Problemas com home banking e a dependência da tecnologia

Se você, assim como eu, usa com freqüência os serviços de Internet Banking, aqui vai uma dica preciosa: mantenha conta em pelo menos dois bancos, porque pode ocorrer de um deles não estar disponível no momento em que você mais precisar.

Vou contar uma experiência própria, que vivi anteontem à noite, uma sexta-feira: estava eu navegando pela Internet quando resolvi checar a fatura do meu cartão de crédito. Qual não foi a surpresa ao verificar que o dispositivo de segurança eletrônico, também conhecido por token, que gera aleatoriamente seis números que devem ser digitados na tela do computador, não estava funcionando. Eu apertava o botão do aparelho, mas nada do aparelho funcionar.

Resolvi entrar em contato com a central de atendimento, por telefone, e o atendente me informou que a bateria havia acabado, e que eu precisaria ir até uma agência para solicitar a troca de bateria – mas isso, evidentemente, no horário do expediente bancário, ou seja, na melhor das hipóteses, na segunda-feira de manhã. Durante esse intervalo, ou seja, durante o final de semana inteiro, eu simplesmente não poderia usar o Internet Banking, por conta de… um problema de bateria de um dispositivo eletrônico.

Tá certo que tais mecanismos são usados pelos bancos para aumentar a segurança nas transações eletrônicas, porém, por outro lado, fazem com que os clientes – nós – tenhamos, às vezes, uma dependência excessiva da tecnologia.

Então, volto a repetir, procure manter contas em pelo menos dois bancos, pois, caso um deles esteja com o Internet Banking inacessível, o outro ainda poderá estar disponível para efetuar o acesso, em situações emergenciais – recarga de celular ou pagamento de uma conta/boleto bancário, por exemplo. Em último caso, na hipótese de nenhum dos home bankings funcionar, e você não tiver próximo de um caixa eletrônico, experimente usar os serviços bancários oferecidos via telefone. Para agilizar o acesso, mantenha sempre anotados em sua agenda os telefones das centrais de atendimento de seus bancos.

É isto aí!

Um grande abraço, e que Deus lhes abençoe!

Print Friendly, PDF & Email

,

7 Responses to Problemas com home banking e a dependência da tecnologia

  1. RolandoLero 16 de junho de 2009 at 22:19 #

    Oi Hotmar,

    Aconteceu comigo também do “apareinho” falhar. Liguei para a Central de Atendimento (no meu caso, Unibanco), sendo resolvido de uma forma simples: após eu informar meus dados, o atendente liberou o acesso ao Internet 30 Horas temporariamente (exigindo apenas as habituais senha e assinatura eletrônica) para um pagamento que eu precisava efetuar. Em alguns dias já tinham enviado pelo correio outro aparelho.

    E no caso do seu banco não querer desbloquear o acesso, acho que caberia um pedido de ressarcimento por eventuais prejuízos em multas/juros da conta. Afinal, a culpa não foi sua, mas sim de um aparelho fornecido pelo banco, que falhou, impossibilitando seu acesso.

    E ter conta em dois bancos, sei não… seriam mais taxas de manutenção 🙂

  2. hotmar 16 de junho de 2009 at 22:32 #

    @RolandoLero
    Rolando, obrigado pelo comentário. De fato, no seu caso, a central de atendimento ofereceu o suporte necessário para conseguir realizar transações eletrônicas sem o dispositivo de segurança, coisa que deveria ser a regra nos atendimentos aos clientes de serviços bancários.

    E quanto às contas em 2 bancos, de fato, seriam mais tarifas de manutenção a pagar, penso que é o preço que pagamos se quisermos ter uma segurança adicional nos serviços bancários (dentro daquele pensamento: “em caso de um falhar, outro estar à disposição…”).

    É isto aí!
    Um grande abraço, e que Deus lhes abençoe!

  3. Eduardo Bispo 18 de julho de 2011 at 8:50 #

    Olá pessoal, acredito que este problema possua ser resolvido com a utilização do MobileToken. Ao invés do token, a chave de segurança é gerada a partir do celular. Problemas com a bateria seriam solucionados. Atualmente eu utilizo esta forma de acesso no meu banco e não tenho problemas.

  4. Guilherme 19 de julho de 2011 at 8:57 #

    Legal a sua informação, Eduardo! O Itaú implantou o serviço de SMS por token. E parece que o Bradesco também tem um serviço similar, de gerar a chave de segurança a partir do iPhone. Isso reduz nossa dependência dos tokens tradicionais.

    É isso aí!
    Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

  5. Rosana 4 de agosto de 2013 at 9:20 #

    Guilherme,
    O Bradesco disponibilizou há alguns anos o token, mas quem não quiser aderir, pode continuar com o cartão chave de segurança, pelo menos por enquanto – e espero que por muito tempo!
    Quando vi essa nova tecnologia até me interessei, mas pensei bem e preferi ficar com o cartão, pois além de não ter esse inconveniente de dar problema, faço também uma cópia só da parte com os números, e assim fico despreocupada caso eu perca o papelzinho já que ninguém vai saber à qual conta/banco aquela sequência se refere.
    E assim fico muito mais despreocupada.
    Abraços!

    • Guilherme 4 de agosto de 2013 at 15:45 #

      Oi Rosana, que bom que tenha adotado o cartão chave de segurança. É uma alternativa de segurança que proporciona todas as vantagens mencionadas por você, e diminui o risco de uso indevido da conta.

      Além, é claro, de te deixar menos preocupada em relação a toda essa questão de segurança.

      Abç!

Trackbacks/Pingbacks

  1. Valores Reais » Vale a pena pagar boletos bancários pelo home banking - 18 de junho de 2009

    […] Entretanto, vale a pena frisar que os sistemas de home banking hoje contam com inúmeros instrumentos de segurança, que incluem até dispositivos de hardware que o cliente é obrigado a carregar, e que podem causar transtornos, conforme eu havia comentado em outro tópico. […]

Deixe uma resposta

Powered by WordPress. Designed by Woo Themes