estou tendo o privilégio de conhecê-lo, obrigado pela dica! 😀

    Moisés, concordo com vc: é um absurdo uma pessoa falar uma coisa dessas, ainda mais gerente de banco, q deveria buscar as melhores alternativas para o seu dinheiro render. E vc está fazendo a coisa certa: o negócio é desenvolvermos uma espécie de auto-gerenciamento das finanças. 🙂

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  4. Rosana 24 de setembro de 2013 at 6:56 #

    Essas duas frases resumem de forma excelente o objetivo principal do artigo:

    – “O foco deve ser o “fazer”, e não o “ter tempo disponível”.
    – “As horas acrescidas precisam ser preenchidas com ações e atitudes concretas.”

    Muitas vezes buscamos apenas mais tempo disponível, mas acabamos o deixando escapar com coisas improdutivas exatamente por não termos foco.

    Abraços!

    • Guilherme 24 de setembro de 2013 at 10:44 #

      Obrigado, Rosana, e concordo com você, devemos trabalhar de forma dupla, para ganho de tempo e para realização de atividades produtivas nesse período conquistado.

      Abç

  5. Rogério Pereira 28 de dezembro de 2017 at 17:18 #

    Quem é blogueiro vive esse eterno dilema de administrar ações em relação ao tempo. Nunca há organização suficiente para executar tudo que planejamos.
    Gostei muito!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes