Avisem nos comentários a existência de eventuais erros de português nos textos

Aqui vai um pedido de ajuda aos leitores do blog: peço a gentileza de avisarem, na caixa de comentários, a existência de eventuais erros de português – ortografia, gramática etc. – nos posts do blog, a fim de que eu possa corrigi-los e deixá-los com a melhor redação possível.

Embora eu sempre procure revisar os textos antes de publicá-los, não é incomum que erros aconteçam após a edição e subseqüente publicação dos artigos. Por exemplo, nesse post “O dinheiro nunca deve mudar os valores básicos da pessoa…”, havia no final do texto publicado a seguinte redundância:

Que você também nunca deixe o dinheiro básico mudar seus valores básicos.

Perceberam o erro? O adjetivo “básico” não deveria estar aplicado também ao substantivo “dinheiro”, mas somente ao substantivo “valores”.

Esse até poderia ser considerado um erro “frugal”, no sentido de não comprometer tanto o sentido do enunciado, mas já detectei algumas inconsistências de acentuação e concordância em textos anteriores.

O fato é que nem sempre tenho tempo suficiente para fazer uma revisão completa, e é precisamente por esse motivo que peço a ajuda dos leitores. Ninguém gosta de ler um texto em que se verifiquem erros de acentuação, concordância etc. Por exemplo, em livros, não é incomum – e isso também deve ter acontecido com você – a constatação de pequenos erros de português, como Estados Unidos sendo grafado como “estados unidos”, uma vírgula anteceder a expressão “etc.”, e assim por diante.

A vantagem de se escrever em blogs é justamente a dinâmica e a interatividade entre o autor e o leitor, e também a possibilidade de correção de erros em tempo hábil.

Não se envergonhem de escrever nos comentários sobre o meu mau uso da língua portuguesa. Isso servirá também para eu fazer um aprimoramento pessoal no uso dessa ferramenta básica de comunicação, além, é claro, de transmitir melhor as idéias.

Um detalhe importante: ainda não estou totalmente acostumado com a recente reforma ortográfica, de modo que ainda estou usando as grafias antigas das palavras. A adaptação às novas regras ocorrerá com o transcorrer do tempo.

Desse modo, conto com a ajuda de vocês para o aprimoramento constante dos textos do blog. 😀

É isso aí!

Um grande abraço, e que Deus lhes abençoe!

Print Friendly, PDF & Email

2 Responses to Avisem nos comentários a existência de eventuais erros de português nos textos

  1. puiglum 25 de janeiro de 2010 at 8:36 #

    Caro Hotmar:

    Já que V. pediu, aqui vai o meu comentário, com a melhor das intenções.

    Considero que só o fato de pedir aos seus leitores comentários desse gênero já demonstra a sua grandeza de espírito, pois, como V. mesmo disse, todos erram. Isso ocorre em qualquer publicação, em qualquer jornal. Leio muito frequentemente a Folha de S. Paulo, jornal no qual se veem, diariamente, dezenas de erros, desvios à norma que poderiam ser facilmente contornados, se houvesse mais tempo para uma revisão atenta. Mas, como vivemos todos com extrema pressa e tudo é feito para ontem, não é possível dedicar tempo algum à revisão de textos.

    Bem, o meu comentário refere-se a esse simpático bordão com o qual V. termina sempre as suas mensagens («que Deus lhes abençoe!»), o qual me parece nobre, pois é demonstração de extrema generosidade pedir a Deus que abençoe alguém, é o melhor que se pode oferecer. O que ocorre é que o verbo “abençoar” é transitivo direto, ou seja, ele pede como complemento um objeto direto. Sendo o pronome de terceira pessoa («lhe») denotativo de objeto indireto («eu lhe dou um livro»), o correto seria dizer «que Deus os abençoe!».

    Veja o que diz o dicionário Houaiss a respeito desse verbo:

    «abençoar v. 1. t.d. lançar bênção a; abendiçoar (‘o bispo abençoou os fiéis’). 2. t.d. p. ext. desejar bem a, bem-fadar (‘era capaz de amar e abençoar qualquer um, sem distinção’). 3. t.d. p. ext., exaltar ou louvar (algo ou alguém) – (‘abençoou o jovem por seu ato de bravura’). 4. t.d., p. ext., conceder proteção a ou tornar próspero; amparar, auxiliar (‘as pessoas de bem abençoam os que lutam pela justiça’)» (a abreviatura «t.d.» quer dizer «transitivo direto»).

    Portanto, como podemos constatar, se formos seguir a norma padrão da língua portuguesa, o correto é dizer «que Deus os abençoe!»

    Saudações,

    puigllum

  2. hotmar 25 de janeiro de 2010 at 10:05 #

    Olá, puiglum!

    Muito obrigado pelos comentários! De fato, não havia me atentado para o fato de o verbo “abençoar” ser transitivo direto, o que requer uma modificação no meu usual bordão. Fico lisonjeado com essa sugestão, o objetivo do aprimoramento pessoal está sendo cumprido. 😀

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe, e mais ainda o puig!

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes